There was an unexpected issue forwarding you to "Twitter" for authentication. Please try again later.
×
quote:
Originalmente publicado por fernando frota melzi:
O grupo terrorista, ao saber que alguns de seus membros tinha sido condenados a morte, resolveu fazer igual. Sequestraram dois sargentos do exército inimigo, encenaram um julgamento, os enforcaram e colocaram seus corpos em um lugar bem visível. Depois, ainda conseguiram ferir mais gente, usando os cadáveres.



Quem eram esses sargentos?

Eram os sargentos do Corpo de Inteligencia do Exercito Britanico. Sgt Clifford Martin e Sgt Mervyn Paice

Qual grupo terrorista cometeu esse crime?

Irgun

Quando foi?

Julho de 1947

E o que fizeram com os corpos?

Apos mata-los, levaram eles de taxi ate um bosque de eucaliptos na vila de Even Yehuda, a cerca de quatro kilometros da cidade de Netanya. Em seus corpos foram pendurados cartazes com a seguinte inscriçao :

"Two British spies held in underground captivity since July 12 have been tried after the completion of the investigations of their "criminal anti-Hebrew activities" on the following charges:
1.Illegal entry into the Hebrew homeland.
2.Membership of a British criminal terrorist organisation known as the Army of Occupation which was responsible for the torture, murder, deportation, and denying the Hebrew people the right to live.
3.Illegal possession of arms.
4.Anti-Jewish spying in civilian clothes.
5.Premeditated hostile designs against the underground.
Found guilty of these charges they have been sentenced to hang and their appeal for clemency dismissed. This is not a reprisal for the execution of three Jews but a "routine judicial fact."

Apos isso plantaram minas anti-pessoal abaixo dos corpos, para que mais pessoas fossem atingidas, quando os corpos fossem resgatados.



Fonte


Abs,
Obrigado Fernando !

Perguntinha facil, facil.

Nasci em Taquaritinga - SP em 1912, ganhei o apelido de impetuoso por um colega que escreveu as memorias de nossa unidade e, fui abatido, vivendo apos isso uma aventura digna de filme de Hollywood.

a) Quem sou eu ?
b) Qual a minha unidade e qual meu posto nela ?
c) Conte um pouco sobre essa historia cinematografica que vivi apos ser abatido.

Boa sorte e boa pesquisa.

Abs,
a) Quem sou eu ?
R: CAP.AV. JOEL MIRANDA

b) Qual a minha unidade e qual meu posto nela ? 4

R: Em 1943 foi criado o 1º Grupo de Aviação de Caça que combateu durante a 2º Guerra Mundial nos céus da Itália, sendo nomeado comandante o Major Aviador Nero Moura. Entre os 32 voluntários escolhidos por ele para formarem a vanguarda de seus homens- chave, estava Joel. Comandou a 2º Esquadrilha, a Amarela, aquela que foi desativada quando ele foi abatido pelo fogo antiaéreo em Castelfranco, no dia quatro de fevereiro de 1945.


c) Conte um pouco sobre essa historia cinematografica que vivi apos ser abatido.

R: Na Campanha da Itália comandou a Esquadrilha Amarela até o dia 04 de fevereiro de 1942 quando foi abatido pela artilharia antiaérea alemã. Saltou de pára-quedas a muito baixa altura e de tão baixo que estava, aterrisou violentamente de cabeça para baixo sofrendo escoriações no rosto, teve o pé direito luxado e uma grave fratura na cabeça do úmero do braço esquerdo. O nevoeiro que o prejudicou durante a missão ajudou a salvá-lo na sua dramática escapada com os Partizans - guerrilheiros italianos - que o acolheram e esconderam até o final da guerra. Foi também naquele fim de tarde que a Esquadrilha Amarela deixou de operar em Pisa.

Sobre a queda, o proprio conta: (começa aos 6 minutos)


Fonte: http://www.abra-pc.com.br/estoria23.html
quote:
Originalmente publicado por Soldado Desconhecido:
Valeu Ron!

VF-1_Valdez, só vi a resposta agora, desculpe a demora.

Essa é facil pra começar o dia:
Quem sou eu?

Fyodor Okhlopkov

Que unidade servi?

234º Regimento de Rifles

Que batalhas participei?

Ele particpiou de um monte de batalhas, mas tirando um ataque a Vitebsky, não achei nada específico.

Quantos soldados inimigos matei?

429





http://wwii-zonadeguerra.blogs...hlopkov-snipers.html
Ops... Então agora vai.

Quem sou eu?

Francis "Peggy" Pegahmagabow

Que unidade servi?

1st Canadian Infantry Battalion

Que batalhas participei?

Segunda Batalha de Ypres, Batalha do Somme, Batalha de Scarpe e Segunda Batalha de Passchendaele.

Quantos soldados inimigos matei?

378

http://www.canadaatwar.ca/foru...howthread.php?p=7634

http://en.wikipedia.org/wiki/Francis_Pegahmagabow
Os combatentes eram a Royal Navy, a 'Her/His Majesty's Ship (HMS) e a Kriegsmarine (KMS).

A foto mostra a proa do KMS Admiral Hipper, momentos antes do impacto contra o destroyer HMS Glowworm. O incidente aconteceu no dia 8 de abril de 1940, durante a campanha da Noruega e Dinamarca.

Na manhã de 8 de abril, a frota comandanda pelo vice-almirante Gunther Lutjens encontrou em seu caminho o destróier Glowworm, navio integrante da flotilha britânica postada em frente a Narvik, sendo comandado pelo capitão-tenente Gerard Broadmead Roope. Sem demora, os dois destróieres alemães KMS Bernd von Arnim (Z-11) e KMS Hans Lüdemann (Z-18), apoiados pelo cruzador KMS Admiral Hipper o atacam. O capitão do Glowworm, ao ver que não teria escapatória, estendeu uma cortina de fumaça e se dirigiu, a toda velocidade, contra os inimigos. Minutos depois, o destróier britânico batia violentamente contra o Admiral Hipper, abrindo-lhe uma grande brecha no casco. O Hipper afastou-se do destróier e disparou-lhe seus canhões. Às 9 da manhã, o Glowworm, destroçado por sucessivos golpes, desapareceu sob as ondas. Mas antes tinha dado o alarme a outros barcos ingleses. Perto de Narvik, o Almirante Withworth recebeu o pedido de auxílio do Glowworm. Sem perder tempo, reuniu seus barcos e se dirigiu ao sul, para cortar o caminho aos alemães. Logo após o afundamento do Glowworm, o almirante Lutjens ordenou ao capitão Heve, comandante do Admiral Hipper, que se dirigisse com quatro destróieres para Trondheim, para ocupar aquele porto.

118 dos 149 tripulantes morreram nesse incidente.

Roope recebeu a Victoria Cross, a maior medalha militar inglesa, parcialmente devido a recomendação do Capitão de Mar e Guerra Hellmuth Heye, comandante do Almirante Hipper, que por meio de Cruz Vermelha internacional enviou uma carta ao almirantado reconhecendo a coragem de Roope.

Quem é o cidadão abaixo?
R: Werner Voss

O que ele fez?
R: Por volta das 18h20, após mais de uma hora de ronda, Voss avistou uma missão de reconhecimento britânica. A escolta era formada por dois SE5a, pilotados por Robert Chidlaw-Roberts e Harold Hamersley, do 60º Esquadrão. Segundo o relato de Hamersley, Voss aproximou-se de seus oponentes e, após encaudá-los, começou a disparar suas duas Spandau. A primeira vítima foi o próprio Hamersley.

Àquela altura, a batalha estava praticamente perdida para Chidlaw. Foi quando, do alto, ele e seu inimigo foram avistados por uma outra esquadrilha inglesa. A sorte do jogo estava para mudar. Patrulhando os céus em uma altitude superior, encontrava-se a famosa unidade B do Esquadrão 56, uma força de elite comandada por James McCudden, um dos maiores ases britânicos, posteriormente homenageado com a Victoria Cross (a mais alta distinção britânica) por seus 57 abates durante a guerra. McCudden e seus seis companheiros, todos eles também ases, logo se interessaram pelo dogfight que se desenrolava abaixo deles. Às 18h25, os sete aviões do 56 mergulharam em busca do triplano de Voss, que já tinha avariado de tal forma o avião de Chidlaw-Roberts que só restava ao SE5a tentar voltar para casa.

O piloto alemão percebeu que havia se metido numa briga maior do que imaginava, mas não recuou. Disparou contra o avião do tenente V. P. Cronyn, que foi obrigado a um pouso forçado. Nos dez minutos seguintes, Voss permaneceu em círculos ascendentes, atacando todos os seus adversários. Posteriormente, McCudden, examinando as fuselagens, comentou que ele havia conseguido alvejar todos os integrantes do esquadrão B. “O estrago que Voss fez foi considerável.”

Porém, às 18h35, quando parecia que o ás alemão iria virar o jogo, a hélice de seu avião parou de funcionar. Teria o combustível acabado? Ou Voss teria sido atingido no tanque de combustível e, para evitar um incêndio, teria desligado o motor? O fato é que ele cometeu um erro fatal, ficando no caminho de Arthur Rhys Davids (25 vitórias), um dos melhores pilotos da esquadrilha inglesa. “Posicionei-me um pouco acima do seu triplano e descarreguei uma rajada com minha Vicker”, disse Davids.
McCudden testemunhou os momentos finais do ás alemão. “Vi seu avião mergulhar e continuei a olhar, até que o triplano explodiu no chão e desapareceu em milhares de fragmentos.” Porém, se a morte de Voss selou o fim dos caçadores solitários, ainda assim, sua coragem foi digna dos mais altos elogios, até mesmo de seus inimigos, como fez McCudden: “Eu jamais poderei esquecer a admiração que tenho por aquele piloto alemão, que, sozinho, lutou contra sete de nós durante dez minutos. Seu vôo era maravilhoso, sua coragem era magnífica e, na minha opinião, ele foi o mais bravo piloto alemão com quem eu tive o privilégio de lutar”.

Por que o seu destino acabou irritando algumas autoridades?
R: Porque ele ia caçar sozinho em vez de ir em grupo?


Fonte: http://guiadoestudante.abril.c...ss-sete-435181.shtml
Quase, Soldado Desconhecido, quase.

A história é essa mesma, mas faltou uma parte final. A parte faltante diz respeito a um detalhe peculiar que o avião que Werner Voss tinha.

Agora você pode matar a pau. Só precisa dizer por que a morte dele revelou algo, que as autoridades não gostaram, assim como também deixou a Fokker fula da vida.
Quem é o cidadão abaixo?

Werner Voss

O que ele fez?

Por volta das 18h20, após mais de uma hora de ronda, Voss avistou uma missão de reconhecimento britânica. A escolta era formada por dois SE5a, pilotados por Robert Chidlaw-Roberts e Harold Hamersley, do 60º Esquadrão. Segundo o relato de Hamersley, Voss aproximou-se de seus oponentes e, após encaudá-los, começou a disparar suas duas Spandau. A primeira vítima foi o próprio Hamersley.

Àquela altura, a batalha estava praticamente perdida para Chidlaw. Foi quando, do alto, ele e seu inimigo foram avistados por uma outra esquadrilha inglesa. A sorte do jogo estava para mudar. Patrulhando os céus em uma altitude superior, encontrava-se a famosa unidade B do Esquadrão 56, uma força de elite comandada por James McCudden, um dos maiores ases britânicos, posteriormente homenageado com a Victoria Cross (a mais alta distinção britânica) por seus 57 abates durante a guerra. McCudden e seus seis companheiros, todos eles também ases, logo se interessaram pelo dogfight que se desenrolava abaixo deles. Às 18h25, os sete aviões do 56 mergulharam em busca do triplano de Voss, que já tinha avariado de tal forma o avião de Chidlaw-Roberts que só restava ao SE5a tentar voltar para casa.

O piloto alemão percebeu que havia se metido numa briga maior do que imaginava, mas não recuou. Disparou contra o avião do tenente V. P. Cronyn, que foi obrigado a um pouso forçado. Nos dez minutos seguintes, Voss permaneceu em círculos ascendentes, atacando todos os seus adversários. Posteriormente, McCudden, examinando as fuselagens, comentou que ele havia conseguido alvejar todos os integrantes do esquadrão B. “O estrago que Voss fez foi considerável.”

Porém, às 18h35, quando parecia que o ás alemão iria virar o jogo, a hélice de seu avião parou de funcionar. Teria o combustível acabado? Ou Voss teria sido atingido no tanque de combustível e, para evitar um incêndio, teria desligado o motor? O fato é que ele cometeu um erro fatal, ficando no caminho de Arthur Rhys Davids (25 vitórias), um dos melhores pilotos da esquadrilha inglesa. “Posicionei-me um pouco acima do seu triplano e descarreguei uma rajada com minha Vicker”, disse Davids.
McCudden testemunhou os momentos finais do ás alemão. “Vi seu avião mergulhar e continuei a olhar, até que o triplano explodiu no chão e desapareceu em milhares de fragmentos.” Porém, se a morte de Voss selou o fim dos caçadores solitários, ainda assim, sua coragem foi digna dos mais altos elogios, até mesmo de seus inimigos, como fez McCudden: “Eu jamais poderei esquecer a admiração que tenho por aquele piloto alemão, que, sozinho, lutou contra sete de nós durante dez minutos. Seu vôo era maravilhoso, sua coragem era magnífica e, na minha opinião, ele foi o mais bravo piloto alemão com quem eu tive o privilégio de lutar”.


Por que o seu destino acabou irritando algumas autoridades?

Porque seu Fokker triplano não usava o motor Oberusel tradicional, mas estava equipado com um Le Rhone de 110 HP, que havia sido retirado de um Nieuport britânico, voado pelo Tenente E.J.D. Towsend, que foi abatido em 05 de Abril de 1917. Só não descobri como é que ele foi parar no avião de Voss, se bem que, sendo ele afccionado por mecânica, não duvido que tenha sido idéia dele mesmo instalar o motor

http://www.crossandcockade.com...werner-voss-triplane
Se der pra dar 0,5 pra cada um, ai é melhor! Jamais imaginaria que foi um "motor trocado" que gerou tanta confusão e olha que até em site grego eu procurei a informação.

Já que é pra mandar a pergunta, segue uma que não é dificil:



Que barco "sou eu"?
Porque essa foto apesar de bonita, é muito triste?
Qual foi a ultima batalha que participei, contra qual embarcação e qual foi o resultado?
Por mim, dava 0,5 para cada um, mas eu não encontrei isso previsto no regulamento do Quiz.

Na minha concepção, o Soldado Desconhecido respondeu tudo certo, faltando apenas mencionar o incidente com o motor do Fokker de Voss, resposta essa dada pelo Melzi. Ou seja, caso típico de garfada. Como o Melzi cedeu o ponto, e o Soldado aceita dividir, pergunto ao Rafael "Ron Jeremias": como é que fica?

Ps: maldita quarentena. Ó pra você.. !!!
quote:
Originalmente publicado por Rafael Barouki:
Mas o Fernando Frota inclinou o ponto a favor do Soldado Desconhecido. Logo, com base disso, eu pretendo editar meu post anterior, cedendo o ponto ao Soldado Desconhecido. E aí?



Ponto para o soldado desconhecido entao ! Ja que o Melzi declinou a favor dele, quem somos nos para dizer nao ! Legal !!!

Abs,
Bicudaça:

quote:
Que barco "sou eu"?

HMS Hood

Porque essa foto apesar de bonita, é muito triste?

Porque de todos esses, só sobreviveram 3 marinheiros.

Qual foi a ultima batalha que participei, contra qual embarcação e qual foi o resultado?

Foi contra o Bismarck, em 24 de Maio de 1941, quando o Hood explodiu ao ter seu paiol de bombas atingido.

Bom, ninguem se pronunciou, então eis que me posiciono para abater o alvo. Maneiro !!!!



Vamos lá, o navio em questão é o australiano HMAS Sydney (D48), da classe HMS Leander, que possuiam 8 unidades, sendo 3 delas vendida para a marinha australiana, e posteriormente sofreria algumas modificações.

Originalmente se chamava HMS Phaeton, que junto com o HMS Apollo e o HMS Amphion, foram renomeados, respectivamente, como HMAS Sydney, HMAS Hobart e HMAS Perth.

Essa foto é triste por que mostra os tripulantes do HMAS Sydney dias antes de sua última missão, o qual seria afundado, em 19 de novembro de 1941. Ninguém sobreviveu, todos os 645 tripulantes morreram.

A última batalha foi contra o KMS Kormoran, na costa ocidental da Australia, perto de Carnarvon, no dia 19 de novembro, o qual ambas as embarcações afundaram. Vale mencionar que o KMS Kormoran foi auto-afundado após a batalha, em face dos danos que recebeu do Sydney.

Vale destacar que o HMS Ajax é da mesma classe que o Sydney, e ficou famoso após participar de uma batalha junto com os HMS Achilles e o HMS Exeter , contra o KMS Graff Spee.

HMAS Sydney


KMS Kormoran
Rafael, tem acho que apenas 5 ou 6 casos de navios de guerra na WWII que foram afundados sem sobreviventes. É muito raro.
E eu que tenho o livro da Osprey do German Commerce Raiders x British Cruisers, onde tem essa foto, já li e reli o livro e nem lembrei da dita cuja.

O pessoal do Kormoran era bom de tiro. Se procurarem no Google, tem alguns sites com fotos do Sydney no fundo do mar. Em uma delas, dá pra ver que um dos tiros do Kormoran acertou entre os dois canhões de 6 polegadas de uma das torres do cruzador.
E, em outra foto, há 4 impactos não penetrantes no casco do Sydney, muito próximos um do outro.
Ontem aconteceu uma coisa engraçada.. , consegui o filme do barão vermelho em 1080p e fui ver (pela primeira vez). Ta.. começa o filme contando um pouco da infancia dele, ai aparece lá rodeado de pilotos.. eis que começam a surgir 2 figuras.. : Kurt Wolff (que respondi quem era no quiz, sem antes ter lido/conhecido qualquer coisa sobre o individo) ai a coisa engraçada vem agora.. eis que numa conversa num hangar tá o Barão vermelho e o Werner Voss (que tambem respondi).. ai Voss é abatido e na fabrica de aviões alemã o dono da mesma fica "put%" porque Voss quando foi encontado abatido usava outro motor em seu avião.

Tá bom demais esse quiz, pena que só "descobri ontem".
Tó aqui, tó aqui !!! Maneiro !!!! Maneiro !!!!

Essa história é trágica mesmo. Quando se fala em poucos ou nenhum sobrevivente, a galera já se lembra do HMS Hood, o mais célebre deles, o qual só 3 sobreviveram.

Frota, quais são as outras embarcações sem sobreviventes na WWII? Você sabe?

quote:
Originalmente publicado por Soldado Desconhecido:
Ontem aconteceu uma coisa engraçada.. , consegui o filme do barão vermelho em 1080p e fui ver (pela primeira vez). Ta.. começa o filme contando um pouco da infancia dele, ai aparece lá rodeado de pilotos.. eis que começam a surgir 2 figuras.. : Kurt Wolff (que respondi quem era no quiz, sem antes ter lido/conhecido qualquer coisa sobre o individo) ai a coisa engraçada vem agora.. eis que numa conversa num hangar tá o Barão vermelho e o Werner Voss (que tambem respondi).. ai Voss é abatido e na fabrica de aviões alemã o dono da mesma fica "put%" porque Voss quando foi encontado abatido usava outro motor em seu avião.

Tá bom demais esse quiz, pena que só "descobri ontem".


Eita, então você assistiu o filme. Show de bola não?

E foi dali mesmo que eu me inspirei para fazer essas perguntas. Maneiro !!!! Maneiro !!!!
Curtidas (0)
×
×
×
×