Resposta to "Fechamento da Loja Horiginal & perspectivas do hobby"

Olá amigos:

Acho que além de termos custos altos para as lojas aqui no Brasil, também temos outros fatores a serem levados em conta:

1 - Falta de motivação para os jovens comprarem e montarem kits, pois quando eu era criança comecei a montar para "brincar" com os aviões e "tanquinhos de guerra" que via na TV... hoje não há mais filmes sobre a Segunda Guerra que nos incentivem a isso, como por exemplo a Batalha de Midway (que aconteceu hoje, dia deste meu post) e que poderiam motivar os jovens a conhecer as máquinas de guerra. Tudo é virtual e no Google você encontra tudo que quiser saber/ver. Sem falar que os filmes são só de super heróis... Não há mais um certo culto à temas sobre militaria em geral, como havia a 40 anos atrás. As novas gerações não foram acostumadas a ver assuntos militares como relevantes, ainda mais aqui no Brasil. Isso faz com que não haja curiosidade e nem interesse por artigos militares como plastimodelos.

2 - As crianças de hoje querem as coisas prontas e não têm paciência para ficar "colando pecinhas" e nem pais que saibam fazer isso pra ensinar... vamos combinar que montar kits é uma coisa para uma parcela mais abastada e culturalmente evoluída, certo? Quem tem grana anda reclamando dos preços e, quem sabe montar e o que foi a Segunda Guerra já tem mais de 45 anos no mínimo... e os filhos já cresceram faz tempo também e não herdaram o hobby do pai. Falta alguém como referência para as crianças e jovens entrarem no hobby. Sem criar um mercado consumidor maior para o futuro, mesmo os fabricantes vão fechar as portas em no máximo 20 anos (caso não mudem de ramo ou estratégia comercial e de marketing).

3 - Essa questão do "imediatismo" em ter um modelo pronto sem muito trabalho, seja por falta de aptidão manual ou principalmente tempo, não é coisa só dos jovens, pois eu mesmo andei vendendo meus kits e comprando modelos diecast, pela facilidade de achá-los e praticidade. Quem é casado sabe que é bem mais fácil abrir uma caixa que veio pelo Correio e ver um diecast pronto na mão, do que administrar falta de tempo e a dona da pensão "cobrando" um monte de outras coisas para fazer no fim de semana.  Logo, para ter tempo ou é desempregado (sem grana pra comprar kits) ou está aposentado (ou solteiro). Pra mim o diecast foi o que resolveu a minha vida, mesmo que eu ainda tenha um monte de kits nas caixas aguardando minha aposentadoria, mas aí não terei  mais visão boa e talvez nem tempo, porque aposentado tem que trabalhar pra sobreviver nesse país...

4 - Vejo que o colecionismo ainda existe, mas depende muito do tipo de temática que você quer, como por exemplo o que tem disponível em diecast X plastimodelismo. Se você não for um "muttley xiita" colecionador de medalhas e quiser só ter os modelos por apreciar as formas e relembrar a história, vários diecast são muito bons para isso, então você vê porque as coleções vendidas em bancas de jornal e até lojas de brinquedos fazem um certo sucesso, enquanto as lojas físicas de plasti foram morrendo até por não se adaptarem à essa nova realidade da perda de clientes do plasti para o diecast. O mercado mudou por conta de vários fatores: preço alto, falta de tempo e habilidade manual dos jovens... Lei de Darwin, quem não se adaptar morre, simples assim... Se as lojas de plasti talvez tivessem diversificado seus produtos, com itens Geek por exemplo, teria uma clientela boa, com pais comprando modelos da WWII e filhos comprando naves de Star Wars e bonecos Marvel. Minha filha quis 3 bonecos do Pantera Negra, itens colecionáveis, mas todos já prontos pois o conceito dos jovens é ter mas não "fazer"... ou seja, querem as coisas já prontas e não ficar montando.

5 - Pouca oferta x demanda por novidades. Está aí um ponto complicado pois quem é velho no hobby e principal comprador praticamente já montou quase tudo que queria (ou pelo menos tem o kit na caixa...), então não vai mais comprar muita coisa por falta de opções diferentes, uma vez que temos pelo menos 7 fabricantes para o mesmo ME-109, certo???? Com a falta de espaço e grana o cabloco compra um só e olha lá.

6 - O uso da tecnologia está matando várias profissões em que as habilidades manuais são necessárias, assim como a montagem de kits, e no futuro até os robôs vão fazer cirurgias delicadas. Esse será o início do fim da raça humana... a falta de habilidade manual vai acabar com a capacidade dos humanos em se virar nos 30, e com isso vamos perder a criatividade e sucumbir aos meios eletrônicos. Será rei quem souber trocar um pneu, fazer um aviãozinho de papel ou pintar um quadro com tinta e pincel. Mas devido a automação exagerada, essas pessoas  seremos nós, quando formos descongelados na cápsula do tempo...

Abs,

Sérgio Carvalho U-1

×
×
×
×