Fui eu que compartilhei a informação dos bancos de couro preto, Assef. E baseado em literatura, em relato de um veterano alemão de guerra que conheci nos anos 80, em fotografias de época, e também em discussões nos fóruns estrangeiros (como o Missing Lynx, Armorama ou Track- Link), que sempre têm a participação de gente muito mais próxima aos artefatos reais do que nós, brasileiros.

Eu me interesso pela correção das cores usadas na época, apesar de saber que é um trabalho difícil e uma ou outra exceção acontece. Por isso já perdi tanto tempo pesquisando, sem me deixar levar por achômetro ou uma foto isolada, tirada mais de 70 anos depois da guerra. Uma almofada pode ser muito antiga, mas não dá para garantir que não substituiu a original algum dia, não é mesmo? Ou quem sabe pertenceu a algum veiculo não-alemão e foi preferida pelo motorista? Nada impede.

Couro pode ser tingido de qualquer cor, até azul. Mas se alguém se der ao trabalho de ler os livros de autores sérios, além de matérias existentes, vai aprender que os veículos alemães fabricados para uso militar (tanques, meia-lagartas, carros de reconhecimento, etc.) saíam de fábrica com os assentos de couro tingidos de preto. Perto do final da guerra, quando a produção de couro tornou-se crítica, os alemães passaram a produzir uma espécie de couro sintético, também preto. Essa precisa informação me foi dita nos anos 80 por um alemão veterano de guerra. E não era um mané qualquer não, acredite. Muitos anos depois eu confirmei a informação sobre a  mudança para "couro sintético", graças à Internet. O alemão sabia o que estava dizendo, e detalhe: nunca ouvira falar em modelismo.

Essa questão da cor se restringe apenas aos veículos fabricados para uso militar. Veículos civis que foram incorporados à Wehrmacht, podiam vir com bancos de qualquer cor, até vermelhos. No caso de um carro conversível, cores chamativas não interessavam ao condutor, por motivos óbvios. Então uma capa de lona ou outro tecido mais discreto entrava em uso. E foi isso que eu escrevi aqui, há algum tempo. Por mais que eu ache interessante pintar bancos de couro marrons, fico com o que era original. A cor que outros modelistas usam não é assunto meu,  claro.

Quanto aos extintores fixados do lado de fora, eram da cor da camuflagem. Vermelhos, seriam a alegria do observador inimigo. Mas já vi um par de exceções também, por burrice temporária ou falta de opção.

Um abraço.

Discução e fotos sobre Extintores

 http://www.network54.com/Forum...of+Fire+extinguisher

http://www.network54.com/Forum...7/message/1163446633

Foto de um verdinho acho que de uso interno

http://www.warrelics.eu/forum/...tinguisher-573734-2/

 No fim da pagina varias fotos do tetra

http://www.rcuniverse.com/foru...guishers-colors.html

Desculpe a demora pra responder Chagas, eu estava viajando e era muito difícil e caro o acesso a internet! Realmente eu não lembrava quem havia dito sobre os bancos em preto, este é um assunto que volta e meia surge aqui!

Aqui em Curitiba morava um motorista de Tiger, que lutou na África! Ele jurava que o tigre verde existiu, embora não se tenha relato disso! Em Ponta Grossa, morava um piloto de me 263 komet, disse pro meu cunhado que abateu 10 bombardeios, depois procurei pelo nome dele em alguma lista de az, nunca achei! O que quero dizer com isto, é que embora seja muito legal o relato dos veteranos, nem sempre da pra acreditar em tudo o que dizem!   Sobre o couro então, não tem como um veterano saber se todos os veículos tinham banco em couro preto, até porque ele não poderia ter entrado em todos os veículos e verificado!

Eu estive agora visitando os museus, as peças originais eram expostas em vitrines , as réplicas estavam montadas nos veículos! Tinha muito banco em couro marron, tinha em preto também! Acho que tinha muito mais a ver a fábrica e o modelo do veículo! depois do que vi lá, notei que a gente aqui pinta as coisas totalmente erradas! Definitivamente cheguei a conclusão que palavras como "nunca" e "sempre", devem ser usadas com muita cautela em se tratando de WWII!

Quanto aos extintores, eles eram encomendados pela WH para a Tetra na cor verde, assim como todo o seu material, como porta máscara de gás, caixas de munição, etc... Não impede que algum lote tenha vindo em outra cor, mas o padrão era este! Sobre o veículo poderia ser pintado da cor deste e internamente poderia ter sido pintado de vermelho, embora sob a tinta verde tinha o zarcão que puxa pro vermelho! Agora vermelho sobre o tanque não, né!

Algumas fotos que o Buhler colocou mostram claramente isto, inclusive numa réplica recente!

Não precisa se desculpar em nada, Assef. Vi que você estava curtindo a sua viagem numa boa.

Contei sobre o veterano alemão apenas como acréscimo. Por volta de 1983, não se tinha informação sobre tais detalhes específicos, e dele veio esta primeira informação. Foi corroborada muito tempo depois, com a fartura de publicações e a Internet e os fóruns. Mas conforme eu já comentei, sempre existem as exceções.

Sobre o alemão, é uma história longa e interessante. O cara tinha uns 60 anos em 1983. Portanto com a memória intacta e ainda bem produtivo, pois chefiava todo o setor de mecânica da Volkswagen, em uma tradicional concessionária do Rio.

Muito arredio, mas fiz alguma amizade com ele, que então me contou suas experiências na guerra. Formou-se em engenharia mecânica, e em seguida entrou na Luftwaffe como mecânico, depois observador aéreo, depois tripulante  de um FLAK meia-lagarta e por fim como soldado de infantaria, em Berlim. E me mostrou as fotos dele, na época.

Se eu contasse aqui de qual general alemão ele era sobrinho em primeiro grau, muitos iam cair pra trás...

Mas isso é outro papo. O tópico aqui é sobre cores e couros!

Incluir Resposta

Curtidas (0)
×
×
×
×