Resposta to "Montagem para iniciantes - SdKfz 7 - 1/72"

Finalmente de volta ao batente.

Agora vou mostrar como retirar a segunda forma de aplicação do putty. Com um cotonete molhado na mesma acetona usada para diluir o putty vamos esfregando o local e retirando o excesso.








Como esta parte serviu apenas para demonstrar a técnica já que não vai ficar nada visível, não me preocupei em fazer uma segunda aplicação para corrigir as pequenas falhas. Aqui dá para ver como era antes e depois.





Nota: Esta técnica exige paciência, só para ter uma idéia eu gastei isso de cotonetes para este pequeno pedaço.



Nota 2 : Estas fendas eram um pouco grandes e talvez fosse melhor diminuí-las um pouco antes de aplicar o putty diluído, mas acho que valeu como demonstração.

Esta parte que começa agora não é bem uma voltada para iniciantes, e nem mesmo essencial para o modelo. Serviu mais para minha diversão e para mostrar mais algumas ferramentas.

No sete de photoecth vem esta peça para colocar na ponta do eixo, mas sem nenhuma instrução de como fazê-lo e nem mesmo as peças para prendê-la no lugar. Então o remédio foi improvisar.




A primeira providência foi cortar as pontas do eixo. Para isso eu utilizei serras de photetch. São serras muito delgadas, da espessura de uma peça em photetch que permitem serrar uma peça com um mínimo de perda de material.

Aqui estão dois jogos diferentes que eu tenho.





O primeiro jogo (espessura maior e dentes maiores) se destina a cortar peças mais grossas, o segundo mais fino serve tanto para corte como para fazer linhas finas em baixo relevo, como se pode fazer em aviões.

Devido a baixa espessura elas são muito frágeis e devem ser manipuladas com cuidado, Qualquer esforço a mais pode empenar e arruinar a serra.

As formas estranhas são na verdade muito úteis permitindo que se corte ou risque pecas em posição difícil sem afetar as áreas no entorno.

Usei a serra mais fina para cortar as pontas do eixo que foram coladas nas rodas. A ponta do eixo foi então lixada para uma forma boleada.







A ponta cortada não foi bem medida e ficou curta para o que eu pretendia , então coloquei uma peça para prolongar e colei a peça de photoetch usando Tekbond a técnica já mostrada aqui.



Hora então de fazer os furos no eixo para prender as rodas. Para isso marquei a posição do furo usando uma canta pilot de ponta bem fina.




Para fazer os furos o ideal é uma broca helicoidal, e neste caso em particular uma broca beeeeem fina. Para se ter um exemplo da espessura das brocas usadas nesta escala temos esta foto. A broca gigante a direita tem (acredite) 2mm de diâmetro. A menor tem 0,2. A que vou usar tem 0,40mm. E é a segunda da direita para esquerda.



Para manipular este tipo de broca o ideal é uma furadeira manual (também chamada de porta brocas manual) Existem diversos modelos por ai, mas prefira sempre as mais leves e em que o mandril (peça que pega a broca) feche a zero. Isso significa que ele pega mesmo as brocas de menor diâmetro.
A que eu uso é esta






Estas brocas são muito frágeis e quebram com facilidade, o segredo é pressionar o mínimo possível mantendo a rotação. Se a broca ficar presa no plástico nunca tente puxá-la. Vá girando no sentindo inverso fazendo uma leve tração, e ela acaba saindo. Também é importante segurar o porta brocas da maneira correta.





É possível usar estas brocas numa furadeira elétrica, para isso é preciso um adaptador já que dificilmente estas furadeiras pegam brocas tão pequenas.





No entanto eu não recomendo usar a furadeira elétrica com brocas menores que 0,5mm já que aumenta muito a chance de ela se quebre.

Feitos os furos verifiquei que o eixo era muito fino para a peça que estava na roda e coloquei então uns espaçadores que depois foram também furados.



As rodas foram então presas no eixo usando um pedaço de alfinete cortado como pino.



Finalmente no set vinha uma barra de ligação entre as rodas que francamente não me pareceu nada convincente. Sets de photoetch são bons para representar superfícies planas, mas para peças com volume, principalmente de forma cilíndrica, elas não resolvem.



Então resolvi substituí-la por um fio de cobre.



A primeira coisa é fazer o fio ficar reto, e neste caso usei uma técnica muito simples explicada pelo Dr. Serra aqui mesmo faz tempo. É simples e funciona muito bem. Basta tracionar o fio de cobre, sem exagerar muito na força, que ele fica retificado. Para isso eu usos dois alicates. Pego uma ponta do fio com cada um e dou uma leve esticada.



O resultado



Quando o fio é muito fino existe uma outra forma de fazer isto, que eu vou explicar mais para frente.

Então cortei o fio no comprimento certo, dobrei as pontas, passei pelos furos das peças que estavam coladas nas rodas e.....

Temos um conjunto de rodas móveis.



Agora você, com razão, vai perguntar: Afinal para que serviu isso tudo se é um modelo estático? Bom, fora o fato de me divertir um bocado e de poder mostrar mais algumas ferramentas não serve para nada. Ó pra você.. !!! Maneiro !!!!

Até a próxima Legal !!!
×
×
×
×