Resposta to "Vought F4U Corsair"

Bom dia, desculpe-me discordar, em parte, mas os novos kits Revell de Corsair, apesar de avanços na injeção, e preço atraente propagam erros por serem, na verdade, filhos de um mesmo molde genérico que se quer aproveitar à exaustão , em detrimento do que há de fato no avião real... em consequência, nem  a versão 1-A, nem a -4 estão corretas out of box.

No F4U-4, por exemplo, é fornecida uma asa sem previsão para foguetes, o que era uma disposição standard, já que o Corsair havia passado à função de ataque ao solo de um fighter-bomber. Nesse caso (do F4U-4 em diante, e já no F4U-1D) os flapes internos eram recobertos de metal e não mais de simplesmente de lona. Pior, no kit uma metade da asa traz a previsão para dois canhões (de desenho e conformação diferente do -4  real), mas na metade inferior continuam três saídas de estojos de cada lado, das armas de calibre .50 das primeiras versões, por conta do aproveitamento do molde... uma porquice! Esse erro crasso já aparecia no kit Hasegawa alto relevo dos anos 1970! Note-se que, de toda produção de F4U-4 (pouco mais de 2.200), pouco menos de metade passou a usar o para-brisa reto em substituição ao curvo das séries anteriores, e uma parcela ínfima do final da linha, não mais de 300, foram equipados com 4 canhões de 20 mm, sendo designados F4U-4B. Todos os anteriores tinham 6 metralhadoras .50.

Outro ponto delicado (e errado no kit) é o interior. Nas versões late do Corsair o cockpit já não era floorless com dois “passadiços”, a partir do -4 era uma estrutura integral, com chão para os pés. Assim a representação da Revell está inadequada, além de pobre: um banco genérico que não se parece com nenhum dos utilizados, um backplate de F4U-1 Birdcage, com recortes (!!!) e os famigerados passadiços... Nos instrumentos continua a imprecisão, pois têm de servir para todas as versões que a Revel lançou e lançará... Para o -4 só se salva o painel, mas não há os comutadores de lançamento de foguetes (bem, não há foguetes no kit, então não precisamos disso, certo?). 

Isso é só para citar o mais grave, quem tiver paciência pode acessar uma das várias resenhas do kit publicadas mundo a fora e constatar. Informo aqui uma delas:  http://www.hyperscale.com/2017...l03955reviewrm_1.htm

Observe-se, em conclusão que, como a Revell aproveita um molde genérico, com alguns detalhes diferentes adicionados para cada modelo, e outros inadvertidamente mantidos em todos, a partir de uma pesquisa mal-feita, há e haverá problemas em toda a linha. Isso já se havia verificado recentemente, também com o Corsair (pobre avião!), na escala 1/48, na série lançada pela Hobby Boss.

Cabe ao modelista que queira ter uma réplica mais condizente com o real identificar os problemas e avaliar o quanto de trabalho adicional vai ter para chegar a esse resultado, e se isso vale a pena.

×
×
×
×