Olá pessoal 

Estou aplicando decais no P-47 da fab em olive drab e gostaria de saber se usava todos os stencils como na versão em alumínio,tive 2 opiniões importantes,mas com entendimentos diferentes ,alguem tem mais informações sober esse tema ?

Obrigado

Odecio

Original Post

Odecio, não dá pra ver em fotos e comprovar a presença ou não dos stencils, visto que as fotos de época que existem não foram tiradas de modo a esse tipo de detalhe ser visível.  Contudo os aviões em olive green chegaram novos, pintados assim de fábrica, daí eu desconfio que tenham sim os stencils.  Não tenho conhecimento de repinturas feitas em campo, que é quando stencils são sobre pintados.

"não dá pra ver em fotos" - dá sim, os stencils estavam lá.

Só que à medida que o tempo passava, tanto o que era pintado quanto o que era decalcomania ia se desgastando, estragando e sumindo. Às vezes dá pra ver a "sombra" do que estava escrito, às vezes não dá pra ver mais nada.

Se o modelo fosse meu, eu colocaria todos eles, depois viria com a mesma tinta verde ou cinza, bem suave, dando uma "apagadinha" neles. Mais forte se estivesse fazendo um avião de fim de guerra.

Sidney posted:
Felipe C. Miranda posted:
Odecio Nunes posted:

Alguem tem informações sobre os stencils do tanque central ?,obrigado.

Nos decalques FCM 1/48 e 1/32 voce tem isso completo.  

Imagino que sejam alijáveis. Quanto tempo será que durava um tanque destes?

 

Depende da altura que estava voando na hora de alijar!!!!!

Luft46 posted:
Sidney posted:
Felipe C. Miranda posted:
Odecio Nunes posted:

Alguem tem informações sobre os stencils do tanque central ?,obrigado.

Nos decalques FCM 1/48 e 1/32 voce tem isso completo.  

Imagino que sejam alijáveis. Quanto tempo será que durava um tanque destes?

 

Depende da altura que estava voando na hora de alijar!!!!!

Como assim? Eram recuperados após serem alijados?

 
Rafael Machado posted:

Eram alijados pouco antes de adentrar território inimigo ou no momento que se deparassem com aeronaves inimigas. Não eram recuperados.

Foi o que imaginei. Então não deviam durar muito, o que significa que um tanque destes deve ser representado relativamente novo.

Rafael Machado posted:

Eram alijados pouco antes de adentrar território inimigo ou no momento que se deparassem com aeronaves inimigas. Não eram recuperados.

Eu acho que não se pode generalizar. Pelo que já li e entendo os tanques alijáveis só eram descartados quando se entrava em dogfight com o inimigo. Tanto é assim que se pode ver muitas fotos com os tanques cam desgastes e sujeiras. Principalmente nos da FAB na Itália. Também há de se considerar que há vários tipos desse tanque, alguns em alumínio e outros feitos de papelão prensado muito usados já nos anos finais da guerra. Vale um pesquisa e fotos de referência na hora de se fazer o modelo.

Plastiabraços

Paulo

ArmouredSprue posted:
Rafael Machado posted:

Eram alijados pouco antes de adentrar território inimigo ou no momento que se deparassem com aeronaves inimigas. Não eram recuperados.

Eu acho que não se pode generalizar. Pelo que já li e entendo os tanques alijáveis só eram descartados quando se entrava em dogfight com o inimigo. Tanto é assim que se pode ver muitas fotos com os tanques cam desgastes e sujeiras. Principalmente nos da FAB na Itália. Também há de se considerar que há vários tipos desse tanque, alguns em alumínio e outros feitos de papelão prensado muito usados já nos anos finais da guerra. Vale um pesquisa e fotos de referência na hora de se fazer o modelo.

Plastiabraços

Paulo

Paulão, entendo que os P-47s da FAB nunca entraram em contato com aviões inimigos para um dog fight. Se for por aí, os tanques descartáveis nunca eram descartados, não é mesmo?

Creio que tudo é uma questão de bom senso, e  como não existe oito ou oitenta, cabem várias considerações:

  • alguns dos campos de pouso que a FAB operou na Itália eram verdadeiros mangues, então o tanque deveria ficar realmente muito sujo;
  • usar o tanque descartável depende, obviamente, do tipo de missão e/ou da distância do alvo a ser atacado. Desta forma, não sei se sempre decolavam com eles;
  • tanques de alumínio provavelmente tinham um formato diferente dos tanques de papelão prensado, em função do seu processo de fabricação;
  • os nossos P-47s usavam tanques do mesmo tipo do tanque utilizado pelos Mustangs, que não é o tanque que acompanha kits como o do kit Tamiya.

Entre outras considerações...

[   ]s

Sidney

 

Apesar dos nossos pilotos nunca haverem se deparado com aeronaves inimigas, alijavam os tanques quando percebiam atividade da constante e frequente flak inimiga, pois um acerto no tanque transformaria tudo numa bola de fogo, sem chances para o piloto. Não tenho conhecimento que o Grupo tenha usado tanque de papel, como aqueles de 108 galões usados largamente na Inglaterra.

Como pagávamos por cada tanque usado, talvez a instrução para os pilotos brasileiros tenha sido de poupar os tanques, pois  a maioria das fotos apresenta tanques limpos. Mais para o final da guerra, a Luftwaffe combatia principalmente sobre a Alemanha, e os tanqes alijáveis passaram a conter informações em alemão para a população civil entrega-los numa delegacia contra o pagamento de uns trocados. 

De início os nossos pilotos usaram um tanque de metal raro, de duas emendas verticais que nunca observei em uso por outros grupos de caça.

Para os modelistas que gostam de modelos com desgastes e sujeiras, o teatro italiano propicia bons exemplos. já que havia muita lama e quase nenhum asfalto.

 

Gente, gente, a função do tanque era aumentar a autonomia, os aviões gastavam o combustível deles primeiro , na ida, e voltavam pra casa com o combustível interno. 

Os tanques eram sempre de primeiro uso, porque os aviões não voltavam pra casa com eles, ninguém iria carregar um treco daqueles vazio. Eles aparecem tinindo de novos em algumas fotos porque ao contrário das bombas, não precisavam ser enterrados, podiam ser estocados ao ar livre, vazios. Colocava-se o tanque na asa, e enchiam de combustível em seguida.

Assim que chegavam à região do alvo, os pilotos alijavam o tanque (se é que já não o haviam feito no percurso) e partiam para o ataque. 

O tanque raro que o Rafael aí citou é uma ampliação do tanque comum, mediante uma fita de metal soldada entre as metades. E sim, foi usado por outras unidades americanas além do Brasil.

Aliás, nessa eu fiquei curioso "Como pagávamos por cada tanque usado" - de onde veio essa informação?

Tudo o que o nosso Exército e a FAB receberam na Itália: aviões, carros de combate, fuzis, pistolas, canhões, caminhões, jeeps, munição, bombas, tanques alijáveis, ferramentas, cozinhas, comida, fardamento, remédios, gasolina, etc etc era contabilizado na conta específica do programa Lend and Lease e pago pelo governo brasileiro. 

Rafael Machado posted:

De início os nossos pilotos usaram um tanque de metal raro, de duas emendas verticais que nunca observei em uso por outros grupos de caça. 

Tentei representar um desses tanques nessa montagem: 

https://webkits.hoop.la/topic/...nderbolt-revell-1-72

 

Fazendo o tanque alargado...

Dois tanques da caixinha de sucata.

DSC01800

Serrei deixando uma abinha no meio.

DSC01801DSC01802

Pedacinhos de sprue pra deixar um espaço entre as metades.

DSC01803DSC01804

Colando.

DSC01805DSC01806DSC01807

Fiz o alargamento com uma tirinha de papel cartão colada com cianocrilato.

DSC01809DSC01810DSC01811

Alargou uns 2mm, poderia ter sido 3mm.

Pintei de prata.

DSC01816

Você deve ter notado o "talvez a instrução para os pilotos brasileiros tenha sido de poupar os tanques, pois  a maioria das fotos apresenta tanques limpos",  que eu tive o cuidado de colocar na minha postagem, tendo em vista a afirmação do nosso colega que disse ter visto muitos tanque sujos e amassados.

Comento também que os tanque eram alijados e não eram recuperados, como fazia a Luftwaffe. Então seu comentário no post logo acima é totalmente desnecessário.

Não né. Parece que a sua intenção é só contradizer. atitude desnecessária, visto que não estou invadindo seu quintal.

Fernando Manfio posted:
Rafael Machado posted:

De início os nossos pilotos usaram um tanque de metal raro, de duas emendas verticais que nunca observei em uso por outros grupos de caça. 

Tentei representar um desses tanques nessa montagem: 

https://webkits.hoop.la/topic/...nderbolt-revell-1-72

 

Fazendo o tanque alargado...

Dois tanques da caixinha de sucata.

DSC01800

Serrei deixando uma abinha no meio.

DSC01801DSC01802

Pedacinhos de sprue pra deixar um espaço entre as metades.

DSC01803DSC01804

Colando.

DSC01805DSC01806DSC01807

Fiz o alargamento com uma tirinha de papel cartão colada com cianocrilato.

DSC01809DSC01810DSC01811

Alargou uns 2mm, poderia ter sido 3mm.

Pintei de prata.

DSC01816

Belo trabalhado! E referência bacana....nunca tinha atentado para isso.

Abs,

 

Othz

Fernando Estanislau posted:

"Tudo o que o nosso Exército e a FAB receberam na Itália...(...)" e no meio disso tudo acha mesmo que tanques de combustível alijáveis faria alguma diferença  relevante?  Eu acho que tanques descartáveis eram isso mesmo, descartáveis.

Cara, A FAB e a FEB deviam estar com tudo contadinho....tipo o cara que desce do ônibus no ponto seguinte ao destino pretendido para poder "gastar" mas o vale transporte! KKKKK

 

Abs,

 

Othz

Pior, economizaram no pessoal, de forma que os que chegaram ao front tiveram que continuar voando até a guerra acabar (ou até cair).

A bem da verdade, uma economia provavelmente baseada nos atrasos em tudo que é feito por aqui - pelo que sei, até havia gente sendo treinada, mas a guerra acabou antes. No entanto, permanece o fato de que os que foram não tiveram substitutos.

 
 

Incluir Resposta

Curtidas (0)
×
×
×
×