Pessoal,
 
Encontrei no PAMA um Pzkpfw VII Lowe 1/35 da Amusing Hobby, me pareceu um belo kit, estava iniciado e muito bem montado. Não costumo pegar nada assim, mas não resisti.
 
Ele inclui um cano de alumínio fantástico, com duas alternativas de bocas, uma comum e outra perfurada, bem diferente.
 
Primeira decepção, a boca perfurada não tem furos! OK, um pin-wise, mão firme e dias de trabalho resolveriam o problema, mas sinceramente estranhei tamanha simplificação. Então para facilitar, usei a boca comum.
 
O tal cano de tão longo e pesado, só aponta para baixo. Para manter em posição só fixando ou adaptando algum contrapeso alienígena. É um detalhe bobo, mas novamente frustrante. Acabou colado, reforçado com bonder.
 
Parto para a suspensão "workable", com barras de torção, similar aquelas dos novos Dragon. Depois de pronta, um "Dry Run" revela rodas fora de nível... Com a torre piora, dado o peso do cano, o casco se inclina para frente... Lembra quase um Leão (Lowe) pronto para dar um bote?!?!?
 
Renivelei os eixos e colei tudo, para mim tanto faz se a suspensão é "workable" ou não, mas se divulgam como sendo, então deveria ser.
 
As LBL "workable" são  compostas de pares que se encaixam mais uma ripa que colocada sobre o encaixe, fixa o par e permite seu movimento. Como tem um gabarito de montagem, tive a impressão de serem mais repetitivas que trabalhosas. Só para constar, o modelo tem 730 peças, 436 são das LBL...
 
Passo horas montando uma seção de uns 10 cm, com extremo cuidado, uso um mínimo de cola, aplicada em pontos microscópicos. Embora eu evite ao máximo, talvez pela segunda ou terceira vez na vida, uso uma luminária com lupa.
 
Testei no dia seguinte para ter certeza que tudo secou, mas para cada link "móvel" obtenho 2 ou 3 "semifixos", tento forçar um pouco, alguns partem, outros soltam e uns poucos quebram.
 
Enquanto tentava recuperar aquela seção, passando de "workable" para "fixed", penso  em procurar alternativas... Mas o reparo dá certo, as lagartas ainda que fixas, mantém um bom detalhamento.
 
Então repenso o esquema de montagem, colo seções de pares de links no gabarito, unindo-as depois em segmentos maiores e deixo para aplicar as ripas depois, todas de uma vez.
 
Funciona que é uma beleza, em poucos dias faço seções até quase fechar o contorno de um lado, mas como o espaço no topo das rodas é mínimo, sou obrigado a fazer duas grandes seções (superior e inferior), para cada lado.
 
Isto promete ser outro problema, ainda que pinte tudo antes, só poderei aplicar as ripas finais após a montagem, ou seja, pintura e retoques, no mínimo, em duas ripas.
 
Finalmente, ontem me preparo para "fechar" o primeiro lado e adivinhem? Simplesmente não fecha! A roda tensora é fixa e como as lagartas são "pares", ou falta ou sobra um pouco.
 
Agora devo tentar alargar ou reduzir "folgas" ou "caídas" das lagartas (coladas) e/ou eventualmente reposicionar a suspensão (colada)... Isto num modelo dito com lagartas e suspensão "workable"...
 
Como estou a ponto de perder a paciência, devo encostar este kit e relaxar com outro. 
 
Já perdi a conta de tudo que montei, só de 1/35 tenho mais de 250, das mais variadas marcas, tipos e preços. Ou tive muito azar ou nem um Mestre Relojoeiro Suíço, monta um destes sem algum sofrimento. Eu quero diversão, não quero pesadelos!
 
Me sinto traído! Desde algum tempo evito modelos potencialmente chatos, mas este me pegou de jeito.
 
Como pode isto num modelo relativamente recente (2012), de uma marca considerada boa (segundo uma enormidade de reviews) e custando 55 dólares na Lucky Model?
 
E vocês, já se sentiram traídos? Qual kit e motivos?
 
PlastiAbraços
Original Post

Já me senti assim também com mais de um kit, os dois da Revell. Primeiro o F-4E 1/32 da Revell nacional que simplesmente é inmontavel e imprestavel, como diria o saudoso Vicente Matheus. Montei mais de um é posso considerar que meus pecados foram todos absolvidos. O outro é a B-1B na 1/48, também da Revell, que, se montado conforme as instruções, parece um pato. Asas nao alinham, tubeiras horríveis, gasta-se quilos de cola e de massa, quilos de chumbo para deixar na posição correta e, por causa disso, o tem de pouso quebra na primeira tentativa. Como montei 3 B-1B e diversos F-4E posso me considerar morador do paraíso incontestavelmente   

 

Rapaz, eu estou com um bergepanzer 38 hetzer da Thunder Model, já fazem uns dois meses que estou montando, até dá desanimo. Normalmente um Dragon, Tamiya, Meng, etc, vem com algum sistema de locação das peças seja pinos ou flanges, furos, este não boa parte fica no "acho que é mais ou menos aqui". Eu estou prevendo a maior encrenca quando for montar as esteiras, são 7 segmentos e algumas em LBL, como a roda tratora não tem um ponto exato, já estou vendo a dor de cabeça.Não gostei.

Murilo

Sisca,
 
Mas pelo que vejo até em aviação anda mais ou menos igual, kits recentes de bons fabricantes, que geralmente estão entre os mais caros, costumam ser muito bons. Ou não?
 
Agora Revell nacional é outro nível, saudades dos meus tempos de aviação, foram tantos kits antigos e torcidos que perdi a conta, se não me engano anos atrás fiz um rolo com você num Phantom destes, era lindo mais enorme! acho que a melhor parte dele era ainda ter caixa, ou parte dela  Chegou a montar ou ainda está perdido em algum lugar?
 
Cledson,
 
Já parti para um Sherman 
 
Depois retomo o outro aos poucos, não vale a pena me estressar!
 
Espero que pelo menos, este tópico possa alertar outros colegas 
 
Murilo,
 
Thunder Model é outra que mantenho algum receio, vi uma montagem relativamente trabalhosa de um kit que na caixa parecia bastante simples.
 
Este é um grande problema atualmente, tantos lançamentos tem inundado a Internet com "Inbox Reviews", mas quase não se encontram montagens.
 
Quando encontramos é dos Tamiya ou Hasegawa da vida, mas com estes, todos sabem que nunca terão grandes surpresas.
 
Ano passado fiquei em dúvida entre comprar um Skoda Turtle da Hobby Boss (2016) ou da Takom (2015), ambos tem dezenas de reviews, mas só achei algumas boas montagens, do Takom.
 
PlastiAbraços

Wolf,

Eu também, mas num dos poucos artigos sobre montagem, dizem que o modelo é uma "delícia", noutro é um "deleite", fora isto só achei um vídeo no Youtube, falando mal das rodas e lagartas.

Estou torcendo para aparecer mais alguém aqui com um destes, para desempatar este assunto, posso ter dado azar na montagem de um kit que é bom 

PlastiAbraços

 

 

 

 

Sim. Na maioria das vezes. Mas como bom "corno", sigo montando. 

Sempre tem alguma coisa que deixa a desejar e é difícil achar um bom equilíbrio entre detalhamento e prazer de montagem. Raras exceções para alguns Tamiya excelentes ou Takom honestos e, é claro, aquelas goiabas Revell e Airfix anos 60, que também entregam exatamente o que prometem, ou seja, quase nada além de uma base torta para massa, lixa, scratch e aventura.

Já que não tenho muito tempo, vou focando no prazer de montar. Daí, baixei a guarda com diversas coisas e passei a desconfiar de outras, como kits com número muito grande de peças, muitas peças pequenas, esteiras LBL, esteiras "workable", quebra da montagem em número desnecessário de passos etc.

Tenho ido na simplicidade. Entre um Trumpeter e um Meng, prefiro o Meng. Entre as várias encarnações de um Dragon, aquele que tenha esteiras DS ou link&lenght. Tubo de canhão em duas metades, podendo, evito.

Mesmo com padrões do século XXI tem muito kit Nelson Rodrigues: "bonitinho mas ordinário". Na caixa, no review e na foto parece interessante, mas quando vai prá montagem é que mostra a verdadeira face.  Acho inadmissível um kit de 50 verdinhas ter erro na instrução de montagem ou identificação das peças. Um revisor não custa tão caro assim, gente!

Prá mim parte disso é culpa do acirramento da competição na própria indústria. Cada vez mais caros, os kits tem que ter diferencial. A Trumpeter vive lançando kits para espoliar a produção dos concorrentes (haja visto o Maus,  as versões do E-100 e o Bär, só para ficar nos recentes). Outros fabricantes apostam na complexidade para atrair clientes depois voltam atrás (veja o Pz IV C e o D da Dragon, de 2006).  E por aí vai.

Infelizmente, até mesmo uma compra bem informada, com consulta a vários reviews não protege de problemas, porque muitas vezes, como dito acima, o review é "in-box" e na caixa, o kit até parece legal.

E, pelo que li, já vi que vou ter que me resignar, dar aquela bela polida nos chifres e exercer o perdão novamente: esse Löwe da Amusing é um dos próximos da fila para entrar na bancada.

Rubens posted:
Sisca,
 
Mas pelo que vejo até em aviação anda mais ou menos igual, kits recentes de bons fabricantes, que geralmente estão entre os mais caros, costumam ser muito bons. Ou não?
 
Agora Revell nacional é outro nível, saudades dos meus tempos de aviação, foram tantos kits antigos e torcidos que perdi a conta, se não me engano anos atrás fiz um rolo com você num Phantom destes, era lindo mais enorme! acho que a melhor parte dele era ainda ter caixa, ou parte dela  Chegou a montar ou ainda está perdido em algum lugar?
 
Cledson,
 
Já parti para um Sherman 
 
Depois retomo o outro aos poucos, não vale a pena me estressar!
 
Espero que pelo menos, este tópico possa alertar outros colegas 
 
Murilo,
 
Thunder Model é outra que mantenho algum receio, vi uma montagem relativamente trabalhosa de um kit que na caixa parecia bastante simples.
 
Este é um grande problema atualmente, tantos lançamentos tem inundado a Internet com "Inbox Reviews", mas quase não se encontram montagens.
 
Quando encontramos é dos Tamiya ou Hasegawa da vida, mas com estes, todos sabem que nunca terão grandes surpresas.
 
Ano passado fiquei em dúvida entre comprar um Skoda Turtle da Hobby Boss (2016) ou da Takom (2015), ambos tem dezenas de reviews, mas só achei algumas boas montagens, do Takom.
 
PlastiAbraços

Rubens buenas, ainda tenho um F-4E da Revell nacional e um da Revell Alemã. Nao tem comparação entre os modelos mas gosto muito do nacional. Dá pra se divertir e colocar em pratica alguns ensinamentos adquiridos ao passar dos anos.  

É difícil explicar mas fiquei um bom tempo só retirando rebarba e preparando um kit injetado na Rússia e senti enorme prazer, um trabalho manual legal, depois massa, lixa...  distrai e deixa leve, tudo no final encaixa.  Também dá prazer kit do tipo Hasegawa ou Tamiya, acho que cada um tem um lado positivo de certa forma, só duas coisas eu não gosto, é quando o resultado final  não parece nem de perto com o real e quando as peças não encaixam, tipo a cabina de pilotagem super detalhada e que não entra no espaço que devia...

algum tempo atras  falei que os  kits estão descendo a  um nivel de detalhes que  esta virando  tortura montar,  e  me criticaram, tá ai acima em outras palavas o que falei quando montei o vk1602, o kit tá aqui inacabado por causa das lagartas  que são impossíveis de colar os  microscópios dentes guias

traição mesmo era quando você comprava aquele kit com uma caixa linda e dentro vem uma goiaba atômica 

como a maioria sabe, antes do advento da internet era uma roleta russa, a maioria dos lojistas não permitia abrir a caixa, então em casa vinha a surpresa, aquela bela ilustração de um belo modelo se transformava em monte de peças grosseiras que levemente lembravam o que deveria estar ali. 

na verdade ainda acontece, só que agora temos os reviews para não nos deixarmos enganar.

Von Paulus,
 
Espero que minhas observações lhe ajudem! Lembrando que se não faz questão de nada "workable", pode colar as lagartas sem tanto cuidado assim, acelerando bastante o processo.
 
Se eu fosse montar este modelo novamente, provavelmente manteria todas rodas soltas, montando as lagartas sobre elas, depois se necessário ajustava e colava a suspenção e destacaria todo conjunto rodas e lagartas para pintura, para depois finalmente unir tudo. Não costumo fazer isto, pois acho difícil pintar rodas e lagartas já coladas, mas neste caso provavelmente compensa, pois a montagem deve ficar muito mais fácil.
 
Se puder, depois coloque aqui suas impressões, também pretendo colocar fotos do meu quando estiver pronto, para vocês sentirem melhor meu drama... Não sei quando, mas deve demorar 
 
Wolf,
 
Não tenho nada contra kits russos cheio de rebarbas, vez por outra curto muito montar algo do gênero 
 
Mais de uma vez encontrei alguns reviews muito ruins destes kits, para depois de montar, constatar que nem eram tão ruins assim 
 
Como a maioria deles não é nem recente, muito menos caro, geralmente me dou por satisfeito 
 
JG,
 
Assino embaixo, sempre que falamos nisto eu concordo, muitos kits hoje não valem quanto custam por agregarem demais, quando muitos kits mais antigos do mesmo modelo, agregam só um pouco menos, dão metade do trabalho e costumam custar metade ou até menos.
 
Se a Amusing não incluísse o cano de metal, tivesse a suspensão fixa e lagartas simplificadas, (vinil, link by length ou outra, desde que fechassem), este kit poderia ter talvez 60% do custo dele, a montagem seria imensamente menos sofrida e o resultado final seria praticamente igual 
 
Este raciocínio também valeria também para seu VK 1602 e outros com "mais peças nas lagartas que no veículo". E como os preços destes Hobby Boss costumam ser bons, ficariam menores ainda 
Márcio,
 
Desde o tempo da Revell Kiko não compro kits caros, por mais linda que seja a caixa, esta lição eu aprendi. Se nunca vi ou tinha ouvido falar muito bem, sempre evitava.
 
Nos tempos da Internet a coisa melhorou, mas de uns tempos para cá nem tanto. Alguns sites eu visito só pelas fotos, nem leio o texto, como já sei que o autor "ganhou" o kit para fazer o review, ele nunca vai falar mal, senão não "ganha" os próximos 
 
O último kit que comprei "por impulso" sem abrir, foi um M7 Priest da Academy que apareceu de repente, era pegar ou largar. Como tenho diversos Academy e os da família Sherman tem muita coisa em comum com este kit, não tinha muito o que dar errado... E o preço estava irresistível 
 
PlastiAbraços

Rubens, obrigado pelo tópico e pela postagem, pois estava para comprar um kit desse fabricante e vou esperar mais um pouco. Há algum tempo, comprei dois T-34 da Zvezda e não gostei do que veio nas caixas, mesmo com reviews entusiasmados de algumas revistas e seus profissionais de montagem. Alguns meses depois, vendo dois caminhões deles e reviews também entusiasmados, resolvi arriscar mais uma vez e recebi duas joias em forma de kits.

Acho que a melhor tática é comprar kits de fabricantes bem estabelecidos e aprovados e experimentar fabricantes  menos conhecidos com muito cuidado, adquirindo apenas um kit por vez.

Nunca me senti traído por kit pois, como postou o Wolf, dá para tirar prazer de um kit ruim, desde que se enfrente o desafio com abordagem positiva.

 

Alias, esse tópico do Rubens poderia servir como um local para se avaliar kits comprados e montados, postando-se apenas os aspectos positivos e negativos de cada kit. Fica a sugestão...

Aconteceu exatamente o mesmo comigo em um AMX-30 da Meng 700 rpecas sendo umas 300-400 nas lagartas

as LBL tinham um gabarito e tal, ate montei tudo certinho, mas quando fui colocar nas rodas começou a se soltar tudo, nao fechava, nao encaixava, foi um desastre. Pensei que sendo Meng ia ser melhor que os kits da tamiya  

Não montei tantos kits assim até hoje.  Alguns do tipo "goiaba" eu montei sabendo desta condição deles e já estava psicologicamente e espiritualmente preparado.  O Spitfire IX da ICM na 1/48 que estou fazendo agora é bem assim mesmo.  Mas como falou o Wolf, você passa a curtir todo o processo de tentativa, erro, lixa, corrige, adapta e vai adotando soluções como num quebra-cabeça onde a ordem de montagem e pintura é reorganizada conforme as tuas necessidades.  O mais fantástico disso tudo é você ter a criatividade de achar soluções as quais vão se tornando cada vez mais comuns com a tua experiência nas montagens.

Outros kits mais "sérios" (Tamiya, Hasegawa e afins) eu montei sem problemas.

Porém, até hoje o que mais me decepcionou foram as lagartas/esteiras que comprei para o M-26 Pershing da Dragon (antigo) na escala 1/35.  Embora o kit forneça as lagartas LBL, decidi elevar mais o nível de detalhes.  Então encomendei as lagartas (T80E1) da AFV, mesmo sabendo que talvez elas pudessem dar alguma diferença com relação ao alinhamento da roda dentada.  Isso porque as lagartas foram projetadas para os kits que não o da Dragon antigo.

Quando recebi as lagartas, fui sedento para montagem.  Nas instruções, você não usa cola.  As sapatas tem, nas pontas, pinos que servem para o encaixe com os conectores.  Até aí, tudo bem.  O problema é que os pinos não estão alinhados com os furos de encaixe nos conectores!   Eu sei que eles funcionam sobre pressão, ou seja, para que todo o sistema fique preso (sem cola) e que a lagarta tenha a flexibilidade, as sapatas e os conectores precisam ficar encaixadas firmes.  Mas quando você aplica a pressão um pouco mais forte para o encaixe, invariavelmente os pinos quebram!   A mesma coisa acontece com as guias internas das lagartas.  Também são de encaixe, mas a fresta na qual encaixa a sapata também é pequena!   E adivinhe... o encaixe (que fica no meio da sapata) para esta fresta também é de uma espessura muito fina e quando aplica-se uma pressão mais forte ela quebra!

Resultado: na quarta tentativa eu de novo quebrei os pinos.  Olhei para a caixa e vi que eram 164 sapatas a serem encaixadas... Decidi então guardar tudo, e usar as lagartas LBL do próprio kit, que montaram super bem e não me deram a mínima dor de cabeça.

Por último, pensei em vender tal acessório da AFV ou mesmo dar para alguém.  Mas fiquei com pena dos nobres colegas além de poder ser considerado persona non grata no Fórum.  E, quem sabe, num futuro próximo, eu retome este labirinto minotauriano para derrotá-lo da mesma maneira que Héracles carregou o Cérbero para fora das portas do inferno???

Abrsssss,
A Raguenet

"Porém, até hoje o que mais me decepcionou foram as lagartas/esteiras que comprei para o M-26 Pershing da Dragon (antigo) na escala 1/35.  Embora o kit forneça as lagartas LBL, decidi elevar mais o nível de detalhes.  Então encomendei as lagartas (T80E1) da AFV, mesmo sabendo que talvez elas pudessem dar alguma diferença com relação ao alinhamento da roda dentada.  Isso porque as lagartas foram projetadas para os kits que não o da Dragon antigo."

Isso eu tenho um pouco de receio em fazer com aftermarkets, pois às vezes você compra um complemento caro em resina ou injetado que é feito para um kit específico, gasta uma grana e acha que:  "Ah! Tudo bem, se é para o Spitfire V da Hasegawa vai servir no Spitfire V da Academy, afinal de contas é o mesmo avião, o que pode mudar? Talvez tenha que dar uma lixadinha a mais para encaixar..."

Aí é que você roda...

PS. Claro que não foi seu caso Araguenet, o conjunto era fraco demais.

Incluir Resposta

Curtidas (1)
MÁRCIO PINHO
×
×
×
×