hoje em 21 05 2019 INFELIZMENTE ao passar  pelo loja  HORIGINAL em  são paulo, entrei e  encontrei o ze  ricardo  embalando  os  produtos ,  prateleiras  vazias...perguntei se  ele  estava se  mudando  ou iria  passar  para  loja  virtual...infelizmente não, esta  fechando  mesmo, repassando  alguns  produtos  para  outras  lojas...ele  pensa  em  se  mudar para  distante  parte do brasil.....   dei um abraço de desejo de boa  sorte  (é  deu  vontade de chorar  mesmo)para  ele em  qualquer que seja seu novo empreendimento.....  conheço  a  loja desde  meus  tempos  longinquos de  ensino medio - fiz  o colegio oswaldo  cruz , la  no inicio da avenida  angelica,  perto da  praça  da republica em são paulo (é  eu tinha  uns  13- 14  anos de  idade......  de  la  muitas  vezes  dava  um  pulinho  a  pe  mesmo  no  antigo endereço da rua  canuto do val....... como um  bom  estudante  duro muito pouco podia  comprar...mas é  inegável  que ao longo destes  40  anos de  conhecimento  uma  grande  parte da minha  kit catacumba  veio de lá.... mesmo com posterior  mudança de endereço para mais proximo do metro santa  cecilia..... uma pena pois  conheço o ze  desde a  época  que  ele  não tinha barba...nem  tatuagem  nenhuma e era  mais  baixinho do que   eu (tenho 54 anos agora)........infellizmente  outro ponto se  vai  onde  também tive prazer  do contato  com  outros  modelistas  e colegas,,,,,,   dificil  exlicar o que é entrar  numa  loja  fisica , cheirar  o cheiro de  kits...apalpá-los,..comprar a quela  mosca  morta  ou levar  filhos  pra conhecer (e  induzi-los ao plastivicio digo plastimodelismo).....

agradeçemos ao  empenho e  a  maneira  fisica de   sustentar  nossos  sonhos  ou vicio se  quiserem ....boa sorte  a todos  da  horiginal,  donos, funcionarios professores  e colegas....quem sabe  um ate  mais  em  alguma  exposição ...plastiresiabços .... paulo renato morgado  sp - sp  

Nota da moderação: alterei o título do tópico em razão do rumo que a discussão tomou.

Original Post

Lamentável, mas isto esta ocorrendo mundo afora, aqui é mais complicado em razão do peso dos impostos, taxas, fiscalização, etc.  Só quem investir em loja virtual e vendas pela internet poderá passar pelas mudanças, e aqui na terrinha são raras as lojas com uma boa e competente página na net. Penso que apoiar as competentes comprando e fazendo negócios é a nossa forma de estimular o hobby.

Por  mais triste que seja, o fato é que o comércio virtual está estrangulando as lojas físicas. Lamento porque lojas físicas são pontos de encontro de modelistas e a ausência delas atinge diretamente o hobby, mas o fato é que só por amor ao hobby se mantém uma loja de plasti aberta. Como amor ao hobby não paga as contas...

Isso ocorre no mundo todo, mas entendo que no Brasil é pior, dada a alta carga tributária e a insegurança do mercado, frente a um produto que é majoritariamente importado.

[   ]s

Sidney

O que me parece mais sensato é que caso se monte uma loja física, não se deixe de ter a loja virtual junto, mas ai é caso de administrar os dois sistemas.   Por aqui é difícil um sítio funcionar bem, não sei qual o motivo.  Recentemente acessei o site da Amazon e teimosamente se é redirecionado para o site local Brazil, tentei fechar a compra e só dava erro, tive que dar a volta por cima e entrar no dos EUA para conseguir fazer a compra, e olha que é uma empresa de porte.

Como sempre, quando vou a São Paulo, apareço nas lojas de modelismo para dar uma olhada. Há dois meses atrás passei na Horiginal. O jeitão era de apocalipse. Caixas de papelão pelo chão, prateleiras vazias, kits bagunçados... Uma desorganização total. A atendente, sonsa, cansada, desinteressada, só se ocupava em teclar no próprio celular. Pensei comigo mesmo: eis aqui um negócio fadado ao insucesso...

caramba.... lamentavel

 

Conheci a loja em fins de 2008, quando eles estavam trazendo kits trumpeter e hobby boss com preços da CHINA!!!! Militaria 1/35 em torno dos R$60,00 (kits antigos Trumpeter) a R$ 100,00 (novos hobby boss) era uma festa! com 200 reais trazia TRÊS KITS!!!! todo mês ia lá... por volta de 2010/2011 as prateleiras viviam lotadas, muitas novidades, listas do que estava no container aguardando liberação da RF para irmos nos programando e fazendo nossas proprias listas de compras....

 

bons tempos.....  era fácil chegar lá e perder uma hora segurando meia duzia de caixas e decidindo quais as três que iriam para casa!

 

Mesmo comprando na internet, sempre ia lá e comprava algumas coisas, pois nada era mais prazeroso do que ir lá ou na Model World (igualmente lotada de kits!) e apreciar aquele paraiso....

 

de fato nos ultimos dois anos predominaram os lotes de colecionador e logo que minguaram, há muito já não via os estoques serem repostos

 

lamentavel.

 

Agora, só restou a HTC........

Gente com o dólar acima de 4 ou um pouco abaixo, fica muto complicado comercializar este tipo de produto.

Na pratica também, uma coisa que sempre falei. Kit plastico tem um preço irreal para o que ele é, apenas plastico injetado.

Isso vai acabar matando o hobby, se os fabricantes não sacarem isso.

Antigamente, vc encontrava kit de plastimodelismos em qualquer loja de brinquedo e papelaria e a muitos anos só em loja especializada, o que foi um grande erro.

E só ver o que aconteceu com a Toys "R" Us. Fechou todas as lojas nos EUA no ano passado. Eu tinha ido dois meses antes em duas lojas, que estavam com pouco movimento. O erro foi não diversifica, nas lojas da Toys "R" Us, não tinha nada de modelismos de nenhum segmento.

Kits de plastimodelismo nunca deviria custas mais do que U$10,00. A margem de lucro dos fabricantes é ridícula de alta, porque vendem plastico injetado ao preço de coisa moderna.

Lembrando que se não existem kits em lojas em de brinquedos, como serão criadas as novas gerações? Já observaram que os modelistas são quase todos acima de 40 anos?

Desde os anos 90 eu tenho falado sobre o alto preço dos kit, aqui e no mundo.

Montei o meu primeiro kit com 9 anos de idade, e isso era barato e vendida em quase que qualquer lugar.

A miopia dos fabricantes vai levar a falência do hobby.

Pra finalizar, as lojas de brinquedos estão em crise no mundo, porque os jogos eletrônicos, em celulares e tablets, ganharam muito espaço e muitos pais de preguiça de brincar com seus filhos.

 

Para finalizar. todo ano eu vou aos EUA nas minhas férias e nunca vi uma loja de modelismo naquele lugar. Anos passado eu tentei ir em duas e quando cheguei em frente, as duas tinham fechado as portas.

Você anda nas ruas e nos shoppings e nada de loja de modelismo.

Abraço a todos.

Talvez sejamos os "últimos dos moicanos".

Esdras

eu sou outro que dei um tempo, vinha a 3 anos comprando mensalmente alguma coisa, uma média de 200/300 por mês, parei, os preços dos kits subiram bastante e o dólar esta nas nuvens.

estou com uma wish gigante na hannants, muitos tiragem limitada, provavelmente não comprarei, fazer o que, o negócio é montar o que tem por enquanto.

Eu parei a alguns anos também, mas o motivo principal, foi que: Não tinha mais onde colocar e eu tinha uns 100 aviões guardados em caixas.

Agora eu estou preparando um apartamento meu que estava vazio, para ser meu storage e também já estou colocando áreas para colocar todos os meus aviões montados. Quem sabe assim eu possa me animar a voltar a montar, tendo onde expor meus aviões montados.

Existem as fases em que estamos com um "vibe" mais forte para o hobby, mas continuo gostando muito.

Volto a dizer. Se os fabricantes não mudarem de ideia em relação a preços, o hobby vai morrer, porque não tem jovem montando isso não.

Mesmo nos EUA, os preços não são convidativos.

 

Sds,. Esdras

 

Colegas,
 
É uma pena, mas confesso que desde que mudaram para loja atual, nunca encontrei nada muito especial para comprar.
 
Faço Militaria 1/35 e na última vez que passei por lá, creio que no começo do ano, tinha muita pouca coisa deste tema, de fato acho que o total de 1/35 na loja era menor do que tenho em casa na caixa. No mesmo dia passei também na HTC e mesmo sem grandes novidades, comprei dois kits 
 
Nos tempos do subsolo da Canuto do Val comprei muita coisa lá, depois com a vinda dos Trumpeter e AFVs mais ainda, especialmente quando mudaram para aquela loja no nível da rua, que se não me engano era uma locadora.
 
Mas realmente, manter uma loja física de modelismo no Brasil deve ser uma grande aventura, ainda mais nos tempos de hoje, com preços tão salgados.
 
Há alguns anos a ModelWorld seguiu praticamente o mesmo caminho, creio que a HTC se sustenta mais por oferecer outras linhas de produtos, como diecasts, quebra cabeças e afins. Pouco antes foi a Laura.
 
Me desculpem mas não me recordo de outras lojas físicas maiores em atividade aqui em SP, a Colecionáveis talvez?
 
Provavelmente quem não diversificar ou focar demais em algo igualmente limitado, como ferreomodelismo ou R/C, ficará economicamente inviável.
 
Realmente é lamentável, só me resta agradecer pelos bons momentos que passei lá e desejar todo sucesso ao pessoal do HO, em suas futuras empreitadas.
 
PlastiAbraços

É uma pena que o empreendimento tenha terminado depois de tanto anos. Junte os altos impostos, mais os custos de lojista e a facilidade em comprar produtos importados com menor preço, e tenha a formula perfeita para o fechamento de portas. O Zé até conseguia vender algo pelo grupo do whatsapp. Mas parece que mesmo assim, era dificil pra ele. 

Realmente com o dólar a R$ 4,20 fica muito difícil você se manter. Temos um fisco faminto, uma política protecionista atrasada que diz que isso é um brinquedo para efeitos de taxação e proteção de mercado. Além disso junte o fato de termos nossas legislações comercial e tributária tremendamente confusas mais uma carga pesadíssimas de encargos sociais.

Como desgraça pouca é bobagem, a internet vem dizimando as lojas físicas. Não só as lojas de modelismo, mas outras atividades também. Minha mulher é (ou era) Agente de Viagens. Muitas agências de viagens que ela conhecia aqui em Brasília estão fechando as portas, graças ao Kayak, Trivago e Decolar da vida.

Realmente o modelismo  no Brasil corre o risco de extinção...

 

 

Que triste noticia! Eu conhecia a HO desde a loja no subsolo, que era fantastica, eu me lembro de quando fui a primeira vez, deveria ter uns 9/10 anos, meu pai e eu ficamos sabendo da loja e fomos lá e eu fiquei maravilhado com a quantidade de kits que tinha, sai de lá com um kit e sempre insistia para voltar lá. Depois de anos sem montar, voltei lá e a loja já estava no andar terreo, e mesmo assim ainda tinha uma boa quantidade de kits e insumos. Mas infelizmente como muitos já pontuaram aqui, o Plastimodelismo está fadado ao ostracismo e infelizmente esse hobby deixará de existir em um futuro não muito distante.

Hoje o valor dos kits é elevado, melhoraram de qualidade (isso não tem nem o que dizer) e isso custa, e muito, pesquisas, desenvolvimento, etc... Sempre foi o desejo de muitos modelistas de kits perfeitos, e hoje essa realidade está batendo a nossa porta, mas está cobrando alto por isso. Mas também tem gente que super valoriza kit de moldes de mais de 40, 50 anos, como pode vender o spit da revell a mais de R$100? Esse molde já se pagou a muito tempo, o preço deveria cair e assim tentar dar sobrevida aos vendedores.

Após o fechamento da ModelWorld (outra loja fantástica), agora a HO...

 

é Srs, infelizmente esse hobby vai desaparecer com o tempo ou se tornar inviável financeiramente para a maioria (que já é inviável hoje para a maior parte da população).

Estou parado com as montagens tem alguns anos, mais por não ter onde colocar os kits depois de montados, e tenho muitas caixas tomando pó... acho que vou guarda-las para que no futuro eu me lembre do quanto eu era feliz com esse hobby....

Fiquei triste demais com essa noticia!

Desejo muito sucesso ao Zé e a toda familia HOriginal e agradeço a eles pelas alegrias que me fizeram passar todos esses anos!

Só acho que o custo de desenvolvimento dos kits com as ferramentas de hoje, é algo ridiculamente barato e não justifica os preços atuais.

Um kit chega a custas o mesmo que um aeromodelo elétrico completo e na pratica é somente plastico injetado.

Se fizermos uma pesquisa aqui neste site que eu frequento a mais de 12 anos. Quem aqui hoje tem menos de 40 anos? Provavelmente poucos e serão raros com menos de 30 anos.

Quem vai comprar kit plastico daqui a 10 anos, sendo que não se investe em nova geração e os preços frente a outros produtos é ridiculamente caro?

Vamos ser realistas, nosso hobby está virando hobby de velho. Mas eu não queria que fosse assim e gostaria muito de ver estes kit sendo vendidos com facilidade como eram no passado.

Me lembro quando eu tinha uns 10 anos de idade, os kits era vendidos em qualquer papelaria boa e não precisava de muita grana.

Sou uma pessoa que trabalha em uma multinacional, justamente na área comercial, e gosto muito de estudar tendencias e história industrial.

Os fabricantes de plastimodelismo, cultivam a morte do hobby para um futuro que  eu diria que no máximo em 12 anos.

Esdras

 

Edveras posted:

Vai no Japão e vc tem lojas e mais lojas. Vai na Europa e vc vê as associações a pleno vapor.  

Não sei como estão agora, mas em Atenas tinha algo emblemático: uma rua  com três lojas em menos de 100, inclusive com uma de frente para outra (acho que Fasma Models e Plastimodellismo) e mesmo na crise de 2015 estavam repletas de novidades.

Minha modesta impressão é que a novidade é que movimenta esse mercado, mas para o lojista brasileiro, com câmbio desfavorável, impostos e taxações infinitas fica muito difícil trazer novidades a toda hora, com o risco da mercadoria encalhar porque ninguém vai pagar o preço e aí a movimentação vai estagnando, estagnando, estagnando até que não vale mais a pena por conta dos custos fixos.

Felipe C. Miranda posted:
Anderson Salafia posted:

 

Agora, só restou a HTC........

Que também anda sem novidades...

Bom, de certo modo eles tem sempre mantido um "padrão" ao longo dessa ultima década (retomei com força o hobby em 2009, quando peguei firme e passei de "colador de peças" para algo mais elaborado) um estoque até que razoavel para nossa realidade, com opções, ainda que limitadas em variedade e fabricantes, mas ainda assim é dificil sair de lá sem algo, embora o foco seja AVIAÇÃO (Já na HOriginal era possivel ter mais militaria e na já finada Model World havia ambos e muitos acessórios!).

quando a MW e a HO estavam a "pleno vapor", era muito raro eu ir na HTC pois montava mais militaria mas agora... só restou lá, ou lojas on-line

Esdras posted:

Gente com o dólar acima de 4 ou um pouco abaixo, fica muto complicado comercializar este tipo de produto.

Na pratica também, uma coisa que sempre falei. Kit plastico tem um preço irreal para o que ele é, apenas plastico injetado.

Isso vai acabar matando o hobby, se os fabricantes não sacarem isso.

Antigamente, vc encontrava kit de plastimodelismos em qualquer loja de brinquedo e papelaria e a muitos anos só em loja especializada, o que foi um grande erro.

E só ver o que aconteceu com a Toys "R" Us. Fechou todas as lojas nos EUA no ano passado. Eu tinha ido dois meses antes em duas lojas, que estavam com pouco movimento. O erro foi não diversifica, nas lojas da Toys "R" Us, não tinha nada de modelismos de nenhum segmento.

Kits de plastimodelismo nunca deviria custas mais do que U$10,00. A margem de lucro dos fabricantes é ridícula de alta, porque vendem plastico injetado ao preço de coisa moderna.

Lembrando que se não existem kits em lojas em de brinquedos, como serão criadas as novas gerações? Já observaram que os modelistas são quase todos acima de 40 anos?

Desde os anos 90 eu tenho falado sobre o alto preço dos kit, aqui e no mundo.

Montei o meu primeiro kit com 9 anos de idade, e isso era barato e vendida em quase que qualquer lugar.

A miopia dos fabricantes vai levar a falência do hobby.

Pra finalizar, as lojas de brinquedos estão em crise no mundo, porque os jogos eletrônicos, em celulares e tablets, ganharam muito espaço e muitos pais de preguiça de brincar com seus filhos.

 

Para finalizar. todo ano eu vou aos EUA nas minhas férias e nunca vi uma loja de modelismo naquele lugar. Anos passado eu tentei ir em duas e quando cheguei em frente, as duas tinham fechado as portas.

Você anda nas ruas e nos shoppings e nada de loja de modelismo.

Abraço a todos.

Talvez sejamos os "últimos dos moicanos".

Esdras

Esses são dois pontos que me preocupam!!

 

Primeiro o de que não há foco dos fabricantes nos "jovens coladores de peças" como fomos um dia quando criança!!!!  Nesse sentido me preocupa o que a Airfix vem fazendo com aqueles "kits" que parecem um "lego"... OK, eles sacaram um meio de ampliarem a clientela mas....  e kits plasticos "tradicionais" para os mais novos????

 

Outro ponto que certamente vai desestimular muitos dos "dinossauros", ainda mais aqui, é o ELEVADO PREÇO!!! Um kit militaria novo custa de 35 dollares PRA CIMA!!!! proibitivo!!!!  muitas peças... muito caro...... enfim... vai estreitar ainda mais o nicho!

 

No final penso que estão fazendo kits focados no que o consumidor local (China/Japão) preferem e se esquecem do "resto do mundo"....

 

 

 

Voltei a montar depois de muito tempo parado. Passei a comprar alguns kits quando ia nos encontros do GPC Campinas.

Mas quando eu comecei, nos anos 70, eu comprava kits da Revell no supermercado. Era no Eldorado aqui de Campinas. Era muito fácil conhecer e começar o hobby.

Hoje, não temos quase nada em termos de lojas físicas, infelizmente. Cheguei a ir a SP algumas vezes com a desculpa para levar minha filha no Shopping Higienópolis, porque tinha umas lojas que ela gostava lá, só para passar na Hobby Trade Center. E como a turma aqui sempre diz, nunca saía da loja sem comprar algo. Fico triste com uma notícia destas.

Espero que continuemos firmes em grupos como este, pois foi aqui, lendo os comentários e todas as dicas, que me encorajei a montar novamente. 

vonpaulus posted:

Minha modesta impressão é que a novidade é que movimenta esse mercado, mas para o lojista brasileiro, com câmbio desfavorável, impostos e taxações infinitas fica muito difícil trazer novidades a toda hora, com o risco da mercadoria encalhar porque ninguém vai pagar o preço e aí a movimentação vai estagnando, estagnando, estagnando até que não vale mais a pena por conta dos custos fixos.
 

Exatamente.  Quem pode viver vendendo sempre as mesmas coisas é quem vende comida.  Uma padaria pode passar sua existencia inteira vendendo pão, um restaurante pode ter sempre o mesmo cardápio.  Mas no modelismo, sem novidades, ninguém faz dinheiro...  Mas ter sempre novidade implica em gastar muito dinheiro.

A Zveada  apenas defendeu o peixe dela com alta margem de lucro. Desenvolver plastimodelismo é tecnologia ultrapassada e existem programas que fazem isso.

Os fabricantes sempre enganaram o mercado com esse papo de desenvolvimento.

Como que isso era barato nos anos 70 e 80? Hoje temos tecnologia para fazer isso com o pé nas costas.

Na boa. Trabalho na industria a 29 anos e isso nunca sai caro.

esquecem de outro fator, a ganância, não é regra mas basta dar uma conferida e vera a absurda diferença de preços.

o cara monta uma lj de venda de produtos para "hobby" e acha que pode arrancar o couro, não digo que seja o caso da horiginal, mas uma boa parcela...

em Curitiba no inicio do hobby eu visitava duas ljs normalmente, a lima e a arte modelismo, chegava ao absurdo de ser a metade do preço na segunda, então dizer o que.

Esdras posted:

Eu tive posts que sumiram também neste tópico.

Sinto muito pessoal, foi um engano. Havia alertas na moderação sobre algumas mensagens. Eu vi que estes alertas haviam sido enviados por engano e apaguei - achei que estava apagando apenas o alerta, mas pelo jeito apagou a mensagem junto.

Sobre a Zvezda: o custo de um kit de militaria da Zevzda novo, de lojas russas/ucranianas, é de cerca de 20 dólares. Acabei de comprar o Su-100 no Ebay de um vendedor russo e custou R$ 116,00, com envio incluso.

Olha aqui um exemplo:

Então não sei se é carga tributária, margem de lucro ou o que, mas os preços da última lista de kits Zvezda que eu vi a venda aqui no Brasil não dá para encarar.

Sidney 

 

Attachments

Fotos (1)

O custo de uma loja física é muito alto e me parece que o faturamento não cobre os custosa em boa parte dos casos.  Aqui onde moro a cada mês vejo uma loja fechada, não de modelismo mas de Roupas, perfumes, lanchonetes, etc. 
A carga tributária, burocracia, encargos trabalhistas, aluguel são muito altos e é muito mais compensador e seguro investir no e-commerce. O dólar acima de R$4,00 também é um fator e encarece demais os importados.

Pra quem tem loja física penso que a solução seja diversificar de forma a ter um leque maior de clientes.

Wolf posted:

Interessante notar que a Receita Federal já detectou faz um tempo a ascensão do comércio por outras vias, dai que os Correios vem exigindo o preenchimento de uma guia para qualquer tipo de despacho. Claro que devem monitorar o fluxo (E)comercial não formal...

Esse negócio dos Correios serem obrigados a exigir nota tem um pouco a ver com a grita das transportadoras, pq elas são obrigadas a exigir nota e os Correios enviavam sem.

 

Uma coisa que F... o comércio e não vi ninguém citar são os bancos. Tive uma loja de aquários, que é um inferno igual plast, um mix gigante de produtos, maioria importada e cara.

A clientela queria ver a loja lotada de opções, mas os prazos para pagamento nos fornecedores eram impraticáveis, variavam entre 7 e 45 dias. Tu não consegue rodar o estoque nesse tempo. Aí cai na mão dos bancos. Chega uma hora que tu ta trabalhando pra pagar banco.

 

O Walmart decidiu encerrar o atendimento via Ecommerce, agora apenas nas lojas físicas, por que será??

De qualquer forma o governo tem que alimentar o seu saco sem fundo, e os bancos são o seu grande sócio. Os bancos brasileiros cobram o maior juro do mundo e pagam os impostos do lucro absurdo ao governo, acham que o governo tem interesse em intervir?

Esdras posted:

Gente com o dólar acima de 4 ou um pouco abaixo, fica muto complicado comercializar este tipo de produto.

Na pratica também, uma coisa que sempre falei. Kit plastico tem um preço irreal para o que ele é, apenas plastico injetado.

Isso vai acabar matando o hobby, se os fabricantes não sacarem isso.

Antigamente, vc encontrava kit de plastimodelismos em qualquer loja de brinquedo e papelaria e a muitos anos só em loja especializada, o que foi um grande erro.

E só ver o que aconteceu com a Toys "R" Us. Fechou todas as lojas nos EUA no ano passado. Eu tinha ido dois meses antes em duas lojas, que estavam com pouco movimento. O erro foi não diversifica, nas lojas da Toys "R" Us, não tinha nada de modelismos de nenhum segmento.

Kits de plastimodelismo nunca deviria custas mais do que U$10,00. A margem de lucro dos fabricantes é ridícula de alta, porque vendem plastico injetado ao preço de coisa moderna.

Lembrando que se não existem kits em lojas em de brinquedos, como serão criadas as novas gerações? Já observaram que os modelistas são quase todos acima de 40 anos?

Desde os anos 90 eu tenho falado sobre o alto preço dos kit, aqui e no mundo.

Montei o meu primeiro kit com 9 anos de idade, e isso era barato e vendida em quase que qualquer lugar.

A miopia dos fabricantes vai levar a falência do hobby.

Pra finalizar, as lojas de brinquedos estão em crise no mundo, porque os jogos eletrônicos, em celulares e tablets, ganharam muito espaço e muitos pais de preguiça de brincar com seus filhos.

 

Para finalizar. todo ano eu vou aos EUA nas minhas férias e nunca vi uma loja de modelismo naquele lugar. Anos passado eu tentei ir em duas e quando cheguei em frente, as duas tinham fechado as portas.

Você anda nas ruas e nos shoppings e nada de loja de modelismo.

Abraço a todos.

Talvez sejamos os "últimos dos moicanos".

Esdras

Confesso que este foi um dos principais motivos para eu parar de vez. Os últimos kits que comprei, de carros, foram vendidos sem eu nem tocar em nada: os diecasts melhoraram muito de qualidade e custam menos do que um kit, o que é completamente irreal, visto que, como você mesmo apontou, é só plástico injetado, não havendo sequer despesa para montagem do produto final (visto serem kits).

Quanto a HOriginal, frequentei muito no passado e sinceramente, achei que já tinham fechado. Uma pena, mas acho que é o que vai acontecer com todas as lojas do ramo, até mesmo fora do país.

Esdras,

Concordo parcialmente com seu ponto de vista porque apesar de ser plastico injetado nao podemos esquecer que o custo desse material hj eh mais caro que foi ha 30 anos. O custo de se fazer um molde de injecao da mesma forma e como um kit novo depende de uma tiragem de X unidades a sere colocadas no mercado o preco sobe.

HJ vivo nos EUA e ja fui em dezenas de lojas de modelismo aqui que seguem em atividade porque possuem produtos diversos como ferreo, plasti, RC, drones etc garantido uma boa clientela. Nesse pais, pela propria cultura militar, sempre vejo nas lojas clientes da mais variada faixa etaria. Temos ate uma franquia aqui chamada Hobbytown USA espalhada por todo territorio americano assim como lojas de artesanato como a HobbyLobby, Michaels e Jo-Ann, tendo secoes dedicadas ao plastimodelismo.

No nosso pais infelizmente a carga tributaria gigantesca e o dolar a 4 Reais torna o hobby elitizado e proibitivo e some a isso a falta de interesse da nova geracao preterindo o hobby a videogames e celulares entao como eu havia comentado em um grupo de plasti de Whatsapp, somos dinossauros aguardando a chegada do meteoro para nossa extincao.

Wolf posted:

O Walmart decidiu encerrar o atendimento via Ecommerce, agora apenas nas lojas físicas, por que será??

De qualquer forma o governo tem que alimentar o seu saco sem fundo, e os bancos são o seu grande sócio. Os bancos brasileiros cobram o maior juro do mundo e pagam os impostos do lucro absurdo ao governo, acham que o governo tem interesse em intervir?

Wolf,

O Walmart vendeu a operação deles no Brasil para um outro grupo. As lojas seguem funcionando e provavelmente o ecommerce volta tb.


Colegas,
 
Como disse o Tomcat, ainda existem lojas físicas nos EUA dedicadas ao Hobby e não é raro encontrar alguns em lojas maiores ou temáticas afins.
 
Anos atrás vi kits "nacionais" (Revell) vendendo nas Toys"R"Us e muitas lojas de brinquedos, hoje não mais, em compensação encontrei alguns até no Wall Mart.
 
Ano passado vi pilhas de Bandai numa Game Stop (especializada em video games), muitos Star Wars (havia Revell Alemã também) e Gundams.
 
Existe ainda uma rede de lojas de ferragens (ACE Hardware) onde alguns endereços tem uma parte dedicada ao plasti, férreo e outros moedelismos.
 
Havia uma loja destas fabulosa em Berkeley, perto de San Francisco, com um estoque fenomenal, bons preços e promoções. Como ela mudou e renovou todo estoque, da última vez que fui lá, estava só muito boa 
 
Vejo gente de todas as idades frequentando e comprando nestas lojas, o único ponto que chama mais a atenção é que de repente os kits "orientais" mais atuais 1/35 estão custando muito caro (entre US$ 50 e US$ 100), mas ainda tem outros temas com preços interessantes, especialmente modelos "nacionais". Vi um rapaz, comprando uma meia dúzia de automóveis 1/25, preço médio de uns US$ 20 cada!
 
Para quem ganha em dólar isto é quase uma piada, de fato, até um Tiger da RFM com interior por US$ 100 não é lá grandes coisas...
 
Lógico que muitas lojas de modelismo tem seu E-commerce ou são só E-commerce, mas isto está acontecendo com quase qualquer negócio.
 
Não sei bem como anda na Europa ou Japão, mas nos EUA me parece que ainda tem um bom mercado para isto.
 
E deve ter em outros Países, senão não apareciam tantos fabricantes lançando tantos kits.
 
PlastiAbraços
 

Já falei isso na Webkits mais de uma vez.

Fui lojista por muitos anos. Fechei em 2008. E olha que tentei diversificar ao máximo: aero, auto, ferreo, nauti e plasti. Tá certo que não peguei esta onda de loja virtual da forma como são hoje. Na época o custo de desenvolvimento era muito alto (pelo menos para os meus padrões de faturamento). No máximo tive uma página na internet como propaganda virtual. Contudo, enviei muita encomenda pelos Correios. Mesmo não sendo ganancioso (meus clientes sabiam muito bem disso), chegou num ponto que não deu mais.

Agora, quanto ao preço do hobby no Brasil, penso que não podemos nos esquecer de outro grave problema.

Na época tinha muito contato com os importadores que contavam histórias horripilantes do que se passava na alfândega, principalmente em portos. Espórtula, gorjeta, gratificação, molhadura, suborno. Não importa o nome. E quanto maior o carregamento, maior era a cara de pau da fiscalização.

É isso.

Sandro.

Tudo conspira contra o plastimodelismo (talvez não nos EUA, berço do plastimodelismo e país com uma cultura militar ímpar) aqui e na Europa e resto do mundo há vários fatores que somados esmagam cada vez mais a possibilidade de sobrevivência do plastimodelismo, por exemplo:

1. Vídeo games e jogos eletrônicos;

2. O preço do dólar e o preço dos kits e acessórios;

3. Não há nenhuma fábrica nacional/estrangeira de kits no país e, não vejo a possibilidade de instalação de uma aqui (por falta de mercado);

4. Preços de fretes e impostos absurdos;

5. País com pouca ou nenhuma cultura militar;

6. O Politicamente Correto se instalou na sociedade há anos atrás e dificilmente esta cultura irá mudar (abaixo a violência, crianças não devem ter acesso e brincar com brinquedos que remetam a idéia de violência, etc..etc...etc..). Conheci muita mãe que proibia dar de presente soldadinho, armas de brinquedo para seus filhos, inclusive proibia seus filhos de assistirem desenhos, seriados ou filmes violentos.

7. O sentimento de "imediatismo" das novas gerações. Tudo tem que acontecer na hora; o cara é trainee e acha que daqui a dois anos será gestor e mais dois anos irá virar diretor da empresa, quando percebe que daqui a quatro anos ele ainda está subindo o primeiro degrau da escada, ele desiste e procura outro emprego em outra empresa achando que aos 30 anos será CEO de alguma empresa....a paciência das novas gerações acabou, eles vivem no ritmo da internet, do youtube, nunca se encaixariam numa atividade que requer paciência, tempo, concentração e principalmente dedicação e persistência. O mundo deles é outro, é o mundo do "Já", do "agora"; imagine ficar um dia esperando a pintura secar para colar o decalque...

Este processo de "extinção" eu encaro como normal, visto que há algumas gerações atrás o interesse por brinquedos não eletrônicos e brincadeiras típicas de nossa infância foi diminuindo, e hoje é praticamente nulo (salvo raras exceções). Porém o que irá retardar este processo de extinção total do plasti, é a existência de um mercado razoável nos EUA, Europa e Sudeste Asiático, que irá demorar a se extinguir pois plastimodelismo para eles (americanos e europeus que hoje tem a nossa idade) foi como jogar botão para nós (ou brincar de autorama), é uma atividade secundária que foi sedimentada durante décadas nas gerações anteriores, o que não aconteceu por aqui; por isso eu acho que aqui no Brasil esta extinção ocorrerá primeiro que lá.

Aqui vejo os garotos que vem aqui em casa olham para a minha coleção admiram e ficam maravilhados, mas quando percebem que o buraco é mais em baixo, pois o avião ou tanque não vem montado e nem pintado, a conversa muda e o que mais ouço é: "Não ia ter paciência para fazer isso.", ou "Não vende pronto?".

Infelizmente, aqui no Brasil somos os últimos dos moicanos daqui há algumas décadas não haverá mais plastimodelismo como conhecemos e como praticamos (não querendo ser profético). 

 

 

 

Creio que sempre vai ter mercado de modelismo, mas alguns tendem a quase sumir.
Lembram do aeromodelo ucontrol? ou cabo controlado? Só sobrou velho.
Pode parecer que com a minha fala sou uma pessoa pessimista, mas o culpado disso é o próprio fabricante que não investe em vender o produto em lojas de brinquedos e outras como papelarias.

A mesma coisa eu costumo falar do Ferromodelismo, que era para ter kits a venda em muitos tipos de lojas e não tem, e olha que temos um bom fabricante nacional, a Frateschi.

Eu fui iniciado no plastimodelismo com 9 anos. Qual criança hoje é estimulada a qualquer tipo de modelismo? qual loja de brinquedo tem isso para vender?

Esdras

Esdras posted:

Creio que sempre vai ter mercado de modelismo, mas alguns tendem a quase sumir.
Lembram do aeromodelo ucontrol? ou cabo controlado? Só sobrou velho.
Pode parecer que com a minha fala sou uma pessoa pessimista, mas o culpado disso é o próprio fabricante que não investe em vender o produto em lojas de brinquedos e outras como papelarias.

A mesma coisa eu costumo falar do Ferromodelismo, que era para ter kits a venda em muitos tipos de lojas e não tem, e olha que temos um bom fabricante nacional, a Frateschi.

Eu fui iniciado no plastimodelismo com 9 anos. Qual criança hoje é estimulada a qualquer tipo de modelismo? qual loja de brinquedo tem isso para vender?

Esdras

Perfeito. Não há estímulo para a molecada, que por sua vez não tem interesse.

Quantos plastimodelistas você conhece (aqui no Brasil) abaixo dos 30 ou 40 anos, que ainda praticam o plastimodelismo?

Obs: Praticam = compram modelos regularmente e montam (não vale box modelista e nem frequentador de site que apenas dá pitaco e não monta nada).

50 pessoas? Daqui há 30 anos estes 50 plastimodelistas (fora nós que já estaremos mortos) vão se reduzir a 10 ou menos que isso...aqui no Brasil, neste tempo talvez nem mercado nacional exista mais para o plastimodelismo, visto que quem abre loja de plastimodelismo geralmente está ligado ao hobby.

Dificilmente alguém que não é do ramo abre uma loja para venda de plastimodelos ou modelos.

A cada ano eu só ouço dizer que os kits estão muito caros, não compro mais kits como comprava antigamente, a grande maioria de nós compra menos que 1 kit por mês (salvo raras exceções que compram 4 ou 5 por mês, vide que "Qual kit acabou de chegar na sua casa", mas estes são pontos fora da curva), são menos de 12 kits por ano/plastimodelista. Eu arriscaria dizer que na média, o mercado vende uns 4 ou 5 kits por ano/modelista. Isso não vai longe...

É de 2015, mas vale a pena ler.

http://thecombatworkshop.blogs.../02/vital-signs.html

Em uma coisa pelo menos ele está certo - nunca existiram dezenas de modelistas em cada esquina. Em meus muitos anos de 1º grau, 2º grau e faculdade nunca encontrei um plastimodelista sequer em minhas turmas. E em mais de 30 anos na mesma empresa só encontrei um único modelista solitário, que mesmo assim montava um kit por ano (e olhe lá). Quando eu fazia a besteira de mencionar que praticava o plastimodelismo, normalmente era visto como crianção, retardado, marciano ou veado. Nunca encontrei essa legião de plastimodelistas que dizem ter existido no passado.

[  ]s

e-commerce custa mais caro que loja física hoje, pelo menos se você quiser uma operação de verdade. eu trabalho com isso, e de uns anos pra ca esta ficando inviável porque esta aparecendo muito atravessador cobrando porcentagens cada vez maiores do seu faturamento.
walmart fechou porque o e-commerce deles era um marketplace que so vendia de terceiros (tipo ML), e estava muito mal estruturado e administrado, não vendiam quase nada perto dos outros marketplaces. Eles vao remodelar e voltar, Demitiram todo mundo, 70 pessoas, o que foi certo, tamanha a incompetencia. Eu desenvolvi um webservice para eles integrarem com meu ERP, levei um mês pra fazer e um ano para eles homologarem tamanha a enrolação e incompetência. E como disse acima, a operação era mais cara e vendia menos que uma loja física deles.

 

 

paulors posted:

É de 2015, mas vale a pena ler.

http://thecombatworkshop.blogs.../02/vital-signs.html

Em uma coisa pelo menos ele está certo - nunca existiram dezenas de modelistas em cada esquina. Em meus muitos anos de 1º grau, 2º grau e faculdade nunca encontrei um plastimodelista sequer em minhas turmas. E em mais de 30 anos na mesma empresa só encontrei um único modelista solitário, que mesmo assim montava um kit por ano (e olhe lá). Quando eu fazia a besteira de mencionar que praticava o plastimodelismo, normalmente era visto como crianção, retardado, marciano ou veado. Nunca encontrei essa legião de plastimodelistas que dizem ter existido no passado.

[  ]s

Rapaz eu tenho três filhos, dois deles já adultos. Esses nem se interessam. Apenas o meu que tem 17 anos ainda me acompanha e participa das minhas montagens, isso de vez em quando, mas tenho esperança que ele se anime de vez...

Nos últimos dois anos, no salão da APRJ havia mesas com kits gratuitos de aviões 1/144 da Eduard e 1/72 da Hobby Boss, para crianças chegarem, montarem e levarem um modelo. De fato vários se interessaram e montaram, mas como dar prosseguimento se um deles gostar se não temos fabricante nem importador ? Se for filho de modelista, os pais vão saber como trazer, mas se não for vai ficar na vontade, e vontade é coisa que dá e passa...

anghinoni posted:

e-commerce custa mais caro que loja física hoje, pelo menos se você quiser uma operação de verdade. eu trabalho com isso, e de uns anos pra ca esta ficando inviável porque esta aparecendo muito atravessador cobrando porcentagens cada vez maiores do seu faturamento.
walmart fechou porque o e-commerce deles era um marketplace que so vendia de terceiros (tipo ML), e estava muito mal estruturado e administrado, não vendiam quase nada perto dos outros marketplaces. Eles vao remodelar e voltar, Demitiram todo mundo, 70 pessoas, o que foi certo, tamanha a incompetencia. Eu desenvolvi um webservice para eles integrarem com meu ERP, levei um mês pra fazer e um ano para eles homologarem tamanha a enrolação e incompetência. E como disse acima, a operação era mais cara e vendia menos que uma loja física deles.

 

 Qualquer negócio atrai uma leva de gente querendo uma parte, até mesmo em nossas vidas particulares somos bombardeados com ofertas e apelos. Bem interessante o seu post...

Se os preços de kit fossem mais realistas, dentro do que eles deveriam ser, pelo custo de plastico injetado, eu mesmo seria uma pessoa que patrocinaria o fomento do hobby para jovens.

Hoje as crianças não são incentivadas a construir nada que não seja em uma tela de computador, celular ou tablet. As lojas de brinquedos já sentem isso.

Pra piorar tem pais que preferem dar um tablet para uma criança, do que brincar com elas em algum brinquedo físico. Isso foi inclusive tema de um curso que participei neste fim de semana.

Tenho um filho na barriga da minha esposa e outro de 21 anos, que quando ele era criança eu tentei colocar ele no plastimodelismo, mas não consegui.

Plastimodelismo é muito mais do que apenas juntar as peças plasticas, pintar e adesivar. E a história envolvida no objeto e seu trabalho de construção.

Espero que um dia os fabricantes mudem sua estrategia de vendas, ou fecharam as portas.

Esdras

Plastimodelismo nunca esteve tão bem. Eu falava isso para os pessimistas há uns 10 anos e eles teimavam que o hobby não tinha futuro.

Agora estamos quase em 2020 e os lançamentos e novos fabricantes continuam a se multiplicar. Isso só acontece porque tem mercado e esse mercado cresce.

E cresce onde? Onde tem gente inteligente e educada.

Não é um hobby fácil: exige treino, um certo talento, capacidade de pesquisa (tanto de história quanto de técnicas) e dedicação. Infelizmente estamos carentes desse tipo de gente aqui.

Hoje vi uma matéria sobre o fulaninho que cantava Jennifer... ganhou um cortejo fúnebre em carro de bombeiros. Estilo Senna. Isso é Brasil. Não tem mercado aqui para qualquer tipo de hobby.

Não é problema de dólar a 4,00 e imposto ou bandidagem. Se isso fosse problema, iPhone não venderia aqui. O problema tá no povo. É muito raso. Na maioria dos casos a diferença de um pobre para um rico é só seu nível de consumo de bens. O cérebro é igual. 

 

 

 

 

 

Marco S J C posted:

Plastimodelismo nunca esteve tão bem. Eu falava isso para os pessimistas há uns 10 anos e eles teimavam que o hobby não tinha futuro.

Agora estamos quase em 2020 e os lançamentos e novos fabricantes continuam a se multiplicar. Isso só acontece porque tem mercado e esse mercado cresce.

E cresce onde? Onde tem gente inteligente e educada.

Não é um hobby fácil: exige treino, um certo talento, capacidade de pesquisa (tanto de história quanto de técnicas) e dedicação. Infelizmente estamos carentes desse tipo de gente aqui.

Hoje vi uma matéria sobre o fulaninho que cantava Jennifer... ganhou um cortejo fúnebre em carro de bombeiros. Estilo Senna. Isso é Brasil. Não tem mercado aqui para qualquer tipo de hobby.

Não é problema de dólar a 4,00 e imposto ou bandidagem. Se isso fosse problema, iPhone não venderia aqui. O problema tá no povo. É muito raso. Na maioria dos casos a diferença de um pobre para um rico é só seu nível de consumo de bens. O cérebro é igual. 

 

 

 

 

 

PERFEITO!

Nos EUA também tem lojas fechando. Pode ser que na Europa e Asia, tenha algum tipo de crescimento deste mercado.

Lembrando que os lançamentos dos últimos anos são normais que aconteçam  até porque, os velhinhos modelistas precisam de novidade para se manter no hobby, se não até eles teriam desistido.

Esdras posted:

Nos EUA também tem lojas fechando. Pode ser que na Europa e Asia, tenha algum tipo de crescimento deste mercado.

Lembrando que os lançamentos dos últimos anos são normais que aconteçam  até porque, os velhinhos modelistas precisam de novidade para se manter no hobby, se não até eles teriam desistido.

Tá certo...

Uma indústria inteira está em crescimento e melhorando a cada dia em função de um grupinho de velhinhos gagás que se recusam a abandonar um hobby quase extinto...

Que pessoas sem visão esses empresários, não?

 

Marco,

Faltou uma coisa em sua lista- paciência, muita paciência. É um hobby onde o caminho para o Paraíso (o kit pronto) está repleto de fases extremamente chatas e repetitivas. É preciso perseverar e manter sempre alto o estoque de paciência. Nem todos conseguem....

Sobre o tema, o plastimodelismo nunca foi algo popular, nem antes e nem agora. Para começar, está fora do alcance do bolso da imensa maioria de nossa população.

Comecei a praticar nos anos 60 e aqui no Rio existiam muitas lojas dedicadas ao modelismo. Isso sem falar que vc podia comprar kits em papelarias e importadoras. Isso gerou uma multidão de plastimodelistas? Sem chance. Por exemplo, aqui em Copacabana tinha uma grande loja de modelismo chamada Hobby Center. Tinha toneladas de kits, mas o que vivia entupido de gente era a pista de autorama situada no subsolo. Isso remete a outro ponto. Não existiam smartphones e nem jogos eletrônicos, mas não faltavam outros atrativos para a garotada. Eu tinha dezenas de colegas fãs do autorama, alguns que praticavam o ferreomodelismo, mas nunca encontrei um praticante do plastimodelismo. E ainda tinha o futebol (incluindo o de botão), jogos de tabuleiro, pipas, bolas de gude, etc.

Isso remete a outro ponto. Naquele tempo não tinha internet ou seja, vc vivia no escuro, sendo bem difícil buscar referências, orientação, partilhar conhecimento, ver o que os outros plastimodelistas estavam fazendo. As publicações estrangeiras eram raras e caras. Cartão de crédito internacional uma miragem. Rastreamento de encomendas? Kkkkkkk Resumindo, estávamos longe de viver em um Paraíso. Hoje tomamos como certo coisas que naquela época nem imaginávamos ser possível.

Hoje eu vejo que estamos muito melhores. Transformações irão ocorrer e irão ocorrer sempre. É a marcha do tempo. Lojas físicas, dependendo do tipo de produto, tendem a seguir o caminho das máquinas de escrever.  Não adianta chorar. Exemplo? Eu saio para comprar uma borracha para panela de pressão, gasto a sola dos sapatos e nada. Está em falta dizem nas lojas. Volto para casa, entro no Mercado Livre e dias depois a borracha está aqui, escolhida em meio a diversas opções. Sabe quando eu vou voltar nessas lojas para comprar uma borracha para panela de pressão?   E, em algum ponto do futuro, vou ver essas lojas fechadas com um cartaz de "aluga-se" na porta. Quem é culpado?

Falando daquilo que eu monto (navios 1/700), nunca estivemos tão bem. Novos kits, novos fabricantes, qualidade cada vez melhor e preços para todos os bolsos.  Estou vendo coisas que nunca imaginei ver. E outras estão vindo. Referências de todos os tipos ao alcance do teclado. Impressão 3D de acessórios bombando. E por aí vai. O futuro parece ser brilhante.

[  ]s

Isso mesmo, Paulo.

O mercado do plastimodelismo no mundo continua bom como sempre foi. A diferença está no modelo de comercialização.

Bons tempos esse de Copacabana cheia de lojas de kits. Morei muito tempo na Santa Clara e, nos anos 80/90, ainda tinham umas três ou quatro.

Eu ia colocar paciência na minha lista... mas tirei ... paciência é o que eu exerço com alguns colegas de trabalho, meu vizinho filho-de-meretriz e outros espécimes.

 

 

 

 

 

Marco S J C posted:

Plastimodelismo nunca esteve tão bem. Eu falava isso para os pessimistas há uns 10 anos e eles teimavam que o hobby não tinha futuro.

Agora estamos quase em 2020 e os lançamentos e novos fabricantes continuam a se multiplicar. Isso só acontece porque tem mercado e esse mercado cresce.

E cresce onde? Onde tem gente inteligente e educada.

Não é um hobby fácil: exige treino, um certo talento, capacidade de pesquisa (tanto de história quanto de técnicas) e dedicação. Infelizmente estamos carentes desse tipo de gente aqui.

Hoje vi uma matéria sobre o fulaninho que cantava Jennifer... ganhou um cortejo fúnebre em carro de bombeiros. Estilo Senna. Isso é Brasil. Não tem mercado aqui para qualquer tipo de hobby.

Não é problema de dólar a 4,00 e imposto ou bandidagem. Se isso fosse problema, iPhone não venderia aqui. O problema tá no povo. É muito raso. Na maioria dos casos a diferença de um pobre para um rico é só seu nível de consumo de bens. O cérebro é igual. 

 

 

 

 

 

paulors posted:

Marco,

Faltou uma coisa em sua lista- paciência, muita paciência. É um hobby onde o caminho para o Paraíso (o kit pronto) está repleto de fases extremamente chatas e repetitivas. É preciso perseverar e manter sempre alto o estoque de paciência. Nem todos conseguem....

Sobre o tema, o plastimodelismo nunca foi algo popular, nem antes e nem agora. Para começar, está fora do alcance do bolso da imensa maioria de nossa população.

Comecei a praticar nos anos 60 e aqui no Rio existiam muitas lojas dedicadas ao modelismo. Isso sem falar que vc podia comprar kits em papelarias e importadoras. Isso gerou uma multidão de plastimodelistas? Sem chance. Por exemplo, aqui em Copacabana tinha uma grande loja de modelismo chamada Hobby Center. Tinha toneladas de kits, mas o que vivia entupido de gente era a pista de autorama situada no subsolo. Isso remete a outro ponto. Não existiam smartphones e nem jogos eletrônicos, mas não faltavam outros atrativos para a garotada. Eu tinha dezenas de colegas fãs do autorama, alguns que praticavam o ferreomodelismo, mas nunca encontrei um praticante do plastimodelismo. E ainda tinha o futebol (incluindo o de botão), jogos de tabuleiro, pipas, bolas de gude, etc.

Isso remete a outro ponto. Naquele tempo não tinha internet ou seja, vc vivia no escuro, sendo bem difícil buscar referências, orientação, partilhar conhecimento, ver o que os outros plastimodelistas estavam fazendo. As publicações estrangeiras eram raras e caras. Cartão de crédito internacional uma miragem. Rastreamento de encomendas? Kkkkkkk Resumindo, estávamos longe de viver em um Paraíso. Hoje tomamos como certo coisas que naquela época nem imaginávamos ser possível.

Hoje eu vejo que estamos muito melhores. Transformações irão ocorrer e irão ocorrer sempre. É a marcha do tempo. Lojas físicas, dependendo do tipo de produto, tendem a seguir o caminho das máquinas de escrever.  Não adianta chorar. Exemplo? Eu saio para comprar uma borracha para panela de pressão, gasto a sola dos sapatos e nada. Está em falta dizem nas lojas. Volto para casa, entro no Mercado Livre e dias depois a borracha está aqui, escolhida em meio a diversas opções. Sabe quando eu vou voltar nessas lojas para comprar uma borracha para panela de pressão?   E, em algum ponto do futuro, vou ver essas lojas fechadas com um cartaz de "aluga-se" na porta. Quem é culpado?

Falando daquilo que eu monto (navios 1/700), nunca estivemos tão bem. Novos kits, novos fabricantes, qualidade cada vez melhor e preços para todos os bolsos.  Estou vendo coisas que nunca imaginei ver. E outras estão vindo. Referências de todos os tipos ao alcance do teclado. Impressão 3D de acessórios bombando. E por aí vai. O futuro parece ser brilhante.

[  ]s

É sempre muito bom ver mais pessoas pensando como eu e que expressem isso.

Estamos com falta cada vez maior de gente inteligente e educada. Realmente, no brasil, elas estão indo embora, cansadas, em busca de lugares de esperança e civilidade, onde possam ter uma vida melhor.

Tudo o que temos a nossa volta está morrendo por conta das nossas más atitudes, comportamentos e decisões, como pessoas, indivíduos.

 

E o hobby não escapa dessa repercussão...

Como o Paulo, muito poucas vezes encontrei praticantes de plastimodelismo. As pessoas procuravam, como tão bem ele assinalou, os hobbies, atividades da época, da moda.

Mas aonde está o autorama? A bolinha de gude? O Pen Club? O jogo de taco (cricket nativo)?

 

Há muito tempo, já tinha assinalado aqui esse tipo de situação e sofri, e ainda sofro, ataques virulentos, maldosos, frutos de mentes distorcidas.

Teve um que disse que o hobby, aqui no Fórum, estava excelente e que eu, após  mais algumas bobagens, é que era um pessimista...

 

Quando postei que os plastimodelistas, salvo as exceções, nas quais me incluo,  tinham uma forte parcela de culpa ao não participarem de GBs, ao não abrirem as suas caixas-pretas ou não mostrar suas montagens passo-a-passo para que outros aprendam, novamente, não fui entendido.

O Plastimodelismo precisa mostrar-se, aparecer, sair das sombras através de sites, fóruns, exposições, GBs para que os jovens, os curiosos, todos aqueles que queiram conhecê-lo possam ter uma grande diversidade de alternativas e fontes de dados.

Eu voltei ao hobby após 30 anos, ao ver montagens em sites nacionais e internacionais.

 

Enfim, como postou o Paulo, " nunca estivemos tão bem. Novos kits, novos fabricantes, qualidade cada vez melhor e preços para todos os bolsos.  Estou vendo coisas que nunca imaginei ver. E outras estão vindo. Referências de todos os tipos ao alcance do teclado. Impressão 3D de acessórios bombando. E por aí vai. O futuro parece ser brilhante."

 

Na verdade, o Plastimodelismo será aquilo que nós, e apenas nós, quisermos fazer dele.

A maior dificuldade no mundo do hobby, porém, é mudar as mentalidades atrasadas, agressivas, perdidas nos desvãos da vida, porque o resto, todo o resto, vai muito bem, obrigado.

Arrisco a dizer que o plastimodelismo no Brasil só  chegou onde chegou, graças a internet. Quem antes da internet, ouvia dizer de concursos de plastimodelismo como se tem hoje? Em quantos concursos de plastimodelismo você participou nos anos 90, 80, 70 e 60; e hoje em dia? Quantos amigos plastimodelistas você tinha antes da internet e quantos você tem agora? Quantas lojas haviam antes da internet e quantas há agora? Quantas vezes você comprou em lojas internacionais de plastimodelismo antes da internet?

Então em minha opinião...a internet foi a "melhora da morte" (aquela melhora no quadro geral da saúde do moribundo pouco antes dele morrer) do plastimodelismo brasileiro. Infelizmente o plastimodelismo nacional não dura mais que algumas décadas (duas ou três) se tanto...

A "segunda era de ouro" do plastimodelismo ocorreu nos EUA e Europa, nós apenas pegamos carona graças à internet. Não se iludam os lançamentos em plastimodelismo são voltados ao mercado americano e europeu, aqui eles nem se dignam em abrir uma fábrica, quanto mais fazer lançamentos pensando no mercado brasileiro, somos um grão de areia numa praia.  

Marco S J C posted:
Esdras posted:

Nos EUA também tem lojas fechando. Pode ser que na Europa e Asia, tenha algum tipo de crescimento deste mercado.

Lembrando que os lançamentos dos últimos anos são normais que aconteçam  até porque, os velhinhos modelistas precisam de novidade para se manter no hobby, se não até eles teriam desistido.

Tá certo...

Uma indústria inteira está em crescimento e melhorando a cada dia em função de um grupinho de velhinhos gagás que se recusam a abandonar um hobby quase extinto...

Que pessoas sem visão esses empresários, não?

 

E você tá achando que eles lançam novos modelos pensando na "imensa" fatia de mercado brasileiro? Ledo engano, para eles nem existimos...o alvo deles é o mercado americano e europeu, nós aqui não somos nada perto deles..

 

Marco S J C posted:

"Plastimodelismo nunca esteve tão bem. Eu falava isso para os pessimistas há uns 10 anos e eles teimavam que o hobby não tinha futuro."

Tão bem no exterior, aqui eu não vejo nenhuma novidade nestes 10 últimos anos, por exemplo:

Quantas lojas de plastimodelismo abriram e quantas fecharam nestes últimos 10 anos?

Quantas fábricas de plastimodelismo abriram no país ou na América do Sul nestes últimos 10 anos?

Quantas empresas de after makers abriram fábricas ou filiais aqui no Brasil neste últimos 10 anos?

Se o mercado estivesse de vento em popa não haveria esta quebradeira de lojas por aqui, pelo contrário teríamos um número crescente de lojas abrindo, e o mercado varejista (supermercados, bancas de jornais, lojinhas de bairro, etc) se interessando pela venda de kits de plastimodelismo, como era antigamente na época da Revell brasileira.

Se o mercado varejista não se interessou é porque não tem futuro...

 

ARTEMIUS 111 posted

"Mas aonde está o autorama? A bolinha de gude? O Pen Club? O jogo de taco (cricket nativo)?"

Muitos deles ainda existem e vão muito bem obrigado; talvez achemos que não existam mais pois não somos aficionados e não participamos de nenhum grupo destas "brincadeiras antigas". Por exemplo além de plastimodelismo gosto de jogar botões (futebol de mesa), e participo de vários grupos arrisco dizer que o número de participantes é muitas vezes maior que o número de pessoas que pratica plastimodelismo. No mínimo 3 fins de semana por mês (todos os meses do ano) há campeonatos aqui na cidade de São Paulo, com média de 20 a 30 participantes, por dois simples motivos: Simplicidade e Paixão Nacional (Futebol). Pois é fácil de se praticar e barato de se praticar. 

Quantos concursos de plastimodelismo há na cidade de São Paulo por mês?

Nosso hobby como disseram acima, devido ao avanço tecnológico e o aperfeiçoamento do nível do próprio praticante, ficou muito caro e poucos, muito poucos podem participar. Antigamente bastava um kit, uma tesoura, uma cola e uma lixa de unha para ser feliz...hoje precisamos de aerógrafos, tintas especiais, after makers, kits de primeira linha, uma maleta de ferramentas e traquitanas, bancada exclusiva, etc.....e na maioria das vezes tudo importado pois não somos o público alvo deste pessoal, se fôssemos há muito tempo já haveriam instalado fábricas por aqui ou no mínimo em algum outro país da América Latina. 

O fato do Brasil estar à margem do que se passa no resto do mundo deve-se ao fato do país ainda ser teimosamente fechado ao resto do mundo, criando barreiras às importações, na tentativa de preservar um mercado interno caduco ou inexistente. Enquanto prevalecer essa mentalidade tacanha, fruto das iniciativas de "nacionalistas" de cocheira, vamos continuar onde estamos, dependendo de importações, sofrendo com o transito de nossas encomendas, rezando para que não sejam taxadas na receita, pagando os famosos R$ 15,00 e rezando novamente para chegarem em segurança ao nosso lar.

Morro de inveja do camarada lá no exterior que não precisa fazer estoque, por exemplo, de tintas. Está precisando de alguma? Encomenda online e recebe alguns (poucos) dias depois.

Agora, se engana quem imagina que uma improvável abertura das importações fará surgirem hobby shops e plastimodelistas em cada esquina. Vamos é voltar à década de 60. Naqueles anos dourados, apesar de  vc encontrar kits importados na papelaria da esquina e Kikoler, Trol e Atma injetarem ou importarem um bom número deles, o plastimodelismo nunca foi algo relevante em comparação com outros passatempos. Se abrirem agora, vai ficar mais fácil abastecer nossas kitcumbas e é só.

[  ]s

Meu caro Artemius,

Também fui praticante de futebol de botão durante décadas e esse foi um hobby que conseguir transmitir para meus filhos. Meus irmãos também jogavam e um deles ainda está metido nisso até hoje. Tem montões de times e promove Brasileirões séries A, B e C, Copa do Brasil, Copa do Mundo e sabe-se lá mais o que. Meu filho mais novo praticou durante anos aqui no Rio, todos os finais de semana, com campeonatos envolvendo dezenas de crianças. Plastimodelismo não chega nem perto disso. O nosso hobby é mais demorado, mais detalhado, em um ritmo em mais tranquilo, sem torcida.

[  ]s

Gente, futebol não custa 150 reais um para jogar.

A tendencia não é só no brasil, as novas gerações tem menos interesse por coisas manuais e nos EUA, as lojas de brinquedos e hobbys, também estão com problemas. Eu não ouvi falar isso, eu vou lá regularmente e vejo as lojas fechando.

Muitos pais da nova geração preferem entregar um tablet para seu filho e deixar o mesmo se divertir com um universo de jogos a disposição. Não estou dizendo que é o certo, e sim o que está acontecendo em grande parte.

https://g1.globo.com/economia/...-lojas-nos-eua.ghtml

Eu fui nesta loja um pouco antes da falência.

Maniacs também fechou. Fui e fiquei de fora vendo a loja quase vazia.

https://pt.foursquare.com/v/ma...03b79bc364b51/photos

Eu realmente acho que brincadeiras manuais e hobbys precisam ser resgatados, mas precisa do apoio de governos e os fabricantes.

Não estou querendo ser pessimista e sim realista.

Esdras

Amigos,
 
Como disse o Paulo, mesmo naqueles bons tempos em que haviam Revell Kiko em qualquer loja de esquina, não haviam muitos modelistas praticantes, a maioria era eventual.
 
Tem uma foto do GPPSD, durante um concurso em 1978, onde aparecem uns 30 e se bem me lembro, naquele tempo mal passavam de 50 sócios.
 
Eu fui na convenção deles ano passado e tinha uma montanha de gente, de todas as idades e muitos comprando kits, apesar de no geral eu considerar os preços relativamente salgados.
 
Minha impressão é que não somos tão poucos assim, mas concordo que se houvesse uma maior divulgação do Hobby e os preços dos kits fossem melhores, haveriam muito mais.
 
Este tópico era para comentar sobre o fechamento da HO e acabamos debatendo sobre o futuro do modelismo... Se e quando vai acabar é difícil de responder, então o melhor é nos divertirmos enquanto podemos e talvez não se preocupar tanto com isso.
 
PlastiAbraços

Querem entender melhor o porque desse país ser assim?

 

Três obras imperdíveis, para serem lidas nessa ordem:

1808 - Laurentino Gomes

1822 - Laurentino Gomes

Mauá - Jorge Caldeira

e para ler algo instigante

Bandeirantes e Pioneiros - Vianna Moog

Dão um bocado de material para reflexão.

Mas sem ideologia ou radicalização. Apenas ler e pensar.

 

Acredito que 1889, do mesmo Laurentino Gomes, acrescente mais material mas ainda não consegui lê-lo. Assim que terminar Churchill, de Roy Jenkins, ele será o próximo na fila...

Rubens posted:
 
Este tópico era para comentar sobre o fechamento da HO e acabamos debatendo sobre o futuro do modelismo... Se e quando vai acabar é difícil de responder, então o melhor é nos divertirmos enquanto podemos e talvez não se preocupar tanto com isso.
 
PlastiAbraços

Pois é. Acredito que muitos que gostariam de debater este assunto passam batido pois o título do tópico não indica a direção que tomou. 

Vou alterar o título, para que não se perca o que já foi escrito.

Sidney

Que triste. Realmente de certa forma me surpreendeu.

O curioso, é que morando em São Paulo, estava programando ir à HO hoje ou segunda.

Há algum tempo venho observando com cautela, porque o movimento da loja foi sempre no sentido de redução. A cada mudança a planta ficava menor com menos disponibilidade de espaço e recursos. Cheguei a ter aula de modelismo com um colega modelista que dava aulas lá. Mas, tinha esperança de que fosse uma fase e que , em algum tempo, superariam.

Nessa última mudança, ficou claro para mim que não iria durar muito. Uma lástima, porque como muitos, conheci a fase do subsolo e me marcou . Foi ali que eu realmente me liguei ao hobby.

Já vi que vou ter que reservar uma grana para subir o nível do estoque e torcer para durar até quando não possa mais montar. 

Ser empresário no Brasil ainda é uma atividade para super-heróis. Já fui e infelizmente o que te salva é o que em qualquer lugar te condena. O errado. Se quiser fazer o certo, a vida será curta ou muito dura.

Edu

O tópico acabou sendo bastante rico, com muitas opiniões e reflexões sobre o Hobby.

Recentemente fui pesquisar sobre o aeromodelismo Ucontrol (cabo controlado). O que sobrou foi um pequeno grupo de entusiastas com mais de 50 anos tentando manter vivo o hobby.

O aeromodelismo com motor a combustão também está passando por muita mudança, com a chegada dos motores elétricos, que torna o hobby muito mais barato, pratico e acessível, mas não significa que o motor a combustão vai acabar, mas reduziu um pouco o mercado.

Outro ramo que ficou bem restrito foi o aeromodelismo a elástico. Mas sobrevive.

Esdras

Esdras e colegas,
 
Creio que modalidades como U control acabaram sendo substituídas por outras, como R/C, daí terem poucos praticantes atualmente.
 
Antes do plástico, no passado os kits eram de madeira, acho que não existe mais nenhum fabricante disto, salvo para temas específicos como caravelas, mas com certeza devem ainda ter uns poucos amantes desta vertente, fazendo seus próprios modelos em madeira.
 
Não muito tempo atrás vi um autorama moderno, muito legal, como os carrinhos são pequenos, mesmo usando pistas menores elas ficam enormes... E não tem mais fenda, os carros podem até mudar de pista, não lembra em quase nada aqueles Fittipaldi Estrela do meu tempo.
 
Acho que o único tema que não mudou muito, exceto por acessórios, foram os trens elétricos, mesmo assim, já vi algumas locomotivas "comuns" microscópicas com um nível de detalhe assombroso, anos atrás se só se conseguia algo similar em tiragens limitadas e caríssimas.
 
Mas quase toda esta evolução e melhorias tem seu efeito no preço, se antes um conjunto básico Santa Fé Atma custava X, hoje um Marklin super detalhado deve custar no mínimo uns 5X.
 
Nem precisa ir muito longe, ainda se encontram alguns daqueles Kiko 1/72 em Rebox da Revell Alemã na faixa de uns R$ 50, que tomadas as devidas proporções é quase tão barato quanto eram nos anos 80.
Mas sejamos sinceros, quem compra um destes para montar, quando existem muitos novos "Tamygawa", ainda que custem 3 ou 4 vezes o preço do Revell?
 
PlasitAbraços

Só vou dar um pitaco, que ainda ninguém deu!!!!!

Tudo conspira contra o plastimodelismo (talvez não nos EUA, berço do plastimodelismo e país com uma cultura militar ímpar) aqui e na Europa e resto do mundo há vários fatores que somados esmagam cada vez mais a possibilidade de sobrevivência do plastimodelismo, por exemplo:

1. Vídeo games e jogos eletrônicos;

2. O preço do dólar e o preço dos kits e acessórios;

3. Não há nenhuma fábrica nacional/estrangeira de kits no país e, não vejo a possibilidade de instalação de uma aqui (por falta de mercado);

4. Preços de fretes e impostos absurdos;

5. País com pouca ou nenhuma cultura militar;

6. O Politicamente Correto se instalou na sociedade há anos atrás e dificilmente esta cultura irá mudar (abaixo a violência, crianças não devem ter acesso e brincar com brinquedos que remetam a idéia de violência, etc..etc...etc..). Conheci muita mãe que proibia dar de presente soldadinho, armas de brinquedo para seus filhos, inclusive proibia seus filhos de assistirem desenhos, seriados ou filmes violentos.

7. O sentimento de "imediatismo" das novas gerações. Tudo tem que acontecer na hora; o cara é trainee e acha que daqui a dois anos será gestor e mais dois anos irá virar diretor da empresa, quando percebe que daqui a quatro anos ele ainda está subindo o primeiro degrau da escada, ele desiste e procura outro emprego em outra empresa achando que aos 30 anos será CEO de alguma empresa....a paciência das novas gerações acabou, eles vivem no ritmo da internet, do youtube, nunca se encaixariam numa atividade que requer paciência, tempo, concentração e principalmente dedicação e persistência. O mundo deles é outro, é o mundo do "Já", do "agora"; imagine ficar um dia esperando a pintura secar para colar o decalque...

Este processo de "extinção" eu encaro como normal, visto que há algumas gerações atrás o interesse por brinquedos não eletrônicos e brincadeiras típicas de nossa infância foi diminuindo, e hoje é praticamente nulo (salvo raras exceções). Porém o que irá retardar este processo de extinção total do plasti, é a existência de um mercado razoável nos EUA, Europa e Sudeste Asiático, que irá demorar a se extinguir pois plastimodelismo para eles (americanos e europeus que hoje tem a nossa idade) foi como jogar botão para nós (ou brincar de autorama), é uma atividade secundária que foi sedimentada durante décadas nas gerações anteriores, o que não aconteceu por aqui; por isso eu acho que aqui no Brasil esta extinção ocorrerá primeiro que lá.

Aqui vejo os garotos que vem aqui em casa olham para a minha coleção admiram e ficam maravilhados, mas quando percebem que o buraco é mais em baixo, pois o avião ou tanque não vem montado e nem pintado, a conversa muda e o que mais ouço é: "Não ia ter paciência para fazer isso.", ou "Não vende pronto?".

Infelizmente, aqui no Brasil somos os últimos dos moicanos daqui há algumas décadas não haverá mais plastimodelismo como conhecemos e como praticamos (não querendo ser profético). 

 

 Sim, é isto tudo, mas vivemos num pais tropical, onde a juventude tem diversas opções de divertimento, em virtude do clima. EUROPA, ASIA, ESTADOS UNIDOS, são praticamente 7 meses de frio, e no minimo uns 2 sem poder até sair de casa. Então isso facilita o entretenimento em casa, ajudando e mantendo o plastimodelismo forte nessas regiões. Estive recentemente em Madrid, corri pelo menos 3 ou 4 lojas de plastimodelismo, e havia movimento grande em quase todas elas. Só uma estava sem clientes. Bons estoque, principalmente na LOJUME, é de ficar maluco. Mas, o dia estava lindo de sol, só que a temperatura fora da loja era de -4 graus centigrados e já pingavam alguns flocos de neve. Ao meu ver, isso ajuda e diverte as pessoas a se aficcionarem ao nosso hobby.

E além disso, nossa juventude, realmente não tem a cultura histórica para dar atenção a essas máquinas, tanto sejam navios, aviões ou militaria.

Plastiabraços

 

Hoje  é provável que não tenhamos muitos praticantes do aeromodelismo, em suas várias formas, mas em seu lugar os drones estão bombando. Um hobby encolhe, outro surge com força e a vida segue. No final temos sempre alguém buscando alguns momentos felizes com aquilo que é do seu gosto.

Por falar nisso,  alguém aí ainda coleciona selos?

[  ]s

Paulo,
 
Tenho uma coleção de selos que começou com meu avô, de vez em quando dou uma olhada, mas nunca tive tempo de reorganizar e muito menos de cuidar daqueles que ainda estão colados... Está igual ao que era há uns 15 anos atrás, quando selos ainda eram comuns.
 
Mantenho também uma pequena coleção de moedas, cada vez que viajo trago algumas, mas nunca comprei nem vendi, se aparecer na minha mão algo mais diferente ótimo, senão paciência.
 
Tenho uma bela coleção de Colherzinhas de Prata que foi do meu pai, estou dando sequencia na tradição, seja comprando ou pedindo para amigos. No exterior ainda são comuns, mas a maioria é bem inferior, ano passado encontrei um punhado muito baratas, mas eram de plástico! Achei também em metal, mas o preço... Nunca vi ninguém colecionar isto no Brasil, com certeza se tiverem alguns, são muito menos do que plastimodelistas.
 
Comecei outras coleções menores de Die-Casts, mas a única que realmente mantenho é de Hot Wheels temáticos. Esta talvez seja a mais surpreendente, tem gente disposta a pagar fortunas em determinados carrinhos!
 
Agora meu xodó mesmo, embora tenha poucas, são máquinas fotográficas e acessórios.
 
Já que a maioria destas coleções tende a valorizar, então devem ser continuadas pelos filhos ou se compensar, até serem vendidas.
 
Como plastimodelismo não valoriza praticamente nada e nenhum dos filhos monta, me concentro nos kits, quando montar todos ou como disseram por aqui, quando o hobby terminar de vez, passo para meus selos, moedas e colherzinhas 
 
Agora que não tenho intenção de colecionar mais nada, a não ser que elimine algo ou mude para um apartamento maior, parece que surgem cada vez mais coisas interessantes... Murphy? Cerca de um mês atrás encontrei sem querer, algumas edições daquelas antigas "Locomotivas do Mundo" da Del Prado, em promoção... Dá para resistir?
 
PlastiAbraços

Meu caro Rubens,

Fique de olho nessa coleção de seu avô, pois pode conter peças raras.

Incentivado por meu pai, que lidava com correspondências internacionais nas décadas de 50 e 60, comecei a colecionar selos. Ele me deu de presente alguns álbuns bem modestos produzidos por uma casa filatélica aqui no Rio, material para prender os selos nos álbuns e um pequeno manual do filatelista, editado pela saudosa Edições de Ouro (livros de bolso). Deixei de mexer nela no final dos anos 80, mas está comigo até hoje. Um detalhe - nas décadas de 50 e 60 era mais fácil encontrar filatelistas do que plastimodelistas.

Assim como vc, tenho uma pequena coleção de moedas e uma tb boa coleção de wargames (simulações de conflitos e batalhas, com tabuleiros, peças de cartão e dezenas de tabelas). Esses de vez em quando eu jogo, no caso aqueles que permitem jogar solitariamente. Acredito que a turma dos jogos eletrônicos teria arrepios de horror ao ver essas coisas.

Mesmo que essas coisas estejam hoje fora de moda, não lamento as horas que gastei no passado com tais passatempos. Forma horas felizes e, acredito eu, bem aproveitadas e instrutivas.

[  ]s

Companheiros, já colecionei selos, comemorativos e blocos do Brasil, porem parei de comprar nos anos de 2001 a 2002, estão hoje lacrados em caixas plásticas para evitar algum cupim. As moedas me desfiz de quase todas. Estão só resta o Plastimodelismo.
Mas apesar de muita coisa contra, creio que nos próximos 30 a 35 anos o plastimodelismo estará presente no Brasil com muita força, pois agora esta diluído em muitos lugares e classes de montagens. Antes aram muito apreciados ai no sul e centro sul, mas não muito no nordeste e norte, porem já podemos velo em muitas cidades nordestinas e do norte. O caso é a acessibilidade financeira do Hobby, nosso povo não ganha o suficiente para tais despesas, mesmo os que como eu maluco investem no hobby em detrimento de festas e outras coisas que as acho banais, há pessoas que não entram por achar muito caro, e olha que conheço umas. Sei que será dito que há kits de preços razoáveis no Brasil, mas não são atrativos. Pensem bem que inúmeras pessoas quereriam montar um Spitfire na 1.32, com diversos PE, mais o custo e assombroso para quem ganha 4 ou 5 mil, mas sabemos que não é a mesma realidade de outros países aqui citados, lá o custo é menor e o salário é maior.
Se o nosso presidente se sensibiliza-se com o nosso hobby e promovesse a exclusão dos kits como brinquedos e os coloca-se em uma categoria menos taxada, creio que uns bons ventos soprassem para nós. Pena que não temos lobistas para isso.

Abs.

Repasso a vocês uma mensagem que recebi via Whatsapp de um amigo. Conquanto não possa confirmar a veracidade do que está dito, vale a pena conferir com outras fontes.

Amigos do grupo, quero apresentar a vocês o amigo Álvaro Caropreso, da hobbylink.com.br, que junto com a Aeromodelli assumiu os negócios da HOriginal.

Para quem ainda não conhece, Álvaro é jornalista e modelista, mais dedicado ao Aero, agora também fincando pé no Plasti. Ele assumirá junto comigo a administração do grupo (de Whatsapp)."

Sidney posted:

Repasso a vocês uma mensagem que recebi via Whatsapp de um amigo. Conquanto não possa confirmar a veracidade do que está dito, vale a pena conferir com outras fontes.

Amigos do grupo, quero apresentar a vocês o amigo Álvaro Caropreso, da hobbylink.com.br, que junto com a Aeromodelli assumiu os negócios da HOriginal.

Para quem ainda não conhece, Álvaro é jornalista e modelista, mais dedicado ao Aero, agora também fincando pé no Plasti. Ele assumirá junto comigo a administração do grupo (de Whatsapp)."

não conhecia esta hobbylink.com.br, bom, ainda bem. 

fw190

Attachments

Fotos (1)
Marcio Bernardi posted:
na lima que acho careira pacas esta 89 mangos o mesmo kit, depois não sabem por que estão fechando as lojas de modelismo por aqui. 

Mas é assim, não se preocupam em comprar por preços mais competitivos e poder revender com valores justos. Mas como vem com as desculpas dos impostos e tudo mais, nos remete a compra direta no exterior, que se também taxadas ficam em valor menor que aqui no Brasil.
Não pago por um kit mais do que ele realmente mereça, prefiro ficar sem.

Olá amigos:

Acho que além de termos custos altos para as lojas aqui no Brasil, também temos outros fatores a serem levados em conta:

1 - Falta de motivação para os jovens comprarem e montarem kits, pois quando eu era criança comecei a montar para "brincar" com os aviões e "tanquinhos de guerra" que via na TV... hoje não há mais filmes sobre a Segunda Guerra que nos incentivem a isso, como por exemplo a Batalha de Midway (que aconteceu hoje, dia deste meu post) e que poderiam motivar os jovens a conhecer as máquinas de guerra. Tudo é virtual e no Google você encontra tudo que quiser saber/ver. Sem falar que os filmes são só de super heróis... Não há mais um certo culto à temas sobre militaria em geral, como havia a 40 anos atrás. As novas gerações não foram acostumadas a ver assuntos militares como relevantes, ainda mais aqui no Brasil. Isso faz com que não haja curiosidade e nem interesse por artigos militares como plastimodelos.

2 - As crianças de hoje querem as coisas prontas e não têm paciência para ficar "colando pecinhas" e nem pais que saibam fazer isso pra ensinar... vamos combinar que montar kits é uma coisa para uma parcela mais abastada e culturalmente evoluída, certo? Quem tem grana anda reclamando dos preços e, quem sabe montar e o que foi a Segunda Guerra já tem mais de 45 anos no mínimo... e os filhos já cresceram faz tempo também e não herdaram o hobby do pai. Falta alguém como referência para as crianças e jovens entrarem no hobby. Sem criar um mercado consumidor maior para o futuro, mesmo os fabricantes vão fechar as portas em no máximo 20 anos (caso não mudem de ramo ou estratégia comercial e de marketing).

3 - Essa questão do "imediatismo" em ter um modelo pronto sem muito trabalho, seja por falta de aptidão manual ou principalmente tempo, não é coisa só dos jovens, pois eu mesmo andei vendendo meus kits e comprando modelos diecast, pela facilidade de achá-los e praticidade. Quem é casado sabe que é bem mais fácil abrir uma caixa que veio pelo Correio e ver um diecast pronto na mão, do que administrar falta de tempo e a dona da pensão "cobrando" um monte de outras coisas para fazer no fim de semana.  Logo, para ter tempo ou é desempregado (sem grana pra comprar kits) ou está aposentado (ou solteiro). Pra mim o diecast foi o que resolveu a minha vida, mesmo que eu ainda tenha um monte de kits nas caixas aguardando minha aposentadoria, mas aí não terei  mais visão boa e talvez nem tempo, porque aposentado tem que trabalhar pra sobreviver nesse país...

4 - Vejo que o colecionismo ainda existe, mas depende muito do tipo de temática que você quer, como por exemplo o que tem disponível em diecast X plastimodelismo. Se você não for um "muttley xiita" colecionador de medalhas e quiser só ter os modelos por apreciar as formas e relembrar a história, vários diecast são muito bons para isso, então você vê porque as coleções vendidas em bancas de jornal e até lojas de brinquedos fazem um certo sucesso, enquanto as lojas físicas de plasti foram morrendo até por não se adaptarem à essa nova realidade da perda de clientes do plasti para o diecast. O mercado mudou por conta de vários fatores: preço alto, falta de tempo e habilidade manual dos jovens... Lei de Darwin, quem não se adaptar morre, simples assim... Se as lojas de plasti talvez tivessem diversificado seus produtos, com itens Geek por exemplo, teria uma clientela boa, com pais comprando modelos da WWII e filhos comprando naves de Star Wars e bonecos Marvel. Minha filha quis 3 bonecos do Pantera Negra, itens colecionáveis, mas todos já prontos pois o conceito dos jovens é ter mas não "fazer"... ou seja, querem as coisas já prontas e não ficar montando.

5 - Pouca oferta x demanda por novidades. Está aí um ponto complicado pois quem é velho no hobby e principal comprador praticamente já montou quase tudo que queria (ou pelo menos tem o kit na caixa...), então não vai mais comprar muita coisa por falta de opções diferentes, uma vez que temos pelo menos 7 fabricantes para o mesmo ME-109, certo???? Com a falta de espaço e grana o cabloco compra um só e olha lá.

6 - O uso da tecnologia está matando várias profissões em que as habilidades manuais são necessárias, assim como a montagem de kits, e no futuro até os robôs vão fazer cirurgias delicadas. Esse será o início do fim da raça humana... a falta de habilidade manual vai acabar com a capacidade dos humanos em se virar nos 30, e com isso vamos perder a criatividade e sucumbir aos meios eletrônicos. Será rei quem souber trocar um pneu, fazer um aviãozinho de papel ou pintar um quadro com tinta e pincel. Mas devido a automação exagerada, essas pessoas  seremos nós, quando formos descongelados na cápsula do tempo...

Abs,

Sérgio Carvalho U-1

 

fw190

Com um preço desse por um kit 1/72, o mercado de modelismo (não o hobby) merece sim morrer no Brasil...  No meu tempo de garoto eu comprava um kit 1/72 da Revell-Kikoler com os trocados pra merenda no colégio que minha mãe me dava ao longo de 15 dias, comprando numa banca de jornal perto da escola.  Sem trilhar esse caminho novamente o futuro do hobby não existe.  Lojas de modelismo especializadas só tornam o hobby elitista e inacessível.   Sem a opção barata encontrada na loja de brinquedos, no armarinho ou na lojinha de variedades, sem preços em dollar, não tem como atrair garotada. 

Incluir Resposta

Curtidas (1)
Mario naval
×
×
×
×