Resposta to "Chegaram os Russos - Perdas russas durante a operação militar na Síria"

Como Moscou responderá a Washington se os EUA atacarem a Síria.

USS Donald Cook (DDG-75) e o USS Porter (DDG-78) foram enviados para Siria, e estão hoje a 300 km da Base da Marinha russa de Tartus na Síria. Se Washington atacar a Síria, a Rússia terá de responder de alguma forma - resta apenas decidir, à força ou não. Mikhail Khodarenok, um colunista militar do Gazety, analisou qual poderia ser a opção de poder para a resposta de Moscou a possíveis ações de Washington.

A principal arma dos dois destróieres americanos são os mísseis marítimos de cruzeiro Tomahawk, com alcance de até 2,5 mil quilômetros. Nas versões convencional e de choque, os navios podem ser equipados com 56 ou 96 desses mísseis, respectivamente.

Se os EUA ainda decidirem atacar as tropas do presidente sírio Bashar Assad, a Rússia se reserva o direito de responder a possíveis ataques dos EUA contra Damasco e seus subúrbios. Como afirmado pelo primeiro vice-ministro da Defesa da Rússia, chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas russas , general do Exército Valery Gerasimov em março de 2018, Moscou terá de responder no caso em que a vida das tropas russas na Síria estará em risco. Abaixo, caças Su-24 russos sobrevoam o USS 'Donald Cook'  em abril de 2014.

Os americanos também devem estar cientes de que estão pressionando a Rússia a usar armas. E a falha por tal variação do desenvolvimento da situação residirá unicamente na Casa Branca.

Se a Rússia escolher uma opção de poder, terá que neutralizar dois destróieres americanos.

Para começar, será necessário usar os recursos EW disponíveis para colocar a interferência de poder avassalador em todas as instalações de rádio-eletrônicas dos navios americanos - isto é, para cegá-los completamente. Já existe uma experiência semelhante com as Forças Armadas russas. 

Em 10 de abril de 2014, o mesmo Donald Cook entrou no Mar Negro, onde bombardeiros russo Su-24 com um conjunto de aparelho EW "Khibiny" provocou interferência de tal poder que "fritou" todo o equipamento eletronico a bordo. Abaixo, video filmado a bordo do USS Donald Cook 

×
×
×
×