Tripa seca posted:

Protagonismo de submarinos diesel-elétricos, interesse crescente em turbo-hélices no mercado internacional. Parece que tem algumas coisas que vão e voltam também no mundo militar.

 

O que favoreceu os subs não nucleares foi o desenvolvimento dos sistemas AIP.

A maior fraqueza de um diesel-elétrico era que só podia ficar dois ou três dias submerso, usando as baterias, antes de ter que emergir para recarregá-las.

Com esse sistema AIP, um sub diesel-elétrico pode permanecer submerso duas ou três semanas ininterruptamente. Pra quem não tem grana para investir em submarinos nucleares, é uma mão na roda. 

De acordo com a Wikipedia, 8 países já constroem submarinos com esse sistema, e 14 os operam.

https://en.wikipedia.org/wiki/...dependent_propulsion

Quanto aos turbo-hélices, é a mesma coisa. É muito mais barato usar um Super Tucano em missões de contra-insurgência ou apoio cerrado do que um F-18, por exemplo. E a missão será cumprida igualmente.

Muito grato pelas explicações, Melzi. Nos antigos Guias de Armas de Guerra, havia um tipo de "desapontamento" do autor com a União Soviética que não tinha ainda optado por ter uma frota 100% nuclear. Mundinho redondo.

Somente os russos para fazerem algo de diferente! É uma visão assustadora esse ataque maciço e acho que não deve ter sobrado nada vivo ali pra contar o terror!

Submarino “Aleksandr Nevski” realiza lançamento do míssil balístico intercontinental Bulava.

 

Trata-se do primeiro lançamento deste tipo de míssil do estratégico submarino “Aleksandr Nevski”, um dos dois primeiros navios de quarta geração da série 955, código Borey, que se integrou à Armada da Rússia.

Estes submarinos foram construídos para levar exclusivamente os mísseis Bulava, o orgulho do arsenal nuclear russo, com capacidade de até dez ogivas de orientação autônoma, oito mil quilômetros de alcance e que, segundo Moscou, podem ultrapassar qualquer escudo antimísseis, inclusive o americano.

Segundo a imprensa, a Rússia dedicou nos últimos anos uma substancial parte de seu orçamento militar ao projeto Borey e à fabricação dos Bulava, que sofreram vários fracassos em seus lançamentos de teste devido a erros na escolha dos materiais de construção.

O míssil R30 3M30 Bulava-30 (SS-NX-30, segundo a classificação da Otan, e RSM-56 nos tratados internacionais) é uma versão naval do míssil balístico terrestre intercontinental Topol.

A Rússia acredita que os Topol e os Bulava permitirão ao país manter a igualdade nuclear com os Estados Unidos pelo menos durante o próximo meio século.

No entanto, os frequentes fracassos nos testes do Bulava suscitaram dúvidas sobre sua confiabilidade.

Os submarinos nucleares, a aviação estratégica e os mísseis intercontinentais são a prioridade do programa de rearmamento russo, avaliado em US$ 700 milhões em armamento até 2020.

Alguns modernos modelos de mísseis balísticos lançados de submarinos (SLBMs) usado pela marinha russa.

 

Last edited by CASTR0
Tonini posted:

Castro, um equivoco, os classe kilo são diesel-eletricos e não nucleares. Abraço.

É por isto que só podem ficar 45 dias em operação!

Last edited by Guacyr.

O Putin está putin da vida, mas não vai deixar barato. Acho que agora virou uma questão da honra pra Mãe Rússia.

Após a derrubada do SU-24, Vladimir Vladimirovich Putin impôs algumas sanções  à Turquia. Sanções estas como suspensão de voos charter entre Rússia e Turquia, Suspensão de vistos à partir de 1º. de Janeiro a cidadãos turcos e outros inconvenientes comerciais.

Em respostas a Turquia está "fazendo doce" e prejudicando o acesso dos navios de bandeira Russa ao mar aberto, uma vez que o Estreito de Bósforo, sob controle turco, é a única forma das embarcações da Rússia sair do Mar Negro, inclusive a Frota Naval do Mar Negro, que é a principal esquadra empregada na Síria contra o ISIS. 

Num confronto direto entre Rússia e Turquia sem envolvimento da OTAN, a Rússia teria somente como alternativa o total controle do país "inimigo", pois o acesso ao Estreito de Bósforo é essencial militar e economicamente para os russos. No momento, Putin e o povo russo precisam ser mais focados e menos emotivos, mas isso não vai passar em branco, acredito.

A Turquia está muito confiante em sua geografia e o excesso de confiança, historicamente, fez muitos líderes quebrarem a cara. Se o ISIS resolver migrar para território otomano, aí sim, os turcos terão trabalho pela frente, pois o Tio Sam ultimamente só está preocupado com as eleições internas.

A Guerra Fria, depois de terminada, está com cara que finalmente pode esquentar, para desgraça da humanidade. 

xxAgnaldoxx posted:

O Putin está putin da vida [ . . . ]

A Guerra Fria, depois de terminada, está com cara que finalmente pode esquentar, para desgraça da humanidade. 

 ... esse tópico é triste mas engraçado!

O novo tanque russo Т-90МS é o melhor do mercado global, as características técnicas do novo tanque russo T-90MS fazem dele o melhor tanque do mercado mundial da atualidade.

O T-90MS é a mais nova versão para exportação do tanque T-90 e utiliza os mesmos tipos de armamento. Além disso o novo modelo inclui projéteis de fragmentação remotamente controlada, proporcionando um combate mais eficaz contra alvos vivos.

O T-90 entrou ao serviço do Exército russo em 1993, sendo uma continuação do desenvolvimento do T-72. T-90 é considerado um dos 10 melhores tanques do mundo. Atualmente ele é o principal tanque de guerra de maior sucesso comercial no mercado global.


Os maiores clientes são a Argélia (305), o Azerbaijão (114), o Turquemenistão (40) e Venezuela (50 ~ 100). O maior destino de exportação é a Índia, que obteve 620 tanques para montagem local e planeja produzir 1.000 tanques localmente.

 

A principal arma do tanque, um canhão 2A46M, tem capacidade para disparar mísseis guiados antitanque Refleks, o que lhe permite atingir alvos a mais de 4.000 metros.

mas é um tanque para baixinhos. Pois a altura ideal dos tanquistas russos é de 1.65 metros, acima disso já deve ficar apertado. 

CORREA posted:

mas é um tanque para baixinhos. Pois a altura ideal dos tanquistas russos é de 1.65 metros, acima disso já deve ficar apertado. 

Tanque alto não é tanque, mas sim um belo alvo.  

Isso aqui descambou de topico serio para comercial armamentista russo ja tem algumas paginas... ...

Eu quero ver e, num futuro proximo o impacto desse desfile todo de poderio russo na economia deles...se bem que essa acao tao cheia de boas intencoes deles nao passa mesmo e de vitrine para alavancar a industria belica...

O topico tem sido interessante, no entanto para fazer se exporem mais os pro-russia das redondezas...

Edilson

 

 

 

 

A Força Aérea da Síria destruíram três postos de comando do Daesh (Estado Islâmico) no subúrbio de Aleppo e nos arredores de Palmira, bem como três comboios de automóveis que transportavam terroristas e armamentos na província de Homs.

 

A informação em coletiva de imprensa pelo porta-voz oficial da Força Aérea síria, general Ali Mayhub.

Nas suas  palavras, entre 27 de novembro e 10 de dezembro a aviação do país realizou um total de 363 vôos de combate, atingindo 1357 alvos terroristas nas províncias de Damasco, Homs, Aleppo, Latakia e outras, "levando à destruição de grupos armados, fortificações e postos de comando terroristas".

Mayhub revelou que os três postos de comando do Daesh ficavam no subúrbio de Aleppo e arredores de Palmira, enquanto o "posto de comando da chamada Jund al-Aqsa foi destruído em Laramna, na província de Hamma".

A destruição de postos de comando do Daesh provoca fuga de famílias de terroristas em direção à Turquia.

Organização de terroristas sofreram grandes perdas humanas e tecnológicas, levando à baixa da moral de suas tropas e à fuga de um grande número de combatentes. Junto a isso, muitas famílias de líderes de grupos terroristas foram enviadas em direção à fronteiras com a Turquia, informa General Sírio.

Abaixo, as principais aeronaves caças que integram a Força Aérea da Síria. Os números de aeronaves constam no inventario divulgado por Syrian Arab Air Force (SyAAF)

Mikoyan-Gurevich MiG-29 Fulcrum  - Entre 30 e 80

 

Mikoyan-Gurevich MiG-25 (Foxbat) - Entre 11 e 42

MiG 25 Rússia

 

Mikoyan-Gurevich MiG-23 - Entre 106 e 146

 

Mikoyan-Gurevich MiG-21 - Entre 140 e 219

Muitos foram capturados pelo ISIS e outros inoperantes

 

Sukhoi SU-24 Fencer - Não Informado

 

O Sukhoi Su-17 "Fitter" export Su-20/Su-22  - Entre 50 e 90

"Além disso o novo modelo inclui projéteis de fragmentação remotamente controlada, proporcionando um combate mais eficaz contra alvos vivos."

Queria saber como isso funciona.

Sei que os americanos usam o XM-25, um lançador de granadas, que dá a opção de controlar a detonação da granada.

Imagina que tem um atirador atrás de um muro de concreto. O soldado com o XM-25 usa o marcador a laser, e este determina que o muro está a 76 metros de distância. O soldado pode então determinar manualmente a distância de detonação, em incrementos de 3 metros para mais ou para menos. A distância é passada para a granada que está para ser disparada, e cada granada tem um microprocessador, que determina a distância correta contando o número de rotações desde a saída do cano, e então detona, no caso que citei, detonaria a 79 metros, por trás e por cima do atirador inimigo. 

https://en.wikipedia.org/wiki/XM25_CDTE

Contra pessoal, o Abrams carrega um projétil que transforma seu canhão na maior espingarda do mundo. É um projétil que se abre logo após o disparo, liberando 1100 esferas de tungstênio de 10mm de diâmetro. Deve fazer dodói.

Um regimento militar, armado com mísseis S-300, começou a operar na parte russa do Ártico, segundo divulgou o Ministério da Defesa da Rússia.

 

O chefe da assessoria de imprensa do ministério, Vadim Serga, divulgou nesta quinta-feira (9/dez):

“Na Frota do Norte, entrou ao serviço o novo regimento de mísseis da unidade de [península de] Kola de defesa antiaérea, visando a proteção da fronteira da Federação da Rússia no espaço aéreo”. 
Os modernos complexos de mísseis S-300 são capazes de atingir alvos a centenas de quilômetros, sublinhou Serga.



Ao longo deste ano, foram deslocados para a península armamentos, equipamento militar e especial. Em um prazo curto foram preparadas todas as condições, inclusive o posicionamento e disposição dos equipamentos necessários para o trabalho da nova unidade.

 

De acordo com Vadim Serga, a unidade regular localizada na Nova Zembla [arquipélago russo no Ártico] é a primeira criada nas ilhas do oceano Ártico. Antes disso, os destacamentos militares russos só permaneciam temporariamente nas ilhas árticas. 

Cabe mencionar que o Ártico é composto por solo, águas territoriais e internacionais. Todo o território e águas do Ártico pertencem a cinco países – Rússia, Canadá, Noruega, Dinamarca (território autônomo da Groenlândia) e aos EUA (Alasca).

Last edited by CASTR0

Esses mísseis balisticos no Artico, bem como submarinos nucleares vao ser utilizados como mesmo, contra os terroristas Siríos??.........

Os russos sempre aproveitando-se de uma desculpa para dar o bote...nada muda...

 

Edilson 

Os navios do tipo Typhoon, são os maiores submarinos alguma vez construídos. O deslocamento quando em imersão, é maior que o dos porta-aviões europeus da II guerra mundial, ou que muitos navios porta-helicópteros atuais. Os Typhoon são os mais poderosos submarinos alguma vez construídos, ultrapassados apenas pelos submarinos norte-americanos da classe Ohio, que embora menores, transportam uma maior carga bélica.



Dados principais

Deslocamento standard: 23800 Ton
Deslocamento máx. : 35000 Ton.

Comprimento: 171.5 M - Largura: 24.6M   Calado: 13 M. 

Tipo de propulsão: Reactor nuclear
Profundidade: 300 M
Numero de tubos: 6

Motores: 2 x Turbinas a vapor / electropropulsor GT3A (81000cv/hp)
                  2 x Reactor nuclear VM-5 (380MW) 

Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 25 nós

Tripulação / Guarnição: 175

Autonomia: 99999Km a 20 nós 


O primeiro navio deste tipo começou a ser construído em 1977 e foi lançado à água nos estaleiros de Severodvinsk em Setembro de 1980, tendo entrado ao serviço em 1982.
A gigantesca dimensão dos Typhoon, é resultado da necessidade de acomodar os mísseis SS-N-20 com 16 metros de comprimento.

Para acomodar os mísseis os engenheiros navais soviéticos recorreram a uma solução engenhosa, ainda que algo estranha e que consistiu na colocação de dois cascos pressurizados com uma largura de 7m um ao lado do outro e um terceiro, elevado e colocado na parte central .
O conjunto é envolvido por um enorme casco exterior que por sua vez é revestido por painéis que absorvem o ruido.

Esta característica dos Typhoon não foi publicamente conhecida senão muito mais tarde e explica o formato exterior do navio.
Todos os mísseis são colocados à frente da vela e na parte traseira, há um reator em cada uma das secções pressurizadas.
O navio tem por isso dois eixos propulsores e funciona como se de dois submarinos se tratasse. Isto tornou a construção mais simples, porque não foi necessário garantir ligas especiais para permitir ao submarino mergulhar a grandes profundidades.



Dimensão sempre foi um problema
Ainda que os navios fossem uma clara ameaça, a sua dimensão tornava a detecção possível pelos navios ocidentais. Especula-se que as próprias autoridades navais soviéticas temiam que a dimensão do navio facilitasse a sua detecção e por isso determinaram que em missões de rotina ele não deveria nunca se aproximar das águas controladas pelos navios e aviões da NATO.
Fontes ocidentais também afirmam que o navio era mais difícil de detectar que o que os próprios soviéticos pensavam.

A marinha soviética por seu lado, e embora a autonomia dos navios permitisse a sua colocação em quase qualquer ponto do globo, temia a possibilidade de os americanos atacarem estes submarinos se eles se afastassem demasiado das suas bases.
Assim, os Typhoon nunca foram enviados para missões longe das suas costas.
Quando utilizados em missões de rotina, a táctica soviética era a de enviar os navios para o polo norte e em caso de guerra disparar os seus mísseis a partir das calotas polares.
Considerava-se que naquelas localizações, entre as calotas polares seria mais difícil aos submarinos norte-americanos descobrir a presença dos submarinos soviéticos.

Foi criada alguma confusão entre este tipo de submarino e o submarino do tipo Akula (designação NATO).
Os Typhoon receberam esta designação NATO, mas a sua designação soviética foi «Akula» (Tubarão). Por esta razão, são utilizadas apenas as referências NATO, para evitar confundir estes navios com os submarinos lança-mísseis do tipo Akula, derivados dos Sierra.

Impressiona não o armamento russo, mas a possibilidade de alguns membros do Fórum poderem postar as imagens que quiserem enquanto eu, há 12 dias, não consigo postar nada além de carinhas.

Isso que eu PAGUEI para ser ASSINANTE...

Bom, quem mandou ser trouxa...

Rússia avisa Turquia das consequências negativas de ‘ações irresponsáveis’.

O ministério afirmou que o diplomata foi informado da profunda preocupação com mais uma provocação do lado turco relativamente à fragata russa anti-submarino "Smetlivy" no Mar Egeu.

De manhã, a tripulação da fragata russa "Smetlivy", navio de escolta na parte norte do Mar Egeu, avistou um arrastão turco que se aproximava a uma distância de um quilômetro. O arrastão não entrou em contato por rádio com o navio russo e não respondeu aos sinais luminosos emitidos.

Enquanto o navio turco estava se aproximando do navio de escolta russo, foram feitos disparos a uma distância de cerca de 600 metros para evitar a colisão. Foram utilizadas armas de fogo, tendo os disparos sido feitos a uma distância segura de maneira a não atingir o navio. Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi chamado de urgência para o Ministério russo da Defesa.

Essas postagens do CASTRO estão "duca" 

Dá até vontade de se embrenhar pelas vias do pessoal de Naval Modelismo... hehehe ... Falando nisso, a galera que curte naval poderia mencionar qual a escala mais comum ou ideal dessa linha?! Eu curto 1/72 mas nem sei se este seria um padrão dessa arte tão rica em detalhes...

CASTR0 posted:
  •  Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi chamado de urgência para o Ministério russo da Defesa.

 

Ahh se não fosse a Turquia a dona do acesso do Mar Negro ao mar aberto. A Rússia não teria desculpas para não apertar o com eles. 

Destroyer russo Smetlivy - O  "engenhoso"

 

Os Destroyers da classe Kashin são um grupo de Destroyers lançadores de mísseis guiados, construídos para a Marinha soviética na década de 1960 e início de 1970. Sua designação na Era soviética é "Projeto 61".  A partir de 2007, o navio Smetlivy entrou em serviço para a Marinha russa, e cinco navios modificados estão em serviço com a Marinha da Índia, como Destruidores da classe "Rajput".

Na União Soviética foram oficialmente classificados como "navios de guarda" (storozhevoi Korabl - SKR), em seguida, "grande navios "ASW" (BPK) ou "navios de grandes "mísseis" (BRK), mas no resto do mundo, eles são geralmente considerados como Destroyers lançadores de mísseis, devido ao seu tamanho e armamento. Eles foram os primeiros navios soviéticos construídos de propósito como navios de defesa anti-aérea e os primeiros a levar um helicóptero ASW (Anti-submarine warfare).

Sua atual missão é bombardear regiões ocupadas pelo ISIS e garantir o espaço aéreo no Mar Negro para passagem de aviões Tu 160 e outros.

Destroyers da classe Kashin

Jet Commando posted:

Conclusão do Jet: Os fãs de armamento russo são mais fervorosos do que os fãs de armamento americano ...

kkkk ... Boa! 

TEN GUSTAVO ROCHA posted:

Os Kashin são muito velozes, ultrapassam os 36 nós de velocidade com facilidade. além de serem intimidadores. belo post by the way!

E acho os cascos dos russos bem mais bonitos. 

Jet Commando posted:

Conclusão do Jet: Os fãs de armamento russo são mais fervorosos do que os fãs de armamento americano ...

Olá Jet,

Fiz também tópico só para equipamentos Americanos, e outro para equipamentos RAF e França, sempre salientando fatos relevantes sobre equipamentos como armas, aviões e navios, sem comentários políticos de apoio ou repudio de  quem quer que seja, apenas equipamentos.  Mas como podemos ver, os equipamentos Americanos são sempre os mesmos e conhecidos. Já os equipamentos Russos, muitos são inéditos para o ocidente, e aos poucos vamos conhecendo o que por anos, ficava apenas em especulações e raras fotografias...

Peço aos colegas que não gostam de conhecer ou ler sobre os equipamentos envolvidos no conflito da Síria, apenas respeitem e não postem nada de politica, evitando assim que seja bloqueado o tópico.

Segue link para outros dois tópicos apenas sobre os equipamentos envolvidos na Síria e região.

USA em Incirlik,Turquia

França e Reino Unido X ISIS na Síria,

Last edited by CASTR0

O Ka-50 (em russo: Чёрная акула, Tubarão Negro; Designações da OTAN: Hokum A) é um helicóptero de ataque de fabricação russa, desenvolvido pela empresa Kamov. Foi desenvolvido na década de 1980 e introduzido no serviço ativo nas Forças Armadas da Rússia em 1995. Considerado um dos helicópteros mais avançados do seu tipo, ele é armado com uma metralhadora de 30 mm no nariz, além de lançadores de mísseis ar-terra, também sendo capaz de atingir alvos no ar. Cada unidade desta aeronave custa em média US$ 16 milhões de dólares. Possui uma velocidade de cruzeiro de 270 km/h e um alcance operacional de 545 km.

Em 2008, uma versão atualizada, chamada Ka-52, foi lançada pela Kamov.

Cerca de 32 Ka-50 e 65 Ka-52s foram construídos até os dias atuais. A Rússia segue como única utilizadora desta aeronave, contudo o Iraque anunciou, em 2012, que encomendaria algumas unidades deste helicóptero.

Velocidade máxima: 390 km/h
Comprimento: 16 m
Envergadura: 14 m
Custo unitário: USD 16.000.000–16.000.000 (2011)
 
o Ka-50 é equipado com assentos Zvezda NPP K-37-800, que são assentos ejetáveis, característica inédita em um helicóptero de combate.

O Ka-50 pode ser equipado com um canhão rígido Shipunov 2A42 de 30 mm, com capacidade de 460 tiros por minuto e alimentação dupla de HE-Frag, 2 racks de mísseis capazes de acomodar 12 mísseis anti-tank 9K121 vikhr, mísseis ar-ar Vympel R-73 e mísseis táticos ar-terra guiados a laser Kh-25.

O Black Shark pode também ser equipado com 4 bombas de 250 kg ou duas bombas de 500 kg, além das armas UPK-23-250 de 23mm, e variações de outras armas para garantir seu poder ofensivo

Last edited by CASTR0
xxAgnaldoxx posted:
CASTR0 posted:
  •  Após o incidente, o adido militar na embaixada turca em Moscou foi chamado de urgência para o Ministério russo da Defesa.

 

Ahh se não fosse a Turquia a dona do acesso do Mar Negro ao mar aberto. A Rússia não teria desculpas para não apertar o com eles. 

E a Turquia atual se deve justamente de tropas multinacionais terem tentado conquistar a Turquia para ter poder sobre esta passagem.

CASTR0 posted:
 
Já os equipamentos Russos, muitos são inéditos para o ocidente, e aos poucos vamos conhecendo o que por anos, ficava apenas em especulações e raras fotografias...
 

É exatamente por isso que está nota 10. São coisas pouco vistas. Por exemplo, aquelas fotos da construção dos Typhoons, com detalhes dos cascos internos, eu nunca tinha visto.

Está de parabéns mesmo pelo tópico. 

Pra ajudar a ter uma idéia do tamanho da criança:

Se não conseguirem ver, é só clicar aqui:

https://s-media-cache-ak0.pini...5dd3a3e66053badc.jpg

Attachments

Images (1)
Last edited by fernando frota melzi

Eu tenho para onde lançar esse misseis, pode descarregar

 

Brasília / DF
Latitude
-15° 46' 47''
Longitude
-47° 55' 47''

 

FIRE

pak43 posted:

Não vamos incentivar a violência por aqui,basta mandar um caminhão de oleo de peroba

o caminhão não vai chegar, será desviado no caminho.

×
×
×
×
Link copied to your clipboard.
×