Mutley,
 
Acho que sempre foi assim, também aparecem novos modelistas ou praticantes de outros hobbies que acabam adotando plastimodelismo, tem inclusive alguns ex plastimodelistas que retornam, depois de anos de inatividade.
 
E com o momento econômico que atravessamos, é esperado que hajam menos praticantes, seja pelo custo ou pela falta de tempo.
 
Trocar de Hobby é complicado, alguns até exigem menos tempo, mas poucos apresentam investimento muito mais baixo.
 
Desde há um bom tempo mantinha sem nenhuma pretensão uma coleção de uma meia dúzia de Batmóveis da Hot-Wheels, com a alta de preço dos kits ampliei e comecei também com alguns 1/43, pois se encontrava muita coisa boa com preços atrativos...
 
Passado um tempo os preços dos die-casts "explodiram", agora além do plasti, viciei nos HW, nos 1/43 e todos me parecem caros 
 
Fazer o que? Hmmm, acho que ainda tenho um trem elétrico antigo em algum lugar 
 
PlastiAbraços

Conheci um senhor, quando tive loja, lá em 1998, que viveu na França por muitos anos e lá mantinha uma grande coleção de ferreomodelismo. Quando teve de voltar pro Brasil, vendeu tudo para amigos de lá e veio, aqui chegando viu uma loja de kits (na época havia 7 delas no Rio) e comprou um F-14 1/48, depois descobriu minha loja e passou dois anos muito intensos no plasti. Quando fechei minha segunda loja ele perdeu o interesse e, quando nos reencontramos a dois anos, ele me disse que estava com todos os kits parados desde 2001, só ocupando espaço. O hobby atual dele é música, percussão para ser exato.

Outro modelista que era um dos mais talentosos do Rio da década de 90, mas não aceitava críticas a seus trabalhos, largou o hobby por achar injusto os resultados que conseguia em eventos. Atualmente faz esculturas e pinturas em tela.

Eu mesmo já passei por fases de total desânimo com o hobby, confesso que já fui muito mais entusiasmado com ele. A alta do Dólar e minha situação econômica desanimam muito. Só que não posso ficar sem hobby se não vou pirar, e começar um hobby do zero é muito caro, então vou levando o plasti mesmo, aos trancos e barrancos.

Acho normal essa "troca de ares", nós humanos mudamos muito durante a trajetória de nossa vida, em vários aspectos, perdemos ou adquirimos novas características. Eu quando mais jovem adorava comer os alimentos chamados "bombas calóricas", lanches, salgadinhos, refrigerante. Hoje quando vejo algo muito gorduroso ou até mesmo o cheiro me faz passar um pouco mal, em contra partida eu adquiri mais gosto por queijos, vinho, entretanto nada disso impede que de vez em quando eu sinta vontade de comer uma porcaria ou outra. A música era muito mais presente antigamente para mim, eu passava meu tempo sempre ouvindo grunge na adolescência, hoje ouvir música já não me é tão prazeroso e conforme o tempo passou o gosto por outros gêneros foram surgindo.

Acho que o mesmo se aplica para nossos hobbies, perdemos interesse em certas coisas, eventualmente acabamos nos interessando por outras ou até mesmo com o passar do tempo voltamos a readquirir gostos perdidos, acho que é um ciclo natural que afeta a todos.

Tenho um amigo que se desfez de todos os seus kits e se dedica atualmente ao modelismo em papel. Acho que foi um caso de "amor a primeira vista". Se apaixonou pelo novo hobby e seus trabalhos são sensacionais.

Eu já pensei diversas vezes em parar com o plasti e ir para o férreo, mas o custo para mim, é proibitivo.

A primeira vez que vi um kit montado era um p-40 na casa de um primo meu,não tenho nem idéia da escala,na época era impossivel eu ter um, faltava money,o tempo passou  , fui trabalhar ganhei  money ai apareceram os Revell que eu comprava nas lojas americanas,fiquei anos montando avioes e barcos,não  havia militaria.larguei tudo e nem me lembro o que coloquei no lugar,em 1995 estava na espanha e ao voltar ao Brasil vi um stuart 1/35 Tamiya no free shop,na epoca carissimo us 20,00 meu  primeiro tamiya.Dai em diante me dediquei a militaria na 1/35 do meu jeito né para me divertir,sempre tentando ser mais fiel possivel ao real mas sem estress.dei uma segurada em 2008 e há quatro voltei e acabei optando por asas por um tempo.apesar de ter um bocado  de militaria 1/35 na fila.Estou  recomeçando para mim montar é uma terapia ,eu monto sentado no chão em uma mesa ,eu tinha um cachorro que ficava ao meu lado muitas vezes quando eu montava sentado no chão era diversão pura ele vivia se jogando em cima de mim para brincar e parecia que ele queria participar do processo, Como mentalmente eu não tenho conserto, não adianta eu gastar em psiocologo é melhor quando dá montar algo é divertido.

Eu conheci o modelismo muito criança, antes mesmo de ouvir falar em futebol.  Por isso o modelismo está enraizado em mim de tal forma que não seria mais eu se renunciasse ao hobby.  Já houveram altos e baixos, seja por falta de tempo ou de grana, até houve um tempo que um conhecido tentou "fazer a minha cabeça" na direção dos diecast, e acabei pendendo naquela direção por conta de meu gosto por carros antigos até 1930, raros no plasti.  Mas no final diecast são o mesmo que comprar kits montados.  Não via graça, e logo que me afastei daquele conhecido o interesse cessou.    

O mesmo se deu com vários colegas que por estarem próximos de mim se interessaram pelo plasti e montaram kits, mas quando a vida nos afastou, eles também largaram o plasti.  Por conta disso eu sinto que o enraizamento do hobby acontece quando ele começa bem cedo, antes dos dez anos.  Qualquer habito que voce adquire até essa idade, dificilmente voce vai abandonar.  Voce pode até ser afastado pelas contingências, mas na primeira brecha, ele volta...

Eu comecei no plasti com 13 anos de idade e nunca parei de verdade. Teve fases na juventude onde dava prioridade para outros hobbies (correr atrás da mulherada   ) mas minha esposa sempre me apoiou no hobby e nunca parei.

Hoje na casa que construimos no ano passado fiz meu cantinho de modelismo, que apesar de pequeno é mais do que necessário para fazer o hobby.

Tenho outros hobbies que intercalo com o plasti tais como: Tiro esportivo (skeet e Trap), caminhadas e churrascos

Já parei de montar aviação e troquei por militaria que acho mais fácil, mas confesso que não acho mais tempo e nem paciência, à muito não monto nada e o pensamento em abandonar o plasti me vem a cabeça toda hora, só a dificuldade de vender as coisas por um preço justo é que emperra a idéia. Novo hobby ? Algo mais light e que dê menos trabalho  e que não fique rabicho para o outro dia como as montagens.

 

Comecei tarde, com 23 anos, estou hoje com 47. Quando coordenava GBs aqui na WK e em outros foruns, além das tabelas de pesos dos GBs daqui, cheguei a ser até meio compulsivo. Montei 54 kits em um ano, tenho mais de 400 montados na coleção. Depois, vivi aqui neste forum uma palhaçada sem tamanho feita por um determinado cidadão e foi-lhe passada a mão na cabeça, aí parei de coordenar e desanimei muito, quase abandonei o plasti, tomei birra de alguns determinados "colegas" daqui. Algum tempo depois minha esposa fez uma cirurgia simples e quase morreu, fui obrigado a ficar meses longe da bancada por conta da tinta que poderia prejudicá-la, e lá se vão mais de dois anos e meio que não termino um kit sequer. Hoje tem acontecido o seguinte, tento dar andamento a algo, organizo, limpo tudo, preparo as coisas, começo a montar, aí vem um dos meus filhos ou a chefa e fala se a gente não poderia ir assistir a algum filme, shopping, supermercado, passeio à toa. Paro na hora e vou. O plasti é muito legal, desestressante, mas é um hobby solitário, só eu estou comigo nesse momento, e ví, depois dessa cirurgia dela, que é muito fácil perder alguém que amamos, hoje não troco mais meus momentos em família por uma bancada solitária. Estou hoje também participando de um clube de antigomobilismo, tenho um Opala 78 que está recebendo sua placa preta esse mês, adoro ele. Fazemos alguns passeios em família com ele, vamos a encontros e exposições, enfim, é outro hobby que comecei, e esse dá pra fazer em familia mais facilmente. Não abandonei o plasti, mas sinto que meu ritmo nele nunca mais será o mesmo.

Eu também notei isso, muita solidão. Meus filhos crescendo e eu deixando de acompanhar....

Vendi tudo, kis montados e na caixa. E o tempo passou.....

Arrumava alguns brinquedos, melhorava alguns detalhes, comecei adicionar leds, deixando brinquedos comuns, mais atrativos.

Então o mercado se inundou de veículos brasileiros na escala 1/43.

Carros Inesquecíveis do Brasil
Veículos de Serviço
Chevrolet Collection
Caminhões Brasileiros de Outros Tempos
Coleção Ônibus do mundo

Comprei alguns pelo preço atrativo, ML, Ebay ajudou muito e logo me vi customizando e fazendo bases....

Hoje minha coleção ultrapassa 200 modelos, originais e customizados.

Meus primeiros modelos foram montados ainda criança na década de 80. Morava em Curitiba mas ia no Natal para uma cidadezinha no interior do Estado. Lembro-me de ter ganhado um kit da revel l (uma Kombi com uma prancha de surfista) e ter montando no carro (isto mesmo) na viagem de volta até Curitiba. Montei vários modelos até o final da adolescência e depois fiquei parado.  As montagens na época eram sem compromisso, pintando os modelos com o que tivesse a mão (até esmalte da mãe).  Mas sempre gostei do platimodelismo. Passados alguns anos, comecei a comprar algumas revistas de modelismo e vi alguns modelos (dioramas) do Gelson e do outro modelista que não me lembro do nome e fiquei fascinado com os dioramas. Então em 2003 comprei um kit tamiya (meu primeiro da marca), composto de 4 soldados e um canhão e montei o primeiro diorama. Foi paixão instantânea, mesmo com os bonecos com olhos de zumbi (eh, eh). A partir daí até hoje faço alguma coisa. Porém nos últimos 3 anos  meu ritmo de montagem diminuiu muito, sem falar na questão de dimdim para gastar com modelos. Aliado a isto, tem a questão dos meus outros hobbies, que são diecast (que sempre toquei junto com o plasti, mas que está parado) e playmobil. No inicio de 2013 encontrei no  porão da casa da minha mãe meus bonecos playmobil trol antigos da década de 80 e veio aquele saudosismo clássico. Resultado: resolvi colecionar playmobil da trol e ai o plasti ficou mais prejudicado ainda, pois os recursos ainda disponíveis acabavam sendo redirecionados para compra dos bonecos da trol. Atualmente meus hobbies andam meio lentos (todos), por razões como família, dinheiro e o principal: espaço para tudo isto (ainda sou “ajuntador” de gibis, tenho mais de 3 mil deles). Mas sempre tento pelo menos fazer alguma coisa, pois realmente é a minha higiene mental. Ainda gosto muito do sequencia: projetar/montar/admirar meus dioramas.

Então me parece e também perceptível, nas redações aqui...que questões familiares, sociais, e mudança de fases pessoais pesem mais que dinheiro, eu tava achando que o maior peso era o de dinheiro...mas são muitos fatores pessoais, e de mudança de "rumo"....eu tenho vários Hobbies , mas o plasti é uma das principais válvulas de "escape", acho que vou montar kits até morrer...   

também comecei tardiamente (29 anos) e acho que grana nem é problema, ja tive melhor e pior financeiramente, tem grana compra, não tem monta o que tem, tem grana compra resina, não tem monta OOB e assim vai levando, no meu caso fiquei 7 para 8 anos fora por conta de problema de saúde, estou comprando e montando (mal e porcamente ) sem estresse, como diz minha esposa, "não é encomenda então para que se afobar".

Tenho notado o contrario.  No RS  aumenta a cada ano. O plastimodelismo deu um salto em nosso estados nos últimos anos,  hoje bem mais  aberto com muitos grupos se formando e cada qual buscando adeptos o numero de evento triplicou em 1 ano chega se  ter  4 OPENS e 3 exposições  nível  tanto regional como nacional  e internacional  depende o que cada grupo ira programar em seu calendário.  A desistência  no hobby , sim ela ocorre na  mesma  velocidade que atrai novos adeptos.

Eu fiquei quase um ano sem montar praticamente nada! Só curtindo a família e indo pescar todo fim de semana! Não sobrou tempo pra nada! Daí apareceram os macumbeiros e me ressuscitaram no hobby! Acho que o que faltava era isto, um desafio! Este ano voltei com tudo, montei mais de 30 modelos na 1/35 e pretendo montar mais! No fim só tenho a agradecer aos macumbeiros!

Comecei no hobby graças a coleção Asas de Guerra do fim dos anos 90. Porém, os modelos ficaram guardados e só montei o primeiro, o Spitfire Mk.IX, em 2008, quando já beirava os 30 anos. Entrei para um grupo lá do Pará (GPP-PA) e ficou mais fácil interagir e aprender com os veteranos. Já participei de dois opens, os de Campinas/Valinhos em 2011 e 2015.

Como a maioria, eu comprei mais caixas do que montei. Acho que hoje devem ser em torno de 200 kits guardados.

Embora tenha preferência por aviação, em especial II Guerra, passei a comprar militaria 1/72 graças à coleção Blindados de Combate e, vendo principalmente as montagens do PAULORS, comecei a me interessar por naval também.

Outros hobbys surgiram, como diecast, mas o plasti continua a ser o carro chefe.

Devido à crise em que o país se encontra, fui demitido em julho de 2015 e decidi que me tornaria servidor público. Desde então tenho me dedicado ao estudo para concursos públicos e isso, somado ao fato de ter me mudado para o Amapá, onde ainda não possuo residência própria, me afastou do hobby (estou há mais de um ano sem montar).

Assim que for nomeado em algum concurso que já passei, volto a colar plástico.

Meu caso foi um conjunto de fatores. Nasceram meus filhos e meu apartamento que é minúsculo ficou ainda menor. Em adição, meu fraquíssimo ritmo de montagem me converteu num boxmodelista. Aproveitei a parada por conta dos meninos e dei um fim na muamba quase toda.

Sobraram algumas caixas ainda, o aerógrafo e as demais ferramentas. As tintas se estragaram e o compressor caseiro que tinha doei. Essa mudança terminou benéfica pois estava mergulhando na acumulação. Embora 65 caixas seja um número ridículo frente ao que se tem notícia, foi bom parar de comprar. Talvez ano que vem eu compre outro compressor e materiais, mas não vou voltar a adquirir caixas como antes.

Os livros nunca deixei, mas desde então já passei pela marcenaria e o tiro com ar comprimido. Hoje estou na horologia. Claro que o demônio da acumulação segue tentando, mas como os relógios são mais caros que meus antigos 1/48 a coisa é bem mais tranquila (um por ano e olhe lá). E depois, há muito para se ler e assistir, o que ajuda bastante.

Eu montei bastante quando era moleque, depois parei e voltei novamente no começo dos anos 90. Quando entrei na faculdade parei de novo e comecei a montar figuras  1:6 mas nunca perdi o interesse no plastimodelismo. De uns anos para cá voltei a comprar kits e insumos e estou iniciando algumas montagens (aviação 1/72 e militaria 1/35) mas ainda continuo firme e forte no 1:6 pois muitas técnicas que aprendi no plasti  estou aplicando do 1:6. 

Não planejo largar de nenhum dos dois hobbies mas conheço muita gente que largou de plasti e de 1:6 para colecionar militaria, jogar airsoft ou comprar veículos RC.

 

Marcelo Paixão posted:

Não abandonei o plasti, apenas dei um tempo e retornei aos meus outros hobbies, ferreomodelismo e autorama.

 NÃããooo... Automodelismo de fenda ! Quando eu tive minha primeira loja de plasti aqui no Rio, ela era onde antes funcionou a loja do saudoso Matsuo Maeda, que também fora uma loja de modelismo, mas que era mais conhecida por ter uma enorme e muito frequentada pista de ... autorama. Quando abri minha loja, o primeiro que apareceu perguntando sobre a pista, com uma maletinha com seu equipamento, eu, inocentemente, perguntei "a pista de autorama ?". O cabra subiu nas tamancas, "é auto modelismo de fenda !", nunca mais eu errei o nome, pra nenhum dos vários que vieram perguntar pela velha pista 

Não tinha visto esse tópico......

Eu também comecei no hobby quando tinha exatamente 11 anos, e montei muito. Mas atualmente, fazem três anos que não termino absolutamente nada. Não abandonei o hobby, mas montagem que é bom, necas. Qualquer dia desse fico de saco cheio e vendo tudo, para desocupar espaço. Como não estou montando, não considero o hobby ativo. A tendência é acabar de vez.

Alguns amigos daqui abandonaram o hobby. Um trocou por DieCast, outro pelo Automodelismo de Fenda (réplicas na 1/32), e recentemente outro colega abandonou tudo, fez doação de todos os kits e acessórios para uma escola de artes municipal e iniciou o ferreomodelismo. Eu mesmo gosto do ferreo, e só não inicio porque não tenho espaço, moro em um pequeno apartamento.

Na verdade, do antigo grupo, apenas dois montam efetivamente. O Leo e o Silvio. Os demais, não.

Abraços

Tripa seca posted:
Zaitzev posted:

Ressuscitando o tópico... Ultimamente comecei a colecionar Playmobil. Por enquanto apenas 4 bonequinhos.

 

Quando Heitor nasceu eu ia municiar o quarto dele com playmobil, mas o preço exorbitante me demoveu dessa idéia.

Minha filha adora Playmobil e Lego. Os dois são um absurdo de tão caro mas eu gosto tanto que acabo cedendo só para matar saudade.

Pois é, a gente vai e volta...para mim é como um vício, tem horas que esqueço por longo tempo e de repente vendo algum modelo montado ou kit antigo, dá aquela água na boca e a vontade volta. Estou quase há um ano sem montar, devido a várias causas: falta de grana, falta de espaço e novo empreendimento...mas largar eu não vou largar, assim que possível volto com força total novamente.

Tripa seca posted:
Zaitzev posted:

Ressuscitando o tópico... Ultimamente comecei a colecionar Playmobil. Por enquanto apenas 4 bonequinhos.

 

Quando Heitor nasceu eu ia municiar o quarto dele com playmobil, mas o preço exorbitante me demoveu dessa idéia.

Verdade, com taxa de importação o preço fica salgado.

Estou comprando apenas figuras avulsas, que vêm em saquinhos nos quais não se sabe o personagem do interior, chamadas "Playmobil Figures Series". Três desses (Série 9) comprei a R$ 14,99 cada. Já o caçador tirolês (Série 10) foi R$ 17,99. Até o momento, nada que comprometa o meu orçamento. 

acho  que  e  meio de  fases  - começei  com 7-8 anos  na  1-144 ainda  tenho alguns  destroços  dos mesmos...depois  montei  alguns  antigos tamiya brasil.. expus num gppsd 13  convenção em s. paulo..vai  periodo de escola -colegial cursinho....depois  faculdade 17 anos , na medicina  não  sobrava  muito  tempo  dinheiro...montava  muito de vez  em  quando...passou  uma epoca  que  montava dois  ou três  por  mês  inclusive  vinhetas ,  cheguei a  ganhar  trofeu gppsd por regularidade  em  vinhetas...  porem ai vem  filhos um com 19 e outro 13  anos ,esposa  fica um pouco adoentada...agora  estou em fase  de reforma   em casa e  quase não  monto  nada...... muitoas  caixas  guardadas  ainda  sem  montar,  ao  menos  ja  falei  para  patroa  que  quando  morrer  ela  pode  montar  uma lojinha e receber  um pouco de  volta  o que acumulei ao longo dos  anos .comprar atualmente  proibitivo pelo preço ...quanto a concursos  não encano muito, as  vezes   são cartas  meio marcadas...embora  seja sempre  bom  para  o ego  você ver  pessoas  fotografando  elogiando o trabalho  do  que  realmente  uma  medalha....por  enquanto  sem  maiores  outros  hobbies  embora  gosto muito de  leitura   de  plasti ou não ...  vai muito de fase ganhos tempo oportunidades...plastiresiabços paulo r. morgado 

Eu mesmo parei alguns anos, depois de ter saído do Rio, resgatei alguma coisa que deixei lá, e recomecei aqui, e me espantei na evolução dos kits e fiquei entusiasmado de novo, mas conheci um modelista no Rio, e que eu frequentava sua casa e com ele aprendi muito, e muitas coisas nem usei, e depois de alguns anos soube que ele abandonou e desfez de tudo, era um modelista excelente, lembro que ele fez um F-80 FAB, aquele arlequim, quando não havia kits de F-80, o fez a partir de um T-33, o canopy fez no vaccu fogão, como ele chamava, os decais a maioria os fez a mão, as estrelas ele tinha as do decalque do Linhares, o kit era perfeito, ficou na estande do Linhares, chamava-se Antonio Basilio, o Chagas o conheceu também!

Eu conheço varios. Pra mim não funciona. É o único hobby que eu tenho desde que me conheço por gente (ou algo semelhante). Só que eu tenho quase nada de tempo livre e acabo mexendo em vários kits que ficam inacabados às vezes por anos! Como eu não monto pra concursos - até porque eu sei que eu não monto bem - eu vou fazendo minhas modificações e adaptações malucas e me sinto feliz pelos meus kits, estando eles bons, ruins ou apenas meia-boca. Se liga! Eu tenho 52 anos nessa lata e quero mais é ser feliz pelos que me restam! Largar o hobby?  Provavelmente vou ficar broxa antes. Penso que vai ser sempre assim.Cada um com suas razões: os que saem, os que entram, os que ficam. Amo essa merda! Afinal, foi com o hobby que conquistei alguns dos poucos amigos que tenho. E ainda é melhor e mais barato que encher os cornos de cachaça...

Eu nunca estive tão bem no hobby quanto atualmente. Menos trabalho, menos encheção de saco e aprendi um pouco com a vida; Fodam-se as opiniões dos outros com relação ao que faço, pois o faço porque gosto.

Fotografia é outra coisa que adoro, coloco muitas que faço no meu Facebook. Quem não gostar não curte. 

Um dos maiores problemas do ser humano é se incomodar com a opinião alheia com relação ao que ele faz em sua vida, seja foto, mulheres, trabalhos e montagem de kit. 

Fotografo mal, pinto quadros meia boca, faço uma comida mais ou menos, monto kits tortos, mas foda-se, faço pra mim. 

Se pago pra colocar kit na mesa e o juiz não gostou e não vai premiar, de boas, não fui lá pra isso; Fui pra ver amigos e ver modelos lindos. 

Se o cara não é bom com a mulher na cama, se não é um bom filho, se não é um profissional de destaque, ele faz de tudo pra ser um grande ganhador de medalhas, e se acha que foi injustiaçado... fodeu... mimimi mimimi num monto mais  Vai se tratar. 

Abração a todos e uma ótima semana. 

Ps.; Vamos montar kit, abraçar nossas mulheres, filhos e amigo, trabalhar pra ganhar dinheiro e ser felizes. A vida passa rápido demais pra perder tempo preciosíssimo com opinião alheia. 

Tenho notado uma coisa intrigante: dois modelistas reconhecidos e que atingiram o ápice do modelismo, sendo fartamente premiados em vários eventos, e que desistiram, talvez por acharem que não tinham mais a progredir.

Um é o Assef, que deve ter em casa mais medalhas e troféus em casa que a metade de todos os modelistas da área, e que aparentemente, cansou.

Outro é o Max, um colega de Caxias, que montava carros como ninguém e que de repente cansou, vendendo tudo o que tinha, inclusive os montados e premiados. No último tópico de vendas dele até a cristaleira ele vendeu. Também era outro que tinha trocentos prêmios.

Se esse é o risco de se tornar um expert, começo a ficar com medo, mesmo que esteja longe de ter essa qualificação.

Se bem que comigo é difícil, pra não dizer impossível que eu desista de montar aviões, pois a paixão já dura mais de 55 anos e só aumenta.

Enfim, acho que o problema é desistir e vender tudo...Vai que um dia a febre volta e o modelista vendeu tudo....

Um Abração!

xxAgnaldoxx posted:

Eu nunca estive tão bem no hobby quanto atualmente. Menos trabalho, menos encheção de saco e aprendi um pouco com a vida; Fodam-se as opiniões dos outros com relação ao que faço, pois o faço porque gosto.

Fotografia é outra coisa que adoro, coloco muitas que faço no meu Facebook. Quem não gostar não curte. 

Um dos maiores problemas do ser humano é se incomodar com a opinião alheia com relação ao que ele faz em sua vida, seja foto, mulheres, trabalhos e montagem de kit. 

Fotografo mal, pinto quadros meia boca, faço uma comida mais ou menos, monto kits tortos, mas foda-se, faço pra mim. 

Se pago pra colocar kit na mesa e o juiz não gostou e não vai premiar, de boas, não fui lá pra isso; Fui pra ver amigos e ver modelos lindos. 

Se o cara não é bom com a mulher na cama, se não é um bom filho, se não é um profissional de destaque, ele faz de tudo pra ser um grande ganhador de medalhas, e se acha que foi injustiaçado... fodeu... mimimi mimimi num monto mais  Vai se tratar. 

Abração a todos e uma ótima semana. 

Ps.; Vamos montar kit, abraçar nossas mulheres, filhos e amigo, trabalhar pra ganhar dinheiro e ser felizes. A vida passa rápido demais pra perder tempo preciosíssimo com opinião alheia. 

xxAgnaldoxx posted:

Ps.; Vamos montar kit, abraçar nossas mulheres, filhos e amigo, trabalhar pra ganhar dinheiro e ser felizes. A vida passa rápido demais pra perder tempo preciosíssimo com opinião alheia. 

Eu sou um da turma que largou de montar. Há algum tempo, desde antes de parar de frequentar a WK. Vendi quase todas as caixas de kits (kits montados há muito tempo não tenho mais nada), infelizmente não consegui ainda vender a raspa do tacho - mas tenho fé, vou vender tudo!!!! Ferramentas mantenho porque uso em outros trabalhos. Ainda há algumas semanas joguei fora umas 30 tintas Tamiya e Testors que endureceram nos potinhos. E ainda há mais para endurecer! eheheh

Mas ainda gosto de ver o trabalho alheio, principalmente a parte técnica da montagem: um produto diferente, uma ferramenta, um jeito de cortar isso e aquilo... isso me interessa e continuo acompanhando. Não é porque desisti de montar kit que desisti de apreciar o trabalho dos outros.

Mas kit mesmo... percebi em determinado momento que ter a estante cheia de kits empoeirando era perda de tempo para mim, sem contar o espaço; percebi o que o Agnaldo escreveu, que destaquei acima.

O tempo que eu levava para montar um kit (e eu me considerava de 0 a 10 um montador 6.5, recebi mais de 30 medalhas em concursos, que foram devidamente recicladas...) era o mesmo ou maior do que restaurar uma luminária ou um móvel pequeno... e comecei a avaliar a utilidade e valor histórico de ambos. O prazer do trabalho era o mesmo, mas no final desse trabalho o kit ia pra prateleira apoiar poeira, mas a luminária era útil, o móvel era útil! (sim, passei a considerar kit na prateleira algo inútil para mim). E numa possível revenda, sem comentários qual tem mais valor.

Hoje eu apoio totalmente, sem questionar, decisões como a do Assef ou do Max. Bem como apoio decisões como a do Agnaldo ou do Paulão. Cada cu sabe qual papel lhe faz bem ou lhe faz mal... ninguém tem de se meter com isso. O dinheiro é pessoal, o tempo é pessoal, a decisão é pessoal.

Como disse o Agnaldo, o ser humano se incomoda muito com a opinião alheia... uma triste verdade. Ainda mais opinião numa atividade completamente supérflua como é montar um kit. Se eu pudesse, daria um gato para cada pessoa, assim cada pessoa ocuparia seu tempo cuidando das 7 vidas do gato ao invés da vida das outras pessoas...

 

concordo com quase tudo dito acima

acho que o primeiro sinal de problema é quando "precisa" pelo menos meia horinha por dia, este precisar vira obrigação e ai ja era.

até gosto de um elogio e não me preocupo com criticas, nunca tive pretensão e muito menos vontade de participar de concurso, sempre montei para mim e continuo assim.

para mim hoje é essencial continuar montando, é a unica coisa que me salva de não enlouquecer de vez. 

PS.: graças ao Jean consegui minha cópia tão desejada da enciclopédia da hanna barbera, ela tem um lugarzinho de destaque na estante de filmes.

valeu Jean 

xxAgnaldoxx posted:

 

Se o cara não é bom com a mulher na cama, se não é um bom filho, se não é um profissional de destaque, ele faz de tudo pra ser um grande ganhador de medalhas, e se acha que foi injustiaçado... fodeu... mimimi mimimi num monto mais  Vai se tratar. 

 

Venenoso ! E ainda tinha coragem de criticar meu avatar 

Palavras do Mestre Marcelo Guerra: o kit é seu, vc comprou com seu dinheiro, e f#d%-se quem não gostou e se ficar uma merda, lembre-se que é só plastico.

Abs.

 

 

xxAgnaldoxx posted:

 

Se o cara não é bom com a mulher na cama, se não é um bom filho, se não é um profissional de destaque, ele faz de tudo pra ser um grande ganhador de medalhas, e se acha que foi injustiaçado... fodeu... mimimi mimimi num monto mais  Vai se tratar. 

 

Venenoso ! E ainda tinha coragem de criticar meu avatar 

Palavras do Mestre Marcelo Guerra: o kit é seu, vc comprou com seu dinheiro, e f#d%-se quem não gostou e se ficar uma merda, lembre-se que é só plastico.

Abs.

 

 

FALA VÉIO!!! 

Ainda bem que você trocou o avatar hein!  

Bem por aí. 

Realmente não vale a pena perder tempo com merda. 

Alexandre, um dia a gente toma um vinho no Portuga. 

Abração.

Eu não abandonei nem troquei de hobby.

Já tentaram me "converter" ao aeromodelismo,mas está aí uma coisa que eu gosto de ver,só de ver.

O que eu estou abandonando, sim, é o perfeccionismo, a neura.

Já ganhei diversos prêmios em concursos mas hoje, se eu participar, é só de um.

No momento estou montando muito pouco, se eu começar a inventar muita moda, daí é que não sai nada mesmo.

Um hobby, seja qual for, é para você relaxar e se divertir e é isso que estou aprendendo nessa minha nova fase da vida.

Vou montar para mim, apenas isto.

No OPEN do GPC,em Valinhos encontrei um antigo conhecido que também está com a mesma ideia.

Então, eu não estou sozinho.

Abç

Orlando

JeanFabricio posted:
xxAgnaldoxx posted:

Ps.; Vamos montar kit, abraçar nossas mulheres, filhos e amigo, trabalhar pra ganhar dinheiro e ser felizes. A vida passa rápido demais pra perder tempo preciosíssimo com opinião alheia. 

Eu sou um da turma que largou de montar. Há algum tempo, desde antes de parar de frequentar a WK. Vendi quase todas as caixas de kits (kits montados há muito tempo não tenho mais nada), infelizmente não consegui ainda vender a raspa do tacho - mas tenho fé, vou vender tudo!!!! Ferramentas mantenho porque uso em outros trabalhos. Ainda há algumas semanas joguei fora umas 30 tintas Tamiya e Testors que endureceram nos potinhos. E ainda há mais para endurecer! eheheh

Mas ainda gosto de ver o trabalho alheio, principalmente a parte técnica da montagem: um produto diferente, uma ferramenta, um jeito de cortar isso e aquilo... isso me interessa e continuo acompanhando. Não é porque desisti de montar kit que desisti de apreciar o trabalho dos outros.

Mas kit mesmo... percebi em determinado momento que ter a estante cheia de kits empoeirando era perda de tempo para mim, sem contar o espaço; percebi o que o Agnaldo escreveu, que destaquei acima.

O tempo que eu levava para montar um kit (e eu me considerava de 0 a 10 um montador 6.5, recebi mais de 30 medalhas em concursos, que foram devidamente recicladas...) era o mesmo ou maior do que restaurar uma luminária ou um móvel pequeno... e comecei a avaliar a utilidade e valor histórico de ambos. O prazer do trabalho era o mesmo, mas no final desse trabalho o kit ia pra prateleira apoiar poeira, mas a luminária era útil, o móvel era útil! (sim, passei a considerar kit na prateleira algo inútil para mim). E numa possível revenda, sem comentários qual tem mais valor.

Hoje eu apoio totalmente, sem questionar, decisões como a do Assef ou do Max. Bem como apoio decisões como a do Agnaldo ou do Paulão. Cada cu sabe qual papel lhe faz bem ou lhe faz mal... ninguém tem de se meter com isso. O dinheiro é pessoal, o tempo é pessoal, a decisão é pessoal.

Como disse o Agnaldo, o ser humano se incomoda muito com a opinião alheia... uma triste verdade. Ainda mais opinião numa atividade completamente supérflua como é montar um kit. Se eu pudesse, daria um gato para cada pessoa, assim cada pessoa ocuparia seu tempo cuidando das 7 vidas do gato ao invés da vida das outras pessoas...

 

Lembro do Fabrício do extinto (???) IPMS Curitiba, montava pra caramba, fiquei impressionado com um Swordfish que ele montou na época...

xxAgnaldoxx posted:
xxAgnaldoxx posted:

 

Se o cara não é bom com a mulher na cama, se não é um bom filho, se não é um profissional de destaque, ele faz de tudo pra ser um grande ganhador de medalhas, e se acha que foi injustiaçado... fodeu... mimimi mimimi num monto mais  Vai se tratar. 

 

Venenoso ! E ainda tinha coragem de criticar meu avatar 

Palavras do Mestre Marcelo Guerra: o kit é seu, vc comprou com seu dinheiro, e f#d%-se quem não gostou e se ficar uma merda, lembre-se que é só plastico.

Abs.

 

 

FALA VÉIO!!! 

Ainda bem que você trocou o avatar hein!  

Bem por aí. 

Realmente não vale a pena perder tempo com merda. 

Alexandre, um dia a gente toma um vinho no Portuga. 

Abração.

Fala !!!

Será um prazer !

Abração !

Marcio Bernardi posted:

concordo com quase tudo dito acima

acho que o primeiro sinal de problema é quando "precisa" pelo menos meia horinha por dia, este precisar vira obrigação e ai ja era.

até gosto de um elogio e não me preocupo com criticas, nunca tive pretensão e muito menos vontade de participar de concurso, sempre montei para mim e continuo assim.

para mim hoje é essencial continuar montando, é a unica coisa que me salva de não enlouquecer de vez. 

PS.: graças ao Jean consegui minha cópia tão desejada da enciclopédia da hanna barbera, ela tem um lugarzinho de destaque na estante de filmes.

valeu Jean 

Nunca abandonei. Tem épocas que me envolvo mais, outras menos. Tenho meu canto em casa e quando tenho vontade vou para ele. Coleciono filmes também, coleciono pedais de efeito para guitarra e tenho algumas. Gosto de modificar os efeitos e torná-los agradáveis aos meus ouvidos. Gosto de projetar móveis para mim mesmo e meus amigos. Não fico preso a uma coisa apenas, sou modelista mediano, me divirto em casa e era isso. 

Abandonar ou não é uma coisa de foro íntimo. O sujeito por vezes cansa da casa, do emprego, do carro, de outras pessoas e por que não, do hobby. Procura outras alternativas e vai ser feliz. Ficar preso ao que não se curte mais não dá. A vida segue. 

Eu fiquei um bom tempo alternando entre o plastimodelismo e o férreo, uma vez ou outra comprava algum diecast. Cada vez que isso ocorria me desfazia de tudo e começava do zero. Nunca me arrependi de vender kits que nunca mais encontrei, mas me arrependo de ter vendido alguns trens porque ou não os encontro mais ou estão custando agora uma exorbitância. 

No ano passado peguei forte no plasti, montei até o final quase uma dezena de modelos, mas agora decidi me concentrar no férreo e botei tudo a venda no mercado de pulgas.

Muitas coisas pesaram na minha decisão final, uma delas é morar em apartamento, a esposa sempre se incomodava com o cheiro dos químicos; outro fator foi o que o Oswaldo falou, o plastimodelismo é um hobby bastante solitário, percebi que passava muito tempo comigo mesmo e acabava negligenciando a convivência com as pessoas que amo.

Também pesou um pouco o fato de que no plasti você só tem algo concreto ao terminar o modelo, no férreo não necessariamente, as coisas parecem correr num ritmo mais vagaroso e colecionar os trens, por si só, já é um hobby.

As vezes bate uma vontade de montar algo, mas acompanhando as montagens dos colegas do fórum ou algum canal de modelismo do YouTube consigo "sublimar" essa vontade; quem sabe futuramente monte uma ou outra militaria, mas sem perspectivas de transformar isso num hobby.

 

Saudações colegas!

Tchê! Todo ano no dia 12 de outubro, na tradicional EXPOAER feito na base aérea de Canoas-RS, ouço comentários de gente que vem apreciar os kits do pessoal do clubesul de modelismo e convidados, as histórias de que foram, fizeram ou deixaram de fazer são idênticas as citadas nesse tópico.

Minha modesta opinião: A instabilidade financeira seria o carro chefe para que nossas crianças não tenham o plastimodelismo como mais uma opção de consumo. 

Eu rogo a Deus saúde física e mental, para que possa montar e pintar meus kits até 'São Pedro puxar minha ficha', he, he. Tenho conseguido finalizar uma média de 4 kits meus, por ano.

Fico triste por ter fracassado em ensinar crianças de bom poder aquisitivo, na maioria os pais não incentivaram. Tenho certeza que teria sucesso com as pobres, mas tenho medo de iniciar algum projeto, justamente por essa onda comunista que assola nosso pais...Tá chato! Tudo é relativo, tudo ofende, tudo é esq. contra dir. (Desculpe o desabafo).

Abc, Chaves 

LFChaves posted:

Saudações colegas!

Tchê! Todo ano no dia 12 de outubro, na tradicional EXPOAER feito na base aérea de Canoas-RS, ouço comentários de gente que vem apreciar os kits do pessoal do clubesul de modelismo e convidados, as histórias de que foram, fizeram ou deixaram de fazer são idênticas as citadas nesse tópico.

Minha modesta opinião: A instabilidade financeira seria o carro chefe para que nossas crianças não tenham o plastimodelismo como mais uma opção de consumo. 

Eu rogo a Deus saúde física e mental, para que possa montar e pintar meus kits até 'São Pedro puxar minha ficha', he, he. Tenho conseguido finalizar uma média de 4 kits meus, por ano.

Fico triste por ter fracassado em ensinar crianças de bom poder aquisitivo, na maioria os pais não incentivaram. Tenho certeza que teria sucesso com as pobres, mas tenho medo de iniciar algum projeto, justamente por essa onda comunista que assola nosso pais...Tá chato! Tudo é relativo, tudo ofende, tudo é esq. contra dir. (Desculpe o desabafo).

Abc, Chaves 

 Perfeito! 

Achei esse tópico um tanto quanto depressivo... mas há que se encarar: são fatos. Confesso que muitas vezes penso em desistir, mas por conta das inúmeras coisas que dão errado no curso das minhas montagens (maximizado por não atingir o resultado desejado), além do ritmo lêsmico. Tenho procurado montar um pouco mais (nesse sentido, o clube do qual faço parte tem sido determinante) e participo de eventos mais pelo congraçamento e para ajudar a "encher a mesa", o que aqui pelo sul não é fácil... 

Sei que não faz a menor diferença - e também não vai nenhuma crítica - mas pessoalmente, me entristeço ao ler sobre vários modelistas que "alopram" e de vereda, se desfazem de tudo... a impressão que tenho é que sofreram algum trauma e querem eliminar qualquer vínculo com o hobby, mais por saber que qualquer coisa que o represente, poderá ressuscitar a paixão pelos kits...

Meu irmão era um modelista de mão cheia. Montava aviões da II guerra, na 1/32. À época, sonhávamos com muitos kits que hoje enchem as "prateleiras" das lojas virtuais. Após o casamento e o nascimento da primeira filha, foi abandonando o hobby e nunca mais retornou. Sinto muita falta dele e tenho o sonho de dividirmos a bancada... um dia, quem sabe ?

Nesse aspecto, ressalto que os clubes são excelentes instrumentos para motivação mútua no modelismo. Hoje, posso dizer que meu círculo de amizade se restringe - basicamente - aos modelistas do clube (ok... sou meio anti-social, mesmo...). Quando estou lá, montando, conversando e dando risadas, simplesmente saio renovado e com expectativa para a próxima reunião.

Na contramão, é contraditório ouvir constantes discursos acerca da necessidade de se difundir o hobby, quando a prática nos eventos que deveriam servir a esse propósito, é muitas vezes, exatamente o contrário. Atitudes eivadas de vaidade, arrogância, egoísmo e um corporativismo tacanho que só faz afastar as pessoas do hobby. Quem não conhece um modelista desiludido com algum grupo ou associação ? 

A decisão de permanecer ou abandonar o hobby, é pessoal. Mas é tomada com base em circunstâncias. No que nos diz respeito, estamos contribuindo para que nossos amigos modelistas permaneçam, ou abandonem o hobby ?

Abraço do Jet a todos 

 

Fazendo um aparato do que foi discutido aqui "escrito" entre as questões pessoais de  filhos , casamentos, família, e sociais, como espaço e outros Hobbies com aparecendo forte aqui do Ferreomodelismo e o colecionismo do Diecast , ha questões ainda pertinentes como a postura inadequada de grupos de plastimodelismo e  indivíduos destes grupos . Mas eu pessoalmente venho percebendo infelizmente o declínio do hobby , em comparação ha 15 anos atras , um comparativo era os pequenos concursos que existiam no interior do paraná e são paulo, e outros lugares..a extinção deste eventos e até grupos, é uma "pena" , e ainda lembrando da "velha guarda do plastimodelismo, os véio" que volta e meia somos surpreendidos com o falecimento de "tais".       

Não sei se o hobby está declinando.

Mas sei que hobby (seja qual for) serve para preencher o tempo ocioso com uma atividade relaxante e lúdica.

Há momentos em que o hobby se converte em ponto de fuga, levando a um comportamento mais obsessivo.

Apesar de montar nada em plasti e quase nada em ferreo, nos últimos tempos, ainda dedico tempo a ler fóruns e grupos de Whats para acompanhar.

Tenho muito trabalho, obrigações com família, acabando uma reforma da casa...

Assim o hobby é meu refúgio, quando sobra um pouco de tempo.

O plastimodelismo é muito vasto e com um número grande de adeptos no mundo.

Ainda vai ter muito espaço pela frente.

MUTLEY...medalha...medalha.. posted:

Fazendo um aparato do que foi discutido aqui "escrito" entre as questões pessoais de  filhos , casamentos, família, e sociais, como espaço e outros Hobbies com aparecendo forte aqui do Ferreomodelismo e o colecionismo do Diecast , ha questões ainda pertinentes como a postura inadequada de grupos de plastimodelismo e  indivíduos destes grupos . Mas eu pessoalmente venho percebendo infelizmente o declínio do hobby , em comparação ha 15 anos atras , um comparativo era os pequenos concursos que existiam no interior do paraná e são paulo, e outros lugares..a extinção deste eventos e até grupos, é uma "pena" , e ainda lembrando da "velha guarda do plastimodelismo, os véio" que volta e meia somos surpreendidos com o falecimento de "tais".       

Marcinho, minha bichana preferida, ledo engano. 

Conheço gente nova que está montando até 10 kits por ano. Sai de Campo Grande e venha para a luz   

Saudações gurizada!

Bem, de fato o tópico pegou um 'viés depre', mas não penso que isso seja ruim ou besta. Penso também que a depre tem haver com nossa situação política...Amados de Deus, a bandidagem organizada dos morros cariocas não estão temendo os milico! Estão enfrentando a milicada! Políticos condenados estão atuando legitimamente no congresso! Isso deixa gente de bem semelhante a nós, um tanto desmotivados.

Acabar, acabar, também acredito que não vai...Mas não vejo jovens, gurizada de 8, 9 anos entrarem em número proporcional aos dinossauros que saem(seja por morte ou doença)...Aqui, em comunismo-alegre/RS! Esse é o ponto que o caro colega abriu esse tópico. Do qual comungo.

Blz! Grande abc a todos, que Deus os abençoe! Att, Chaves

Meu primeiro afastamento foi por motivos profissionais, familiares, conjugais.

Durou 30 anos.

Aposentado, trabalhando porque gosto, filhos criados e donos do seus narizes e esposa e companheira fazendo a mesma parceria há 40 anos, possibilitaram-me dar ao plastimodelismo um lugar de honra nas minhas atividades de lazer, juntamente com a leitura, jardinagem, cinema, legendas, viagens e estudos de idiomas.

Minhas montagens continuam, no momento, a plena carga, apenas para meu prazer pois, no WK, infelizmente, aprendi que existem pessoas rancorosas, cuja pífia existência consiste apenas em destilar maldade naqueles que, por ventura, discordem das suas ideias de vida.

É claro que temos aqui pessoas de excelente caráter e natureza, mas são os desajustados que espantam muitos plastimodelistas novatos e até mesmo veteranos, como já constatei inúmeras vezes aqui.

Continuo em outros Fóruns, aprendendo muito e socializando-me com pessoas educadas e civilizadas, nessa espiral fantástica que é conhecer e viver.

Carpe diem.

Faz tempo que não monto nada, só colecionava caixas agora parei de comprar, também não tenho espaço nem tempo e com alguns acontecimentos aprendi a valorizar outras coisas,  não vejo agora como me isolar pra ficar montando prefiro agora sair e me divertir com meus filhos pequenos ou com os amigos, até eu tomar uma decisão vou deixando as caixas por lá talves monte só a temática Brasil o resto que não for devo vender. 

schafer posted:

Bom armando muito pouco mas não abandono o plasti, atualmente descobri o AIRSOFT que e um um otimo hobby e passatempo!

Meu filho me arrasta para o airsoft. Estou gostando pois me divirto junto com ele. Apesar de eu ser péssimo nesse negócio e só servir de alvo fácil para os outros. A minha mulher não reclama e ainda incentiva essa atividade com meu filho, tirando-o da frente do videogame, além do que não faz bagunça em casa.

Isso se chama seleção natural. Quem compra por impulso, ou porque os amigos compram, acaba desistindo.

Acabam ficando no hobby quem realmente tem satisfação em montar.

A exceção fica por conta dos que montaram muito, obtiveram sucesso e cansaram, talvez por não ter mais o que atingir.

Eu, mesmo que chegasse a esse nível de montagem, não desistiria. Sempre há um kit e uma versão que desafia, e só me satisfaço ao concluir o projeto.

Um Abração!

artemius111 posted:

Meu primeiro afastamento foi por motivos profissionais, familiares, conjugais.

Durou 30 anos.

Aposentado, trabalhando por que gosto, filhos criados e donos do seus narizes e esposa e companheira fazendo a mesma parceria há 40 anos, possibilitaram-me dar ao plastimodelismo um lugar de honra nas minhas atividades de lazer, juntamente com a leitura, jardinagem, cinema, legendas, viagens e estudos de idiomas.

Minhas montagens continuam, no momento, a plena carga, apenas para meu prazer pois, no WK, infelizmente, aprendi que existem pessoas rancorosas, cuja pífia existência consiste apenas em destilar maldade naqueles que, por ventura, discordem das suas ideias de vida.

É claro que temos aqui pessoas de excelente caráter e natureza, mas são os desajustados que espantam muitos plastimodelistas novatos e até mesmo veteranos, como já constatei inúmeras vezes aqui.

Continuo em outros Fóruns, aprendendo muito e socializando-me com pessoas educadas e civilizadas, nessa espiral fantástica que é conhecer e viver.

Carpe diem.

Obrigado Prezado Artemius111!

Também já vi desajustados envenenarem o lazer dos outros dissipando grupos prematuramente. 

Abc

Chaves

Eu mesmo to parado a um bom tempo, mas estou voltando! Eu tenho muitos hobbies tbm... Plasti, Games, Eletronica, BoardGames, Lego, Culinaria, Gatos... hUAHAUHAUAHUAHUA... mas sem ter muita grana ou tempo, vamos levando como dá... os unibos hobbys que eu ja desisti foram de musica (bateria) e colecionar card games... de resto só vou somando... 

Abandonar   nunca me passou pela cabeça tal coisa  , mas fico imaginando o dia em que não farei mais parte deste mundo e ai olho para um lado da parede de meu atelier e vejo  que  o tempo que me resta de vida  , sem nem um imprevisto a quantidade de caixa daria pra mais meia vida.  Algumas vezes parei para pensar o que fazer  com tanto kit e hoje ate bem reduzido meu acervo, quando penso em me desfazer da metade deles  junto com esta ideia vem a mais  forte  aquele kit que vais se desfazer hoje lhe fara falta na hora de uma boa ideia  ai  eu abro um bom vinho e finjo  que nunca tive a ideia de me desfazer . Mas  algo tenho mantido não comprei  e não pretendo comprar mais kits exceto figuras  ou algum acessórios.  Penso  que o modelista  quando abandona o hobby deve ter sofrido em algum momento um impacto sem explicação e falo principalmente    daqueles  que sei  que eram extremamente dedicados, Não se abando  algo que gosta pelo simples fatos de se dizer  chega ... 

Acho que o Mutley nao contava com minha astucia.

 

Eu montei meu primeiro kit em 1975, era um Mc-202 Folgore da Frog 1:72. Nos anos seguintes, comprava quando tinha grana, coisa rara para criança. Entrei pra faculdade e comecei a trabalhar nos anos 80, o tempo ficou escasso para montar, e nessa epoca quase não haviam lojas que vendessem kits aqui no MS. 

Voltei a comprar e montar em 2000, em Brasília, epoca de dolar 1*1, comprei muitos kits e montei alguns. Em 2001, suspendi as montagens por conta de estudos, e retomei em 2003, quando voltei a Campo Grande. Em 2006, suspendia novamente para estudar, retomando em 2008. Mas mesmo sem montar, comprava kits.

Em 2012, parei por problemas financeiros, até precisei parar de comprar e vender alguns kits.

Mas este ano estou arrumando a bancada e, graças a Deus, logo retornarei as montagens. 

 

ABS

MM

O vai e vem  na pratica do hobby não é considerado um abandono,  Eu desde que comecei neste hobby nunca larguei , em tempos de muito trabalho 1 vez por semana era e ainda é garantido  que estarei sentado em minha bancada. Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar. Ate hoje esta condição nunca foi questionada e permanece ate hoje como um território livre de invasão. Todo o seu espaço é unica e exclusivamente o plastimodelismo. Se tiver que me mudar comprar outro imóvel  etc  a escolha vai depender sempre se em tal local moradia terá uma sala onde venha se destinar  somente a um atelier confortável e bom de trabalhar.

Saudações gurizada!

Acredito que numa linha imaginária da vida de cada um, há fases com altos e baixos...E não seria diferente na vida de um colecionador. Tive fase em que as circunstâncias permitiam executar até 12 trabalhos por ano. Seja montando kits ou dioramas. Atualmente meu guri de 4,6 anos exige uma atenção que não consigo nem executar uma simples leitura, coisa que aprecio muito.

Enfim, curta bem cada fase de sua vida. Haverá épocas que montarás kits, outras que apenas os comprarás, outras que lerás muito e ainda outras ,e acredito, mais preciosas serás pai pela 2ª. Por estarmos dentro da situação, acabamos não enxergando nossa função, nosso status de inicio, meio e fim em alguma dessas fases.

Grande abc, Deus os abençoe!

Att, Chaves  

Bacana esse post. Eu parei há alguns anos devido a uma separação não amigável. Perdi meus kits e livros no processo, fiquei só com as ferramentas e insumos. Mas estão todos guardados e acumulando ferrugem. As tintas secaram quase todas.

Mas não me considero totalmente "parado" porque ainda assino algumas publicações e canais do YouTube. Também entro como visitante aqui pra dar um look nos modelos do povo. Fico alegre de ver o pessoal mantendo o hobby vivo.

Me arrependo de algumas atitudes, como comprar excessivamente no exterior e não dar a devida atenção aos lojistas "reais". Hoje sinto falta da loja de modelismo perto de casa. As vezes eu estou dirigindo e penso "seria legal passar na loja pra ver o povo". Aí eu lembro de que não há mais loja. Complicado. Hoje só sobraram as lembranças boas dos amigos malucos que se reuniam mas lojas pra trocar uma idéia. 

O hobby tinha um efeito meio negativo em mim também. Tinha me tornado perfeccionista e chato. Nunca fui muito habilidoso então o hobby mais me frustrava do que me alegrava. Sempre invejei os modelistas que aceitavam algo "bom" no lugar do "ótimo". Geralmente estes são os mais de bem com o plasti.

"Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar."

Perfeito meu caro. Fiz o mesmo. Nem que seja o cantinho de uma mesa.

paulors posted:

"Quanto resolvi praticar esta arte uma das primeiras coisas que providenciei foi meu atelier então este local nunca deixou de existir é um pequeno mundo onde me dou o direito  de ocupar e ali ninguém manda  nem quem tem que fazer limpeza na casa pode ali entrar para varrer e  limpar."

Perfeito meu caro. Fiz o mesmo. Nem que seja o cantinho de uma mesa.

Só quem tem o seu cantinho sabe o que é.

Macoy,

Passei recentemente por isso.

Separei em 2014 e, no dia marcado para retirar os kits, maquetes, livros, ferramentas, etc., a ex resolveu barganhar vantagens, e reteve minhas coisas. Isso pq estava morando de graça no meu apto,  que comprei antes de casar. O divórcio passou a litigioso, claro.

Na primeira audiência, a juíza determinou que ela continuasse no apto e ainda que eu pagasse pensão. A juíza disse que eu poderia pegar minhas coisas, mas tive receio de buscar, vai que ela me acusasse de agressão e ainda apresentasse amigas como testemunha.

Somente em 08/2017 (3 anos depois), com nova advogada, consegui reaver meu apto e minhas coisas. A maior parte parece ok, mas perdi algumas coisas no processo.

De fato, esse foi o motivo de ter parado nos últimos 3 anos. E antes do divórcio, ela me criou tanto problema, que ja nao montava desde 2008. Total  de quase 10 anos parado devido a um casamento ruim.

Hoje, minha atual esposa gosta do hobby e incentiva, até me deu um F-4 Phantom de presente. Estou arrumando os kits e montando a bancada. Logo terei montagens pra mostrar.

 

ABS

MM

 

Macoy posted:

Bacana esse post. Eu parei há alguns anos devido a uma separação não amigável. Perdi meus kits e livros no processo, fiquei só com as ferramentas e insumos. Mas estão todos guardados e acumulando ferrugem. As tintas secaram quase todas.

Mas não me considero totalmente "parado" porque ainda assino algumas publicações e canais do YouTube. Também entro como visitante aqui pra dar um look nos modelos do povo. Fico alegre de ver o pessoal mantendo o hobby vivo.

Me arrependo de algumas atitudes, como comprar excessivamente no exterior e não dar a devida atenção aos lojistas "reais". Hoje sinto falta da loja de modelismo perto de casa. As vezes eu estou dirigindo e penso "seria legal passar na loja pra ver o povo". Aí eu lembro de que não há mais loja. Complicado. Hoje só sobraram as lembranças boas dos amigos malucos que se reuniam mas lojas pra trocar uma idéia. 

O hobby tinha um efeito meio negativo em mim também. Tinha me tornado perfeccionista e chato. Nunca fui muito habilidoso então o hobby mais me frustrava do que me alegrava. Sempre invejei os modelistas que aceitavam algo "bom" no lugar do "ótimo". Geralmente estes são os mais de bem com o plasti.

Olá caro colega Macoy!

Bacana teu testemunho, e vou me prender na parte dos lojistas...Pelo menos eu percebi que te culpas por comprar fora ao invés de comprar de um lojista local. Não faça isso, o empreendedor, o dono de algum negócio tem um sócio chamado governo que como dono de imóvel só aparece no dia para receber o aluguel. Por mais talentoso que um empreendedor possa ser, se o produto não for algo de consumo de 1º necessidade, morre na praia...É o caso do nosso hobby, e ainda assim conseguimos quebrar a única fábrica disso no Brasil. Portanto não torne tua cruz na face dessa terra, mais pesada ainda. Já basta as escolhas mau feitas no campo ex-mulher, he, he.

Também tive um casamento fracassado e também o plasti não era respeitado.

Minha atual esposa, no 1º ano de namoro me presenteou com B-58 hustler. Como disse o Frank(único lojista de plasti aqui em POA/RS, e conheceu a minha ex e atual esposa, he, he) "Essa te ama né!"

Grande abc, Deus os abençoe!

Att, Chaves 

Mike Mike posted:

Macoy,

Passei recentemente por isso.

Separei em 2014 e, no dia marcado para retirar os kits, maquetes, livros, ferramentas, etc., a ex resolveu barganhar vantagens, e reteve minhas coisas. Isso pq estava morando de graça no meu apto,  que comprei antes de casar. O divórcio passou a litigioso, claro.

Na primeira audiência, a juíza determinou que ela continuasse no apto e ainda que eu pagasse pensão. A juíza disse que eu poderia pegar minhas coisas, mas tive receio de buscar, vai que ela me acusasse de agressão e ainda apresentasse amigas como testemunha.

Somente em 08/2017 (3 anos depois), com nova advogada, consegui reaver meu apto e minhas coisas. A maior parte parece ok, mas perdi algumas coisas no processo.

De fato, esse foi o motivo de ter parado nos últimos 3 anos. E antes do divórcio, ela me criou tanto problema, que ja nao montava desde 2008. Total  de quase 10 anos parado devido a um casamento ruim.

Hoje, minha atual esposa gosta do hobby e incentiva, até me deu um F-4 Phantom de presente. Estou arrumando os kits e montando a bancada. Logo terei montagens pra mostrar.

 

ABS

MM

 

Aqui, no fórum, sei de um membro que a esposa, enciumada pelos modelos dele, a certa altura colocou: " ou esses modelos ou eu". Como ele me disse, "fiquei com os modelos".

Eu pensava que essas histórias fossem esporádicas mas vejo, pelos relatos postados, que são mais comuns do que eu pensava.

Estou casado há 40 anos e minha esposa sempre me apoiou e se interessou pelo que faço em plastimodelismo. Inclusive comprei um Cadillac pink para ela montar, mas aí também era pedir demais...

Toda essa compreensão tem uma base racional: é melhor me ter na bancada, ao alcance dos olhos, do que me ver sair por aí "pescando ou caçando" com amigos, como muitos fazem.

É complicado mesmo. Mas não guardo nenhuma raiva desse episódio não. Estou melhor agora do que na época que eu estava com ela. Ja me casei novamente e minha atual esposa me dá o espaço que eu preciso. A vida a dois é complicada e é preciso priorizar trabalho e família sempre. O hobby é para as manhãs insones de sábado e domingo.

Não voltei ao plasti mais por falta de interesse. Até montei um quartinho com drywall pra fazer uma oficina mas nada além disso.

observei que tem muita esposa mesmo que pega no pé sem razao, tem algumas que simplesmente sao pessoas ruins, incluindo minha ex, ela era tao negligente que o juiz deu a guarda do filho de 5 anos para mim. e eu nao praticava o hobby na epoca, mesmo assim nem podia sonhar, ela simplesmente sugava toda minha energia e $$$.

Mas eu tambem observei outros modelistas e vi que alguns abusam, negligenciam a esposa, familia e trabalho (principalmente tempo e $$$), o hobby se pratica quando se tem tempo e se usa $$$ sobrando. Alguns usam o tempo e $$$ que deveria ser para outras prioridades aí eu concordo com a esposa do fulano. Tipo eu vejo o cara vivendo que nem pobre, com carro caindo aos pedacos, de aluguel, filhos em escola publica, mas comprando kits de 1.000 reais e o fds inteiro montando e fora de casa, ai nao dá mesmo. É igual o ex da minha atual namorada, cujo hobby era pesca, ele viajava a servico a semana inteira, chegava o fds ele pegava a lancha (que comprou sem conversar com ela antes) e descia para a praia com os amigos e ignorava a esposa e filha em casa, depois chorou porque perdeu a mulher...

Para tudo na vida se tem hora, mas familia sempre em primeiro lugar.

 

Caro colega Anghinoni! Faço minhas tuas palavras. Com receio de ser mal interpretado não abordei essa parte que tu abordou. Parabéns!

Não foi o meu caso no 1º casamento, a prova é que faço exatamente o mesmo no 2º e atual casamento e não tenho problema algum...Inclusive levei um xeque-mate da baixinha(he, he). 

O caso foi o de comprar kits e o empilhar caixas...:

Eu: Veja amor, esse é tal versão usado na batalha tal...E eu não tenho...Na verdade tenho, mas com outros decalques e quando for montar inicio ambos em paralelo(Quem me conhece, sabe que realmente faço isso.);

Ela: Corinho, e aquelas 37 caixas de kits no studio...?

Eu: São o mesmo caso.

Ela: Assim ó...Façamos o seguinte: Quando aqueles 37 kits estiverem montados, dentro da cristaleira e tu tiver essa vontade de montar um kit, eu te ajudo a pesquisar e não importa o preço, nós iremos comprar!

Eu(perplexo com tamanho bom senso): Claro amor, combinado!

Conclusão: Como já relatado nesse tópico, estou curtindo um guri cheio de saúde de 4,6 anos que quando me vê lendo, corre apanhar seus livros de historinhas e senta ao meu lado para que eu leia os livros dele...Quando retomo montagem de meus 2 corsairs F4U-1D, naqueles horários de find com o rapazinho em casa...O mesmo corre para meu colo e pergunta quando ele vai montar um kit...? Ou seja, leituras ou montagens nas folgas estão em stand by, he, he. E daquelas 37 caixas que num 1º estágio foram divididas em categorias importantes MAIS, importantes MÉDIO e importantes MENOS...Essas da menos já foram vendidas e/ou trocadas. Inclusive com colegas daqui, dos quais sou grato, he, he.

Abc a todos!

Att, Chaves  

Tive uma namorada  antes de casar que  fazia  o maior barulhos  por eu  ser modelista e curtir esta arte ,também  pertencia ao Escotismo coisa que não vinha agradando ela também,  ate que um belo dia  ela me deu um ultimato que era melhor largar  o escotismo e bla..bla.. passei  o assunto para  um velho chefe hoje jã falecido meu drama de ter que abandonar o movimento e por conta disto dela não aceitar. O velho chefe  disse o seguinte ... Hoje ela pede para vc sair do movimento, amanha dirá que não deves mais jogar bola ou sentar  no barzinho com amigos e assim vc ira cedendo e la no final  já com sua vida de casado verás  que vc não decide nada nem mesmo a roupa que ira vestir. Isto foi um choque e a mais pura verdade e assim tomei a decisão que abandonaria o namoro me manteria  no movimento e continuaria  o meu hobby.  Assim nos meus próximos relacionamentos  e ate quando casei  antes eu perguntava  o que achava do escotismo e do plastimodelismo desta forma resolvi um grande problema. Hoje não faço mais parte do movimento escoteiro  me afastei por livre decisão ,por achar que já contribui por demais, e ao meu hobby este já me projetou e tem   me dado muitas satisfações ,quanto a patroa bem... Tenho uma pessoa ao meu lado que adora meus trabalhos e ainda incentiva.  Nosso hobby se não tiver o devido  incentivo  de quem esta ao seu lado  ele se torna bastante complicado de ser praticado. Tenho alguns amigos  que vivem dilemas ferrenhos em casa  por conta das esposas não aceitarem,  o irônico é que muitos deles se quer questionam  a coleção de sapatos delas  alguns talvez serão usados em somente uma festa e nunca mais.  A ideia nestes casos  é devolver na mesma moeda, e lembre se ceder  uma vez  poderá ser a chance que ela quer de dominar o terreno.  NÃO CEDER JAMAIS!   

Sábias palavras do Anghinoni, realmente tem gente que abusa do Hobby a ponto de praticamente abandonar a família.
 
Pouco antes de casar, empacotei tudo e fiquei sem montar um bom tempo, embora comprasse um ou outro kit, quando e se sobrasse uma graninha.
 
Estava quase recomeçando, quando chegou meu primeiro filho, anos depois veio o segundo...
 
Um belo dia os filhos redescobriram meus kits, como toda criança ficaram maravilhados, obviamente depois de quebrarem um ou outro montado, encontraram as caixas pedirem para montar alguns 
 
Recomecei montando com eles, depois de ficar parado uns 20 anos 
 
Com o tempo um parou de montar, o outro montava muito de vez em quando, só eu ia devagar e sempre...
 
Desenvolvi outros Hobbies paralelos, parei com alguns, desisti de outros... Alia´s desistir é meio forte, afinal sempre posso recomeçar 
 
Então tempos depois conheci o WK, ainda monto nas horas vagas, mas salvo por raríssimas exceções, não troco o Hobby por um programa com a família ou amigos.
 
PlastiAbraços

Não abandonei o hobby, apenas deu um tempo à ele para poder estudar saxofone e participar de uma orquestra! Esse tempo já dura 15 anos, sem montar e nem comprar qualquer modelo! Apenas acompanho as montagens dos amigos plastimodelistas aqui da Webkits! Quando irei retornar as atividades de modelistas? Não sei! Só Deus sabe!

Um abraço à todos!

João 

Incluir Resposta

Curtidas (2)
Fernando ManfioViperMarkII
×
×
×
×