Pessoal,
 
Neste caso em especial acho até válido, o efeito é impressionante, parece real.
 
Agora tem alguns novos Shermans 1/35 com lagartas e suspensões "workable", compostas de um zilhão de peças, que para mim não faz nenhum sentido, já que depois de montado, tudo ficará quase totalmente "reto".
 
Para este tipo de blindado, um "link by length", ou até mesmo boas lagartas de vinil (não daquelas DS), me atenderiam perfeitamente.
 
Por isto mesmo tenho deixado de comprar alguns novos kits, com quase mais peças nas lagartas, que em todo resto... Sinceramente, acho desanimadores
 
PlastiAbraços

Fica provado o dito popular: "Cada cabeça, uma sentença".

Odeio os "link by length".

Prefiro uma esteira como essa workable, onde ela, por si, é um desafio.

O resultado, pode até não fazer tanta diferença, mas é como os menos "sãos" do plasti dizem: "Eu sei que  está lá".

É coisa de maluco mesmo. (Classificação que pelo visto, me cabe) 

Edu

sei nao, tenho um kit de blindado da dragon que tem mais que 1.000 peças, depois vou ver mas acho que 800 deve ser a esteira 

bom, sempre tive vontade de montar uma moto... rsrsrsrs, quando garoto, por volta de 1992, ainda quando havia alguem distribuindo kits da Tamiya, um primo montou ou começou um carro de F.1 e uma moto....  mas nunca achei por aqui quando comecei com o hobby...

 

 

Essa corrente não me parece ser complicada de montar, talvez apenas um trabalho que PARECE repetitivo e chato.... mas com o gabarito e o fato de me parecer que encaixou, ficou pronto, ajuda e é melhor do que ter de colar, como algumas lagartas LBL de blindados....

 

Quando comecei com militaria 1/35 eu preferia lagartas em vinil mas... com o tempo, tanto foi o temor de que elas derretessem, quanto a questão de estética, e é claro, dominar a montagem, tenho preferido as LBL ou preferencialmente L-B-Lenght...

 

da LB Lenght montei um M109 da Kinetic, que coisa FANTÁSTICA!!!! maravilhoso... me arrependo de não ter usado o mesmo tipo de lagarta em um M.1 Abrams da Trumpeter.....

 

Das LBL Workable... sofri com as do AMX30 da MENG... um porre e no final joguei tudo no lixo.... desnecessário aquilo, tinha o gabarito para montar e era uma confusão... tinha de ter muita pericia....

 

este mês usei lagartas LBL da AFV para um M577 Tamiya, outro nível, embora tenha sido um pouco chato....

 

 

é isso ai, cada um se diverte (ou enlouquece rsrs) do jeito que gosta e pode rsrsrsrs

 

lagartas LBL com suspensão funcional é como PEs e detalhamentos no interior de uma B.17 escala 1/72: você se diverte montando, mesmo sabendo que nunca mais vai vê-los (a menos que ele despenque da prateleira e se despedace rsrsrs)....

 

bem, no caso, estou nesse dilema com um LHD da Hobby Boss 1/700: hangar, doca e interior que NUNCA MAIS vou ver depois de fechar rsrsrs

Edu e demais colegas,
 
Tem gente que gosta de lagartas workable, alguns adoram daqueles conjuntos de PEs bem sofisticados e outros amam kits com interior, realmente tudo é questão de gosto 
 
Apenas não me animo muito em montar um kit, dedicando a maior parte do tempo em lagartas  desnecessariamente sofisticadas, pois podia talvez estar montando uns 2 outros equivalentes simplificados, sem comprometer demais o resultado final.
 
Se tivesse tempo livre infinito não estaria preocupado com isto, mas se eu resolver montar muitos kits com mais de mil peças, quando vou montar os outros?
 
PlastiAbraços

Tenho uma Suzuki GSX 1100S da Tamiya, escala 1/6,  e  o tamanho dela realmente impressiona. O bloco do motor, muito detalhado, mal cabe na minha mão e ela é bem grande...

Mas, como assinalou o Anderson, trabalhar com gabarito e peças bem maiores que a média, sem uso de cola, faz com que a montagem seja chata apenas pelo processo repetido. Com disciplina e concentração, um plastimodelista médio enfrenta facilmente essa tarefa.

Incluir Resposta

×
×
×
×
Link copied to your clipboard.
×