Aerógrafos

quote:
Originalmente publicado por leo miranda:
Augusto, tamo junto! Preciso conhecer a APRJ,qualquer hora apareço.

Finalmente fotos!!!


Então vamos as fotos.

Estes aqui são os dois chineses quando chegaram o da direita nunca funcionou direito e esta abandonado.



Aqui os dois Iwata que eu uso direto, já faz alguns bons anos.



O Infinity que apesar de bem mais novo já mostra sinais claros de desgaste na cromagem

quote:
Originalmente publicado por Augusto:
quote:
Esse Sotar 20/20 tb é boa pedida.


Esse ai é um aerógrafo que sempre achei feio pra cacete, mas só ouço falar maravilhas dele. Olha a lombrigas se atiçando. Maneiro !!!!


Não tem aerógrafo feio, é você que bebeu pouco (kkkkk)

Eu peguei um destes aerógrafos na mão já, não lembro se foi o do Rato ou do Fabrício, o bicho é medonho. Mas fazendo o serviço, é o que conta. Acho o meu Gatti AG2 lindão, e mantenho ele "na estica", mas faz tempo já que me indignei com as mancadas do pessoal deles que vende peças. Contei aqui a história, inacreditável o que eles fizeram comigo.

Abs!
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
O que sempre me afastou deste Sotar é que o gatilho me parece perto demais do copo, o dedo não fica batendo ali?



O meu dedo (gordo) roçou ali sim, quando empunhei. E olha que a minha mão não é grande. Que bicho horroroso, em termos de beleza parece um Hurricane.

Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!!

Fabiano esse Hansa aí é bem bacana.

Legal !!!
Nunca tive problemas com a posição do copo, mesmo quando pinto com o dedo 'cruzando' o gatilho. Mas há a versão com reservatório menor.
Rodrigo, o aerógrafo que vc experimentou lá na GE não foi esse, foi o Renegade. Vai ver que foi o do Fay. Eu pelo menos nunca levei o Sotar lá...
E falando nele, não sei qual é a política da Badger com relação ao Sotar, já que eles reduziram muito a propaganda desse aerógrafo. Fico com a impressão que estão pensando em descontinuá-lo em favor dos novos Renegade. De qualquer forma, é um aerógrafo muito conceituado entre artistas.

Augusto, tendo um HP-B, o que você quer mais?

Há ainda o Rich Pen, que fabrica os seus próprios aerógrafos e os da Gunze e da Tamiya. Os Rich são caros e bons como os Iwata.

Quanto à medonhez, essa é nova. Vcs têm que pensar em ergonomia e precisão, não em beleza. Tem muito aerógrafo xing-ling lindo por aí.
O que é esse Coloni, então? Não dá nem pra saber por onde sai a tinta... Peçam para o Guerra mostrar o Steadler dele também...

Feio é o Paasche Turbo, o único aerógrafo que permite controle da velocidade do spray:


Rato Marczak
www.ratomodeling.com
Rato

Acho que a politica da Badger é substituir o Sotar pelo Khrome/Renegade, se olhar bem vai ver que o conjunto do bico e o gatilho é o mesmo em todos os modelos.

Este Paasche turbo eu vi na Casa Cruz aqui no Rio, sempre fiquei curioso para saber exatamente qual é a vantagem deste arranjo esquisito.


O HP-B é uma beleza mesmo, junto com o irmão SB fazem a alegria de qualquer modelista, mas eu tenho um coração grande, sempre cabe mais um. Maneiro !!!!
Rato
Quando eu for aí na GE levo um Colani (o número 2)para voces experimentarem.
Levo junto com o teu presente, vindo se Mumbai. Captou ???
Acho que quem gostaria do Colani é o GG, pois este aerografo voce tem que ter controle de gatilho como uma pistola. Voce somente "puxa" o gatilho.
Não é necessario apertar e puxar o gatilho.
Muito bom para quem tem artrite.
E é dupla ação! Tô na boa...!
quote:
...sempre fiquei curioso para saber exatamente qual é a vantagem deste arranjo esquisito.


Augusto, a vantagem é que a tinta não é sugada ou cai por gravidade. Ela é colocada na frente do jato de ar 15 mil vezes por segundo por uma ponta super-fina. Com isso se controla muito mais a quantidade de tinta, o que permite traços excepcionalmente finos.

Rato Marczak
www.ratomodeling.com
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
Acho que a politica da Badger é substituir o Sotar pelo Khrome/Renegade, se olhar bem vai ver que o conjunto do bico e o gatilho é o mesmo em todos os modelos.


Você não acha que se fosse isso essa linha nova já teria que ter bicos < 0,2mm? Pelo que me consta o SOTAR é o Badger com bico tão fino.
Ademais, o SOTAR custa mais ou menos o dobro de um Krome. O preço das peças acompanha o do aerógrafo.

quote:
Originalmente publicado por Rato Marczak:
quote:
Voce somente "puxa" o gatilho...
E é dupla ação!


Conheço o sistema. Já pensei em adquirir um Grex desse tipo.


Rato, os Hansa também são assim. Quando eu comprei não sabia disso, desmontei o bicho pra ver se a válvula estava travada. Hum... sei....!!!

Sds
quote:
Originalmente publicado por Luft46:
Eu tenho varios aerógrafos, alguns sem uso, mas atualmente tenho usado estes:





Eu tenho um desses Colani, que inclusive o Augusto deu uma geral nele pra mim.

Tu pega o bixo na mão, a qualidade e o acabamento são impressionantes.

Mas a ergonômia dele é um tanto difícl de se acostumar...ainda não peguei o jeito dele.

Nem sei se não vou acabar passando adiante pra pegar um outro convencional.
Olá pessoal,

Minha modesta contribuição:
Tenho pouca experiência com aerógrafos. Venho de um Aztek A320 ação simples, passei por um Sagyma 440 dupla ação. Ambos não uso mais. Aztek funciona perfeitamente mas está encostado. Sagyma apresentou vários problemas e acabei colocando-o no lixo.

Há mais ou menos um ano adquiri esse da foto abaixo. Um aerógrafo feito em Taiwan, HD-130 0,3mm dupla ação. Se mostrou, durante esse tempo, um bom aerógrafo...bem mais regular do que o Sagyma. Xing-ling mas ótimo custo/benefício!




Uns 3 ou 4 meses atrás comprei um Hansa 381 0,3mm, dupla ação. Ótimo aerógrafo! Muito superior aos "modelos" que tinha tido anteriormente. Super bacana de usar!




Um abraço,

Gustavo
quote:
Originalmente publicado por Rato Marczak:
quote:
...sempre fiquei curioso para saber exatamente qual é a vantagem deste arranjo esquisito.


Augusto, a vantagem é que a tinta não é sugada ou cai por gravidade. Ela é colocada na frente do jato de ar 15 mil vezes por segundo por uma ponta super-fina. Com isso se controla muito mais a quantidade de tinta, o que permite traços excepcionalmente finos.

Rato Marczak
www.ratomodeling.com


Entendi, bem interessante, mas imagino que só deve funcionar bem com tintas muito diluídas e com o pigmento muito fino.
quote:
Pelo que me consta o SOTAR é o Badger com bico tão fino.


Oi Sergio, pois é, mas a diferença é mínima. O Sotar é 0,19mm equanto o Velocity/Spirit são 0,21mm. O Sotar não é um projeto da Badger. Era uma empresa californiana que foi comprada pela Badger no final dos anos 80. E sim, o bico do Sotar entra nos Renegade.

Augusto, vc tem razão. Mas existem modelistas que usam o Turbo. Há uns dois anos um maluco na FineScale Modeler fez uma pintura Tiger Meet em um Tornado (acho) com esse bicho - não usou decais.

Já essas traquitanas para pintura 'difusiva dual', como eles chamam, acho que tem pouco uso para nós. O Andrew Dextras usou esse método pelo menos em um MiG-15 e um P-47:



Agora, querem saber qual o best-seller da Badger? É este aqui ó:



Pasmem, o 250 vende mais de 3000 unidades por semana nos EUA - a maior parte para escolas. Palavras do próprio Ken Schlotfeldt (dono da Badger).

Rato Marczak
www.ratomodeling.com
Olá pessoal,

Apesar de eu ser um aprendiz de plastimodelista, e estar numa fase mais boxmodelista do que qualquer outra coisa, também acredito que o vírus da coleção de aerógrafos seja um "bichinho" que a gente pega....rsrsrs
Já estou me mordendo todo para comprar mais um! Hum... sei....!!!


Lendo o tópico, fiquei com muita vontade desse aqui:


Acho que não vou resistir... Maneiro !!!!


Abraço,

Gustavo
quote:
Originalmente publicado por Rato Marczak:
quote:
Pelo que me consta o SOTAR é o Badger com bico tão fino.


Oi Sergio, pois é, mas a diferença é mínima. O Sotar é 0,19mm equanto o Velocity/Spirit são 0,21mm. O Sotar não é um projeto da Badger. Era uma empresa californiana que foi comprada pela Badger no final dos anos 80. E sim, o bico do Sotar entra nos Renegade.

Augusto, vc tem razão. Mas existem modelistas que usam o Turbo. Há uns dois anos um maluco na FineScale Modeler fez uma pintura Tiger Meet em um Tornado (acho) com esse bicho - não usou decais.

Já essas traquitanas para pintura 'difusiva dual', como eles chamam, acho que tem pouco uso para nós. O Andrew Dextras usou esse método pelo menos em um MiG-15 e um P-47:



Agora, querem saber qual o best-seller da Badger? É este aqui ó:



Pasmem, o 250 vende mais de 3000 unidades por semana nos EUA - a maior parte para escolas. Palavras do próprio Ken Schlotfeldt (dono da Badger).

Rato Marczak
www.ratomodeling.com


karamba eu pensava que era o 350 !!! Maneiro !!!!
Olá a todos,

Fabiano meu caro...ela tá comigo a só 3 'mesinhos'...nem esquentou lugar! Na real eu ainda nem usei ele de verdade, apenas fiz uns poucos traços de teste, usando apenas acrílicas; e já deu prá sentir muita diferença! rsrs

Prezado Rato...valeu pela dica! Vou buscar por esse modelo do copo menor pois realmente preferiria ele com essa configuração. Li algumas linhas sobre os HG Super Fine e todos até agora falaram muito bem deles....acho que vou enfiar o pé nessa jaca... Maneiro !!!!


Abraço,

Gustavo

Hola!!!

 

Eu tenho 6, tinha um 7º que foi para o lixo...

São os seguintes:

 

1. H&S Evolution 2 in 1: é o que mais utilizo, com o bico 0,2, gosto muito da ergonomia e da facilidade para limpar, é muito preciso e faz traços muito finos e, é o mais bonito de todos ;

2. Sotar 20/20: também é muito bom, utilizo para detalhes, faz linhas um pouco mais finas que o evolution, mas pouca coisa, a vantagem é a facilidade de controlar o traço, o gatilho próximo ao copo de tinta nunca me atrapalhou;

3. Badger Renagade: também é muito bom, mas acabo utilizando pouco, pois é mais complicado de limpar e é mais pesado que o Evolution;

4. Badger 105 Patriot: esse é para o trabalho pesado, aplicar primer, pintar terreno, superfícies grandes, etc;

5. Gatti AG3: foi meu segundo aerógrafo, é um bom aerógrafo, preciso e muito bem feito, faz tempo que não utilizo, pois gosto mais dos que a tinta vai direto sobre a agulha;

6. Sagima, cópia do Iwata CM-C plus: esse é complicado, antes do uso os anéis de vedação já haviam desmanchado, mal usinado, o gatilho tranca com frequência, atualmente utilizo só para tintas metálicas, pois não tenho coragem de colocar nos outros;

7. Aztek: esse foi para o lixo, uma porcaria, primeiro porque não se encontra os bicos em lugar nenhum por essas bandas, e comprei ele na época pré-internet... com o tempo a tinta acabou entrando para dentro do corpo do aerógrafo, que não desmonta, aconselho a quem estiver procurando um aerógrafo fugir desse

 

 

Abraços

 

Originally Posted by M.H.Ferreira:
O meu é um Revell Vario. Na verdade é um Thayer & Chandler Vega 2000. Uma marca ligada a Badger

Vem com agulhas e bicos para três tamanhos. Atende minhas necessidades é muito resistente.

Já esta comigo a uns 10 anos. Nunca troquei nada ou tive qualquer problema.

Tenho um igual ao seu com o nome de Vega 2000( pinto e até evernizo com ele). além dele tenho um Lince EF e um Badger 200 para trabalhos muito finos, na verdade quase não uso.

Pessoal, isto vai parecer um desabafo...

 

Há mais de 30 anos uso o mesmo aerógrafo: um Badger 350, ação simples, mistura externa. Sério. Nesse tempo todo, troquei apenas uma vez o bico. O bicho é valente e me acostumei com ele, consigo até fazer algumas camuflagens multicoloridas à mão livre. Como muitos disseram, se acostumar e pegar as manhas da ferramenta ajuda muito...

 

Mas dá trabalho e imagino que um dupla ação facilitaria minha vida. O problema é que sei como sou meio descoordenado, sempre acho que vou me atrapalhar com apertar-empurrar/puxar o gatilho, acabo desanimando. Há alguns anos, cheguei a fazer uma curta experiência com um Aztec 430 - talvez tenha começado errado -, não cheguei a me adaptar e acabei vendendo. Mas também sei que não cheguei a tentar com afinco, era uma época em que minha produção era maior e a adaptação exigiria um tempo que eu não quis investir.

 

Agora, com a idade maior e a produção menor, quero mais qualidade na pintura. Tenho visto alguns aerógrafos dupla ação por aí com preço palatável. Não quero algo top of the line pois ainda não sei se vou me adaptar - e a verba é beeeem curta. Estive pensando num Sagyma SW800 ou Steula BC 64-03. Não por coincidência, os dois têm alimentação por sucção e o copo de vidro embaixo, como o 350 - sou muito bagunceiro e preguiçoso para pensar em um aerógrafo com o copo de metal fixo. Mas este tópico me deixou meio ressabiado...

 

Aceito sugestões...

 

Sergio

Sergiãio eu cheguei a escrever para você no tópico que vocÊ tinha aberto mas ai você sem vergonhamente apagou o tópico

Primeiramente... você é um mágico ao pintar esse Dewoitine com um Badger 350!!!!

 

Mas a minha dica é que você tem um dupla ação chinês mesmo. Eu gosto muito dos Sagymas e marcas similares o Sagima 775 eu uso muito, como te disse ele muda o nome da marca mas é o mesmo aerógrafo, eu já tive ele na marca sagyma, western e Steula, são as mesmas peças. Dá uma olhada neste link:

http://www.wkshop.com.br/loja/produtos_descricao.asp?m_descricao=4&codigo_departamento=6&codigo_produto=2362

 

Eu gosto deste modelo porque o copinho lateral dele é destacável.

 

Bom fica ai a dica!

Sergio,

 

quer UM aerógrafo que vai durar a vida toda?

Va de H&S Evolution. Tem um combo que vem com duas agulhas.

Voce não vai precisar de outro nunca mais.

O Infinity é muito bom mas é caro e acho perda de tempo e dinheiro.

Com o Evolution você vai estar com uma Mercedes Benz na mão.

Eu também pretendo vender o meu Badger Renegade logo para pegar um H&S Evolution.

 

E agora sabendo que os bicos do Evolution e do Infinity são intercambiáveis, minhas lombrigas se atiçaram mais ainda. 

 

Ah, e ainda tenho um Gatti AG-3 que é o pau pra toda obra. Esse eu não troco, pois nele uso qualquer tipo de tinta.

 

Descobri também que, realmente, não é necessário desmontar muito o aerógrafo. Desmonto praticamente 1x a cada 6 meses quando monto muito. Como montar muito não é o caso, demoro bastante para uma limpeza completa.

 

Abs

 

Wolney

Eu sou um bosta mesmo... tenho dois sagymas. Vivem me dando dor de cabeça. Já tive que levar os dois para o Augusto consertar na APRJ, de tão empenados que estavam. Sem falar que entopem com grande facilidade. Sacal

 

como sou iniciante to procurando novos aerógrafos. Pretendo comprar um badger de dupla ação. Vi que essa marca foi a mais citada nesse tópico e é a marca que tem na APRJ, acho que deve ser muito boa msm.

 

Tópico excelente, por acaso. Ajuda muito a escolher aerógrafos.

 

Estou analisando. Vi muitos falarem do Badger, Paasche, do Iwata e do H&S. Considerando que esse último é uma facada, corro dele.

 

Abraços

Hola 

 

Sérgio, esse teste com o Aztek não conta, tive um que joguei no lixo 

 

Antes de falar sobre aerógrafo, acho interessante ver a questão da alimentação(sifão ou gravidade). Os aerógrafos com alimentação por sifão necessitam de uma pressão mais alta, o que difiulta a realização de trabalhos mais finos e precisos, já com alimentação por gravidade podemos variar mais a equação diluição/pressão, o que nos premite uma infinidade de combinações para diferentes trabalhos.

 

Os aerógrafos da H&S são excelentes, com uma ergonomia muito boa, precisos e com ótima qualidade das peças e encaixes.

 

Utilizo um evolution desde 2009, com o bico de 0,2, embora também tenha o 0,4. É uma ferramenta muito precisa, fácil de utilizar e limpar, faz linhas muito finas, mas é um aerógrafo bem versátil, dá ´para utilizar para áreas maiores e para detalhes finos.

 

Também tenho 3 badgers, um patriot 0,4, um renegade 0,3 e o sotar 20/20 0,18. Também são excelentes, o patriot é o que sofre com os primers, verniz ou pintura de superfícies maiores. O renegade quase não uso, ele é muito bom, mas acaba ficando na mesma faixa de utilização do evolution. O sotar só utilizo quando quero algo de muita precisão, mais para detalhes.

 

É importante ter um aerógrafo que se adapte as tuas necessidades, eu poderia fazer tudo que preciso com o evolution ou com o renegade, tenho outros só por compulsão  . Por exemplo, se comprar um infiniti com o bico 0,15 vai ser trabalhoso pintar superfícies maiores, além do que ele pede diluições maiores e vai entopir bastante, não em função da qualidade, mas sim da pequena espessura do bico.

 

Como utilizo o aerógrafo para pintura de figuras, que é só o que faço, preciso de um aerógrafo para cobertura geral em superfícies relativamente pequenas e para detalhes finos, lembrando que não pinto tudo com aerógrafo, sendo boa parte no pincel.

 

Segue um link de uma demonstração de pintura de figura com aerógrafo, da minha amiga e maestra Pepa Savedra, que pinta muito, já vi ao vivo ela fazer misérias com um aztek(emprestado, pois ela acha péssimo):

 

http://kws.figurines-tv.com/in...mentaires&id=176

 

 

Abraços

Eu comprei um Infinity H&S de tanto o Luft falar e a minha impressão depois de usar bastante é: Não vale o que custa.

 

1- É basicamente o mesmo equipamento do Evolution, com um visual mais estilizado. Mecanicamente é a mesma coisa

 

2- Depois de pouco tempo o cromado começou a apresentar desgaste onde encosta mão. Seu Luft sugeriu que o problema poderia ser eu, mas o fato é que tenho outros aerógrafos muito mais antigos, e com muito mais uso que não apresentam o problema. Além disso a H&S lançou uma nova linha com cromagem dupla (mais caro) , ou seja vai pagar ainda mais para ter a mesma durabilidade da cromagem de um Sagyma.

 

3- Tem a facilidade de limpeza e desmontagem, mas por outro lado tem não sei quantos anéis de borracha, e no meu alguns já estão rachando. Meus IWATA, tem 2 (nos novos só tem um) e nunca foi preciso trocá-los em mais de 10 anos de uso continuo.

 

Antes eu falava sem conhecimento prático, agora posso falar depois de um bom tempo de uso. Se vai comprar um aerógrafo top, esqueça o resto, compre um IWATA. (mas não um Iwata-Neo)

 

 

 

 

Incluir Resposta

Curtidas (2)
LihH PandaHOmarr
×
×
×
×