Skip to main content

Quem é mais velho lembra desta história: no final da década de 70, a Revell Brasil promoveu um concurso em Caxias do Sul (RS), no qual o ganhador foi visitar a fábrica no Rio de Janeiro e, de surpresa, lhe foi oferecido pegar quantos kits conseguisse nas prateleiras do estoque, no período de 1 minuto.

O amigo Rogério "Rato" Marczak nos conta esta saborosa história no lançamento do seu vídeoblog "Cheirando Cola", acompanhado por ninguém menos que Geraldo Tosi Ferreira, o garoto que ganhou o prêmio.

Confiram aqui:

Meus parabéns ao Rato pela iniciativa, muito bem vinda e que certamente trará boas recordações ao pessoal da velha guarda.

[   ]s

Sidney

Original Post
Muito legal,
 
O mais interessante aí é da Revell Kiko tomar conhecimento destes acontecimentos na longínqua Caxias do Sul, quando já haviam outros grupos paralelos, cuja existência provavelmente lhe era completamente desconhecida.
 
Naquele tempo a comunicação era bastante limitada e as distâncias enormes, para mim Guanabara era praticamente outra galáxia 
 
Tenho restos de uma revista antiga com artigos sobre aero, ferreo, diecast autorama e plasti, se havia público para ela deviam haver modelistas, especialmente em SP e RJ pois continha propagandas da Aero Brás e Hobbylândia.
 
Um dos artigos descreve a montagem do "novo" Ford J da MPC, um modelo lançado em 1968, uns 10 anos antes do concurso citado no vídeo!
 
Aqui em SP fui um dos primeiros sócios do GPP, antes de se tornar GPPSD, não lembro quando foi o primeiro "concurso informal", muito menos quando ocorreu o primeiro "concurso oficial", parei de frequentar lá por 1980 e lembro de ter participado até o terceiro.
 
Se não me engano, havia um IPMS RJ ou algo assim, mas não sei quando começou.
 
Provavelmente nunca saberemos ao certo, além da informação não circular bem naquele tempo, muitas delas devem ter sido perdidas.
 
PlastiAbraços

Hoje nós temos a internet que dissemina a informação pelo mundo todo em segundos, mas naquela época a galera de modelismo aqui no Rio se reunia no centro da cidade e a Kikoler, que ficava em Guadalupe, um bairro da periferia, não tinha a menor noção da existência disso, só soube de Caxias do Sul...

A desinformação da época era abismal, por isso pra saber das coisas os grupos se formavam.  Hoje o modelista pode se virar sosinho em casa e, com a internet, ter acesso a muito mais informação que antes os grupos jamais sonhariam.

E digo mais Felipe graças a internet temos site como a webkits que abriu um grande horizonte, pois eu vivi esse época e digo a vcs graças a Deus acabou pois como tinha gente besta, especialmente na IPMS, uma vez levei meu modelo para uma exposição aí no INCAER e fui desdenhado por muitos. Fui perguntar a um modelista experimentado sobre como ele conseguia aquele tipo de resultado e a resposta foi : isso é segredo de plastimodelista.

A maioria já deve ter morrido e que tenha levado pro quintos dos infernos os seus segredos de uma mentalidade decrépita de velhos magoados com a vida e que se apegavam com ideias arcaicas. Quem era sócio do IPMS se dava bem mas quem não era da panelinha ficava largado e eles não incentivavam em nada o Hobby. 

Anos mais tarde encontrei com esse plastimodelista imbecil e descobri que ele montava a escala 1/144 de aviação e só pintava aviões monocromáticos.

Melhorei a minha técnica de montagem com ajuda de amigos que conheci aqui da webkits e passei a competir com esse imbecil. Ele era tão escroque que só botava os modelos deles quando via que ninguém coloca para competir com ele. Teve uma vez e que eu esperei o ultimo momento para colocar os meus e aí ele retirou os deles do concurso.

Incluir Resposta

×
×
×
×
Link copied to your clipboard.
×