Novo filme de guerra russo!

realmente alguns filmes  em especial de  70-80 tinham tanques  modernos  por  exemplo m 41  como  alemães...mesmo por  exemplo no Stalingrado ou no cruz de ferro  com tanques  t 34 - 85  numa  época que haviam  apenas  os t 34 - 75....

filme  é  as  vezes  igual a  papel ...aceita  e  aparanta  qualquer  coisa  ..sem crivo da  veracidade ....obrigado pelas  dicas  ..plastiresiabços ...paulo r morgado - sp - sp 

Filmes não são documentários, pessoal. Um pouco de ficção e exagero é permitido.

Dito isto, os fuzis AT soviéticos eram um perigo real para os tanques alemães, e tinham potência para penetrar as laterais inferiores do casco do PZ I, II, III, IV e do Panther. Foi por causa deles que os Schurzen foram desenvolvidos.

Mesmo que não destruísse totalmente o tanque, matar um membro da tripulação já diminuía bastante a capacidade operacional do veículo atingido.

Obrigado pela dica Chagas. É bom assistir como os Russos viam e lutavam nesta guerra. Principalmente sobre os heróis do Gen. Panfolov, soldados da 316ª Divisão de Fuzis, que estavam em grande desvantagem numérica, numa batalha na estrada de Dubosekovo, que levava a Moscou,  contra um exército de tanques da Wehrmacht, sendo este o mais forte avanço do exército germânico contra a capital soviética.

Abs

Castro 

Lembro inclusive em alguns filmes mostram, os russos amarravam latas de alto explosivo de demolição as granadas, é claro que tiros de rifle AT só davam resultado nas partes mais desprovidas de blindagem, geralmente por baixo e tiros de fuzil entrando pelas viseiras abertas deviam fazer uma festa de ricochete dentro.

Carlos, concordo totalmente. Nos Pz I a IV dava penetração com certeza, e no Panther na laterais inferiores também, como vc mencionou. Mas um Tiger na couraça frontal? Apelou um pouco na imaginação.

Se fosse nas lagartas, danificando-as, ou usando canhões de maior calibre (45mm/76mm) não diria nada, pois as chapas retas e ângulos de 90º do Tigre eram suas maiores fraquezas (como o mantelete dos Panthers A e D, que riconheteava a munição para a parte superior do casco, causando penetração).

Só acho que, sendo um evento passado em 1941, antes da entrada do Tigre em operação, podiam ter representado melhor os Panzers I a IV para que não parecessem tanto com o irmão mais pesado. Mas aí é outro aspecto da ficção, não fica tão bom para as audiências atuais, afinal, o heroísmo dos defensores fica melhor se forem Tigres.

Liga não. Idade, ficando ranzinza.

Lembra dos filmes de guerra de antigamente? Em "O Desafio das Águias", o Richard Burton e o Clint Eastwood invadem um castelo nos Alpes dentro do território inimigo, desbaratam um plano da Inteligência Alemã para descobrir data e local do Dia D, descobrem e matam agentes duplos, dizimam um regimento alemão inteiro a tiros de MP40, despacham um alto oficial da Gestapo para o inferno, matam todos os Generais no Castelo, resgatam um oficial americano capturado, escalam o muro do castelo no alto da montanha pra cima e pra baixo debaixo de neve, escapam ilesos perseguidos por caças, e de quebra ainda comem (implicitamente) as mocinhas.

Todo mundo gostou, não foi? Diversão pura.

Carlos Chagas posted:

Todo mundo gostou, não foi? Diversão pura.

É bem divertido mesmo... quem não lembra da insólita ultima cena do "Fury"  com Brad Pitt mantando todo mundo, insólita mas muito legal, basta aproveitar e se divertir sem ficar atento a quantos rebites tinha o tanque dele...

Diversão pura.

Carlos Chagas e colegas esse filme é uma produção em conjunto com a produtora do game War Thunder um game MMO de simulação de batalhas entre aviação e tanques da WW2 e Modernos. Esse filme já vem sendo produzido a um tempo já, no final de alguns trailers eles até pedem ajuda financeira.

Carlos Chagas posted:

Lembra dos filmes de guerra de antigamente? Em "O Desafio das Águias", o Richard Burton e o Clint Eastwood invadem um castelo nos Alpes dentro do território inimigo, desbaratam um plano da Inteligência Alemã para descobrir data e local do Dia D, descobrem e matam agentes duplos, dizimam um regimento alemão inteiro a tiros de MP40, despacham um alto oficial da Gestapo para o inferno, matam todos os Generais no Castelo, resgatam um oficial americano capturado, escalam o muro do castelo no alto da montanha pra cima e pra baixo debaixo de neve, escapam ilesos perseguidos por caças, e de quebra ainda comem (implicitamente) as mocinhas.

Todo mundo gostou, não foi? Diversão pura.

Tenho esse aqui, addddoooorrroo assistir só pra dar risadas (a música de abertura realmente gosto muito! E a cena da escada com o Clint Eastwood com aquela cara de canastrão assassino matando os alemães que sobem também é minha preferida). Já cansei de contar as mil loucuras que eles aprontam no filme (tem até um body  count sobre ele no YouTube! ), a maioria muito improvável, somente super-agentes-heróis-de-quadrinhos fariam tudo aquilo! E ainda comeriam (implicitamente) as mocinhas!

Lembra de um filme com Richard Chamberlain dos anos 1980 em que ele interpreta Allan Quatermain ("Allan Quatermain e as Minas do Rei Salomão") lutando contra alemães na África durante a 1ª GM? Nessa época estava começando mesmo a aprender e conhecer sobre armas tanto técnica quanto historicamente (que o diga minha biblioteca...). Daí numa cena do filme os alemães me aparecem usando não o Gewer 98 padrão alemão da época, mas o Lee Enfield SMLE Mk. III britânico (lógico, muito provavelmente só existiam - e existem - exemplares do primeiro em museus ou em mãos de colecionadores). Bem, aquilo foi um divisor de águas, pois reconheci na hora a arma. E, infelizmente, fiquei muito chato daí em diante, parte por culpa de minhas características de perfeccionismo e detalhismo (afinal com um hobby como o nosso, nada estranho).

E, como eu disse, com a idade estou ficando pior, ranzinza . Preciso controlar isso...

Abração!

Luciano,

Aquela abertura do filme com o Junkers 52 e a música, é da melhor qualidade. Arrisco dizer que a música e os cenários é que sustentam e dão o "tom" do filme.

Fora isso, uma das melhores cenas para mim é aquela enrolação com os generais, representada  pelo R. Burton, e que culmina com duas balas na testa do agente pentelho da Gestapo. Aquilo sim, foi um tiro bonito com silenciador. Aliás, um agente da Gestapo estaria completamente deslocado naquele quartel, ainda mais num uniforme absurdamente vistoso (e errado) daqueles. Mas fez a maior presença.

Também vi o filme do Quatermain no cinema. O filme era fraquinho, mas eu gostei só por causa da Sharon Stone. Fiquei zonzo quando a vi pela primeira vez, novinha ainda, e excessivamente gata. Nem prestei mais atenção na história.

Era filme de quê, mesmo?

Apenas como curiosidade, "Where the Eagles Dare" (O Desafio das Águias) foi apelidado pela produção do filme de "Where the Doubles Dare", zoando com as doses duplas de scotch que o pinguço Burton entornava durante as filmagens. Nas cenas em que ele está com o copo na mão, a bebida era real e não cenográfica. Grande Richard Burton.

Augusto posted:

Mais alguns interessantes

Este sobre dois irmão Estonianos um lutando no exercito alemão e outro no soviético

E este sobre a invasão da Noruega em 1940

ambos filmes parecem muito bons. tem em algum lugar para baixar ?

o primeiro tem T34 de verdade e no segundo o que achei original foi o capacete dos soldados. devia proteger mais que o alemão.

Valls

Rogerio77 posted:
Carlos Chagas posted:

Lembra dos filmes de guerra de antigamente?

Não há filmes de guerra tão antigos, afinal os primeiros filmes do gênero que se pode levar a sério são da segunda metade da década de 80, sendo os primeiros Platoon e Nascido para Matar. Tudo antes disso é patético 

Discordo. E posso citar grande quantidade de filmes muito bons feitos desde os anos 1950, e até mesmo alguns dos anos 1940, pós-guerra, já "libertos" da propaganda pura (apesar de serem ufanistas quanto aos EUA, lógico), que são exemplos de qualidade em roteiro, direção, certo respeito ao aspecto histórico e outros quesitos.

É minha opinião.

Rogerio77 posted:
Carlos Chagas posted:

Lembra dos filmes de guerra de antigamente?

Não há filmes de guerra tão antigos, afinal os primeiros filmes do gênero que se pode levar a sério são da segunda metade da década de 80, sendo os primeiros Platoon e Nascido para Matar. Tudo antes disso é patético 

Que nada, Roger. Existia vida antes dos anos 80, sim. "O Mais Longo dos Dias" é um bom exemplo. Todo mundo de Hollywood trabalhou no filme. Dizem até que a Segunda Guerra foi inspirada nele, não é estranho?

buck danny posted:

Junto meu protesto aos do Luciano e do Chagas.

Já viu "Tora! Tora! Tora!" (com T-6 fazendo papel de A6M e tudo)? 

Digite "1960s war films" na Wikipedia e terá 96 indicações, algumas da melhor qualidade. E nas décadas anteriores também.

Cara, me desculpe, mas muitos destes filmes nem cor tem ! Quanto mais efeitos bem feitos ! E na maioria deles uma rajada de metralhadora, feita sem mirar, faz um americano matar uma série de alemães, já um alemão fazendo pontaria acerta o braço de um americano. Outra coisa, quase ninguém tinha sangue, eram metralhados, pulavam e caíam mortos, eu acho que infartavam de susto ! 

Rogerio77 posted:
buck danny posted:

Junto meu protesto aos do Luciano e do Chagas.

Já viu "Tora! Tora! Tora!" (com T-6 fazendo papel de A6M e tudo)? 

Digite "1960s war films" na Wikipedia e terá 96 indicações, algumas da melhor qualidade. E nas décadas anteriores também.

Cara, me desculpe, mas muitos destes filmes nem cor tem ! Quanto mais efeitos bem feitos ! E na maioria deles uma rajada de metralhadora, feita sem mirar, faz um americano matar uma série de alemães, já um alemão fazendo pontaria acerta o braço de um americano. Outra coisa, quase ninguém tinha sangue, eram metralhados, pulavam e caíam mortos, eu acho que infartavam de susto ! 

Sobre a tecnologia atual do cinema, não há o que discutir, Roger. Os caras  praticamente já alcançaram a perfeição nos efeitos especiais, graças aos computadores.

Mas quando eles não ainda não existiam, as produções eram feitas com coisas de verdade. "A Batalha da Grã-Bretanha" é bom exemplo disso. Nem se pensava em CGI, no início dos anos 70. Então os Sptifires, Messerschmitts e Heinkels, mesmo modificados, eram pra valer. E existe uma qualidade naquelas cenas aéreas que nem sempre é conseguida hoje em dia, com toda a sofisticação técnica.  Um bom filme, mesmo antigo, não deixa de ser bom só porque não incorpora a última novidade em tecnologia.

Outros clássicos são "Os Guerreiros Pilantras", "A Águia Pousou", "Patton", Hannover Street", e "O Buraco da Agulha", para citar apenas alguns. Nenhum tinha efeitos especiais mirabolantes, mas excelentes roteiros e boa direção. Acrescente o carisma dos atores e atrizes , realçados por ótima trilha sonora e a famosa "experiência cinematográfica" está completa. Para mim, cinema não é só efeitos especiais de ponta, pois eu levo em conta tudo que listei acima.

Não significa que não façam filmes bons hoje. Eu gostei de "Fury", apesar da crítica negativa no mundo todo. Reconheço o esmero da produção para conseguir aquele Tigre I, que vale o peso em ouro.

Mas o que dizer do novo "Independence Day"? CGI de última geração, mas uma bomba de filme. Vou te dizer, estou começando a sentir tédio de ver tanta explosão catastrófica, destruição em massa, hecatombe zumbi e miolos espalhados na parede. Tá ficando tudo parecido.

Hoje selecionei, para assistir mais tarde, "O Vento e o Leão" e sei que vou me divertir, do mesmo jeito que aconteceu nas outras quatro ou cinco vezes em que curti este filmaço dos anos 70.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Chagas expressou o que eu sinto, mas com uma eloquência que me falta. Inclusive usou o exemplo da "Batalha de Grã Bretanha" que também me havia ocorrido.

Sem desmerecer a excelente tecnologia atual, um bom roteiro e bons atores são muito mais determinantes de uma boa experiência cinematográfica.

E olha que a lista do Chagas está longe de ser exaustiva, tem muito mais coisa boa para ver. 

O A Batalha da Inglaterra foi um filme que curti muito na época.

Os aviões, principalmente os Me 109 e os Heinkel 111, na realidade eram as versões fabricadas na Espanha no pós guerra. Eram, respectivamente, o Hispano HA 1112 Buchon e o CASA C2111, cedidos pela Força Aérea Espanhola.

O curioso é que essa versão do Me 109 tinha o motor Merlin ingles.

http://acervosegundaguerra.blo...inglaterra-1969.html

Valls

Valls posted:

O A Batalha da Inglaterra foi um filme que curti muito na época.

Os aviões, principalmente os Me 109 e os Heinkel 111, na realidade eram as versões fabricadas na Espanha no pós guerra. Eram, respectivamente, o Hispano HA 1112 Buchon e o CASA C2111, cedidos pela Força Aérea Espanhola.

O curioso é que essa versão do Me 109 tinha o motor Merlin ingles.

http://acervosegundaguerra.blo...inglaterra-1969.html

Valls

E os Bf 109 Buchons foram encontrados poucos atrás empoeirados em galpão no Texas, total de 6 e ainda mais raríssimo dois lugares de fábrica :

Incluir Resposta

Curtidas (3)
Coração De LeãoLuiz BCLEDSONSALES
×
×
×
×