Aerógrafo entupido

Boa tarde pessoal.

De novo estou ás voltas com um problema no meu aerógrafo. Já troquel o bico rachado, mas ele só pulveriza a tinta quando coloco no mínimo 25 psi. O problema que ele é um Sparmax de ação dupla e alimentado por gravidade. Não sei o que poderia fazer. Alguém tem alguma sugestão?

Original Post
Gato Gordo posted:

Boa tarde pessoal.

De novo estou ás voltas com um problema no meu aerógrafo. Já troquel o bico rachado, mas ele só pulveriza a tinta quando coloco no mínimo 25 psi. O problema que ele é um Sparmax de ação dupla e alimentado por gravidade. Não sei o que poderia fazer. Alguém tem alguma sugestão?

Tá com cara de tinta pouco diluída...

limpe bem o bico do aerografo veja se não ficou o minimo traço de resto de tinta nele,logo após coloque  algun diluente e  com esta pressão veja o que acontece,se sair  o liquido legal ai é só uma questão da diluição da tinta e tem de ver qual tinta algumas tendem a secar muito rápido.

pak43 posted:

limpe bem o bico do aerografo veja se não ficou o minimo traço de resto de tinta nele,logo após coloque  algun diluente e  com esta pressão veja o que acontece,se sair  o liquido legal ai é só uma questão da diluição da tinta e tem de ver qual tinta algumas tendem a secar muito rápido.

Eu desmontei o bicho todo e lubrifiquei as partes móveis. Dei uma limpreza em regra e com 15 psi já pulverizava.

Vou deixar o bico de molho no thinner ou fluido de freio e vou limpar com uma agulha de costura bem fina.

primeira regra, teste o aerografo so com agua. se sair com agua e nao com tinta é diluicao
se nao sair agua é entupimento

nao é so o bico, a capa do bico também deve estar limpa internamente, se estiver suja ela tira pressão do ar que sai e ai nao sai tinta e me parece que é isso que esta acontecendo eu também tenho um sparmax. 

limpe a capa do bico internamente, ela esta suja e esta tirando a pressão do ar que sai do aerografo

tem que aprender a sentir a pressão que sai do aerografo com o dedo... com a pratica aprende que é esta pressão que vale e nao a do manômetro 

eu tenho uma limpadora ultrassom pequena,mas na minha opinião ela só facilita a limpeza ou seja ajuda a desgrudar a sujeira e ai você tem de ir no manual mesmo,segundo eu li não é bom usar muito em aerografos com aqueles bicos de latão pois aos poucos o efeito da maquina pode levar a micro rachaduras pelo efeito do ultrassom.

Eu sempre achei que prevenir é melhor que remediar, velho chavão e proposta de vida, mas extremamente atual nos tempos de hoje, de obsolescência planejada.

 

Minhas misturas de tintas, principalmente com as acrílicas da Acrilex e Decorfix, são sempre diluídas com água do meu poço, pura e cristalina. Após, todas são coadas (uso Perfex), rotuladas e estocadas.

E uso isso, sem nenhuma exceção, para as Tamiya, Pactra, Vallejo, Gunze, Revell, AK e Italeri que tenho.

Por que essa neura? Porque por mais que você sacuda, balance, vire e revire, as tintas que compramos decantam dentro dos vidros e quaisquer partículas que ficar pode, e pela Lei do Murphy, vai, entupir o aerógrafo.

 

Sempre que uso o aerógrafo, após a pintura, abro e limpo tudo. Vi um vídeo no Youtube em que o CEO da Paasche ou Badger, não sei ao certo qual delas, dizia a uma seleta plateia que não era preciso desmontar o aerógrafo após o uso pois somente passando thinner ou solvente através do instrumento já seria o suficiente. Acho que ele não conhece o que é refluxo, pois sempre que abro o aerógrafo, encontro restos de tinta agulha acima. Umas duas ou três vezes sem abrir e já começa o gatilho a segurar.

 

Quinta-feira tirei o dia para fazer a limpeza mensal que dos meus aerógrafos. Desmontei cada um, lavei, poli, lubrifiquei, sequei e montei novamente. Fiz uma série de pinturas agora à tarde e é um prazer só trabalhar com eles.

É um processo muito chato, concordo plenamente, mas depois de sofrer com um aerógrafo entupido por dias, estabeleci regras e delas não mais me afasto.

 

Outra coisa que aprendi é ter cuidado com esses kits de limpeza, pois é só usar forçando e lá se vai o bico do aerógrafo e não precisa muita força. Uso limas endodônticas que podem ser compradas em diferentes tamanhos e ajudam a raspar a parte interna do bico e da capa. Escovas interdentais também ajudam muito, mas cuidem com o arame que seguram as cerdas. Pode alargar o bico.

 

Esse tópico esta muito bom e deveria periodicamente aparecer para nos acordar às necessidades de manutenção do nosso equipamento.

Abs e um bom fim de semana para nós e nossas famílias.

artemius111 posted:

Acho que ele não conhece o que é refluxo, pois sempre que abro o aerógrafo, encontro restos de tinta agulha acima. Umas duas ou três vezes sem abrir e já começa o gatilho a segurar.

 

Nao precisa desmontar o aerografo, mas toda vez que usa tem sempre que limpar a agulha e limpar qualquer resto de tinta que fique nela ou na gaxeta, o que faz travar é tinta seca na agulha dai ela nao passa na gaxeta, ou pior, secar a tinta e colar ela na gaxeta ai ela nem se mexe. se for verniz PU, fudeu

quem me ensinou foi a professora de aerografia

anghinoni posted:
artemius111 posted:

Acho que ele não conhece o que é refluxo, pois sempre que abro o aerógrafo, encontro restos de tinta agulha acima. Umas duas ou três vezes sem abrir e já começa o gatilho a segurar.

 

Nao precisa desmontar o aerografo, mas toda vez que usa tem sempre que limpar a agulha e limpar qualquer resto de tinta que fique nela ou na gaxeta, o que faz travar é tinta seca na agulha dai ela nao passa na gaxeta, ou pior, secar a tinta e colar ela na gaxeta ai ela nem se mexe. se for verniz PU, fudeu

quem me ensinou foi a professora de aerografia

O não desmontar o aerógrafo para esse executivo era nem retirar a agulha, o que, pela corroboração do seu testemunho, é imprescindível.

artemius111 posted:
anghinoni posted:
artemius111 posted:

Acho que ele não conhece o que é refluxo, pois sempre que abro o aerógrafo, encontro restos de tinta agulha acima. Umas duas ou três vezes sem abrir e já começa o gatilho a segurar.

 

Nao precisa desmontar o aerografo, mas toda vez que usa tem sempre que limpar a agulha e limpar qualquer resto de tinta que fique nela ou na gaxeta, o que faz travar é tinta seca na agulha dai ela nao passa na gaxeta, ou pior, secar a tinta e colar ela na gaxeta ai ela nem se mexe. se for verniz PU, fudeu

quem me ensinou foi a professora de aerografia

O não desmontar o aerógrafo para esse executivo era nem retirar a agulha, o que, pela corroboração do seu testemunho, é imprescindível.

sim é imprescindível fazer isso toda vez que usa no final do dia antes de guardar o aerografo, eu ainda lubrifico com uma gota de oleo paasche e tiro o excesso com papel toalha, a tinta nunca gruda na agulha. 

varios amigos modelistas ja me deram os aerógrafos para eu limpar na ultra-som e o que eu mais vejo é eles falarem que o aerografo esta "estragado"  mas é a agulha travada com tinta seca que nao sai mais do aerografo. Outros quebram o bico minúsculo usando a ferramenta e apertam demais, aquela ferramenta dos bicos pequenos estilo iwata/chineses  é para tirar o bico, nao para colocar.

se nao derrubar, nao deixar secar tinta na agulha e nao quebrar o bico quando vai colocar de volta eu acho que o aerografo dura para sempre mesmo os chineses.

artemius111 posted:

Eu sempre achei que prevenir é melhor que remediar, velho chavão e proposta de vida, mas extremamente atual nos tempos de hoje, de obsolescência planejada.

 

Minhas misturas de tintas, principalmente com as acrílicas da Acrilex e Decorfix, são sempre diluídas com água do meu poço, pura e cristalina. Após, todas são coadas (uso Perfex), rotuladas e estocadas.

E uso isso, sem nenhuma exceção, para as Tamiya, Pactra, Vallejo, Gunze, Revell, AK e Italeri que tenho.

Por que essa neura? Porque por mais que você sacuda, balance, vire e revire, as tintas que compramos decantam dentro dos vidros e quaisquer partículas que ficar pode, e pela Lei do Murphy, vai, entupir o aerógrafo.

 

Sempre que uso o aerógrafo, após a pintura, abro e limpo tudo. Vi um vídeo no Youtube em que o CEO da Paasche ou Badger, não sei ao certo qual delas, dizia a uma seleta plateia que não era preciso desmontar o aerógrafo após o uso pois somente passando thinner ou solvente através do instrumento já seria o suficiente. Acho que ele não conhece o que é refluxo, pois sempre que abro o aerógrafo, encontro restos de tinta agulha acima. Umas duas ou três vezes sem abrir e já começa o gatilho a segurar.

 

Quinta-feira tirei o dia para fazer a limpeza mensal que dos meus aerógrafos. Desmontei cada um, lavei, poli, lubrifiquei, sequei e montei novamente. Fiz uma série de pinturas agora à tarde e é um prazer só trabalhar com eles.

É um processo muito chato, concordo plenamente, mas depois de sofrer com um aerógrafo entupido por dias, estabeleci regras e delas não mais me afasto.

 

Outra coisa que aprendi é ter cuidado com esses kits de limpeza, pois é só usar forçando e lá se vai o bico do aerógrafo e não precisa muita força. Uso limas endodônticas que podem ser compradas em diferentes tamanhos e ajudam a raspar a parte interna do bico e da capa. Escovas interdentais também ajudam muito, mas cuidem com o arame que seguram as cerdas. Pode alargar o bico.

 

Esse tópico esta muito bom e deveria periodicamente aparecer para nos acordar às necessidades de manutenção do nosso equipamento.

Abs e um bom fim de semana para nós e nossas famílias.

Compartilho desse filosofia também! 

Incluir Resposta

Curtidas (0)
×
×
×
×