Olá pessoal.

Fiquei a fim de montar um Humber transparente que comprei e sentei a pua nele.

Não ficou nota 10 a montagem, mas o que valeu foi que me diverti muito no trabalho.

Agora, decidi que a melhor parte, deveria estar por vir, ou seja, sismei de fazer um expositor diferente para ele e na medida em que for desenvolvendo o dito, vou postando por aqui.

Como sempre, críticas sugestões etc. são muito bem aceitas.

A minha ideia é colocar movimento inteligente no expositor e para isso quero um pouco de tecnologia. Vai dar trabalho.  Acho que muito mais que montar o blindado, no que apanhei pra caramba pois, sabem né, me falta ainda muita areia para ficar em um nível que considero bom.

Na minha cabeça está tipo uma vitrine com o Humber iluminado e girando pra quem se aproximar.

Acho que vou fazer refletores em photoetched, porque não tenho a habilidade de muitos por aqui, como o Mano, que faz absurdos com o plástico.

Em um tópico lá em ferramentas, me ensinaram a de-soldar os LED's daquelas fitas e vou usá-los nos refletores, se ficarem de acordo.

E esse é o Humber

Na medida em que for desenvolvendo os trabalhos, fotografo e posto.

Deve demorar, porque tem um equipamento que vou precisar que só chega (se não for pego) no final do mês.

Edu

 

Original Post

Dando continuidade, seguem os desenhos dos refletores que pretendo fazer em photoetched. Serão 4 destes.

 

E mais um centralizado deste aí de baixo

Os projetos dos fotolitos já estão em andamento

 Dá pra ver os LED's que o Marcus me ensinou a de-soldar lá no tópico de ferramentas "Fitas de LED".

Seguramente vou utilizá-los.

Edu

Bom, como dizia, seguem os fotolitos das peças dos refletores.

Agora é "só"  cortar e tratar a chapa, aplicar o fotossensível, gravar, revelar, e corroer!!! Aí é só montar... 

Refletor grande.

 

Refletores pequenos.

Como são em maior número, têm mais peças e mais fotolitos

Vamos mandar ver.

Neste final de semana quero crer, já teremos alguma coisa pronta.

Edu

Marcus

Já bolei um esquema para não correr riscos com curto, isolando os LED's antes de instalá-los. 

Eu uso o filme. Tenho também líquido, mas tenho conseguido melhores resultados com o filme.

Seguem as gravações

Refletores pequenos

Frente

Verso

Acho que vou fazer também uma plataforma para colocar o Humber. Estou projetando a dita.

Grato pela companhia

 

Edu

Bem, aí estão os componentes que formarão um refletor pequeno.

Vamos testar se a dimensão da abertura central é suficiente para encaixar o LED

Vamos tentar com o link para ver se vai

https://photos.app.goo.gl/zWLZs6FYBOEQj2Ij2

Encaixou com perfeição. Parece até que o furo foi projetado para isso...

https://photos.app.goo.gl/QQVUfEpoBw1UCgLx1

Toca o enterro...

 

Edu

Bem, o fotolito da base já está pronto.

Vamos partir para a gravação e corrosão, quem sabe ainda hoje, teremos uma base para colocar o Humber. Tem que ser logo, porque tira daqui, põe ali, testa com ele em cima, tire de cima põe do lado, esbarra sem querer, já viu né, está desmontando. Mais um pouco paro o tópico da base para criar um de reforma.

E a base da base

Vamos ver se as imagens aparecem no site, senão vou ter que mudar a forma de postar.

Bost@!! Na base da base, me esqueci do furo para o eixo do motor. Vou ter que inventar algo, porque a essas alturas a gravação no latão já está feita.

 

Edu

KKKKKKKKKKK!!! Seria um sonho de infância!!!

Comecei a fazer os vidros para a montagem final.

Utilizei o "acetato" do próprio fotolito para tanto.

Como quero que fique uma margem preta com cantos arredondados, utilizei os cantos de etiqueta de papel para fazer uma máscara; e tome tinta.

Esperar secar para ver o resultado.

Edu

Bom dia pessoal

Vamos lá para a marcenaria trabalhar um pouco.

Mudando de pato para ganso, enquanto seca, vamos atacar um outro ângulo que vai dar um bocadinho de trabalho também: a estrutura do conjunto.

De início, como definição, vou utilizar um espelho no piso que será atravessado pelo eixo do motor fixado na parte de dentro da estrutura.

O espelho será esse

O motor será esse, ele deverá ser alimentado por 110V AC e a rotação absurda dele é de 1 rpm.

A ideia básica é a apresentada abaixo, que está em escala 1:1 e será utilizada para vermos como ficarão os componentes aí dentro, onde colocaremos cada elemento. Pra começar, o eixo do motor deverá estar no centro. O resto vai ter que caber no que sobrar de espaço.

Vamos começar, cortando as paredes, fundo e tampa tomando por referência o espelho. Vou utilizar MDF 6mm. A precisão, como sempre, terá que ser nossa aliada. Talvez no meio desta etapa faremos ou uma alteração no projeto, ou se as coisas fluirem bem, manteremos a trajetória.

 

Edu

Então, o que acontece, a espessura do espelho é de 3 mm e não pode ficar sem um apoio que lhe dê resistência, então vamos colocar uma placa de MDF de 6mm por baixo, mas isso vai aumentar a espessura que o eixo do motor vai ter que atravessar, sobrando uma ponta menor para o lado de fora.

Para checar quanto que vai sobrar, fiz a montagem virtual e me parece, ainda não medi, que vai dar. Estou pensando em por um acabamento do lado de fora, o que vai tomar mais um pouco de eixo. Tem que sobrar o suficiente para prender a base em latão que estamos fazendo lá na oficina. A ideia é essa:

Vou medir para ver se vai dar, ou teremos que fazer uma cava no MDF da tampa para fazer o eixo sair mais para fora.

Vai sair, mais ou menos 6 mm e o acabamento deverá ser de 4mm o que deixa 2mm para fixar a base do Humber.

Estou achando pouco. 

Edu

De volta para a oficina

Teste dimensional dos refletores dentro de suas carcaças.

Aprovado

Teste dimensional do LED na abertura central

Aprovado.

Para evitar o curto circuito pelo fato de o refletor ser de metal, fechei o furo com durex e recortei o local do furo, deixando uma pequena margem (para dentro é claro) nos lados em que os terminais vão ficar, assim na hora em que eu encaixo o LED essa beirada dobra para dentro, isolando os terminais da carcaça, impedindo o curto

Se olhar a parte lateral da parte metálica, dá pra ver o durex que sobrou para dar a fixação no refletor.

Aprovado

Edu

Voltando para a oficina, vamos trabalhar mais um pouco nos refletores que já secaram.

Todos os ramais de fios instalados, e vamos para a solução que eu encontrei para organizar a zona.

São dois polos, e não pretendo acender as lâmpadas individualmente neste refletor. Individual sim, nas unidades, ou seja, os refletores menores serão independentes, e este maior também, mas acenderão os 5 LEDs dele de uma vez.

Dentro da carcaça do refletor, vou colocar essa plaquinha de circuito que fiz, juntando em um todos os terminais negativos, e no outro todos os terminais positivos. Assim fica um par de fios apenas para instalar no conjunto.

Aí como vai ficar na montagem, será fixada na carcaça com fita dupla face.

Na lateral pequena da carcaça que está visível por dentro, aparece o furo de saída do par de fios que irá alimentar o conjunto dos LED's.

É montar e testar.

Iremos de volta à marcenaria para cortar as peças em MDF.

Edu

Voltando à marcenaria, utilizamos a gambiserra de bancada para cortar as laterais da base mais a tampa e o fundo, que têm que bater com a medida do espelho, que será a parte visível das superfícies horizontais.

Depois de um trabalho de setup da máquina exaustivo, conseguimos cortar com boa precisão as peças.

Teremos que fazer os furos no espelho para a passagem do eixo para fora e a entrada dos fios para a parte interna onde ficarão os demais componentes.

Edu

Na mesa de projeto da marcenaria, temos o modelo do qual tiramos uma medida das mais importantes: a altura do apoio para o motor, que vai deixar o máximo de eixo para fora, sem interferir na posição da tampa, que é composta de um quadrado de MDF de 6mm, que foi esse que nós acabamos de cortar, que tem por cima, colado a ele, o espelho que o eixo deve atravessar.

 

Achei melhor já verificar como vai ficar com o acabamento que pretendo colocar que é esse

É feito de plasticard 1mm de espessura, donde se conclui que o acabamento tem 4mm de espessura total.

Conforme podemos observar, é pouca sobra de eixo para prender a estrutura da base.

Creio que já sei como aproveitar mais a ponta do eixo que vai ficar para fora: e só aumentar o diâmetro interno do furo central do acabamento por onde vai passar o eixo, aí eu faço um encaixe tipo copo invertido, com a parte exterior do fundo do copo, colada na base onde vai ficar o Humber.

Bacana! Mão à obra.

Edu

Cortados os apoios de 32 mm resolvi testar para ver se não tinha feito nenhuma c@g@d@.

Feita a medição da parte de baixo da régua com a parte mais alta do motor, deu 10 mm que é 1 a mais do que eu preciso para a tampa mais o espelho.

Beleza!

Está na hora de irmos para o laboratório para cuidar da parte de integração do hardwear e do  softwear.

Edu

Bom, estamos agora no laboratório e tirando a bagunça, o resto está quase tudo  em ordem.

Primeiramente vamos reunir todos os componentes que não vimos até agora, e que se constituem de atuadores e sensor (que no caso é único, o sensor de distância por ultra-som).Este será o material:

Agora é quebrar a cabeça para ver como juntar tudo isso.

Vejamos: refletor grande, refletores pequenos, motor, sensor de ultra-som, alimentação para o arduino, placa de arduino, relê para ligar o motor.

Falta ainda uma tomada interna que vou ter que providenciar, mas como ainda não sei como vão ficar esses componentes dentro da base, vou esperar chegar mais próximo da utilização.

Ah! É claro, falta a placa de circuito que ainda precisa ser fabricada. Já ia me esquecendo.

Acho que vamos começar pelo programa, e testaremos em uma protoboard para ver se vai funcionar, antes de partir para o crime final.

Edu

Ok!

O sensor ultrasônico vai ficar monitorando se há algo diante dele e qual a distância desse algo (ou alguém). 

Queremos que dependendo da distância que o obstáculo estiver do sensor, o sistema defina um comportamento no acendimento das luzes e no giro do motor.

Pensei no seguinte:

Maior que 1,5 metros, supõe que não há ninguém observando. Os quatro refletores pequenos, acendem e apagam um por vez; só isso.

Entre 1,5 e 1,0 metro, alguém inicia aproximação, aí os quatro refletores pequenos acendem e permanecem acesos.

Entre 1,0 e 0,5 metros, acenderemos os quatro refletores pequenos e o grande.

Menos de 0,5 metros além dos quatro pequenos, acenderemos o grande e ligaremos  o motor.

Observações:

1. o ideal seria haver diversos sensores desses, mas aí iria complicar um pouco a construção e a programação.

2. o sensor trabalha bem com obstáculos que estão exatamente à frente dele e portanto uma aproximação de lado ou não será detectada ou somente o será quando a distância for bem pequena. Por isso acredito que o ideal seja ele ficar bem no meio da base.

Edu

Bom dia colegas.

Este trabalho vai ter uma tampa de vidro, então já mandamos cortar nas medidas necessárias para dar o acabamento que queremos. Tive a ideia de cortar eu mesmo, mas a Divinal, aqui no Jaguaré, dá até acabamento e por um preço bastante razoável.

Vou fazê-la em vidro 2mm e deverá ficar alinhada com a parte de baixo que está sendo feita em MDF. 

Aí surgiu a ideia de colocar na parte da frente onde vai o sensor de ultra-som, uma imagem que integre os furos que precisaremos fazer para o dispositivo.

Que acham desta imagem? 

Os círculos azuis representam em diâmetro e distância entre centros, exatamente as medidas do sensor, e o retângulo externo, a parte de baixo em madeira que já cortamos lá na marcenaria.

A parte do capacete que fica para cima do retângulo, cai exatamente onde irá começar o vidro de que estamos comentando no início.

Há outras provas em outras imagens mais ou menos semelhantes, mas a que, por enquanto, mais me agrada, é essa.

Aceito opiniões. (Apesar de que é o que menos tem aparecido por aqui...)

 

Gato

Edu

edufari posted:

 

Aceito opiniões. (Apesar de que é o que menos tem aparecido por aqui...)

 

Edu, sei que ultimamente o ritmo da Webkits está quase nulo, mas eu tenha acompanhado cada postagem, estou curioso pela aparência final do trabalho.

Quanto à imagem acima, eu particularmente não gostei, até porque trata-se de um militar britânico atual e o Humber é da Segundona. Eu deixaria os sensores expostos mesmo, mas com um bom acabamento.

Vou continuar acompanhando, pode ter certeza 

Rogerio, legal.

Tem um bom tempo que eu frequento aqui, mas há meses não posto nada meu, só visito os tópicos dos outros modelistas, por isso não sentia esse ritmo lento.

Só não entendo o que houve, pois era muito movimentado por aqui. 

Tenho registro em outros fóruns mas nunca me senti tão bem quanto me sinto aqui, não gostaria de ver a WK nesse marasmo.

Que outra opção a turma escolheu? Porque se é outro fórum fica por aqui mesmo.

 

Edu

Bom dia pessoal.

Desenvolvendo o programa. Um pouco sem tempo, mas está saindo.

A fase I que é para distâncias maiores que 1,5 m já está testada e aprovada.

Vamos para a fase II e depois a última. Aí vai para a protoboard. Creio que farei um vídeo dos testes em protoboard e postarei aqui.

Já vou aproveitando para perguntar como postar videos, sei que tem um tutorial explicativo, mas estou correndo um pouco para procurar, se alguém vir este post e tiver como me ajudar, agradeço.

 

Edu

Bom dia turminha.

Ainda no laboratório de desenvolvimento de softweare. 

Nos testes de bancada, aconteceu que ao testar a condição III (entre 1,0 e 0,5 m) o refletor grande ficou excessivamente fraco. Depois de rodar a simulação em supercomputadores e gerar modelos matemáticos 4D utilizando tecnologia laser, chegamos à conclusão de que a porta do arduino não pode alimentar esse monstro devorador de ampéres.

O máximo da porta é 40 mA e a fome desse bicho é relativamente maior. 

A resposta é o uso de alimentação externa com um relê. Vamos providenciar para poder dar continuidade aos testes. Sei que tem muita gente que vai dizer sobre a bobagem de se dar a tanto trabalho, mas como dizem: a diversão é o que vale.

Não resisto a certos desafios.

Edu

Bom dia pessoal.

Rogério, vi bastante disso por aqui. Pena que o movimento tá fraco. É a crise. Mas tenho fé que vai melhorar. Agradeço a companhia 

Marcus já fui lá e dei uma olhada, mas não tive tempo de digerir o assunto, mas não me pareceu que seja algo incompreensível. Você foi bem didático e eu agradeço o empenho e a ajuda. Vou atrás do material que não tiver e vamos fazer a bagaça funcionar. Muito obrigado.

Rubens eu sou que nem o pato: anda, nada e voa mas não faz bem nenhum dos três. Mas... enquanto houver diversão e desafio, estaremos empenhados.

Agradeço a companhia e a ajuda. E temos novidades.

Voltando à marcenaria, enquanto providenciamos os materiais para seguir a solução do Marcus, chegaram os equipamentos que solicitamos ao departamento de compras.

Um problema que me persegue desde que comecei no hobby é a tal da meia esquadria na hora de fazer qualquer moldura ou similar. Tentei diversas soluções e ou por inabilidade ou por que raios sejam, nunca fiquei satisfeito com os resultados. Pode ser que meus problemas acabaram. Com essa lixadeira consigo os famigerados 45 graus na vertical, na horizontal, de lado, dis costa de todo o jeito. Fica só por conta da maldita habilidade.

E para completar, recebemos direto do setor de importação este suporte de montagem que vai nos ajudar, e muito, a conseguir os 90 graus com um pouco mais de precisão.

A ideia é essa:

Furo no meio com o eixo do motor passante, quatro furos nos cantos para os refletores pequenos, um aquário de vidro como tampa, e nessa parte de madeira que está faltando, haverá os dois furos do sensor de distância por ultrassom que fará a medição dos obstáculos que estiverem à frente. A hora que formos ao laboratório de softweare continuar o desenvolvimento do programa, que já está bem adiantado, farei um vídeo para mostrar o teste na protoboard. E é neste momento que peço aos colegas me indicarem, se possível, o link da WK que mostra como postar vídeos por aqui. Vi diversas vezes mas nunca prestei muita atenção porque não tinha nada para colocar em vídeo. (Creio que esse teste pode ser interessante).

Depois, iremos ao laboratório para medir se as tripas cabem no abdômen do paciente.

Creio que já estamos a meio caminho do final do projeto.

Edu

E segue o enterro. Vamos às atualizações.

Voltando à oficina onde estamos desenvolvendo a base, fiquei a fim de fazer o encaixe da base com o motor, coisa que eu estava preocupado, já que não deixei o furo na base da base, para encaixe do eixo. Aí surgiu a ideia de fazer um tubo que fosse pouco maior que o eixo e ao mesmo tempo, menor que o furo do acabamento que vamos colocar sobre o espelho.

Um pouco de tecnologia e matemática, já que o diâmetro do eixo é de 7mm vezes o pi, chegamos a 21,99 cm de comprimento do retângulo que terá 8 mm de altura.

Uma vez calandrado e soldado, ficou assim

Tá, aprovado, vamos ao teste para ver se ficou um tiquésimo maior que o eixo:

Perfeito, ou quase. (Falta um pouco de exercício com a calandra).

Agora, tem ficar soldado à base da base, nesta configuração

Bacana, é isso mesmo. Talvez ainda hoje, faremos a junção. Sabe como que é, hoje é um dia especial, além de ser domingo, e surgem mil coisas que temos que dar conta.

Edu

Boa noite pessoal.

Luciano, grato por participar. Estamos aceitando sugestões, embora somente consiga dar continuidade na 4a. feira, se muito, porque final de mês o bicho tá pegando.

De qualquer maneira, informamos que do departamento de informática veio a notícia de que o programa na fase III funcionou ok. Embora....... ressaltemos que aquele sensor de distância, tem um funcionamento melindroso, que em determinadas condições, (que diga-se de passagem são meio frequentes), ele faz a leitura com algumas falhas, não do sensor que é bastante preciso, mas pela própria forma como ele mede. A emissão do sinal de ultrassom é perpendicular ao aparelho e o obstáculo (pessoa no caso), deve estar também perpendicular ao receber e refletir o sinal, senão o receptor não capta direito.

Para diminuir a influência dessa característica, resolvemos fazer 3 medições e calcular a média, já dá uma melhorada. Caso fique ainda instável, vamos aumentar para 5 e ver se melhora mais um pouco.

 

Edu

Boa tarde amigos.

Ainda na marcenaria, conseguimos alguns progressos.

Os apoios laterais foram cortados e foi feito o teste na altura.

Aprovado.

As  paredes laterais, inicialmente foram feitas na medida justa, e devido às tolerâncias que não foram informadas pela engenharia, na hora de fechar o conjunto, os quadrados compostos pelas superfícies horizontais de MDF mais o espelho, não fechava, as paredes laterais ficaram 1 cagagésino menores e tivemos que refazê-las, agora um tiquésimo maiores para poder fazer os ajustes no momento de fechar.

Antes de fechar os quatro lados, vamos fazer os furos dos sensores de distância, para que não nos surpreendamos depois. 

Então vamos trabalhar só com os três lados e deixar o último quando a barrigada estiver toda definida.

Inclusive, fica mais fácil de mexer sem um lado.

Vamos às fotos.

Teste do tamanho do apoio.

Conferindo altura final se bate

O fundo onde vão presos quase todos os componentes, o apoio superior em MDF e o espelho.

De outro ângulo.

Nessa espessura do MDF até uns 2 ou 3 mm para dentro do espelho, vamos fazer um acabamento em plasticard em toda a volta, como uma moldura, para ficar mais apresentável.

Em cima de toda essa bagunça vem o vidro, cujas partes estou indo buscar agora para podermos fazer alguns testes.

 

Edu

Boa noite pessoal.

HoJe adiantamos detalhes que estavam pegando. 

Fazer a furacao no espelho. Tinha Uma broca de 7mm tipo asa delta  Para o furo central que e pequena pois preciso de Uma folga para caber aquela bucha copo que mostramos acima. Acabamos pedindo ao departamento DE compras para adquirir Uma tipo serra copo diamantada DE 8mm. A eficiencia foi impressionante. Estou achando que nao estao fazendo cotacao. Mas enfim, foram executadas todas as furacoes ( as 4 dos refletores pequenos e a central grande com 8mm para o eixo  do motor). 

Cortamos, ajustamos a altura  e fizemos a fixacao do motor a seu suporte. Foram feitos ajustes entre  os componentes de Madeira mais o espelho, diametro interno do acabamento para caber o eixo com a bucha copo que vai ser fixada a base da base. 

Resumindo: muito trabalho Mas sem muita coisa para mostrar. 

Amanha posto algumas fotos de como esta. 

Edu 

Boa tarde turma.

Rogerio, grato pela companhia. 

Visitaremos o setor de montagem e controle.

Vamos a algumas fotos, pois  o progresso de ontem é como rede de esgotos, é imprescindível, mas não é observável.

Essa a furação no MDF que vai dar suporte ao espelho e como ele, tem as mesmas furações. Não postei a foto do espelho, porque ficou fora de foco e estou sem tempo para tirar outra. Mas é a mesma furação. Só que no espelho, entende? É igual mas é diferente...

Um dryfit de como deverá ficar depois de pronto.

Acredito que depois de pintada a base, que será preta fosca, bem como o acabamento, também preto fosco, dará uma impressão melhor.

Achei uma em que aparece a furação no espelho. Para  melhorar a ideia, imagina que em cada um desses furos nos cantos, terá um refletor pequeno.

E uma que dá uma ideia de como ficará o motor dentro da carcaça.

Esses suportes em madeira, ainda são os provisórios.

Está caminhando.

 

Edu

Boa noite a todos.

Fim de semana meio devagar, mas alguma coisa acabou saindo.

Ninguém gosta de fazer hora extra. Receber, é bom, mas ter que fazer por isso é um saco. Assim mesmo, o pessoal da carpintaria resolveu dar a solução para o problema da fixação dos refletores menores.

Utilizando aqueles apoios de prateleira, foram eles para a usinagem

Da usinagem, para a furação, que tem a utilidade de ser a passagem dos fios para dentro da estrutura da base.

Assim, os fios ficarão desse jeito;

Claro, essa madeira não vai ficar assim exposta, vai ser pintada e vou colocar um acabamento em PE entre ela e o refletor. Mas para dar uma ideia.

Passando os fios, vai ter mais ou menos esse jeitão.

E, é claro, como não resisto a um dryfit aqui vai a última dessa série. Com ele aceso, inclusive.

 

Bem, é isso por enquanto.

Edu

Bom dia amigos.

Como o refletor grande consome muita corrente, e a porta do aduíno não tem como suprir, está em desenvolvimento o sistema de alimentação que se utiliza de transistor para fazer esse aporte de corrente. 

É quase o mesmo sistema que fará a movimentação do motor, que pelo fato de ser 110V nos obriga a colocar um relê que será acionado por sistema semelhante.

Hoje trabalharemos na protoboard.

Edu

Rogério

 Estou na busca por entender também. Não é exatamente a minha praia, mas como gosto de expandir os horizontes, estou me aventurando por aí.

Tenho a noção, mas não o conhecimento nem a prática, que vou ter agora pelo menos um gostinho. É uma área de que sempre gostei. O sonho era fazer eletrônica, mas acabei tendo que ir para a mecânica.

Edu

Bom, vamos lá. 

Algumas atualizações. Aproveitando que na última visita à marcenaria não tivemos grandes progressos, resolvi ir até lá para dar uma prensa no pessoal.

Tive uma surpresa, pois os suportes do motor já haviam sido devidamente aparados para a altura correta, ajustados com os demais componentes e com o motor devidamente fixado.

No departamento de artes, pedi para ver como ficará a imagem que foi definida para a parte dianteira. Achei que o pessoal estava meio dormindo, porque ainda não haviam definido nada. Apesar de um protesto feito aqui no fórum, escolhi esta imagem para colocar na posição da frente. Sei que o militar é um americano moderno, que o Humber é da segundona, mas está difícil achar imagens que atendam às características exigidas, então, lá vai.

Baseado nisso, a peça de MDF que vai ser colocada nesse lugar, foi enviada para usinagem fora, porque não temos broca no tamanho exigido (16 mm) e já voltou para novos testes. O processo de usinagem, produziu um efeito de levantamento nas beiradas que espero poder disfarçar.

Testes finais antes de seguir para o setor de montagem e controle.

E um dryfit de como deverá ficar com o sensor onde deverá ser fixado.

Por trás.

Bom, a próxima visita será no laboratório de eletrônica para acompanharmos o andamento do sistema de alimentação do refletor grande e do relê que irá alimentar o motor.

Edu

Boa tarde amigos.

Fui ao laboratório de eletrônica para me inteirar da situação do circuito de alimentação do refletor e do motor e fiquei animado.

Em protoboard estava um teste utilizando o TIP 120; transistor que fará o serviço de encher a boca escancarada do refletor, e fazer de interruptor para o motor que utilizará alimentação em 110 V;

Este foi o circuito de teste. E esta foi a hora crítica em que saberíamos se a coisa ia funcionar ou não e de repente:

Todo mundo comemorou. O baguio foi loko.

O próximo passo será reproduzir todo o circuito em protoboard, fazendo tudo funcionar inclusive com o programa, porque no setor de layout, o desenho da placa já está em andamento.

Edu

Boa noite, turma.

Feito o teste completo, utilizando todas as funções programadas.

Somente o acionamento do relê do motor que ainda não ficou ok,  o restante das funções operando normalmente.

Uma imagem da bagunça que é um teste desses. Esse monte de fios

Vai virar isso:

 

É pagar para ver.

PS. Agora, às 22:12, um amigo me ajudou a resolver o problema do relê. Está tudo funcionando como deveria. 

Edu

Boa noite colegas

Segue o enterro.

Placas prontas.

Iniciando a montagem da placa principal, porque a menor já está pronta.

E vamos à  Interligação entre as placas.

Um dryfit de como será montada depois de pronta.

E vamos em frente. Está faltando pouco para a parte de baixo.

Depois vem a saga da tampa de vidro, que terá os fios do refletor grande embutidos.

Edu

 

Rubens, valeu.

A gente tem a coisa toda dentro da cabeça e acha que só de falar seguindo as imagens do nosso pensamento, as pessoas vão ver o mesmo que vemos. É um erro comum.

Mas, como você disse, agora que está se materializando, fica mais claro.

Então, abaixo um pouco das tripas do monstro.

Ou isso.

Fixei umas tomadinhas nas pontas dos fios dos refletores e já os coloquei em definitivo na tampa com espelho, porque as tomadas não passam pelos furos, então daí espero que não saiam mais.

Já fiz a gravação da placa do arduíno com o programa que havia sido testado, e já fiz novo teste na nova placa , para ver se ficou tudo em ordem. Ficou completamente operacional.

Aí a barrigada completa, menos o motor.

Como esta parte já está quase pronta, fixei a tampa com espelho na parte de baixo em definitivo.

Os refletores ainda não estão posicionados em direção ao centro, mas é um detalhe final, porque ainda tem algumas operações a serem feitas e não adianta passar o carro na frente dos bois.

Bem, estamos chegando perto da segunda etapa que é a confecção da tampa em vidro.

Vai ser outro desafio. Não tão grande, mas tem alguns detalhes que darão muito trabalho e tem muita coisa que pode dar errado.

Estou me referindo, mais precisamente, ao posicionamento e fixação do refletor grande, que vai ficar suspenso na parte de cima do vidro e tenho que fazer os fios dele correrem pelos cantos, principalmente sem aparecer, e entrarem dentro dessa estrutura inferior para serem ligados na placa de controle.

Vamos ver.

 

Edu

Boa tarde amigos.

Seguem as atualizações do expositor.

Praticamente está pronta a base, inclusive com o acabamento na lateral superior.

A base giratória recebeu um detalhe utilizando a caneta de tinta cromo deste link abaixo, citada aqui na WK. Aliás, foi por esse link que adquiri. Muito boa. Realmente é tudo o que diz o Julian. Pelo menos durante este início. Recomendo.

https://webkits.hoop.la/topic/r...gan-toy-soldier-blog.

Mais uma.

 

 

O acabamento da parte de trás, ainda não foi colocado porque tem um pepino para descascar ali.

Como vou fazer a tampa em vidro encaixada, e nela estará o refletor grande, além disso pretendo que ela possa ser removida, tenho que prever uma tomadinha de encaixe, semelhante às que foram instaladas nos refletores pequenos, de tal maneira que ao se posicionar a tampa de vidro em seu lugar, a tomada automaticamente se encaixe também fornecendo a corrente quando for preciso.

Como a parte macho da tomada vai ficar na tampa de vidro em sua parte interna, há que se fazer um buraco para fixar a fêmea na base e vai ficar bem em cima desse acabamento. 

Como a companhia dos vidros me avisou que haveria uma tolerância nas medidas que passei para o corte, resolvi posicionar essa tomada fêmea, de acordo com a posição do macho na tampa. O que me obriga a primeiro fazer a tampa, com a tomada que vai nela posicionada, ver em que parte da base vai ter que ficar a fêmea, para daí cavar o buraco para instalá-la. E depois, fixar a parte que falta do acabamento.

Mais uma.

 

Bom, tá saindo.

 

Edu

Let's get de glass cover.

Lass uns die Glasabdeckung bekommen.

A primeira providência será demarcar onde acontecerão as operações, pois isso facilitará a confecção.

Abrindo o kit.   

As árvores. 

E a c@g@d@. Quanto às medidas, está ok. O vendedor disse que se não estivessem na medida, levar para refazer. Mas esqueci de dizer que o esquadro dos lados, também é uma medida.  

Todas devidamente mascaradas para a montagem.

Acho que só amanhã.

Edu

Bom dia, pessoal.

Atualizando a bagaça.

Projeto muito bem feito, mas a execução uma josta.

Só para ter uma ideia de como deverá ficar. Um dryfit.

Deve ficar legal, mas como dizem, o diabo mora nos detalhes.

Olhando assim, até que está bacana, mas em uma observação um pouco mais atenta, tem um monte de falhas. Algumas são aceitáveis, já que não sou profissional da área é estou fazendo para me divertir. Aí é que está, se ficar ruim além de um limite, o incômodo é maior que a diversão e aí não vale a pena.

Conclusão: desmancha tudo e começa quase tudo de novo. Só não vou tirar o refletor de onde ele está porque corro o risco de danificá-lo e aí a perda é maior que o desprazer de aceitá-lo do jeito que está. Vou dar uma melhorada nele e reprojetar de tal maneira que fique mais dentro de minhas habilidades.

Nem o Lucky boy gostou do resultado. 

Edu

 

Murilo e Rogerio

Eu fui condescendente ao tirar as fotos, meio de longe e por isso não dá muito para ver a porcalhada que ficou. Na verdade, o que não gostei foi das bordas que esperava que ficassem beeem lisas mas esqueci que na hora de colocar a fita crepe para delimitar onde deveria ficar o silicone, deveria ter colocado na ordem inversa da sequencia de retirada, assim, quando fosse tirar a fita, que deve ser retirada com o silicone ainda mole, só iria levantar a fita da área aplicada.

Nos pontos onde tem a curva, a fita da área com silicone, estava por baixo da fita da área em que ainda não tinha recebido o silicone, portanto, estragando grande parte do trabalho. Aí na hora de aplicar nessas áreas, estava sem delimitação.

Não sei se fui claro 

Uma zona. 

Como estou pensando em fazer agora: Vou alargar um pouco a faixa de aplicação do silicone, mas pintando primeiro a faixa de preto, e aplicando o silicone em uma faixa mais estreita que a da pintura, assim o que fica visível é a tinta, cuja borda dá para controlar melhor.

Vamos ver. Se não ficar bom,            (pinto tudo de preto....)

 

 

Edu

Bom dia colegas.

Para que ninguém pense que estou vagabundeando e me esqueci do projeto, vai aqui uma atualização.

Desde que eu imaginei esse expositor, eu via nas laterais cenas do equipamento exposto, no caso, o Humber. Daí resolvi pesquisar imagens na net e compô-las de forma a ter elementos visuais para as laterais da parte em madeira e vidro.

Na madeira da frente, onde há o sensor de distância, irá aquela imagem do soldado americano; moderno mesmo, ainda que não tenha nada a ver com o Humber. Não encontrei nada melhor e ainda por cima, toda a furação e locação da placa interna do sensor, foi baseada nela.

Nas laterais da madeira direita e esquerda, irão as imagens abaixo que foram garimpadas e compostas conforme segue. 

A de cima do lado esquerdo e a de baixo do lado direito. Serão impressas em adesivo transparente e coladas em seus respectivos lugares.

Ao se olhar o Humber exposto, teremos ao fundo, no vidro, uma imagem que estou decidindo ainda qual será além de outra no vidro esquerdo e ainda outra no vidro direito.

Uma das funções dessas imagens internas, todas impressas em adesivo transparente, é que quem quiser observar o equipamento, o fará pela frente, que é onde está o sensor, para assim, provocar os efeitos de luz e movimento que estão programados na placa.

Gostou? Deu um pouquinho de trabalho. Foi feito no Corel.

Edu

Valeu Rogerio.

Então, já decompus aquela tampa em fatores primos, e recomecei com as marcações para primeiro, pintar uma faixa preta, agora, com 7 mm de largura ao invés dos 3 mm que havia deixado anteriormente.

Aí vamos reiniciar a montagem possivelmente utilizando o silicone transparente, caso não consiga bom resultado com esse preto.

Depois de montada a tampa, automaticamente fica definida a posição da tomadinha macho que leva energia ao refletor grande; com base nessa posição, definiremos a posição da tomadinha fêmea na base de madeira, terminamos o acabamento, e depois é aplicar as imagens nos devidos lugares.

Simples...

Edu

Bom dia amigos;

Como disse, não gostei do acabamento que havia deixado na primeira tentativa da tampa e acabei por desmanchá-la, Nota em acabamento 5. Inaceitável.

Optei por fazer as faixas pretas pintadas, antes de montar a caixa e agora a nota em acabamento foi para 9,5 o que é aceitável. As bordas ficaram mais lisas e as curvas praticamente sem emendas, porque além de usar durex ao invés de fita crepe, nas máscaras, fiz as retas e curvas uma única peça quando da vez anterior, as curvas eram peças separadas.

Não tiraram nota maior por causa desses pequenos dentes entre as curvas  e retas, provocados pela ação da lâmina de corte. Escolhi as melhores, mas mesmo assim, um pouquinho ficou.

Vejam o porquê da nota 5 no caso anterior. Realmente inaceitável.

Estou aqui matutando se não é melhor aplicar as imagens antes de montar ou se arrisco a uma trabalheira bem maior para tentar aplicá-las depois de montado.

Por exemplo, esta será a imagem do vidro que fica ao fundo.

Edu

Boa tarde amigos.

Pode ser que eu tenha feito nova bobagem. Mas vou em frente. Se tiver feito, sem problemas, sou brasileiro e não desisto nunca.

Acontece que eu utilizei tinta acrílica no vidro e depois descobri que a tinta serigráfica vinílica dá uma boa aderência, e eu tenho a bendita.

Para não ter que refazer todo o mascaramento outra vez, vou arriscar perder não só o mascaramento como tudo o mais que eu fizer daqui para frente.

Edu

Boa tarde colegas.

Segue a parte mais delicada dessa nova etapa, a montagem.

Decidi aplicar as imagens antes da montagem, porque ficaria meio apertado pra fazer isso depois de pronto. Poderia colocá-las pelo lado de fora, mas a tinta ficaria desprotegida das intempéries, o que reduziria, em muito, a sua vida útil.

Outro ponto delicado que estou estudando como ficar bom, é o embutir os fios do refletor grande nas junções, dentro do silicone, de forma que não fique aparente.

Isso porque o fio é meio grosso, por causa de serem 5 refletores e a corrente ser a soma da corrente de cada um, em razão disso, ele é meio teimoso, a tentativa de torce-lo é meio inútil. Ele meio que faz o que quer. Estou estudando uma solução.

 

Tem mais uma lateral com imagem também, a lateral esquerda.

 

Claro que o vidro da frente não terá imagem, não nele inteiro, já que a imagem que vai na madeira em baixo, avança um pouco na parte inferior dele.

Vamo junto. Tá acabando.

Edu

Bom dia cavalheiros.

Creio que encaminhei uma solução para o problema do fio, reduzindo sua quantidade ao menor submúltiplo usando um tubinho termo retrátil.

Ficou mais fácil de lidar, antes cada perna do fio ia para um lado, eram dois problemas, agora virou um problema só. 

Fio embutido com sucesso na primeira parte e pronto para as segunda e terceira partes. Aí vai chegar no ponto difícil que é o posicionamento da tomadinha que vai ficar na ponta. Vamos chegar lá, sem stress.

Edu

É Rogerio, ainda faltam algumas fases que exigem um certo cuidado, mas está caminhando. Um dryfit;

Tem informação visual demais na foto, porque além do expositor, tem todo o ambiente contribuindo. Não gostei muito não.

Vou escolher um outro lugar da próxima vez. É que eu não queria me preocupar com iluminação, utilizando a luz natural.

O Humber está meio cambeta porque o suporte não está encaixado no eixo; a tampa inferior com todos os componentes não está instalada.

Next step.

Edu

E aí pessoal, boa tarde.

Logo agora que estamos entrando em uma das retas finais, a coisa apertou e não tenho tido tempo para atualizar e nem desenvolver a parte final do projeto.

De qualquer maneira, um pouco está saindo, o acabamento que vai fazer um tipo de uma guia para a tampa de vidro já está em andamento e o alojamento onde vou colocar a tomadinha de comunicação com a parte de baixo onde se encontra a placa de controle  também.

Uma mais escura, sem flash

e o alojamento da tomadinha.

Teremos ainda os acabamentos externos da base de madeira e, é claro, um video de teste do sistema em funcionamento.

Uma triste notícia para mim, pelo menos, um dos refletores teve seu led quase arrancado. Vou tentar consertar, mas se não tiver jeito, vou ter que fazer outro do zero. Espero que não.

Edu

Boa noite aos amigos.

Fico feliz (e aliviado) em dizer que consegui consertar o refletor que eu havia detonado. Testado e aprovado. Pelo menos, não será mais uma semana para confeccionar outro.

Resolvi trabalhar na tomadinha da tampa e estou gostando do resultado.

Apesar de a foto não ter ficado no foco, é a única que tenho que dá a ideia exata do que será a tomadinha por dentro.

 

Para ajudar na fixação e centralização dos pinos, fiz uma peça em poliestireno que deverá resolver a questão, além de dar um formato definitivo a ela (tomada).

E então surgiu a questão de como fixa-la. Na região em que ela vai ficar presa ao vidro, retirei a imagem para deixar direto no vidro e não correr o risco de a imagem soltar, arrastando junto a tomada.

Aí é encher de silicone e grudar tudo no vidro.

Aproveitando para recobrir alguns pontos da tinta preta das bordas que saíram. 

Agora, depois que estiver sólido o silicone, vou colocar a tampa sobre a base de madeira para determinar exatamente em que ponto devo fazer a cava e fixar a fêmea dessa tomada.

Em tempo: resolvi retirar todos os refletores para reinstala-los somente no final. Vai ser um trabalhinho a mais mas é melhor que ter que refazer um ou mais deles. Eu ma achava desastrado, mas a minha mulher diz que eu sou é meio bruto mesmo. Estive pensando bem e acredito que ela está certa.....

Edu

Boa tarde amigos. Para vocês pelo menos.

Esse projeto, agora no final, resolveu dar tanto problema, que mal tenho tido tempo de avançar. 

Tô parecendo caranguejo, um passo para frente e dois para trás.

Para terminar, a  última é que ao ligar o arduíno pela USB do computador, funciona tudo como devia, mas ao alimentar pela tomada do 110, o relê do motor não ativa quando deveria.

Aí me enchi o saco e vou esperar esvaziar para retomar.

Uma foto de como ficou a tomadinha que leva energia para o refletor grande.

Ficou muito bom.

Aqui só a fêmea, faltando acabamento;

Depois de fechado e testado, todos os refletores ficaram operando como esperado, só o bendito motor que disse que se ligar ele no 110 não vai querer trabalhar. 

Na verdade eu não escuto o relê ativar quando deveria, como acontece quando o arduíno está alimentado pela USB.

Ainda vou descobrir o que é.

Edu

Boa tarde amigos.

Demorei um pouco porque precisava de um tempo para comprar uma nova fonte de 5V mas com uma capacidade um pouco maior que a primeira.

Segundo os dados que vem marcados, a antiga é uma fonte de 1,2 A e achei que não estava dando conta de tudo (quatro refletores pequenos, o grande com 5 leds e mais o acionamento do relê do motor.

Apostei nisso e comprei uma outra de 2A e fiz uma ligação tosca com jacarés, para não ir trucidando a caixinha dela e depois ficar como a outra.

Dessa vez ouvi o relê acionar. Mas....  o motor não quis ligar.

Toca nois examinar o que está causando.

Assim que tiver novidades volto de novo.

Edu

Então,

Bom dia a todos.

Quando a encheção de saco começa a ficar maior que o prazer, é hora de repensar.

Se há algo que me deixa mais puto do que não dar certo, é ter que ficar refazendo coisas prontas.

Ontem no momento de fazer os testes para a movimentação do motor, acabei tendo que testar o sensor de distância, que ficou indicando zero o tempo todo.

Não sei se deu problema ou não e, me desculpem, mas não vou checar ou resolver o problema agora não.

Resolvi terminar o que faltava, que basicamente eram os acabamentos externos na base de madeira.

Vou pegar um prego, bem grosso, furar o meu saco, esperar uns dias para esvaziar, depois talvez pesquise mais, troque o sensor e refaça os testes.

Aí, estando tudo bem, faço o famigerado vídeo com a operação da bagaça.

O que ainda quero fazer, antes dessa fase de descompressão, é tirar umas fotos melhores, verificando as condições de luz.

Edu

Rogerio

Valeu, amigo. Realmente pensando aqui com meus botões o que eu preciso fazer, deverá ser dar alguns passos para trás;

Desmontar o sensor de distância e fazer um teste de banca nele para ver se pifou ou alguma outra coisa aconteceu.

O problema é que eu não esperava ter esse tipo de problema tão cedo e a fixação do dito cujo foi feita meio definitiva e vai exigir um certo grau de invasão no que já está pronto. Sem contar o risco de fazer alguma besteira e estragar mais coisas do que consertar. Aí sim, não vai prestar;

O saco já está esvaziando.

Mais um pouco creio ser possível fazer isso;

Edu

Bom, desculpe aí se alguém esperava a continuidade deste tópico.

Eu me engalfinhei com um problema de ordem profissional e somente hoje consegui dar o contragolpe. Agora estou vendo a luz no fim do buraco.

Creio que mais uns dias posso voltar a esse caso e desvendá-lo finalmente.

Fazer funcionar. Tenho um sério problema com assuntos inacabados. Não me deixam em paz.

 

Edu

Bom dia amigos.

Como disse, tenho uma séria compulsão a não deixar assuntos inacabados e agora como terminei minha peleja com um assunto profissional, eis-me aqui novamente em um novo assalto desse luta.

Desmontei quase tudo, e descobri duas coisas; a primeira é que o cabo entre o sensor e a placa estava deteriorado o que fazia com que o sensor não operasse.

Seria muito bom se fosse só isso. Depois de muitos testes, descobri (não fui bem eu, um amigo que é da área de eletrônica quem descobriu, mas eu ajudei) que a fonte que estou usando tem que ser de 6V e não de 5V porque não consigo saturar o transistor que alimenta o relê do motor.

Conclusão: fiz um novo cabo para o sensor, testei com uma fonte regulável que tenho por aqui e funcionou corretamente.

Amanhã comprarei uma fonte de 6V que será trocada pela de 5V, aí farei os testes, espero, finais.

Se não aparecerem novos entraves, essa batalha será ganha.

Edu

Boa noite amigos.

Atualizando a saga; bom, quase tudo o que podia dar errado, deu.

A nova fonte, é ligeiramente maior que a anterior. Abaixo a foto com as duas para se ter uma noção do que estou falando.

Este dissipador no canto esquerdo em formato de "L" ao contrário, tem a altura limite para pegar na tampa do conjunto montado, o que fez com que não pudesse colocar um suporte em baixo para prendê-lo. Acabei colocando dois pedaços de fita dupla face daquelas grossas para fixar a placa de circuito da fonte, à minha tampa inferior (meia boca, é claro).

Como o processo de corrosão da placa principal ficou meio prejudicado, porque a fase de gravação das trilhas deu exposição em excesso, acabou que para terminar a corrosão, algumas partes deu over etching o que deixou várias trilhas meio carcomidas.

Aí durante  o processo de solda e montagem, o deslocamento dos fios forçando todo o conjunto, causou rompimento de trilhas, em pontos nem sempre visíveis, obrigando a desmontagens frequentes, testes intermináveis até a localização do problema, recuperação do ponto quebrado, montagem (com stress do conjunto novamente) e assim por diante. A alternativa seria a confecção de uma nova placa, mas a essa altura do campeonato, quero mais é terminar mesmo.

Enfim depois de o cachorro correr atrás do rabo um montão de tempo, eis que finalmente consegui montar o conjunto e deixá-lo funcional.

Até que alguém me dê uma esclarecida de como postar videos da forma correta aqui no site, segue abaixo o link do teste que fiz do conjunto.

https://youtu.be/rpvOqmtozWs

Como eu disse, o sensor de distância por ultrassom tem a característica de funcionar com sinais perpendiculares ao plano de emissão e uma pessoa em frente, não fornece essa condição a todo momento, o que faz com que em alguns instantes, ele mude o comportamento sem que a condição real ocorra, mas dá para notar as diversas condições em função da distância.

Não vejo a hora de ir para o próximo desafio.

 Grato a todos os que tiveram a paciência e a boa vontade de vir dar uma olhada.

Edu

Incluir Resposta

Curtidas (0)
×
×
×
×