VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE ABANDONOU O HOBBY OU TROCOU POR OUTRO ?

Abandonar   nunca me passou pela cabeça tal coisa  , mas fico imaginando o dia em que não farei mais parte deste mundo e ai olho para um lado da parede de meu atelier e vejo  que  o tempo que me resta de vida  , sem nem um imprevisto a quantidade de caixa daria pra mais meia vida.  Algumas vezes parei para pensar o que fazer  com tanto kit e hoje ate bem reduzido meu acervo, quando penso em me desfazer da metade deles  junto com esta ideia vem a mais  forte  aquele kit que vais se desfazer hoje lhe fara falta na hora de uma boa ideia  ai  eu abro um bom vinho e finjo  que nunca tive a ideia de me desfazer . Mas  algo tenho mantido não comprei  e não pretendo comprar mais kits exceto figuras  ou algum acessórios.  Penso  que o modelista  quando abandona o hobby deve ter sofrido em algum momento um impacto sem explicação e falo principalmente    daqueles  que sei  que eram extremamente dedicados, Não se abando  algo que gosta pelo simples fatos de se dizer  chega ... 

Acho que o Mutley nao contava com minha astucia.

 

Eu montei meu primeiro kit em 1975, era um Mc-202 Folgore da Frog 1:72. Nos anos seguintes, comprava quando tinha grana, coisa rara para criança. Entrei pra faculdade e comecei a trabalhar nos anos 80, o tempo ficou escasso para montar, e nessa epoca quase não haviam lojas que vendessem kits aqui no MS. 

Voltei a comprar e montar em 2000, em Brasília, epoca de dolar 1*1, comprei muitos kits e montei alguns. Em 2001, suspendi as montagens por conta de estudos, e retomei em 2003, quando voltei a Campo Grande. Em 2006, suspendia novamente para estudar, retomando em 2008. Mas mesmo sem montar, comprava kits.

Em 2012, parei por problemas financeiros, até precisei parar de comprar e vender alguns kits.

Mas este ano estou arrumando a bancada e, graças a Deus, logo retornarei as montagens. 

 

ABS

MM

O vai e vem  na pratica do hobby não é considerado um abandono,  Eu desde que comecei neste hobby nunca larguei , em tempos de muito trabalho 1 vez por semana era e ainda é garantido  que estarei sentado em minha bancada. Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar. Ate hoje esta condição nunca foi questionada e permanece ate hoje como um território livre de invasão. Todo o seu espaço é unica e exclusivamente o plastimodelismo. Se tiver que me mudar comprar outro imóvel  etc  a escolha vai depender sempre se em tal local moradia terá uma sala onde venha se destinar  somente a um atelier confortável e bom de trabalhar.

Saudações gurizada!

Acredito que numa linha imaginária da vida de cada um, há fases com altos e baixos...E não seria diferente na vida de um colecionador. Tive fase em que as circunstâncias permitiam executar até 12 trabalhos por ano. Seja montando kits ou dioramas. Atualmente meu guri de 4,6 anos exige uma atenção que não consigo nem executar uma simples leitura, coisa que aprecio muito.

Enfim, curta bem cada fase de sua vida. Haverá épocas que montarás kits, outras que apenas os comprarás, outras que lerás muito e ainda outras ,e acredito, mais preciosas serás pai pela 2ª. Por estarmos dentro da situação, acabamos não enxergando nossa função, nosso status de inicio, meio e fim em alguma dessas fases.

Grande abc, Deus os abençoe!

Att, Chaves  

Bacana esse post. Eu parei há alguns anos devido a uma separação não amigável. Perdi meus kits e livros no processo, fiquei só com as ferramentas e insumos. Mas estão todos guardados e acumulando ferrugem. As tintas secaram quase todas.

Mas não me considero totalmente "parado" porque ainda assino algumas publicações e canais do YouTube. Também entro como visitante aqui pra dar um look nos modelos do povo. Fico alegre de ver o pessoal mantendo o hobby vivo.

Me arrependo de algumas atitudes, como comprar excessivamente no exterior e não dar a devida atenção aos lojistas "reais". Hoje sinto falta da loja de modelismo perto de casa. As vezes eu estou dirigindo e penso "seria legal passar na loja pra ver o povo". Aí eu lembro de que não há mais loja. Complicado. Hoje só sobraram as lembranças boas dos amigos malucos que se reuniam mas lojas pra trocar uma idéia. 

O hobby tinha um efeito meio negativo em mim também. Tinha me tornado perfeccionista e chato. Nunca fui muito habilidoso então o hobby mais me frustrava do que me alegrava. Sempre invejei os modelistas que aceitavam algo "bom" no lugar do "ótimo". Geralmente estes são os mais de bem com o plasti.

"Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar."

Perfeito meu caro. Fiz o mesmo. Nem que seja o cantinho de uma mesa.

paulors posted:

"Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar."

Perfeito meu caro. Fiz o mesmo. Nem que seja o cantinho de uma mesa.

Só quem tem o seu cantinho sabe o que é.

Macoy,

Passei recentemente por isso.

Separei em 2014 e, no dia marcado para retirar os kits, maquetes, livros, ferramentas, etc., a ex resolveu barganhar vantagens, e reteve minhas coisas. Isso pq estava morando de graça no meu apto,  que comprei antes de casar. O divórcio passou a litigioso, claro.

Na primeira audiência, a juíza determinou que ela continuasse no apto e ainda que eu pagasse pensão. A juíza disse que eu poderia pegar minhas coisas, mas tive receio de buscar, vai que ela me acusasse de agressão e ainda apresentasse amigas como testemunha.

Somente em 08/2017 (3 anos depois), com nova advogada, consegui reaver meu apto e minhas coisas. A maior parte parece ok, mas perdi algumas coisas no processo.

De fato, esse foi o motivo de ter parado nos últimos 3 anos. E antes do divórcio, ela me criou tanto problema, que ja nao montava desde 2008. Total  de quase 10 anos parado devido a um casamento ruim.

Hoje, minha atual esposa gosta do hobby e incentiva, até me deu um F-4 Phantom de presente. Estou arrumando os kits e montando a bancada. Logo terei montagens pra mostrar.

 

ABS

MM

 

Macoy posted:

Bacana esse post. Eu parei há alguns anos devido a uma separação não amigável. Perdi meus kits e livros no processo, fiquei só com as ferramentas e insumos. Mas estão todos guardados e acumulando ferrugem. As tintas secaram quase todas.

Mas não me considero totalmente "parado" porque ainda assino algumas publicações e canais do YouTube. Também entro como visitante aqui pra dar um look nos modelos do povo. Fico alegre de ver o pessoal mantendo o hobby vivo.

Me arrependo de algumas atitudes, como comprar excessivamente no exterior e não dar a devida atenção aos lojistas "reais". Hoje sinto falta da loja de modelismo perto de casa. As vezes eu estou dirigindo e penso "seria legal passar na loja pra ver o povo". Aí eu lembro de que não há mais loja. Complicado. Hoje só sobraram as lembranças boas dos amigos malucos que se reuniam mas lojas pra trocar uma idéia. 

O hobby tinha um efeito meio negativo em mim também. Tinha me tornado perfeccionista e chato. Nunca fui muito habilidoso então o hobby mais me frustrava do que me alegrava. Sempre invejei os modelistas que aceitavam algo "bom" no lugar do "ótimo". Geralmente estes são os mais de bem com o plasti.

Olá caro colega Macoy!

Bacana teu testemunho, e vou me prender na parte dos lojistas...Pelo menos eu percebi que te culpas por comprar fora ao invés de comprar de um lojista local. Não faça isso, o empreendedor, o dono de algum negócio tem um sócio chamado governo que como dono de imóvel só aparece no dia para receber o aluguel. Por mais talentoso que um empreendedor possa ser, se o produto não for algo de consumo de 1º necessidade, morre na praia...É o caso do nosso hobby, e ainda assim conseguimos quebrar a única fábrica disso no Brasil. Portanto não torne tua cruz na face dessa terra, mais pesada ainda. Já basta as escolhas mau feitas no campo ex-mulher, he, he.

Também tive um casamento fracassado e também o plasti não era respeitado.

Minha atual esposa, no 1º ano de namoro me presenteou com B-58 hustler. Como disse o Frank(único lojista de plasti aqui em POA/RS, e conheceu a minha ex e atual esposa, he, he) "Essa te ama né!"

Grande abc, Deus os abençoe!

Att, Chaves 

Mike Mike posted:

Macoy,

Passei recentemente por isso.

Separei em 2014 e, no dia marcado para retirar os kits, maquetes, livros, ferramentas, etc., a ex resolveu barganhar vantagens, e reteve minhas coisas. Isso pq estava morando de graça no meu apto,  que comprei antes de casar. O divórcio passou a litigioso, claro.

Na primeira audiência, a juíza determinou que ela continuasse no apto e ainda que eu pagasse pensão. A juíza disse que eu poderia pegar minhas coisas, mas tive receio de buscar, vai que ela me acusasse de agressão e ainda apresentasse amigas como testemunha.

Somente em 08/2017 (3 anos depois), com nova advogada, consegui reaver meu apto e minhas coisas. A maior parte parece ok, mas perdi algumas coisas no processo.

De fato, esse foi o motivo de ter parado nos últimos 3 anos. E antes do divórcio, ela me criou tanto problema, que ja nao montava desde 2008. Total  de quase 10 anos parado devido a um casamento ruim.

Hoje, minha atual esposa gosta do hobby e incentiva, até me deu um F-4 Phantom de presente. Estou arrumando os kits e montando a bancada. Logo terei montagens pra mostrar.

 

ABS

MM

 

Aqui, no fórum, sei de um membro que a esposa, enciumada pelos modelos dele, a certa altura colocou: " ou esses modelos ou eu". Como ele me disse, "fiquei com os modelos".

Eu pensava que essas histórias fossem esporádicas mas vejo, pelos relatos postados, que são mais comuns do que eu pensava.

Estou casado há 40 anos e minha esposa sempre me apoiou e se interessou pelo que faço em plastimodelismo. Inclusive comprei um Cadillac pink para ela montar, mas aí também era pedir demais...

Toda essa compreensão tem uma base racional: é melhor me ter na bancada, ao alcance dos olhos, do que me ver sair por aí "pescando ou caçando" com amigos, como muitos fazem por aqui.

É complicado mesmo. Mas não guardo nenhuma raiva desse episódio não. Estou melhor agora do que na época que eu estava com ela. Ja me casei novamente e minha atual esposa me dá o espaço que eu preciso. A vida a dois é complicada e é preciso priorizar trabalho e família sempre. O hobby é para as manhãs insones de sábado e domingo.

Não voltei ao plasti mais por falta de interesse. Até montei um quartinho com drywall pra fazer uma oficina mas nada além disso.

observei que tem muita esposa mesmo que pega no pé sem razao, tem algumas que simplesmente sao pessoas ruins, incluindo minha ex, ela era tao negligente que o juiz deu a guarda do filho de 5 anos para mim. e eu nao praticava o hobby na epoca, mesmo assim nem podia sonhar, ela simplesmente sugava toda minha energia e $$$.

Mas eu tambem observei outros modelistas e vi que alguns abusam, negligenciam a esposa, familia e trabalho (principalmente tempo e $$$), o hobby se pratica quando se tem tempo e se usa $$$ sobrando. Alguns usam o tempo e $$$ que deveria ser para outras prioridades aí eu concordo com a esposa do fulano. Tipo eu vejo o cara vivendo que nem pobre, com carro caindo aos pedacos, de aluguel, filhos em escola publica, mas comprando kits de 1.000 reais e o fds inteiro montando e fora de casa, ai nao dá mesmo. É igual o ex da minha atual namorada, cujo hobby era pesca, ele viajava a servico a semana inteira, chegava o fds ele pegava a lancha (que comprou sem conversar com ela antes) e descia para a praia com os amigos e ignorava a esposa e filha em casa, depois chorou porque perdeu a mulher...

Para tudo na vida se tem hora, mas familia sempre em primeiro lugar.

 

Caro colega Anghinoni! Faço minhas tuas palavras. Com receio de ser mal interpretado não abordei essa parte que tu abordou. Parabéns!

Não foi o meu caso no 1º casamento, a prova é que faço exatamente o mesmo no 2º e atual casamento e não tenho problema algum...Inclusive levei um xeque-mate da baixinha(he, he). 

O caso foi o de comprar kits e o empilhar caixas...:

Eu: Veja amor, esse é tal versão usado na batalha tal...E eu não tenho...Na verdade tenho, mas com outros decalques e quando for montar inicio ambos em paralelo(Quem me conhece, sabe que realmente faço isso.);

Ela: Corinho, e aquelas 37 caixas de kits no studio...?

Eu: São o mesmo caso.

Ela: Assim ó...Façamos o seguinte: Quando aqueles 37 kits estiverem montados, dentro da cristaleira e tu tiver essa vontade de montar um kit, eu te ajudo a pesquisar e não importa o preço, nós iremos comprar!

Eu(perplexo com tamanho bom senso): Claro amor, combinado!

Conclusão: Como já relatado nesse tópico, estou curtindo um guri cheio de saúde de 4,6 anos que quando me vê lendo, corre apanhar seus livros de historinhas e senta ao meu lado para que eu leia os livros dele...Quando retomo montagem de meus 2 corsairs F4U-1D, naqueles horários de find com o rapazinho em casa...O mesmo corre para meu colo e pergunta quando ele vai montar um kit...? Ou seja, leituras ou montagens nas folgas estão em stand by, he, he. E daquelas 37 caixas que num 1º estágio foram divididas em categorias importantes MAIS, importantes MÉDIO e importantes MENOS...Essas da menos já foram vendidas e/ou trocadas. Inclusive com colegas daqui, dos quais sou grato, he, he.

Abc a todos!

Att, Chaves  

Tive uma namorada  antes de casar que  fazia  o maior barulhos  por eu  ser modelista e curtir esta arte ,também  pertencia ao Escotismo coisa que não vinha agradando ela também,  ate que um belo dia  ela me deu um ultimato que era melhor largar  o escotismo e bla..bla.. passei  o assunto para  um velho chefe hoje jã falecido meu drama de ter que abandonar o movimento e por conta disto dela não aceitar. O velho chefe  disse o seguinte ... Hoje ela pede para vc sair do movimento, amanha dirá que não deves mais jogar bola ou sentar  no barzinho com amigos e assim vc ira cedendo e la no final  já com sua vida de casado verás  que vc não decide nada nem mesmo a roupa que ira vestir. Isto foi um choque e a mais pura verdade e assim tomei a decisão que abandonaria o namoro me manteria  no movimento e continuaria  o meu hobby.  Assim nos meus próximos relacionamentos  e ate quando casei  antes eu perguntava  o que achava do escotismo e do plastimodelismo desta forma resolvi um grande problema. Hoje não faço mais parte do movimento escoteiro  me afastei por livre decisão ,por achar que já contribui por demais, e ao meu hobby este já me projetou e tem   me dado muitas satisfações ,quanto a patroa bem... Tenho uma pessoa ao meu lado que adora meus trabalhos e ainda incentiva.  Nosso hobby se não tiver o devido  incentivo  de quem esta ao seu lado  ele se torna bastante complicado de ser praticado. Tenho alguns amigos  que vivem dilemas ferrenhos em casa  por conta das esposas não aceitarem,  o irônico é que muitos deles se quer questionam  a coleção de sapatos delas  alguns talvez serão usados em somente uma festa e nunca mais.  A ideia nestes casos  é devolver na mesma moeda, e lembre se ceder  uma vez  poderá ser a chance que ela quer de dominar o terreno.  NÃO CEDER JAMAIS!   

Sábias palavras do Anghinoni, realmente tem gente que abusa do Hobby a ponto de praticamente abandonar a família.
 
Pouco antes de casar, empacotei tudo e fiquei sem montar um bom tempo, embora comprasse um ou outro kit, quando e se sobrasse uma graninha.
 
Estava quase recomeçando, quando chegou meu primeiro filho, anos depois veio o segundo...
 
Um belo dia os filhos redescobriram meus kits, como toda criança ficaram maravilhados, obviamente depois de quebrarem um ou outro montado, encontraram as caixas pedirem para montar alguns 
 
Recomecei montando com eles, depois de ficar parado uns 20 anos 
 
Com o tempo um parou de montar, o outro montava muito de vez em quando, só eu ia devagar e sempre...
 
Desenvolvi outros Hobbies paralelos, parei com alguns, desisti de outros... Alia´s desistir é meio forte, afinal sempre posso recomeçar 
 
Então tempos depois conheci o WK, ainda monto nas horas vagas, mas salvo por raríssimas exceções, não troco o Hobby por um programa com a família ou amigos.
 
PlastiAbraços

Não abandonei o hobby, apenas deu um tempo à ele para poder estudar saxofone e participar de uma orquestra! Esse tempo já dura 15 anos, sem montar e nem comprar qualquer modelo! Apenas acompanho as montagens dos amigos plastimodelistas aqui da Webkits! Quando irei retornar as atividades de modelistas? Não sei! Só Deus sabe!

Um abraço à todos!

João 

Incluir Resposta

Curtidas (2)
Fernando ManfioViperMarkII
×
×
×
×