Busca e Destruição - Netherlands 1944 - 1/35 - FINAL

Buenas,

a idéia de fazer esta cena surgiu do aproveitamento de peças de outro dio que foi destruído. Com alguns consertos no telhado o celeiro foi reaproveitado, assim como os itens do seu interior. O restante é novo.

Um Aquilles II c, do 21º Regimento Anti-tanques, da Divisão Blindada de Guardas; busca juntamente com infantaria de apoio por inimigos que porventura tenham escapado das levas iniciais de assalto. Um deles buscou refúgio num celeiro e o confronto, entre ambos, parece inevitável. Esta é a pequena estória.

A montagem do Aquilles pode ser vista aqui: 

http://gemerim.blogspot.com.br...lub-135-segunda.html

Ou aqui, para quem estiver logado:

https://webkits.hoop.la/topic/a...es-iic-afv-club-1-35

O dio de onde o celeiro foi salvo era este: Operação Epsom - Normandia 1944.

A cerca de madeira. Feita com balsa.

O WC rústico feito com folhas de plástico.

Aqui o celeiro já com o telhado novo de folhas de Flanders e o terreno da base encaminhado.

O local onde até o mais valente herói se borra todo!

A confecção da árvore. Raízes da planta chamada "Maria Mole" com folhas da Joefix aplicadas.

Muuuuitas horas depois...um clima de outono.

Como estamos no momento.

Mais, assim que for possível.

Abraços,

Gelson

Original Post

Acompanhando... Já estou imaginando aqui que o alemão vai estar na parte de cima (com uma granada, talvez?) e os patrulheiros vão estar adentrando o celeiro... 

E fiquei pensando se vai ter alguém na "casinha", como chamava minha avó, naquela situação... 

Só uma perguntinha - de quem não sabe mesmo, e pretende se aventurar em breve nessa seara: as paredes no caso seriam de pedra, né? Falo pelo tom cinza dos "tijolos"... Sempre fico em dúvida com essas coisas, de que cor seria o chão, de que cor seria o muro, as paredes... 

Por exemplo, tô começando a fazer um dio (1/72) de deserto e já estou com dúvidas tanto na cor das casas quanto da areia/solo...  

Oi, Brumbar!

A cena final já não é mais surpresa uma vez que vou repetir o que estava no "finado" diorama. Estas construções em pedra se baseavam mais no assentamento das mesmas do que pela capacidade de fixação das argamassas usadas na época. Estas paredes se revelavam muito permeáveis à água e, com o tempo eles passaram a revesti-las com uma camada de rebôco (o que fiz na parte interna).

Não vai ter ninguém na "casinha".

A cor da areia do deserto. Quando trabalhava no Oriente Médio fiz uma excursão de coleta de amostras de areia para tirar a minha própria conclusão. O resultado disso foram mais de 15 tonalidades diferentes (não lembro o número exato agora), desde o branco, passando por vários tons de cinza até chegar em várias tonalidades de amarelo e até vermelho. Então eu, se fosse você, não me preocuparia muito com cor e faria o que me agradasse mais.

Isto é apenas um hobby!

Abraços e bom trabalho!

Gelson

Ali não terá outra saída, os Britânicos o encontra, já que terão de vasculhar tudo, vão levar bala, vão devolver na mesma moeda, o piso e de madeira não ira resistir. Ferido, provavelmente grave, ira usar sua granada para eliminar o maior numero possível de inimigos. Diria, ele morre, mata uns dois ou três, fere uns três, a guerra segue.

Gelson, trabalho bacana, parabéns.

paulors posted:

Legal essa composição! É legal ficar procurando os detalhes.

Aquele alemão faria melhor se fingindo de morto......

[  ]s

Ou, escondendo-se dentro da "casinha". Acho que ele seria poupado...

Paulors e Rubens, muito obrigado pela visita!

Abraços,

Gelson

Oi, Anderson!

Nada impede de vc tentar...

Não é uma ciência exata e só depende de querer. Mas, o melhor de tudo é que isso é apenas um hobby. Com ampla liberdade para imaginar e criar.

Muito obrigado pelo teu comentário.

Abraços,

Gelson

Incluir Resposta

Curtidas (4)
Roberto TumminelliCoração De LeãoWolfBrumbar
×
×
×
×