Olá Augusto. Devo dizer que sua postagem me ajudou muito. Eu não possuia a menor ideia do que fazer ou do que comprar.

Ainda não sei nada sobre plastimodelismo, mas graças a você hoje sou menos boçal no assunto.

Foi após a leitura de seu tópico que decidi realmente fazer isso e que basta um pouco de dedicação. Muito obrigado por compartilhar estas informações.

Já encomendei meu kit e mal posso esperar pra fazê-lo passo-a-passo como você ensinou
quote:
Originalmente publicado por Ulisses Simionato:
Muito bom!
Qual o solvente que usou na tinta óleo ? Tem algum solvente que afeta a Future ?
E qual o verniz fosco que costuma usar ?

Obrigado!


Ulisses

Eu uso diluente ECO da Corfix, mas pode usar também o Ecosolv da Acrilex. Ambos aplicados sobre future sem problemas.

O verniz fosco que eu costumo usar é o da Pollyscale,muito difícil de encontrar, só uso porque estou acostumado com ele e tenho um bom estoque. Existem muitas outras alternativas, só não vou indicar alguma porque não falo do que não testei, mas se perguntar aqui na seção de ferramentas vai certamente encontra boas respostas.
quote:
Originalmente publicado por Deodato:
Olá Augusto. Devo dizer que sua postagem me ajudou muito. Eu não possuia a menor ideia do que fazer ou do que comprar.

Ainda não sei nada sobre plastimodelismo, mas graças a você hoje sou menos boçal no assunto.

Foi após a leitura de seu tópico que decidi realmente fazer isso e que basta um pouco de dedicação. Muito obrigado por compartilhar estas informações.

Já encomendei meu kit e mal posso esperar pra fazê-lo passo-a-passo como você ensinou


Deodato

A intenção foi esta mesmo dar uma orientação básica para quem esta começando, não tem todas as respostas nem todas as alternativas, mas se te ajudou de alguma forma fico bastante satisfeito. Legal !!!
quote:
Originalmente publicado por Augusto:
Depois de um longo intervalo vamos a mais alguns passos.

Primeiro vou fazer as bolinhas brancas que ficam nas antenas dos pára-lamas dianteiros. Como esta bolinhas são brancas, para facilitar o trabalho, vou usara cola branca colorida na cor Branca. Pode-se também usar uma cola branca comum ou mesmo superbonder como já mostrei aqui, mas depois vai ter de pintar. Esta dispensa a pintura.



Coloque uma gotinha num recipiente qualquer e use alguma coisa bem fina para transportar a cola, no meu caso uma agulha de injeção.




Ai é só encostar a cola na ponta da antena que ela passa para lá. Vá repetindo pequenas encostadas até que o volume de cola esteja do seu agrado. O efeito da coesão interna do líquido vai fazer com que a cola tome uma forma esférica.

Duas dicas: Deixe a cola curar um pouco antes de transferir para o modelo, isso vai evitar que ela escorra. Se a cola não fica com uma distribuição homogênea, basta ir tocando de leve com a agulha no lado em que estiver faltando cola que ela se redistribui.

O resultado é este.



Como já tinha dito antes, o giz pastel aplicado no modelo tem um acabamento frágil, então vamos usar um selante para proteção e fixação.

Muita gente costuma usar o próprio verniz fosco, mas isso acaba matando o efeito do pastel. Para não perder o trabalho a melhor maneira de se fazer isso é usando um produto próprio chamado fixador de pastel. O melhor produto que encontrei até agora é o Pastel Fixative da Talens. Ele é completamente translúcido, pode ser aplicado diretamente do aerógrafo sem qualquer diluição e ainda por cima tem um cheiro muito agradável. Mas o mais interessante é que ele não altera o acabamento do modelo. O único cuidado é não aplicar uma camada muito espessa. Uma ou duas passadas de leve com o aerógrafo já são suficientes para proteger o pastel.

Obs: Claro que você não vai poder ficar esfregando o dedo nele, mas vai poder manipular o modelo com bastante segurança, sem afetar o acabamento.






Não dá para mostrar o efeito no kit, pois o efeito é exatamente não ter efeito visível algum, então vou reproduzir aqui um teste que fiz tempos atrás.

Uma amostra pintada



Giz pastel aplicado sobre ela



Aqui separei a amostra em três partes, numa não apliquei nada, na outra apliquei o fixador da Talens e na última verniz fosco acrílico. Dá para ver bem como o fixador da Talens interferiu bem menos no acabamento do que o verniz fosco.





Por fim um teste de resistência feito passando um cotonete de leve sobre cada amostra.



E por enquanto nosso modelo está assim, mais de 300 fotos depois está quase pronto.







Senhores, onde acho este fixador da talens em lojas pelo Brasil? Aqui na região nenhuma loja de artesanato ou similar o possui, apenas outros produtos similares mas em aerosol..

Obrigado.
Boa tarde a todos !! Estou iniciando no plastimodelismo e comecei comprando um avião escala 1:72 é o jato SR-71 black bird e gostaria de saber a opinião de alguém que já tenha montado esse modelo para me dar alguma dica, pois como falei sou iniciante e estou lendo esse tópico que por sinal é de grande proveito.
Obrigado desde já essa oportunidade de aprender e evoluir.
Originally Posted by jose:
Boa tarde a todos !! Estou iniciando no plastimodelismo e comecei comprando um avião escala 1:72 é o jato SR-71 black bird e gostaria de saber a opinião de alguém que já tenha montado esse modelo para me dar alguma dica, pois como falei sou iniciante e estou lendo esse tópico que por sinal é de grande proveito.
Obrigado desde já essa oportunidade de aprender e evoluir.

José,

 

Sugiro que você abra um tópico específico para sua dúvida. Entendo que, aqui, será menos vista.

 

Abraço,

Augusto posted:
O primeiro passo para se montar um modelo é tirar as peças das arvore. Pode parecer estranho, mas fazer isto corretamente vita um monte de problemas e trabalho desnecessário.

O método mais conhecido e que todo iniciante usa é simplesmente torcer ou balançar a peça até que ela se solte. Isto é muito arriscado pois pode deformar ou mesmo quebra a peça. Então vamos a métodos um pouco mais "sofisticados"

1- Usar um estilete

É o método mais barato e funciona bem, os incoveninetes além, do risco de cortar o próprio dedo (que modelista já não fez isso?) tem problemas em peças pequenas. Como nem sempre é possível apoiar a peça sobre uma superfície de apoio as vezes ao forçar o corte se quebra a peça. Assim é melhor sempre usar uma lâmina nova para este serviço. ( Ok a minha não é exatamente nova, mas eu uso outros métodos)







2- Usar um alicate de corte plano ou reto.

Esta é uma solução mais segura e em muitos casos dá um corte bem limpo. Mas lembre-se de que tem de ser um alicate de corte reto, os de corte oblíquo não servem. O incoveniente é que nem sempre há espaço para se inserir o alicate e as vezes quando o plástico é muito macio a peça pode sofrer algum dano. Em plásticos muito macios a solução 1 é mais recomendada. Um bom alicate também não é barato, mas vale o investimento.





3- Pinça cortadora

Esta solução junta as duas primeiras numa só e é a minha preferida. Infelizmente nunca vi uma ferramenta destas por aqui que tivesse um mínimo de qualidade, só importando. As vantagens são claras, tem o alcance de um estilete e a facilidade de corte do alicate, só não recomendo para cote de peças muito grossas, ai é melhor usar o alicate.







Cortadas as peças vamos a mais chata tarefa do modelismo, acertar as rebarbas que ficaram dos pontos de ancoragem das peças nas árvores. Por melhor que seja o seu corte sempre sobra uma ou outra rebarba para tira, aqui vou usar as rodas que acabei de cortar.
Para isso vou usar uma lixa de bloco que pode ser comprada em casas que vendem produtos para manicura, se tiver vergonha peça a sua mulher, namorada, irmã, mãe para comprar. Como o nome diz é uma lixa que vem colada num bloco e que facilita bastante o manuseio. No meu caso é uma de 4 lados com 4 lixas diferentes variando da mais grossa até a que serve para o polimento.

O segredo aqui é não fazer força. A lixa é feita para se acomodar ao contorno das unhas e se você fizer força vai acabar com uma superfície arredondada. Claro que para superfícies curvas é muito recomendada.

Existem alternativas como lixas de unha comum, ou mesmo limas. Fica a critério de cada um ver com o que se adapta melhor.

Então com toda paciência do mundo acertamos as rodinhas.



Este kit é bem antigo (se você for esperto e só comprar coisa novas vai escapar deste tipo de coisa) e também tinha rebarbas internas. Neste caso as lixas não resolvem. Então aqui temos duas abordagens.

Rebarba que não se alcança com a lixa e em furos irregulares se resolve com diferentes tipos de estiletes.





Neste caso um estilete de ponta mais fina.





Já no caso de furos redondos sempre vem a idéia de se enfiar o estilete e rodar. Isso pode funcionar, mas a mão tem de ser muito firme. Qualquer inclinação no estilete e o furo vai ficar deformado.

Neste caso o melhor é usar pequenas brocas de cabeça redonda que se compra em lojas que vendam material para relojoeiro/ourivesaria. O melhor é ter diversos tamanhos já que elas custam muito barato.





Aqui têm várias e de outros formatos para usos mais específicos, que explicarei depois.





Serviço pronto vamos guardar estas rodinhas já que peças pequenas tem o mau hábito de sumir da bancada quando não estamos olhando. Para isso é sempre bom ter uns potinhos, de preferência com tampa.




Neste intervalo uma palavra sobre as colas que vão ser usadas.

As colas para estireno são fusoras, ou seja, elas colam fazendo com que o plástico das duas peças que se pretende juntar, derreta e se misture. Quando a cola evapora o plástico unido volta a endurecer e a união esta formada. Um erro muito comum dos iniciantes, ao ver que uma peça não fica no lugar, é adicionar mais cola. Isso só vai fazer o plástico derreter mais e piorar as coisas, além do risco de acabar deformando a peça. Então paciência e espere a cola evaporar para a união ficar firme. Se for preciso prenda as duas peças enquanto a cola "seca". Vamos ver isso mais adiante.

Nesta montagem vamos usar dois tipos de cola.




Ambas são colas líquidas, mas com viciosidades diferentes. Isto quer dizer que uma é mais "grossa" que a outra.

A Revell é bem mais espessa.



Já a Polly é líquida como água.




Mas porque dois tipos de cola?

Elas vão ter funções diferentes de acordo com as suas características. A cola "grossa" evapora mais lentamente, então derrete mais o plástico e com isso fornece uma junção mais forte, além disso, permite que se cole superfícies maiores. Já a cola mais "fina", por evaporar mais depressa, derrete menos o plástico e por isso é indicada para peças muito pequenas que poderiam se deformar com o uso de uma cola mais forte.

Além destes dois tipos existem outros tipos de cola. Cola para estireno em forma de gel, mais forte ainda por evaporar mais lenmtamente, e as colas tipo superbonder. Tudo vai depender da experiência e adaptação de cada um.

Como alternativa barata para a cola mais fina pode-se se usar um líquido usado par dentistas para fazer moldes de acrílico. O JET. Lembre-se que para este uso voçê só precisa do líquido e não do pó que é vendido separadamente.





Dica: Se ao colar uma peça a cola se espalhar por onde não devia, resista a tentação de tirar o excesso passando o dedo ou alguma outra coisa. Ela já vai estar amolecendo o plástico e a chance de arruinar algum detalhe é grande. O melhor é na fazer nada e esperar que ele evapore, acredite os danos serão menores e mais fáceis de reparar. Se o excesso for muito grande tente remover apenas encostando-se à cola a ponta de um papel absorvente.


Dica 2 – Para iluminar a bancada eu uso aquelas lâmpadas eletrônicas, dão boa iluminação e não faz você se sentir como se estivesse numa sauna. Eu prefiro as amarelas (2700K) de 23 w.






Por enquanto é isso, espero que seja de alguma utilidade porque está dando um trabalho danado. Maneiro !!!!

Obrigado meu caro pela iniciativa. Estou começando a namorar a nobre arte. Gostaria de saber onde consigo a pinça de corte reto. Alguma sugestão? Abraços.

Estava olhando agora, este tópico já tem 10 anos, e volta e meia alguém ainda faz pergunta, alguma utilidade teve

Dei um relida, muita coisa hoje eu faço diferente, mas na maior parte porque uso produtos mais recentes e quase tudo importado. Então acho que para quem esta iniciando ainda é valido, não tem quase nada aqui, salvo uma ou outra ferramenta, que nào seja de fácil obtenção.

Será que ninguém se anima a fazer o mesmo para um avião ou carro?

 
Augusto posted:

Estava olhando agora, este tópico já tem 10 anos, e volta e meia alguém ainda faz pergunta, alguma utilidade teve

Dei um relida, muita coisa hoje eu faço diferente, mas na maior parte porque uso produtos mais recentes e quase tudo importado. Então acho que para quem esta iniciando ainda é valido, não tem quase nada aqui, salvo uma ou outra ferramenta, que nào seja de fácil obtenção.

Será que ninguém se anima a fazer o mesmo para um avião ou carro?

 

Sempre que vejo alguém começando no hobby, eu indico esse tópico. Bom demais.

E a sua escolha de militaria como objeto da montagem foi perfeita. Acho que aviação para um iniciante pode ser bem frustrante. Rola muita massa, fuselagem para fechar direito, mascaramento de canopi, trens de pouso delicados etc.

 

 

 

 

 

Senhores, boa tarde!

Estou acompanhando esse post e também tenho acompanhado as dúvidas.

Para salvar o post, com a licença do Augusto Marechal V, realizei um exemplo.

Abram um documento Word em branco

Marquem o artigo todo

Cliquem CTRL C

Voltem para o documento em branco e 

Cliquem CTRL V

Ajustem o tamanho das fotos e façam suas bibliotecas.

Se alguém precisar de exemplo, já tenho esse post até onde foi realizado em .doc

NÃO SEI SE É POSSÍVEL OU PERMITIDO, Mas se for me enviem um endereço de e-mai para enviar o post "copiado e verifiquem.

O post está muito legal, continuarei seguindo.

Incluir Resposta

Curtidas (1)
Wolf
×
×
×
×