Augusto,

De forma alguma é a minha praia... por opção e falta de habilidade para montar militaria. Acho fantásticos os trabalhos realizados nessa vertente do modelismo... Tenho sangue de "pracinha" correndo nas veias e realmente me empolga os olhos trabalhos assim realizados.
Tiro o chapeu para a sua didática e montagem.
Parabéns!

Abraço!
Luca.


Obs: Em uma das menssagens vi o trabalho enorme em montar Link by Link e a grande dificuldade em colar de forma segura, alinhada e forte.
Existem 2 adesivos (talvez você já os tenha usado) e podem ser uma alternativa ao que você usa. São eles o scotch flex e o scotch Mix da 3m.
O scotch Mix é muito legal inclusive para "imitar" lentes de paineis pois tem quase 96% de tranparência. Se você aquecer um pouco a mistura ela ficará mais líquida e talvez não fique fora da escala. A scotch flex é também muito legal e pode ser igualmente usada na colagem, mas não serve para lentes pois é opaca.
Augusto, me tira uma duvida:

Voce montou as rodas e as esteiras no modelo.

Como voce irá pintar a parte preta externa das rodas?

Será no pincel?

Estou montando um SDFKZ 250/9 e estou na dúvida de montar as rodas e esteiras e pintar depois ou pintar as rodas, as esteiras e depois montar para fazer o weathering.

Abraço e parabéns pelo tutorial.

Ricardo
Luca

Valeu pelas dicas de cola, nesta outra montagem onde eu também usei esteiras de resina preferi um tipo de superbonder gel o que tornou a montagem mais simples.

Ricardo

Ainda estou pensando a melhor maneira de pintar as rodas, mas acho que devo usar uma caneta para transparecias, aquelas usadas para se escrever em CDs.

Aviso

Estou com visitas em casa e isso significa que a bancada está no momento fora de alcance, novidades só no fim da semana.
Vamos agora fazer a pintura das rodas da frente e isso eu vou fazer com pincel para mostrar como se obtém uma pintura lisa.

Para isso vou usar esta tinta acrílica, tintas acrílicas são conhecidas por não serem boas para uso no pincel, vamos ver como contornar isso.


Usando um godê de louça coloco num compartimento a tinta e no outro o diluente, no caso álcool isopropílico.



Molhe o pincel na tinta




Depois no solvente



Num terceiro compartimento misture tudo para que fique bem líquido. (esses passos vão se repetindo durante todo o processo, sempre acrescentado mais tinta ou solvente de modo a manter a consistência da mistura)




Agora com o pincel cheio vamos transferir a mistura para a roda. O segredo aqui é não esfregar o pincel na peça, apenas encoste de leve de forma que a tinta “escorra” do pincel para a peça.





O resultado inicial não vai ser uma cobertura completa



Mas vá repetindo a aplicação até atingir a cobertura desejada. Pode ser um pneu desgastado (neste caso devido ao amarelo por baixo)


Ou, aplicando mais, chegar a um pneu mais novo.



Vou deixar o pneu mais escuro porque mais para frente vou mostrar outra forma de representar o desgaste.

Se preferir fazer isso com uma tinta esmalte, então o processo será o mesmo, mas neste caso vai ter de esperar mais para dar uma segunda ou terceira demão, normalmente de um dia para o outro. A beleza da tinta acrílica é a rapidez da cura. Os bancos, estou fazendo do mesmo modo só que com tinta esmalte, a primeira mão já foi, depois coloco as fotos com o processo completo.

Continua....
Vamos então a pintura dos rodeios.

As rodas internas são muito toscas, no veículo verdadeiro o cubo tem uma borda mais alta até onde começa a borracha, mas no modelo isso não aparece.



A solucção mais simples é pintar toda a borda como se fosse de borracha, não aparece muito mesmo, mas vou tentar aqui uma solução mais comlicada.

Primeiro usando um estilete NOVO, para garantir um corte limpo, e um “bolometro” ( o nome correto é gabarito de círculos) cortamos as máscaras com diâmetro ligeiramente menor que as rodas internas.




Para facilitar a colocação sobre as rodas internas corte cada circulo em dois, nas rodas externas foi feita apenas uma máscara para cobrir totalmente a roda, estas eu vou pintar no pincel porque tendo o meio em alto relevo não se presta, ao uso das máscaras.



Fiz a pintura com o aerógrafo, pressão baixa e abertura mínima para não escorrer.



As rodas externas tem uma separação indicando onde termina o cubo o que facilita o uso do pincel.





Mais uma vez tinta diluída no godê e pincel fino desta vez.



Não ficou assim uma Brastemp, mas dada a pobreza do modelo acho que ficou aceitável.



Aqui como estão os bancos usando tinta Humbrol e o mesmo processo explicado na pintura dos pneus. (a parte com excesso de brilho se deve a tinta muito diluída, isto não é problema, pois o verniz vai igualar tudo.




Até ai esta bom, mas meio com aquela cara de brinquedo. Vamos então começar a usar as técnicas que realmente fazem diferença no acabamento final do modelo.

Continua....
Valeu pessoal, vamos em frente que já está chegando a hora boa. Maneiro !!!!

Acabei esquecendo se pintar as esteiras, mais uma vez vou com o pincel e tinta acrílica seguindo a mesmo receita.

A parte metálica foi pintada com esta tinta, bem diluída com álcool.





Os retângulos de borracha foram pintados com a mesma tinta usada nos pneus, ainda que na foto quase não se veja a diferença. Os pequenos defeitos que ficaram serão corrigidos depois usando um pincel fino.

quote:
Originalmente publicado por Bunger:
Eu gosto de acompanhar as aulas do Augusto porque ele sempre quebra os mitos...mito da retrolavagem, mito de usar tamiya com aerógrafo, mito de usar tinta acrílica no pincel...acho que isso nos dá muita motivação quando enfrentamos esses dilemas.

Parabéns Augusto, continuo aqui fiel Legal !!!
O próximo passo é quebrar um pouco a monotonia do acabamento, em modelos deste tamanho a mudança não é dramática e difícil de mostrar em fotos, mas podem acreditar que muda o acabamento.

O modelo estava assim



Para fazer a mudança vou usar tinta a óleo em bisnaga. O diluente indicado é terebentina, mas o cheiro é muito forte então eu uso o diluente Eco da Corfix que é praticamente inodoro. Tem uma opção da Acrilex chamada Ecosolv, eu usava este, mas tem um pouco mais de cheiro e acho que o da Corfix dilui melhor.



Para obter uma variação no acabamento eu uso de 3 a 4 cores, neste caso o branco, o verde e o amarelo.





Para aplicar no modelo faço uns pontinhos sem muita ordem, já que a intenção é mesmo obter um acabamento variado






Depois com um pincel chato vou espalhando as cores








A medida que a tinta vai se espalhando vou removendo o excesso, a idéia é que não se veja mais nehuma das cores aplicadas



No caso dos bancos apliquei apenas o preto bem diluído que dá um bom resultado.




Ainda que com esta luz não se possa ver perfeitamente a diferença, ficou assim. Agora é deixar tudo isso secar bem.



Continua....
Augusto,
Apesar de ser "burro velho" em modelismo, confesso que tenho aprendido muito acompanhando seu tutorial. Estou curioso de ver como ficará o acabamento com tintas a óleo. Procurei mais informações sobre a cola Tekbond e fiquei sabendo que eles tem uma linha específica para modelismo. Você sabe onde posso encontrar para compra no Rio de Janeiro, ou por correio em outro estado?
Parabéns pelo belo trabalho que está realizando.
Alves
quote:
Originalmente publicado por Alves:

Procurei mais informações sobre a cola Tekbond e fiquei sabendo que eles tem uma linha específica para modelismo. Você sabe onde posso encontrar para compra no Rio de Janeiro, ou por correio em outro estado?
Parabéns pelo belo trabalho que está realizando.
Alves


Caro amigo Alves, vc encontra Tekbond aqui: www.commerce-center.com.br
é uma loja virtual muito bacana, já comprei várias vezes lá...a entrega é feita via correios...procure no depto. de modelismo...

[]s.
quote:
Originalmente publicado por Alves:
Augusto,
Apesar de ser "burro velho" em modelismo, confesso que tenho aprendido muito acompanhando seu tutorial. Estou curioso de ver como ficará o acabamento com tintas a óleo. Procurei mais informações sobre a cola Tekbond e fiquei sabendo que eles tem uma linha específica para modelismo. Você sabe onde posso encontrar para compra no Rio de Janeiro, ou por correio em outro estado?
Parabéns pelo belo trabalho que está realizando.
Alves


Alves, no www.commerce-center.com.br tem as colas tekbond da uma olhada la
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
quote:
Gostaria de saber o que vc usa para diluir a Future?


Renaud

Não diluo, vai direto no aerógrafo.

Rezende

Esta sobre um vidro que recobre parte da bancada.


E pra limpeza do aerógrafo nesse caso, o que vc usa?

Outra dúvida... tem algum motivo especial pra vc ter usado verde, branco e amarelo pra fazer a variação no acabamento?
Na limpeza eu uso álcool isopropilico, mas acho que álcool comum também serve. O importante é limpar bem pois o future depois de seco vira "pedra" e é muito trabalhoso para limpar.

As cores foram escolhidas tentando evitar as complementares, cores complementares, em resumo, são aquelas que colocadas juntas dão grande contraste. Aqui o negócio é obter um baixo contraste para ficar bem suave o efeito. O branco é usado para tirar um pouco da intensidade das cores.

De uma verificada onde se encontra a cor do seu modelo e procure usar cores que estejam próximas a ela e evite as que estão no extremo oposto.

O wash (ou lavado) e feito com uma tinta bastante diluída, já que o que se quer é um efeito bem suave. É importante que o solvente usado, já que a mistura será quase toda solvente, não ataque a pintura já feita. Neste caso como a pintura foi feita com tintas a acrílicas o solvente pode ser, água, aguarráz , terebentina ou o próprio diluente Eco que eu já usei. O material mais comum é a tinta a óleo que eu também costumo usar, mas tenho prefiro usar a tinta Humbrol. Ela tem um pigmento mais fino e para esta escala dá um resultado melhor.

O primeiro passo é preparar a mistura que neste caso será um marrom escuro, para cores mais escuras pode se usar o preto.





Feita a mistura basta molhar o pincel e encostá-lo nos pontos que se pretende escurecer, o acabamento liso e o efeito de capilaridade vão fazer a tinta escorrer pelas reentrâncias.



Qualquer excesso ou má colocação pode ser resolvido com um cotonete úmido (do mesmo solvente) mesmo depois de seco o wash pode ser removido assim desde que a superfície esteja bem lisa.






A aplicação vai ser repetida algumas vezes até que se obtenha o efeito desejado.







No radiador foi aplicada uma mistura mais escura para simular os vãos nas grades.



Depois de algumas aplicações já da para perceber a mudança no acabamento.

Antes



Depois

Caro Augusto,

Estou realizando um diorama com tema da campanha do norte da Africa - Afrikakorps - mesclando aviação - Storch e veiculos leves e blindados.

No que diz respeito aos veículos gostaria de saber certa, tanto para cor de fundo como para a pintura final, para os seguintes modelos:

1 - Kubelwagen
2 - Sd Kfz 250 / 3

Tava estudando a possibilidade de usar as tintas da hobby cores e lá possui uma chamado Tinta Acrílica Flat Afrika Korps Yellow - HCF-36 (segue foto) mas também outros amarelos....Por isso a dúvida o que vc sugere?


Por gentileza de uma olhada neste site da commerce e verá o que estou tentando dizer....

http://www.commerce-center.com.br/subcategoria.php?cate...Tintas%20Acr%EDlicas


Obrigado pela ajuda,
Marcelo


Ambos na 1/72.
Bom novas atualizações agora só no ano novo. A única mudança foi que retirei o cesto traseiro. Não estava satisfeito com ele, a forma não era correta e o fato de as barras serem chatas e não cilíndricas me incomodava bastante.

Tirei o cesto e substitui por algumas peças da caixa de acessórios. Estas peças estão pintadas mas ainda vão levar um wash para acentuar os contrastes

Retomo no começo do ano.





Vamos agora aplicar um pouco de empoeiramento no veículo, para isso eu costumo usar giz pastel seco (Atenção: O giz pastel óleo não serve). Existem produtos prontos para se fazer isso, mas eu pessoalmente não vejo grande vantagem neles, além de terem um custo bem mais alto. Um dos mais conhecidos é este.


http://www.migproductionsforums.com/shop/index.php?cPath=22_33

O pastel que eu costumo usar é este.




A primeira coisa a saber sobre os pasteis é que não é preciso ter um monte de cores, bastam algumas cores básicas e com elas se pode fazer outras, vamos ver como.

Neste caso vou querer uma cor de terra clara então começamos preparando as cores. Para se usar o giz pastel é preciso primeiro transformá-lo em pó, para isso eu raspo com uma lâmina de estilete.







Temos ai três cores e vamos ver como é simples misturá-las. Primeiro o marrom escuro com um marrom mais claro. Note que mesmo sendo um pó depois de misturados não se pode mais ver as cores independentes, mas apenas o resultado da mistura, da mesma forma que uma tinta. Para misturar eu uso um pincel de cerdas duras.





Para clarear um pouco mias misturo um pouco de amarelo





Como eu disse com algumas cores básicas e um pouco de experiência é possível fazer uma infinidade de tons.

O ideal é aplicar o pastel depois da aplicação do verniz fosco, isto porque o verniz fosco tem uma superfície ligeiramente áspera o que facilita a deposição do pó. Para aplicar eu uso o mesmo pincel com cerdas duras. Aviso que este tipo de aplicação acaba rapidamente com as cerdas do pincel, então reserve um para apenas este tipo de uso.








Aqui o modelo já com a “poeira” aplicada.



Uma das vantegens do pastel é que ele é muito fácil de retirar no caso da aplicação não ficar satisfatória. Basta um cotonete ou pano úmido.







Outra forma de aplicar o pastel é diluindo com água. Se misturamos água no pó ele se transforma numa espécie de tinta que facilita a aplicação em reentrâncias.







O problema do pastel é que seu acabamento é extremamente frágil, basta passar o dedo com um pouco mais de força e ele sai. Na próxima etapa vamos ver como contornar isso.
Hmmm...interessante essa tecnica do giz pastel. Já conhecia. Mas nunca tinha visto um passo a passo bem explicado. Captou ???
Sobre contornar esse problema com o giz pastel, é aplicar verniz sobre o kit, após receber o envelhecimento ? Parabens pela montagem.

Ps: só por perguntar, quando que custa em media um giz pastel? Um abraço.
quote:
Originalmente publicado por Landon Carter:
Ta show heim.]


Eh.. o giz pastel seco é indispensavel pra quem monta militaria.
O preço é por ai mesmo a unidade... por aqui compro um por uns 3,50 da marca Nupastel, que é otima, já a caixa c/ varias cores por volta de 30,00 [que aqui ta virando tendencia, infelizmente].


Landon, se dê por satisfeito. Aqui em BH que está inserido no que alguns chamam de "Sul maravilha" está bem difícil de se encontrar o pastel seco (óleo tem a rodo)...
O meu já acabou a maioria dos tons e estou precisando comprar, e vou ter que me valer de internet.
quote:
Originalmente publicado por JMMRezende:
quote:
Originalmente publicado por Landon Carter:
Ta show heim.]


Eh.. o giz pastel seco é indispensavel pra quem monta militaria.
O preço é por ai mesmo a unidade... por aqui compro um por uns 3,50 da marca Nupastel, que é otima, já a caixa c/ varias cores por volta de 30,00 [que aqui ta virando tendencia, infelizmente].


Landon, se dê por satisfeito. Aqui em BH que está inserido no que alguns chamam de "Sul maravilha" está bem difícil de se encontrar o pastel seco (óleo tem a rodo)...
O meu já acabou a maioria dos tons e estou precisando comprar, e vou ter que me valer de internet.


Me passe o link quando achares!!!!!! Ta loco sô !!!!

Estou louco atrás de giz pastel aqui no interior do Paraná e não acho nem com macumba Que saco !!!!
Fabiano

Você não precisa comprar todas estas cores, eu é que sou compulsivo nestas coisas.

Escolha alguns tons de marron, preto e amarelo para clarear. Isto é suficiente.

De qualquer forma os que eu tenho são:

Todos da linha 8500: 46,39,35,30,12,23,33,14,52,51,11

Falta ai o amarelo mais vivo, o papel rasgou bem no lugar do número.
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
O primeiro passo é preparar a mistura que neste caso será um marrom escuro, para cores mais escuras pode se usar o preto.


Augusto, vc usou o marrom pra simular poeira ou pra fazer um especie de deep color?

ótimo trabalho! sou iniciante e aprendi muito com vc.

obrigado!
Olá Augusto,como vai?
Andava meio distante da Webkits e só agora vi esse post. Incrível, muito bom mesmo!
Parabéns pela iniciativa, isso com certeza será muito útil aos iniciantes e aos nem tão iniciantes assim.
Como já disseram por aqui, acho que o Brisa ou o Sidney deveria fazer um artigo desse tutorial, vale a pena e não podemos nos dar ao luxo de perder essas informações preciosas pelos labirintos dos posts.
Abraços e continue a montagem!
Cheers mate!
Paulo
Antes de dar o tratamento no pastel vou fazer uma modificação no para-brisa. Eu não gostei de como ele ficou e vou aproveitar uma faceta hist´rica para esconder o que eu achei que não ficou bom.

No deserto os vidros eram em geral abaixados e cobertos com um pano. Isso para evitar que o reflexo do sol neles denunciasse a posição do veículo.

Para simular o pano o melhor modo que encontrei é usar fita teflon, também conhecida como fita veda rosca. Primeiro corta-se um pedaço e envolve-se a peça. Em geral duas ou três camadas são o suficiente. Se precisar colar use cola para pano.



Depois é só pintar com pincel ou aerógrafo usando de preferência uma tinta esmalte.



Aqui o efeito com o para brisa colocado no veículo



Ainda vai um wash para acentuar um pouco mais as dobras, mostro isso no próximo post.
Xiu! Sossega aí, muléqui! Maneiro !!!!

90% das coisas que aprendi no plastimodelismo foi o que outros me ensinaram. O dia que vc voltar lá em casa eu te mostro os modelos AW e DW (Antes da Webkits e Depois da Webkits). Antes de encontrar o antro, eu não fazia a menor idéia de que raios seriam "washing", "fadding", "chipping" e outras cositas màs... Maneiro !!!!

Vai encher o saco do Marcão, vai... Ó pra você.. !!! Maneiro !!!!Maneiro !!!!Maneiro !!!!
quote:
Originalmente publicado por fernando frota melzi:
Xiu! Sossega aí, muléqui! Maneiro !!!!

90% das coisas que aprendi no plastimodelismo foi o que outros me ensinaram. O dia que vc voltar lá em casa eu te mostro os modelos AW e DW (Antes da Webkits e Depois da Webkits). Antes de encontrar o antro, eu não fazia a menor idéia de que raios seriam "washing", "fadding", "chipping" e outras cositas màs... Maneiro !!!!

Vai encher o saco do Marcão, vai... Ó pra você.. !!! Maneiro !!!!Maneiro !!!!Maneiro !!!!


Sei sei sei!

O Marcão tava viajando, não dava para eu encher o saco dele

P.S. Esses dias testei o verniz da Easy Colors, 100%

P.S2 E aquela sua proposta do BF-109, ta de pé?!
Hum... sei....!!!
Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!!
Tudo bem, Augusto?

Cara, que aula vc deu...nem te conto!!! Ta loco sô !!!! Ta loco sô !!!! Ta loco sô !!!!

Depois dessa acho que vou desmontar todos os kits (algumas centenas) e começar tudo de novo aplicando as suas técnicas...hehehehehe Maneiro !!!! Maneiro !!!! Maneiro !!!!

Falando sério, aprendi muita coisa neste seu tópico e assim como vc, os meus kits agora se resumem ao antes e ao depois da Webkits.

Aprendi muita coisa e tirei muitas dúvidas que tinha a respeito de como usar o giz pastel, aplicar o primer, sem falar nas dicas de máscara líquida, do fio de cobre, de como manuseá-lo. Fiquei maluquinho com aquela broca manual e já estou atrás dela.

É muito bom para a comunidade, a iniciativa que vc teve de mostrar passo a passo a montagem e dividir o seu conhecimento. Que isto sirva de lição p/ outros, que, assim como vc, tem muito a nos ensinar.

Muito obrigado e um grande abraço!!! Legal !!! Maneiro !!!! Tô na boa...!

José Luiz
Alex

Ferramentas para manusear peças pequenas você encontra e lojas que vendam material para ourives e relojoeiros, o nome é Fornitura.

Não tem ai o local onde você mora, mas pode comprar online basta entrar no google e digitar fornitura, vão parecer várias lojas.

Para dobrar foto gravura não existe, tanto quanto eu saiba, ferramenta nacional, ai o jeito é improvisar ou mandar vir de fora.


José Luiz

Quando eu fiz este tópico, que ainda está inacabado (preciso resolver isso) a ideia era essa mesmo colocar o maior número de técnicas que eu conheço a disposição de quem que aprender. Nem de longe esgota o assunto, mas acho que já é um bom começo.

Minha recompensa é ler mensagens como a sua, obrigado.
Fora de série esse tutorial! Parabéns é pouco, faltam palavras! As dicas são excelentes e o que impressiona mais ainda é que num modelo em 1/72, bem pequeno. Nas fotos parece maior!

Atitudes como essa mudaram o meu conceito sobre o plastimodelista experiente. Sem mentira, sem hipocrisia: Já vi alguns modelistas [não por aqui] que eram um tanto convencidos e suas atitudes desestimulavam o interesse pelo hobby, com se fosse algo "exclusivo demais".

Agradeço a você [e aproveito a agradecer também ao Panzerserra quando vejo suas obras] por estar aprendendo de uma forma que faz mais e mais aumentar minha atração pelo plastimodelismo e o consequente embate com minha esposa: "Mais kit!!? mais ferramenta!!?? e ainda não parou de comprar coisa pra esse teu plastimodelismo!!??". Ainda arrisco a chance de um possível dia fazê-la gostar...
Depois de um longo intervalo vamos a mais alguns passos.

Primeiro vou fazer as bolinhas brancas que ficam nas antenas dos pára-lamas dianteiros. Como esta bolinhas são brancas, para facilitar o trabalho, vou usara cola branca colorida na cor Branca. Pode-se também usar uma cola branca comum ou mesmo superbonder como já mostrei aqui, mas depois vai ter de pintar. Esta dispensa a pintura.



Coloque uma gotinha num recipiente qualquer e use alguma coisa bem fina para transportar a cola, no meu caso uma agulha de injeção.




Ai é só encostar a cola na ponta da antena que ela passa para lá. Vá repetindo pequenas encostadas até que o volume de cola esteja do seu agrado. O efeito da coesão interna do líquido vai fazer com que a cola tome uma forma esférica.

Duas dicas: Deixe a cola curar um pouco antes de transferir para o modelo, isso vai evitar que ela escorra. Se a cola não fica com uma distribuição homogênea, basta ir tocando de leve com a agulha no lado em que estiver faltando cola que ela se redistribui.

O resultado é este.



Como já tinha dito antes, o giz pastel aplicado no modelo tem um acabamento frágil, então vamos usar um selante para proteção e fixação.

Muita gente costuma usar o próprio verniz fosco, mas isso acaba matando o efeito do pastel. Para não perder o trabalho a melhor maneira de se fazer isso é usando um produto próprio chamado fixador de pastel. O melhor produto que encontrei até agora é o Pastel Fixative da Talens. Ele é completamente translúcido, pode ser aplicado diretamente do aerógrafo sem qualquer diluição e ainda por cima tem um cheiro muito agradável. Mas o mais interessante é que ele não altera o acabamento do modelo. O único cuidado é não aplicar uma camada muito espessa. Uma ou duas passadas de leve com o aerógrafo já são suficientes para proteger o pastel.

Obs: Claro que você não vai poder ficar esfregando o dedo nele, mas vai poder manipular o modelo com bastante segurança, sem afetar o acabamento.






Não dá para mostrar o efeito no kit, pois o efeito é exatamente não ter efeito visível algum, então vou reproduzir aqui um teste que fiz tempos atrás.

Uma amostra pintada



Giz pastel aplicado sobre ela



Aqui separei a amostra em três partes, numa não apliquei nada, na outra apliquei o fixador da Talens e na última verniz fosco acrílico. Dá para ver bem como o fixador da Talens interferiu bem menos no acabamento do que o verniz fosco.





Por fim um teste de resistência feito passando um cotonete de leve sobre cada amostra.



E por enquanto nosso modelo está assim, mais de 300 fotos depois está quase pronto.





Ta loco sô !!!!
Professor Augusto.
Que esse seu passo-a-passo virou uma aula de modelismo vou estar dizenso o mesmo que todos já disseram, mas mesmo assim eu disse.
O que faltou comentar foi o silêncio da turmada da classe...Todo mundo prestando uma atenção danada... Maneiro !!!!
Mais que aula de modelismo, vc deu ensinamentos de humildade, camaradagem e capacidade de provar que o mais fácil é fazer o mais simples e que isso sempre dá certo.
Professor, vamos lá que vc ainda tem mais umas coisas prá ensinar prá nóis, né...???
P.S. a maçã entrega no fim da aula???
Abraço e toca prá frente q tá bom demais...
Augusto,

já há algum tempo estou no plasti, com aviação da WWII, em 1/72, e há pouco tempo entrei na militaria, também 1/72 (até onde eu sei, são poucos modelistas que fazem nessa escala), e devo lhe dizer, que, na maior humildade, boa vontade, e didática você vem ensinando a TODOS. Experientes, os que não são tanto assim, e os novatos. Show de bola, esse tutorial realmente merece virar artigo. Meus parabens.

Só tenho umas pequenas dúvidas: os fios de cobre que você usa, são de fio elétrico? qual o diâmetro? e quais os alicates usados na dobra dos fios, e seu tamanho?


Obrigado Augusto

Você realmente está de parabens.

abraço
Walter

Aqui não tem professor nem aluno, para mim a graça deste hobby é compartilhar informações. Muita coisa do que sei aprendi com outros colegas do hobby e não faço mais do que passar adiante aquilo que recebi de bom grado.

Pigmeu

Não são tão poucos assim, é que andam meio escondidos. Só na nossa associação tem pelo menos 3, mas destes só eu posto aqui. Quanto aos fios de cobre eu tenho pedaços de várias medidas e uso aquele que perece mais adequado para cada caso. Os mais finos vem de um cabo de um Mouse quebrado, outro de uma bobina que alguém me deu de presente, outros ainda o Batista é que me arrumou. Qualquer equipamento elétrico quebrado que você tenha por ai vai ser uma boa fonte destes fios. Uma outra boa dica é procurar uma casa de materiais eletrônicos, lá vai encontrar fios de cobre nú (sem capa) de todas as medidas vendidos a metro. Os alicates que eu uso estão mostrados ai no tópico com a explicação do que cada uma faz.
quote:
Originalmente publicado por JMMRezende:
Seu Gugu, eu tenho um Sdkfz 7/1 para montar, só que na 1/32. Já pude perceber que ele pode ser montado com a direção articulada, mas eu queria saber se ele tem esse esterço todo, como está em uma das fotos ou vou ter que por um "limitador".
Me parece que o kit vira demais a direção.


É 1/35 sua besta!!!!! Ó pra você.. !!!Maneiro !!!!
quote:
Originalmente publicado por Joker:
quote:
Originalmente publicado por JMMRezende:
Seu Gugu, eu tenho um Sdkfz 7/1 para montar, só que na 1/32. Já pude perceber que ele pode ser montado com a direção articulada, mas eu queria saber se ele tem esse esterço todo, como está em uma das fotos ou vou ter que por um "limitador".
Me parece que o kit vira demais a direção.


É 1/35 sua besta!!!!! Ó pra você.. !!!Maneiro !!!!


Besta não, é que eu sou mais familiarizado com os aviãozinhos, e agora estou me aventurando nos carrinhos e tanquinhos.
Que culpa tenho eu se fizeram as escalas tão doidamente????
Augusto, esse é o mais impressionante e bem elaborado trabalho que já vi. Tô tomando a liberdade de gravar tudo, retirar comentários que não os seus com explicações sobre a montagem, editar o tamanho das fotos e fazer uma montagem tal qual um livro para edição e pretendo te enviar tudo ao final como um arquivo. Acho que merece uma publicação como um livro técnico, ou no mínimo em CD. Com certeza teu trabalho servirá como fonte de pesquisa e orientação para muitos modelistas. Ele passará ao Augusto e ficará por gerações como um dos melhores já feitos, pode ter certeza.
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
Rui

O objetivo é este Legal !!!

O Oswaldo Antonnelli me fez o grande favor de transformar tudo isso num arquivo word e eu vou passar isso para um PDF que vai ficar hospedado no site da APRJ, assim qualquer um vai poder baixar e ter em casa.


já esta disponivel o artigo em formato PDF ?? Hummmm, num tô "intendendo"... Maneiro !!!! este é para imprimir, encadernar e guardar na biblioteca de consultas e referências. Tô na boa...!
Augusto
Cara como vários já repetiram esse tutorial é show, d+, ensinamento puro.
Montava qdo tinha meus 14 anos e agora voltei montando junto com meus 2 filhos, aprendemos muita coisa e ja estamos aplicando num stuka 1/32.
Seu tutorial me motivou muito no hobby e passei a utilizar as ferramentas adequadas.
Obrigado pela sua disponibilidade e iniciativa de dividir conosco seus
conhecimentos, isso realmente torna um homem grande e sábio.
Tomei a liberdade de salvar algumas dicas e fotos para consulta futura também.
abs (parabéns pelo sua cidade ser sede 2016)
Olá Augusto.Como vai?
Estou acompanhando desde o inicio esse tutorial.
Gostaria de passar para os que estao acompanhando uma tecnica de esticar
fios de cobre ou de latão.

Pegue um pedaço de fio de cobre ou
latão,aqueça-o no fogão até ficar todo vermelho,cuidado para não se queimar.

Deixe-o esfriar ao natural.
depois prenda-o em uma morsa(eu como não tenho morsa,prendo-o na grade do portão),com um alicate comum estico o fio puxando de leve.
Esta tecnica funciona bem para fios de bitola maior.Mais grossos.

Seu tutorial esta show de bola.
Ganhei um Panzer IV Ausf H na 1/35.
E vou seguir todas as dicas que vc passou aki.

OBS:Monto aviação 1/32,então sera o primeiro.

Um grande abraço

Obrigado

Adriano
quote:
Originalmente publicado por Panzerserra:
Concordo !!!!
Concordo !!!!

São raros os modelistas que se dispõem a partilhar conhecimentos, demonstrando seus trabalhos e suas técnicas.
A maioria dos assim chamados Doutos sobem em seus tijolinhos de vaidade e apontam milhares de erros dos outros e não expõem seus imaculados traseiros às seringas das críticas aos seus ausentes trabalhos.

Atitudes como esta do Augusto deveriam ser repetidas por todos aqueles que tem um pouco mais de experiência para aumentar o nível do modelismo nacional, seja em quantidade, seja em qualidade...

Digo e repito, Augusto: não deixe este tópico ser tragado pelo Buraco Negro!!!

Transforme isto em um belo de um Artigo !!!!


O modelismo tupiniquim agradece !!!!



Mesmo ausente das montagens, devido ao nascimento de meu Filhão (novo modelista que vem ai) concordo com o mestre Serra, VAMOS COMPARTILHAR POVO EGOISTA...

Augusto parabens...transforme em artigo !!!
Tudo bem, Augusto?

A última vez que estive aqui e comentei, foi em junho. De lá pra cá, voltei aqui várias vezes para rever o seu artigo e sempre tem algo que deixei passar.

Já tive a ooportunidade de aplicar várias de suas técnicas, tais como a de usar cola branca pra fzer aquelas bolinhas das antenas, a de fazer as alças com fio de cobre e a aplicação do giz pastel, este realmente nunca tinha usado e nem sabia como usar, mas graças a você já não me sinto mais um et neste assunto.

Gostaria de saber se o artigo já foi passado para pdf e se já está disponível. É sem dúvida nenhuma uma fonte preciosa de aprendizado para plastimodelistas de todos os níveis.

A sua iniciativa foi simplesmente fantástica e, espero que sirva de incentivo para outros colegas fazerem o mesmo. Também serve de um belo puxão de orelha para aqueles que guardam o que sabem para si de forma egoísta, que não condiz em nada com nosso hobby.

Assim que estiver tudo pronto nos avise, ok?

Espero que não demore muito para você nos presentear com mais uma jóia do seu vasto conhecimento.

Um grande e forte ABRAÇO.

José Luiz.
Benva

Obrigado, o objetivo é este.

José

Infelizmente ainda não, o arquivo esta com um amigo que ainda não teve tempo de terminara a tarefa, ainda que eu lembre isso a ele de 15 em 15 dias. Maneiro !!!!

Pode deixar que assim que estiver pronto eu coloco o link aqui. Enquanto isso vamos contando com a boa vontade do Brisa em manter este tópico vivo, mesmo contra a regra geral do fórum. Legal !!!

Fico feliz que esteja sendo de ajuda e estou pensando e fazer um outro em breve com a montagem de um avião, ainda que não seja exatamente o meu ponto forte.
quote:
Originalmente publicado por Benva:
A regra de ouro é: O que você não consegue pintar depois de montado, ninguém cosegue ver.

Ultimamente estou usando dessa teoria a prática.

Um abraço

Benva


acho que nao e bem assim....entremeio de roletes e lagartas ficam com defeitos de pintura se deixares de ser criterioso...Se tu nao consegues pintar ,pq o pincel nao chega no entremeio de um rolote ,nao quer dizer que ninguem o vera sem pintura... Captou ???
quote:
acho que nao e bem assim....entremeio de roletes e lagartas ficam com defeitos de pintura se deixares de ser criterioso...Se tu nao consegues pintar ,pq o pincel nao chega no entremeio de um rolote ,nao quer dizer que ninguem o vera sem pintura...


Quem disse que não consegue? Eu consigo mesmo com um modelo 1/72, basta deixar o pincel bem cheio de forma que a tinta escorra por ali, com aerógrafo é ainda mais fácil.

As partes que não vai conseguir atingir são aquelas que tem algum obstaculo que impeça o acesso, como por exemplo as partes dos rodeios que estão encobertos pelas esteiras, mas estas obviamente você também não consegue ver. Captou ???
Augusto, só vi hoje esse tópico.
Depois de 2 anos! Afe!

Não repetirei a penca de elogios.
Fica até chato!

Fiquei impressionado por você não ter usado uma gota de "tiner" na montagem. Eu uso "tiner" para tudo, não tenho muito saco para ter 3 ou 4 tipos de solvente para cada produto. É "tiner" de automotiva e "dá-lhe fogo"!!

De toda a sua montagem, o que não gostei foi esconder o parabrisa com a veda-rosca. A peça era detalhada, com os limpadores e "tals"... não entendi porque escondê-la. Eu teria apenas deixado para colar o acrílico no final da montagem, facilitando a pintura da moldura e das borrachas das palhetas.

Você ainda vai dar uma "esfumaçada" de Tamiya Earth para simular poeira?

Um grande abraço e, mais uma vez, parabéns! Está do k-ralho!!!!

Abaixo, uns comentários-sobre-comentários, seus ou de outros colegas.

quote:
Originalmente publicado por Rafael Barouki:
Estou envergonhado, vou ter que remexer em tudo aqui. Esse tutorial me fez rever meus conceitos.
Parabéns.


Eu também...

quote:
Originalmente publicado por Luca:
Augusto,
Obs: Em uma das menssagens vi o trabalho enorme em montar Link by Link e a grande dificuldade em colar de forma segura, alinhada e forte.


Por acaso eu descobri uma mistura que fica muito boa: bonder + cola branca. COnsegui bons resultados por conseguir "ajustar" a peça e ter uma secagem rápida.


quote:
Originalmente publicado por Augusto:
Para isso vou usar esta tinta acrílica, tintas acrílicas são conhecidas por não serem boas para uso no pincel, vamos ver como contornar isso.


Eu discordo. Sempre usei em pinceis e nunca percebi serem "ruins". Deve ser um dos "dogmas" do Plastimodelismo.

quote:
Originalmente publicado por Augusto:
um “bolometro” ( o nome correto é gabarito de círculos)


Ou circulógrafo.

quote:
Originalmente publicado por Testament
Atitudes como essa mudaram o meu conceito sobre o plastimodelista experiente. Sem mentira, sem hipocrisia: Já vi alguns modelistas [não por aqui] que eram um tanto convencidos e suas atitudes desestimulavam o interesse pelo hobby, com se fosse algo "exclusivo demais".


Ih!!! Tem aos montes, Testa. Esse tópico deve ter "cutucado" muita gente que se acha!!! Parabéns ao augusto Augusto pela desmistificação!
Jean

Como o objetivo era mostrar o maior número de técnicas, montado o para-brisa preferi adicionar a lona, pessoalmente gosto mais assim.

Realmente nem todas as acrílicas são ruins no pincel. Descobri que as Vallejo, por exemplo, são tão boas ou melhores que de esmalte sintético.

Obrigado pelos comentários.
Maneiro !!!! Maneiro !!!!
Caro Augusto, só agora tomei conhecimento deste tutorial. Estou voltando agora ao hobby, depois de muitos anos e fiquei MA-RA-VI-LHA-DO, salvei página por página, já que o link para o Word, que foi passado está "quebrado". Vou editá-lo e transformá-lo em PDF. Muito bom, parabéns.
Só tenho um porém, eu só monto Naval-Militar e só 1/350, 1/200, 1/144, daí para mais, no entanto em todo tutorial apresentado, não só o seu, não se encontra nenhuma referência a montagem de kits navais, militares ou não. Você não acha que há uma certa resistência a essa categoria tão bonita e tão importante?
Forte abraço.
Maurizio.
Augusto, eu salvei o tópico todo em Word. Tomei a liberdade de fazer algumas correções ortográficas e alterações no corpo do texto, para ele ser mais linear e ficar de acordo com as fotos, que também foram redimensionadas para garantir uma boa leitura.

O arquivo tem mais ou menos 16Mb, como eu faço para transformar ele em .pdf? Não estou conseguindo pelas ferramentas on-line.

Qualquer coisa, se quiser eu te passo ele por e-mail, daí você converte em .pdf.

Abraços
Muito bom companheiro, ontem mesmo eu estava tendo dificuldades em aplicar a massa putty em frestas assim mencionadas e a partir de agora irá facilitar muito meu trabalho.

Parabéns pelas excelentes dicas.

quote:
Originalmente publicado por Augusto:
Vamos ver agora uma outra forma de se aplicar o putty, neste caso será apenas uma demonstração já que a área afetada não será visível no modelo pronto.

O problema é preencher esta fenda.



Aplicar o putty na forma já vista não sria o ideal já que as áreas afetadas são de difícil acesso, então vamnos ver a forma alternativa.

A primeira coisa que precisamos e um vidro de Acetona, neste caso o bom e velho removedor de esmalte que se encontra em qualquer farmácia.



Colocamos então uma porção de putty e o removedor para serem misturados, para isso eu utilizo este pequeno prato de louça com divisões que se encontra em lojas de material para pintura/artesanato.



Usando um pincel vamos misturando o removedor e o putty aos poucos.



Até obter uma pasta bem líquida



Usando então o pincel aplicamos a mistura na fenda




Algumas observações sobre este método:

A mistura seca muito rápido, mas basta adicionar um pouco mais de removedor para recuperar a consistência ideal.

Ao secar esta mistura sofre bastante retração, em geral é preciso aplicar mais de uma demão. Espere secar a demão anterior para verificar se precisa aplicar outra.


Terminada a aplicação basta limpar o pincel com um pouco de removedor limpo



Um hábito que tenho é depois de usar alguma substância química com o pincel, lava-lo em água misturada com detergente de cozinha, ajuda a conservar os pelos.



Aqui a vantagem do pratinho de louça, é muito fácil de limpar.




Ps. Esqueci de tirar uma foto de tudo já aplicado, depois coloco aqui.
Acredite se quiser, mas seu tópico está sendo MUITO útil, mesmo mais de 4 anos depois.
Hoje, comecei a lê-lo...já estou quase no fim.

Se ainda participa do forum e é modelista, pense em fazer outro didático novamente, agora com as técnicas que utiliza hoje em dia.
Seria um absurdo na ajuda de nós iniciantes.
Muito bom o GB. Aprendi muita coisa e tenha certeza de que vou usá-las.

Agora fica uma dúvida:

quote:

O Kit inscrito no GB será acompanhado de um canhão 88 mm Flak 18, já que os dois formavam uma dupla das mais conhecidas da segunda guerra.


Onde foi para o 88? Talvez eu tenha me perdido na leitura e você já tenha explicado isso... mas fica a curiosidade.
Augusto, parabéns pelo tópico. 4 anos dele... incrível.

Eu sou muuuuuito iniciante. Estou começando agora com o hobby. Já me apaixonei.

Pode me dar umas dicas?

Eu tenho umas dúvidas que adquiri lendo seu tópico, por exemplo: para aplicar técnicas de envelhecimento, qualquer uma delas, é necessário passar verniz sempre? Para passar verniz tem que se usar aerógrafo, pois eu não o tenho? Só pintei com pincel, e mesmo assim dois modelos somente. Como disse, sou muito novato. Preciso aprender a usar o aerógrafo para técnicas como essas???

Bem... novamente muito obrigado. Mesmo.

Abc.
quote:
Originalmente publicado por lgalvao22:
Augusto, parabéns pelo tópico. 4 anos dele... incrível.

Eu sou muuuuuito iniciante. Estou começando agora com o hobby. Já me apaixonei.

Pode me dar umas dicas?

Eu tenho umas dúvidas que adquiri lendo seu tópico, por exemplo: para aplicar técnicas de envelhecimento, qualquer uma delas, é necessário passar verniz sempre? Para passar verniz tem que se usar aerógrafo, pois eu não o tenho? Só pintei com pincel, e mesmo assim dois modelos somente. Como disse, sou muito novato. Preciso aprender a usar o aerógrafo para técnicas como essas???

Bem... novamente muito obrigado. Mesmo.

Abc.


Galvão

O verniz serve como proteção para os decais e e pintura. Além disso no caso do verniz brilhante facilita aplicação dos produtos para envelhecimento já que a tinta fosca é um pouco rugosa. Nao é preciso ter um aerógrafo, existem vernizes em aerossol, como o acrilex, que podem ser aplicados diretamente no modelo.
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
quote:
Originalmente publicado por lgalvao22:
Augusto, parabéns pelo tópico. 4 anos dele... incrível.

Eu sou muuuuuito iniciante. Estou começando agora com o hobby. Já me apaixonei.

Pode me dar umas dicas?

Eu tenho umas dúvidas que adquiri lendo seu tópico, por exemplo: para aplicar técnicas de envelhecimento, qualquer uma delas, é necessário passar verniz sempre? Para passar verniz tem que se usar aerógrafo, pois eu não o tenho? Só pintei com pincel, e mesmo assim dois modelos somente. Como disse, sou muito novato. Preciso aprender a usar o aerógrafo para técnicas como essas???

Bem... novamente muito obrigado. Mesmo.

Abc.


Galvão

O verniz serve como proteção para os decais e pintura. Além disso no caso do verniz brilhante facilita aplicação dos produtos para envelhecimento já que a tinta fosca é um pouco rugosa. Nao é preciso ter um aerógrafo, existem vernizes em aerosol, como o acrilex, que podem ser aplicados diretamente no modelo.
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
quote:
Originalmente publicado por lgalvao22:
Augusto, parabéns pelo tópico. 4 anos dele... incrível.

Eu sou muuuuuito iniciante. Estou começando agora com o hobby. Já me apaixonei.

Pode me dar umas dicas?

Eu tenho umas dúvidas que adquiri lendo seu tópico, por exemplo: para aplicar técnicas de envelhecimento, qualquer uma delas, é necessário passar verniz sempre? Para passar verniz tem que se usar aerógrafo, pois eu não o tenho? Só pintei com pincel, e mesmo assim dois modelos somente. Como disse, sou muito novato. Preciso aprender a usar o aerógrafo para técnicas como essas???

Bem... novamente muito obrigado. Mesmo.

Abc.


Galvão

O verniz serve como proteção para os decais e pintura. Além disso no caso do verniz brilhante facilita aplicação dos produtos para envelhecimento já que a tinta fosca é um pouco rugosa. Nao é preciso ter um aerógrafo, existem vernizes em aerosol, como o acrilex, que podem ser aplicados diretamente no modelo.


obrigado, sr. augusto, por responder a pergunta. Sou seu fã.

Eu acabei de construir meu primeiro modelo. Tentarei botar fotos para poder ter ideias e dicas.

abcs.
quote:
obrigado, sr. augusto, por responder a pergunta. Sou seu fã.

Eu acabei de construir meu primeiro modelo. Tentarei botar fotos para poder ter ideias e dicas.


O Senhor esta no céu. Maneiro !!!!

Fico sempre feliz em saber que depois de tanto tempo este tópico ainda continua dando frutos.

Se puder ser útil em mais alguma coisa é só perguntar.
Olá Augusto
Me permita discordar mas acho que mesmo os pigmentos da MIG ou da Vallejo necessitam um fixador, eu nunca soube sobre eles virem com "adesivo", o uso do fixador é muito útil, basta passar com pincel sobre a área a ser aplicada e aplicar o pastel ou pigmentos com outro pincel, soprar o excesso e pronto, não sendo necessário aplicar o verniz por cima.
quote:
Originalmente publicado por ArmouredSprue:
Olá Augusto
Me permita discordar mas acho que mesmo os pigmentos da MIG ou da Vallejo necessitam um fixador, eu nunca soube sobre eles virem com "adesivo", o uso do fixador é muito útil, basta passar com pincel sobre a área a ser aplicada e aplicar o pastel ou pigmentos com outro pincel, soprar o excesso e pronto, não sendo necessário aplicar o verniz por cima.

e este fixador e o da propria marca?
quote:
Me permita discordar mas acho que mesmo os pigmentos da MIG ou da Vallejo necessitam um fixador, eu nunca soube sobre eles virem com "adesivo",


Nos testes que eu fiz ele adere sim sem necessidade de fixador. O fixador é usado quando se pretende dar volume, fazendo lama por exemplo.

Mas como disse minha experiencia com este material foi apenas um teste, desisti dele exatamente pela dificuldade em se retirar depois de aplicado (sem fixador). Talvez alguém que use regularmente possa falar com mais conhecimento de causa.

Incluir Resposta

Curtidas (1)
Wolf
×
×
×
×