Mutley,
 
Acho que sempre foi assim, também aparecem novos modelistas ou praticantes de outros hobbies que acabam adotando plastimodelismo, tem inclusive alguns ex plastimodelistas que retornam, depois de anos de inatividade.
 
E com o momento econômico que atravessamos, é esperado que hajam menos praticantes, seja pelo custo ou pela falta de tempo.
 
Trocar de Hobby é complicado, alguns até exigem menos tempo, mas poucos apresentam investimento muito mais baixo.
 
Desde há um bom tempo mantinha sem nenhuma pretensão uma coleção de uma meia dúzia de Batmóveis da Hot-Wheels, com a alta de preço dos kits ampliei e comecei também com alguns 1/43, pois se encontrava muita coisa boa com preços atrativos...
 
Passado um tempo os preços dos die-casts "explodiram", agora além do plasti, viciei nos HW, nos 1/43 e todos me parecem caros 
 
Fazer o que? Hmmm, acho que ainda tenho um trem elétrico antigo em algum lugar 
 
PlastiAbraços

Conheci um senhor, quando tive loja, lá em 1998, que viveu na França por muitos anos e lá mantinha uma grande coleção de ferreomodelismo. Quando teve de voltar pro Brasil, vendeu tudo para amigos de lá e veio, aqui chegando viu uma loja de kits (na época havia 7 delas no Rio) e comprou um F-14 1/48, depois descobriu minha loja e passou dois anos muito intensos no plasti. Quando fechei minha segunda loja ele perdeu o interesse e, quando nos reencontramos a dois anos, ele me disse que estava com todos os kits parados desde 2001, só ocupando espaço. O hobby atual dele é música, percussão para ser exato.

Outro modelista que era um dos mais talentosos do Rio da década de 90, mas não aceitava críticas a seus trabalhos, largou o hobby por achar injusto os resultados que conseguia em eventos. Atualmente faz esculturas e pinturas em tela.

Eu mesmo já passei por fases de total desânimo com o hobby, confesso que já fui muito mais entusiasmado com ele. A alta do Dólar e minha situação econômica desanimam muito. Só que não posso ficar sem hobby se não vou pirar, e começar um hobby do zero é muito caro, então vou levando o plasti mesmo, aos trancos e barrancos.

Acho normal essa "troca de ares", nós humanos mudamos muito durante a trajetória de nossa vida, em vários aspectos, perdemos ou adquirimos novas características. Eu quando mais jovem adorava comer os alimentos chamados "bombas calóricas", lanches, salgadinhos, refrigerante. Hoje quando vejo algo muito gorduroso ou até mesmo o cheiro me faz passar um pouco mal, em contra partida eu adquiri mais gosto por queijos, vinho, entretanto nada disso impede que de vez em quando eu sinta vontade de comer uma porcaria ou outra. A música era muito mais presente antigamente para mim, eu passava meu tempo sempre ouvindo grunge na adolescência, hoje ouvir música já não me é tão prazeroso e conforme o tempo passou o gosto por outros gêneros foram surgindo.

Acho que o mesmo se aplica para nossos hobbies, perdemos interesse em certas coisas, eventualmente acabamos nos interessando por outras ou até mesmo com o passar do tempo voltamos a readquirir gostos perdidos, acho que é um ciclo natural que afeta a todos.

Tenho um amigo que se desfez de todos os seus kits e se dedica atualmente ao modelismo em papel. Acho que foi um caso de "amor a primeira vista". Se apaixonou pelo novo hobby e seus trabalhos são sensacionais.

Eu já pensei diversas vezes em parar com o plasti e ir para o férreo, mas o custo para mim, é proibitivo.

A primeira vez que vi um kit montado era um p-40 na casa de um primo meu,não tenho nem idéia da escala,na época era impossivel eu ter um, faltava money,o tempo passou  , fui trabalhar ganhei  money ai apareceram os Revell que eu comprava nas lojas americanas,fiquei anos montando avioes e barcos,não  havia militaria.larguei tudo e nem me lembro o que coloquei no lugar,em 1995 estava na espanha e ao voltar ao Brasil vi um stuart 1/35 Tamiya no free shop,na epoca carissimo us 20,00 meu  primeiro tamiya.Dai em diante me dediquei a militaria na 1/35 do meu jeito né para me divertir,sempre tentando ser mais fiel possivel ao real mas sem estress.dei uma segurada em 2008 e há quatro voltei e acabei optando por asas por um tempo.apesar de ter um bocado  de militaria 1/35 na fila.Estou  recomeçando para mim montar é uma terapia ,eu monto sentado no chão em uma mesa ,eu tinha um cachorro que ficava ao meu lado muitas vezes quando eu montava sentado no chão era diversão pura ele vivia se jogando em cima de mim para brincar e parecia que ele queria participar do processo, Como mentalmente eu não tenho conserto, não adianta eu gastar em psiocologo é melhor quando dá montar algo é divertido.

Eu conheci o modelismo muito criança, antes mesmo de ouvir falar em futebol.  Por isso o modelismo está enraizado em mim de tal forma que não seria mais eu se renunciasse ao hobby.  Já houveram altos e baixos, seja por falta de tempo ou de grana, até houve um tempo que um conhecido tentou "fazer a minha cabeça" na direção dos diecast, e acabei pendendo naquela direção por conta de meu gosto por carros antigos até 1930, raros no plasti.  Mas no final diecast são o mesmo que comprar kits montados.  Não via graça, e logo que me afastei daquele conhecido o interesse cessou.    

O mesmo se deu com vários colegas que por estarem próximos de mim se interessaram pelo plasti e montaram kits, mas quando a vida nos afastou, eles também largaram o plasti.  Por conta disso eu sinto que o enraizamento do hobby acontece quando ele começa bem cedo, antes dos dez anos.  Qualquer habito que voce adquire até essa idade, dificilmente voce vai abandonar.  Voce pode até ser afastado pelas contingências, mas na primeira brecha, ele volta...

Eu comecei no plasti com 13 anos de idade e nunca parei de verdade. Teve fases na juventude onde dava prioridade para outros hobbies (correr atrás da mulherada   ) mas minha esposa sempre me apoiou no hobby e nunca parei.

Hoje na casa que construimos no ano passado fiz meu cantinho de modelismo, que apesar de pequeno é mais do que necessário para fazer o hobby.

Tenho outros hobbies que intercalo com o plasti tais como: Tiro esportivo (skeet e Trap), caminhadas e churrascos

Já parei de montar aviação e troquei por militaria que acho mais fácil, mas confesso que não acho mais tempo e nem paciência, à muito não monto nada e o pensamento em abandonar o plasti me vem a cabeça toda hora, só a dificuldade de vender as coisas por um preço justo é que emperra a idéia. Novo hobby ? Algo mais light e que dê menos trabalho  e que não fique rabicho para o outro dia como as montagens.

 

Incluir Resposta

Curtidas (2)
Fernando ManfioViperMarkII
×
×
×
×