Resposta to "Fechamento da Loja Horiginal & perspectivas do hobby"

Só vou dar um pitaco, que ainda ninguém deu!!!!!

Tudo conspira contra o plastimodelismo (talvez não nos EUA, berço do plastimodelismo e país com uma cultura militar ímpar) aqui e na Europa e resto do mundo há vários fatores que somados esmagam cada vez mais a possibilidade de sobrevivência do plastimodelismo, por exemplo:

1. Vídeo games e jogos eletrônicos;

2. O preço do dólar e o preço dos kits e acessórios;

3. Não há nenhuma fábrica nacional/estrangeira de kits no país e, não vejo a possibilidade de instalação de uma aqui (por falta de mercado);

4. Preços de fretes e impostos absurdos;

5. País com pouca ou nenhuma cultura militar;

6. O Politicamente Correto se instalou na sociedade há anos atrás e dificilmente esta cultura irá mudar (abaixo a violência, crianças não devem ter acesso e brincar com brinquedos que remetam a idéia de violência, etc..etc...etc..). Conheci muita mãe que proibia dar de presente soldadinho, armas de brinquedo para seus filhos, inclusive proibia seus filhos de assistirem desenhos, seriados ou filmes violentos.

7. O sentimento de "imediatismo" das novas gerações. Tudo tem que acontecer na hora; o cara é trainee e acha que daqui a dois anos será gestor e mais dois anos irá virar diretor da empresa, quando percebe que daqui a quatro anos ele ainda está subindo o primeiro degrau da escada, ele desiste e procura outro emprego em outra empresa achando que aos 30 anos será CEO de alguma empresa....a paciência das novas gerações acabou, eles vivem no ritmo da internet, do youtube, nunca se encaixariam numa atividade que requer paciência, tempo, concentração e principalmente dedicação e persistência. O mundo deles é outro, é o mundo do "Já", do "agora"; imagine ficar um dia esperando a pintura secar para colar o decalque...

Este processo de "extinção" eu encaro como normal, visto que há algumas gerações atrás o interesse por brinquedos não eletrônicos e brincadeiras típicas de nossa infância foi diminuindo, e hoje é praticamente nulo (salvo raras exceções). Porém o que irá retardar este processo de extinção total do plasti, é a existência de um mercado razoável nos EUA, Europa e Sudeste Asiático, que irá demorar a se extinguir pois plastimodelismo para eles (americanos e europeus que hoje tem a nossa idade) foi como jogar botão para nós (ou brincar de autorama), é uma atividade secundária que foi sedimentada durante décadas nas gerações anteriores, o que não aconteceu por aqui; por isso eu acho que aqui no Brasil esta extinção ocorrerá primeiro que lá.

Aqui vejo os garotos que vem aqui em casa olham para a minha coleção admiram e ficam maravilhados, mas quando percebem que o buraco é mais em baixo, pois o avião ou tanque não vem montado e nem pintado, a conversa muda e o que mais ouço é: "Não ia ter paciência para fazer isso.", ou "Não vende pronto?".

Infelizmente, aqui no Brasil somos os últimos dos moicanos daqui há algumas décadas não haverá mais plastimodelismo como conhecemos e como praticamos (não querendo ser profético). 

 

 Sim, é isto tudo, mas vivemos num pais tropical, onde a juventude tem diversas opções de divertimento, em virtude do clima. EUROPA, ASIA, ESTADOS UNIDOS, são praticamente 7 meses de frio, e no minimo uns 2 sem poder até sair de casa. Então isso facilita o entretenimento em casa, ajudando e mantendo o plastimodelismo forte nessas regiões. Estive recentemente em Madrid, corri pelo menos 3 ou 4 lojas de plastimodelismo, e havia movimento grande em quase todas elas. Só uma estava sem clientes. Bons estoque, principalmente na LOJUME, é de ficar maluco. Mas, o dia estava lindo de sol, só que a temperatura fora da loja era de -4 graus centigrados e já pingavam alguns flocos de neve. Ao meu ver, isso ajuda e diverte as pessoas a se aficcionarem ao nosso hobby.

E além disso, nossa juventude, realmente não tem a cultura histórica para dar atenção a essas máquinas, tanto sejam navios, aviões ou militaria.

Plastiabraços

 

×
×
×
×