Gigantesco Diorama do Dora.

Com todos os elementos em escala 1/35.

Durante vários anos, o autor e o pai criaram esse diorama com 210 x 70 cm. trabalhando uma média de 5 horas por semana. Foram utilizadas 90 figuras e vários veículos de diferentes fabricantes.

A ponte e a casa são scratch e, segundo o autor, foi o primeiro diorama deles.

Fotos

http://modellboard.net/index.php?topic=51332.0

Vídeo

https://www.youtube.com/watch?v=bgaX28lvqxk

Original Post
Rogerio77 posted:

Com todo o respeito ao modelista, achei que ele trocou qualidade por quantidade. O acabamento individual dos veículos e, especialmente, das figuras está muito fraco.

Eu lembro do meu pai pintando um jaguar (jato inglês) da Heller com Spray em lata azul metálico por cima e coralit azul céu por baixo.  Eu achei o máximo!!!  Ele mascarou o canopy com Durex, e quando tirou a mascara foi igual a ver um truque de mágica do David Coperfield. Me lembro como se fosse hoje devia ter uns 6 pra 7 anos de idade.

Esses dois ai jamais terão essa experiência juntos apagada de suas memórias, por pior que seja a qualidade das figuras ou dos veículos. Com o tempo talvez esse diorama até possa a vir até a desaparecer por circunstancias da vida, como aconteceu com o Jaguar meu e do meu pai.

Memória boa com os pais vale mais do que a qualidade do modelo amigo Rogério... E não se perde com o tempo...

Daniel Iscold posted:
Rogerio77 posted:

Com todo o respeito ao modelista, achei que ele trocou qualidade por quantidade. O acabamento individual dos veículos e, especialmente, das figuras está muito fraco.

Eu lembro do meu pai pintando um jaguar (jato inglês) da Heller com Spray em lata azul metálico por cima e coralit azul céu por baixo.  Eu achei o máximo!!!  Ele mascarou o canopy com Durex, e quando tirou a mascara foi igual a ver um truque de mágica do David Coperfield. Me lembro como se fosse hoje devia ter uns 6 pra 7 anos de idade.

Esses dois ai jamais terão essa experiência juntos apagada de suas memórias, por pior que seja a qualidade das figuras ou dos veículos. Com o tempo talvez esse diorama até possa a vir até a desaparecer por circunstancias da vida, como aconteceu com o Jaguar meu e do meu pai.

Memória boa com os pais vale mais do que a qualidade do modelo amigo Rogério... E não se perde com o tempo...

Daniel, o que lhe chamou a atenção foi o mesmo que me atraiu nesse imenso diorama.

Como você, com o seu pai e o Jaguar, até hoje lembro da sensação, do frisson que tive ao abrir a caixa de um USS Missouri da Revell (caixinha pequenina) que meu pai tinha comprado para nós montarmos.

Até hoje lembro-me daquela experiência e como iniciamos a montagem daquele kit na ampla mesa da cozinha, cortando as peças com um alicate, dos grandes!, lendo o limitado manual, pondo cola por tudo, inclusive mãos e cabelos, os canhões que não queriam ficar eretos teimando em ficar apontados para o convés, a pintura a pincel com aqueles tubinhos minúsculos de tintas da Revell, tudo num clima da camaradagem e felicidade que nunca esqueci, mesmo passados 60 anos.

Meu pai partiu há 24 anos (ontem teria feito 95 anos), era um verdadeiro homem de família (meu modelo, guia e exemplo) e, apesar de calado e tranquilo, jamais deixou de passar a nós, a sensação da sua presença forte e constante ao nosso lado. Tal sensação era reforçada por oportunidades de ouro que só quem tem um pai presente tem o privilégio de conhecer.

Como nós, caro Daniel.

Grande abraço e que bom que temos algo mais, além do hobby, para compartilhar.

Boa noite.

também existe um certo dilema -   pois  os  recursos e  tempo do modelista para  detalhar  tudo num nível muito superior.... nem sempre é  ilimitado...(afinal  para  milhares  há  uma  crise  econômica  lá  fora ... )........por vezes  são figuras/afv/blindados   mais  simplórias  ou de má qualidade e que  dificilmente  você  consegue  melhorar  muito, mesmo com  pintura/acabamento  muito bom... , a não ser  que  troque  n-mil detalhes  por  resina e  aftermark...mas  fica  o problema  que o não  acabar ficar  quase  eterno. o  finalizar do  diorama ....e o  preço  vai para  estratosfera... (afinal o  modelista  deve  a principio, ter  vida  , come , interage  com  família, precisa  trabalhar  e   arranjar  grana  para  comprar  os  produtos e  tocar  a vida...)  .....claro , por  exemplo alguns detalhes  por  exemplo do caminhão semi-destruído poderiam ate  ser  melhorados (por  exemplo pneus  mais  furados  ou  em cinzas  mas  em  si  não o  achei tão ruim  assim, uma  ou outra  figura com face  mais grotesca (próprio  do fabrico  da   figura)...   as  vezes  ficamos  tão obcecados por  super-detalhes  que  nos  esquecemos  de  que  há   enorme mérito  no acabar da  obra..(é o  velho problema  de   vários  de  nós  termos  a tendência de sermos  mais  boxmodelistas  do  que modelistas com  trabalhos  concluídos mesmo)... achei muito  bom  o acabamento  geral  e  apesar de ser  muito grande e  o numero de  elementos bem  elevados,   achei o  conjunto  bem  feito/bem  equilibrado.....quem me  dera  ter  grana  e sobretudo   tempo  e um  pouco da  habilidade  para  chegar num  diorama  desta envergadura  com  uma media  muito  boa dos  elementos ....  

e  as  vezes o prazer  é na  montagem , com  filhos ,com os  pais, as vezes  com  premio  ou não,  ou  as  vezes  somente  com o  elogio  da  parte  de outros  modelistas  ou pessoas comuns /familiares,  de  achar  que  apesar  de não ter  ganhado prêmios  ou medalhas   a  gente  guarda a  tranqueira ou kit   apenas  pelo prazer  da  memória/afeto de cada um .... plastiresiabços paulo r  morgado  sp - sp 

O boxmodelismo/consumismo impera hoje no hobby.

Não condeno quem gosta de superdetalhar um kit ou colecionar caixas, e também não condeno que gosta de montar noventa figuras meia boca, veículos não tão bem montados e um diorama mal acabado que foi feito no tempo livre com o filho.

Como disse temos que analisar o que tem por traz disso. Cada um na sua praia.

Rogerio77 posted:

Com todo o respeito ao modelista, achei que ele trocou qualidade por quantidade. O acabamento individual dos veículos e, especialmente, das figuras está muito fraco.

Concordo.

Tá bonito de ver. É vistoso e tal, mas...

E foi mal pessoal: não importa se foi feito por pai e filho, netinho com o avô ou na companhia do totó fiel e seu companheiro periquito... continua sendo um projeto gigante mediano.

Marco S J C posted:
Rogerio77 posted:

Com todo o respeito ao modelista, achei que ele trocou qualidade por quantidade. O acabamento individual dos veículos e, especialmente, das figuras está muito fraco.

Concordo.

Tá bonito de ver. É vistoso e tal, mas...

E foi mal pessoal: não importa se foi feito por pai e filho, netinho com o avô ou na companhia do totó fiel e seu companheiro periquito... continua sendo um projeto gigante mediano.

Inferior a tantos que vemos por aqui produzidos por nossos modelistas nacionais...

Tudo bem que o trabalho deles não seja espetacular e eu até posso concordar.

O que está sendo discutido é o valor sentimental da obra x qualidade. E nesse caso na minha opinião o valor sentimental sobrepuja a qualidade.

Talvez tenha valido mais a união de pai e filho do que uma medalha de best of show um concurso de modelismo. 

Daniel Iscold posted:

Tudo bem que o trabalho deles não seja espetacular e eu até posso concordar.

O que está sendo discutido é o valor sentimental da obra x qualidade. E nesse caso na minha opinião o valor sentimental sobrepuja a qualidade.

Talvez tenha valido mais a união de pai e filho do que uma medalha de best of show um concurso de modelismo. 

Beleza.

Corrijo então: é um projeto gigante mediano sentimental.

Vou completar também, já que fui o primeiro a não elogiar o trabalho. Quando eu digo que a qualidade dos itens não estão tão bons estou analisando o trabalho em si, os kits, as figuras e o cenário, não estou levando em conta se foi feito com amor, me refiro somente ao produto final. Sou filho de pais separados e nunca montei kit com meu pai, mas um tio meu montou comigo meu primeiro kit e guardo excelente recordação do fato, mas que o kit ficou fraco ficou, isso é inegável.

 

Mas é claro que o seu primeiro kit ficou fraco... o meu ficou fraco o de todo mundo fica fraco...

O problema é que tem gente que faz do plasti um sanatório...e acaba espantando muita gente que quer começar no hobby. Neste tópico estamos dentro da normalidade.

Todos até agora temos consciência de que o trabalho é fraco, mediano entre outros, mas que tem o seu valor!!

É isso ai turma... hoje é dia de bancada. Um abraço a todos

Bem, tirando o lance familiar que nem se fala, falando técnicamente, eu acho que está muito "limpo" , deveria ter sujado muito, centenas de homens andando em volta dessa gerinçonça não ia ficar um pé de grama inteira, só lama. Diorama muito grande é difícil.

Minha crítica é construtiva , o cara tem que ter muita paciência e vontade para montar isso, acho que muitos de nós , com a intenção de incentivar damos nota 10 pra tudo, raros são os que falam que poderia melhorar aqui e ali, se tivessem feito isso comigo talvez montasse melhor.

Mas como diz o grande Marcelo Guerra que deu aulas para mim e muitos outros colegas daqui e um plastimodelista do zaralho: "Divirta-se e f#da-se, é só plástico  ! "

Abraços.

Senhores,

Vou dar meu pitaco. Eu que sou colecionador de caixas mais que montador de kits.

Não lembro de meu pai montar kit junto comigo, mas fizemos tantas outras coisas juntas que com certeza me marcam até hoje e uma delas é de sempre elogiar ou incentivar mesmo sendo a maior porcaria que fizesse.

Lembro de uma vez numa loja aqui em Porto Alegre de um menino de uns 11 anos ter feito uma pergunta sobre pintura do avião, eu já grande comprando um kit. O vendedor fez um crítica que se fosse eu nunca mais montaria um kit na minha vida.

Quando ao diorama, se juntasse tudo que já montei em militaria não sei se a quantidade não seria igual a de que estes dois fizeram. Mas com certeza estaria bem perto e ocupam muito mais espaço que eles que juntaram tudo num mesmo cenário.

Outra, é de que mesmo com o tempo que tenho de montagem, com certeza não faria muitas figuras e veículos com o detalhamento que eles fizeram.

E terceiro, ter a certeza que este não é um trabalho finalizado mas em processo e daqui um ano ou mais quem sabe não voltem a trabalhar para melhorar acrescentando detalhes, refazendo pinturas e outras coisas. Quem de nos não pegou aquele velho kit tirou a tinta e repintou ou remontou acrescentando detalhes.

Queria eu ter feito um diorama fraco destes. Sozinho, com minha filha ou sei lá com quem.

Boa tarde galera do plasti!!!
Só o fato de os dois terem montando juntos já ganha nota 10, imagina o labor que os dois tiveram para montar isso, e tbm a aproximação deles, pesquisa e tudo mais, isso não tem valor. 
Agora sobre elogios e criticas é bem complicado, pois isso mexe muito com o modelista, não são todos que sabem receber uma critica construtiva  e levar a mesma para o lado "MODELÍSTICO E NÃO PESSOAL"
Tenho um grande amigo aqui no sul que é modelista a mais de 30 anos, só que o camarada tem uns problemas de saúde o limitando de alguns afazeres com o hobby, por este fato todos elogiam seus trabalhos tudo nota 10, mas ninguém fala que esta com a cor errada, aparecendo cola e mais algumas coisinhas.
Então ressumindo isso acaba fazendo o cara montar sempre errado.

Claro, isso tudo tem muito a ver com o resultado que o cara quer acalçar, se ele monta para se divertir ou se esta montando para um open ou até mesmo uma exposição, aonde muitas pessoas vão prestigiar seu trabalho.

Mas é isso meus amigos
Um grande abraço 


Incluir Resposta

Curtidas (2)
Fernando ManfioCoração De Leão
×
×
×
×