Skip to main content

https://webkits.hoop.la/topic/...6#692773703801480886

Excelente! A discussão sobre justificativas russas se assemelham à velha lorota de Hitler sobre "espaço vital germânico", assim preciso tomar Sudetos, anexar Áustria e outras coisinhas... Não falo mais nada daqui pra frente, mas a Ucrânia me parece a Polônia dos Russos!

Acabei e não volto mais!

@paulors posted:

Logo, logo aparece um fazendeiro com seu trator para levar esse lixo para o ferro velho. Vai dar uma boa grana.

[  ]s

Orra! Chutando baixo pelo menos 1 real o quilo só do ferro.

Natal já garantido... se tiver.

[]s.

Last edited by Zé Victor
@Zé Victor posted:

Orra! Chutando baixo pelo menos 1 real o quilo só do ferro.

Natal já garantido... se tiver.

[]s.

Se aquela turma que roubou as vigas de aço do elevado da Perimetral aqui no Rio fosse levada até a Ucrânia, ia fazer a festa. Iam roubar os veículos russos com os tripulantes ainda dentro.

Para quem afanou uma viga tão grande que aparecia em imagens de satélite, um T-90 iria ser pinto.

[  ]s

Em minha opinião deve-se separar o tático do estratégico.

Sob o ponto de vista  tático é muito difícil que a resistência Ucraniana suporte a superioridade bélica Russa. É uma questão de tempo para que a Rússia atinja os objetivos militares ou faça uma reformulação neles e se contente com o que conseguiu.

No campo estratégico Putin já perdeu:

- Imaginava uma campanha rápida com sanções que abalariam a economia russa como na invasão da Crimeia, colocava um governo fantoche na Ucrânia  e com o tempo tudo voltava ao normal. As sanções foram pesadas e a economia russa foi isolada. Despertou o senso de que a Europa não pode depender da Rússia em energia.

- Vai disparar uma corrida armamentista no cinturão que cerca a Rússia na Europa com nações pacíficas como a Alemanha começando a investir pesado em forças armadas o que antes passava longe das pretensões alemãs.

Clausewitz  falava que uma nação sai vitoriosa de um conflito se sai politicamente mais forte. Não é o caso da Rússia. Economia quebrada e isolada politicamente.  Do jeito que está vão virar uns párias na Europa. Vai sobrar relacionamento com a China e o terceiro mundo.

Como exemplo inverso da para pegar a Ofensiva do Tet na guerra do Vietnã:

A operação militar foi um fracasso.  Em poucas semanas a ofensiva havia sido neutralizada com um número assombroso de baixas do Exercito Vietnamita e dos Vietcong. O  Exército  Norte Vietnamita saiu tão debilitado que levou mais de um ano para efetuar uma operação de vulto novamente. Em contrapartida foi uma vitória estratégica  assombrosa,  minando a opinião pública americana e selando a saída da guerra.

Nessa guerra de Verdades apresentadas pelos dois lados eu prefiro acreditar nas informações de países onde o governo troca regularmente do que num país onde o presidente vai ficar no poder por 36 anos,  em “eleições limpas” onde os adversários estão exilados, presos ou foram assassinados.

Internautas de diversas nacionalidades culpam brasileiros que foram à Ucrânia de forma voluntária para lutar contra os russos por facilitar ataques das tropas inimigas. Publicações em redes sociais exibindo as bases militares ucranianas teriam contribuído para o lançamento de mísseis pelas tropas russas, causando dezenas de mortes.

Para esses internautas, os brasileiros estariam mais interessados em se promover, com o exibicionismo nas redes sociais, do que em lutar.

“É incrível como são descuidados e estúpidos os ‘voluntários’ brasileiros na legião estrangeira. Outro mercenário, perto de Lviv, também mantém discretamente um perfil aberto no Instagram, encantando regularmente os assinantes com novas histórias”, escreveu, em inglês, o internauta identificado como Spriter.

Ele publicou imagens do perfil do Instagram de Leanderson Paulino, que tem mais de 41 mil seguidores e diz ser brasileiro. Ele também conta que foi policial penal e bombeiro em diferentes países. Além da conta aberta no Instagram, mantém canal no Youtube com vídeos dele na Ucrânia, sempre com uniforme militar, carregando ou desmontando e montando armas.

Não há comprovação que as publicações de brasileiros nas redes sociais contribuíram para as mortes, mas é fato que as forças russas lançaram vários ataques aéreos contra um centro de treinamento militar nos arredores da cidade de Lviv, no oeste da Ucrânia, perto da fronteira com a Polônia.

Brasileiro fez vídeo após fugir de ataque russo

Esta base concentrava voluntários e mercenários estrangeiros que se juntaram às forças ucranianas na luta contra as tropas russas. O grupo é chamado de  Legião Internacional de Defesa do Território da Ucrânia.

Nas redes sociais, brasileiros disseram ter deixado a área militar na região de Lviv horas antes do bombardeio.

Fazia parte do grupo o instrutor de tiro Tiago Rossi, de Maringá, no Paraná. Ele disse em vídeo que teve de fugir após aviões russos atacarem integrantes da Legião Internacional. "Não imaginava o que era uma guerra”, afirmou o brasileiro na publicação.

"Lá (na base) tinha militares das forças especiais do mundo inteiro. As informações que a gente tem é que todo mundo morreu. Eles (russos) acabaram com tudo. Vocês não estão entendendo, acabou, acabou. A Legião foi exterminada de uma vez só. Eu não imaginava o que era uma guerra”, completou.

Até então, Rossi se vangloriava do fato de ter viajado até a Ucrânia para a luta armada. Ele virou notícia em sua cidade e em seu estado. Chegou a ser tratado como herói por seguidores nas redes sociais.

Muitos ucranianos fugiram para a relativa segurança de Lviv desde que a invasão russa de seu país começou, em fevereiro. A uma curta distância da Polônia, a cidade também é um centro de trânsito para quem sai da Ucrânia.

Esse Tiago Rossi deve ter achado que porque sabe atirar e deve jogar Call of Duty serviria pra ser mercenário. Fugiu de lá chorando, provavelmente odiado pelos ucranianos e vai ser motivo de chacota eterna. IMG-20220315-WA0001

Attachments

Images (1)
  • IMG-20220315-WA0001
@Wolf posted:

Internautas de diversas nacionalidades culpam brasileiros que foram à Ucrânia de forma voluntária para lutar contra os russos por facilitar ataques das tropas inimigas. Publicações em redes sociais exibindo as bases militares ucranianas teriam contribuído para o lançamento de mísseis pelas tropas russas, causando dezenas de mortes.

Para esses internautas, os brasileiros estariam mais interessados em se promover, com o exibicionismo nas redes sociais, do que em lutar.



Eu achava que esse meme era piada, mas parece que pelo menos o item das selfies e do Instagram é verdade.

NATUREZA DE POETA: JÁ IMAGINOU ESSA GERAÇÃO NUMA GUERRA?

@Wolf posted:
Roden's talented box top illustrator & artist Valery Grygorenko died in a Russian attack near Kviv yesterday. We talk a little on how has influenced us & look a little at his artworks in our story...

Ainda ontem postei sobre isso no blog, confesso que fiquei bem triste. A guerra começa a dar rostos aos inúmeros anônimos...

Last edited by SPRUEMASTER

Esse Tiago Rossi deve ter achado que porque sabe atirar e deve jogar Call of Duty serviria pra ser mercenário. Fugiu de lá chorando, provavelmente odiado pelos ucranianos e vai ser motivo de chacota eterna.

devia ter tática de air soft

@paulors posted:

Esse aqui parece coisa de Hollywood. Reparem nos tripulantes tentando escapar.

É um T-90?

Pavoroso.



Quanto à identificação de blindados, está uma confusão. Os dois lados tem veículos similares e as vezes só olhando detalhes dá pra saber o modelo. Nem me arrisco mais.