Marcio, excelente diorama, com uma ótima ideia e uma execução de primeira. A atenção aos detalhes e a composição deram um efeito além da imaginação...

 

Mas o que mais me chamou a atenção foi conteúdo da declaração que ele faz na postagem de 21 de agosto e que deveria servir de orientação para todos nós que realmente gostamos do hobby:

Et maintenant une petite explication méthodologique et conceptuelle. depuis que je construis des dioramas j'ai régulièrement droit à des commentaires du genre : "c'est pas possible", "l'avion peut pas être comme ça", ou encore "non mais la grue n'était pas grise mais bleue dans la réalité ça ne va pas du tout", "la commande à droite de la console centrale est verte et pas jaune", etc.

Aqui mesmo, vi algumas dessas colocações, como a espessura ou tamanho da barra de suporte das lagartas de proteção, posição de símbolos e identificações em tanques, situação dos acessórios laterais do veículo e outras besteiras, tentarem diminuir o trabalho executado ou em andamento, apenas para satisfazer o ego de determinados membros do WK.


je vais donc vous expliquer ma démarche : je me contrefous du réalisme. je ne suis pas une photocopieuse du réel. Pour moi le projet du maquettiste ne se limite à reproduire la réalité pure et dure. Si je voulais construire un avion réel, je m'inscrirais d’urgence dans une industrie aéronautique pour en faire des vrais.

Perfeito!!

Quantas montagens por aqui foram criticadas e continuam sendo criticadas por não ter essa ou aquela cor, por não ter esse ou aquele armamento ou aquele cinto de segurança trançado?

 

Il n'y a aucune loi, aucun règlement ni aucune raison de nous imposer la réalité comme projet ultime. Pour moi, la maquette sert à matérialiser un RÊVE. Quelque chose d'impossible à voir en vrai et qui défit l'oeil en permanence. C'est un travail d'imagination, pas de reproduction.

Postei um diorama gigantesco de uma cena de um acampamento alemão, feito por pai e filho, com dezenas de elementos, entre veículos, homens, animais e construções, e choveu crítica quanto às cores, detalhes, disposição das peças e outras bobagens, perdendo-se o ineditismo da cena, seus componentes, a criação do cenário, em suma, o sonho dos plastimodelistas!

 

Pour résumer, je ne confonds pas réalisme et vraisemblance. mes sujets sont vraisemblables, mais ils ne sont pas réalistes.

É o que sempre digo, ou procuro dizer: a esmagadora maioria das pessoas que veem os meus modelos nem sabem da existência dos originais. Por que devo estressar-me, deprimir-me, fazendo, ou procurando fazer coisas, que somente vão criar desprazer em algo tão prazeiroso?

Jamais vou agradar a todos. Então, se eu me agradar, c´est fini...

 

Et c'est ce défi permanent qui me fait avancer : imaginer des sujets délirants, les concevoir, les rendre plausibles, m'ancrer dans le réel, l'approcher sans jamais l'atteindre complètement.

É um desafio, uma procura constante, iniciada na pesquisa do tema e que, pela sua execução, preenche a vida do plastimodelista.

 

Les experts en commande de bord et en grue seront parfois déçus, mais ma cible à moi ce sont les naïfs, ceux qui rêvent encore,

Niemayer dizia que " A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem". Aí você sonha, materializa e aparece um sujeito ou sujeitos, desprovidos de imaginação e respeito a falar de minúsculos detalhes...

 

E para terminar, a genial frase que ele coloca nas suas postagens:

Je reste un enfant car je refuse d'arrêter de grandir. (Continuo criança porque me recuso a parar de crescer.)

 

Grande tópico, Marcio.

Meus parabéns pela postagem.

Incluir Resposta

Curtidas (0)
×
×
×
×