Resposta to "Chegaram os Russos - Perdas russas durante a operação militar na Síria"

Especialista militar desvenda como Rússia usa mísseis dos EUA recolhidos na Síria

Os militares russos, graças a dois mísseis de cruzeiro que não chegaram a explodir durante o ataque dos EUA e foram entregues pela Síria a Moscou, poderão saber as últimas elaborações ocidentais e aperfeiçoar seu sistema de defesa e luta radioeletrônica, opina o especialista militar Viktor Murakhovsky.

Antes, a mídia com referência a uma fonte no Ministério da Defesa sírio, comunicou que dois mísseis de cruzeiro norte-americanos que não explodiram durante o ataque contra a Síria em 14 de abril foram recolhidos pelo exército sírio e entregues aos militares russos. O transporte dos mísseis da Síria para a Rússia foi efetuado em 18 de abril. Abaixo supostas partes de um míssil Tomahawk foram encontradas perto de Tartus na província de Latakia:

Ministério da Defesa da Rússia: Apenas 23 dos 59 mísseis Tomahawk atingiram seu alvo na SíriaMinistério da Defesa da Rússia: Apenas 23 dos 59 mísseis Tomahawk atingiram seu alvo na SíriaMinistério da Defesa da Rússia: Apenas 23 dos 59 mísseis Tomahawk atingiram seu alvo na Síria

"Estas descobertas podem ser muito úteis para o nosso país. Os especialistas russonão copiam as armas ocidentais, já que temos a nossa própria linha de elaborações, mas será interessante para eles conhecer as últimas elaborações do Ocidente nesta esfera. Alguns mísseis usados durante o ataque contra a Síria já não eram novos, e alguns foram utilizados pela primeira vez", disse Murakhovsky.

Ele esclareceu que os mísseis usados pela França e Reino Unido foram elaborados recentemente. O míssil norte-americano Tomahawk Block IV, que foi empregado no ataque, também pode ser interessante, acha Murakhovsky.

"Também seria curioso olhar para o míssil estadunidense que foi usado pela primeira vez pelos EUA em combate — o JASSM-ER (abaixo). O exame destes mísseis pode ajudar a Rússia a aperfeiçoar os seus próprios sistemas antiaéreos e de guerra radioeletrônica. Poderemos ficar a conhecer em detalhe as novíssimas elaborações ocidentais, os construtores terão interesse em ver estes mísseis", concluiu o especialista.

×
×
×
×