PAÍS  SEM  MEMÓRIA

cometeram um erro irreparável...

BRASIL 1 X 7 ALEMANHA 

Last edited by Marcus

É uma vergonha. Esse avião estava inteiro, por dentro e por fora. Quem foi o irresponsável?

[  ]s

Este avião ficava exposto aqui no Aterro do Flamengo (RJ), a criançada entrava nele para brincar de piloto. Depois virou um depósito de fezes de animais e o retiraram para levá-lo para Porto Alegre (eu acho).

Brinquei muito nele com o emu irmão!

É uma pena!

Completando:

Eu só queria saber se a 'massa falida' da Varig perguntou à alguém, ou algum órgão nacional ou internacional se queriam o avião, antes de destruí-lo...

Garanto que (no mínimo) algum museu europeu ou Smithsonian buscariam esse avião sem pestanejar e com o maior prazer....!!!
Last edited by Marcus

Li num grupo de whatsapp que ele foi oferecido ao Musal, que constatou que o grau de deterioração do metal era tal que não valia a pena tentar mantê-lo e muito menos restaurar.

A Lufthansa buscou um 707 'Sucatão' aqui... certamente alguém lá fora se interessaria... Musal só quer 'filé', tá falido e mal administrado...

Last edited by Marcus

Marcus não fale o que vc não sabe.

Falido foi o museu da TAM . O MUSAL caso você não saiba está muito bem administrado e inclusive um DC-3 reformadinho. Tem site funcionando com atividades culturais, eventos e parcerias.

http://www2.fab.mil.br/musal/index.php

Além disso está passando por uma grande reforma dos hangares nos quais já foram trocados todos os telhados que tinham mais de 50 anos de uso, por telhados melhores, com dissipadores de calor.

Os pisos dos hangares estão todos sendo reforçados com estruturas de aço e preenchidos com um cimento para piso especial.

Sempre estão sendo feitos eventos para atrair público, com vôos de aeronaves militares e civis, com participação de bandas, com food trucks e a entrada é0800 ( em média são mais de 6 por ano, coisa que eu não vejo em museu nenhum faz).

Não tome opiniões erradas do MUSAL, tem muitas pessoas sérias trabalhando alí.

O dia que vc vir ao RJ me procure e eu levo vc lá com prazer para mostrar esse trabalho que não é fácil, pois é verba é reduzida mais está sendo bem empregada.

 

Eu só queria saber se a 'massa falida' da Varig perguntou à alguém, ou algum órgão nacional ou internacional se queriam o avião, antes de destruí-lo...

Sim, mandaram um oficio ao MUSAL que respondeu que o avião estava deteriorado e que só interessava retirar peças para a reserva técnica.

 

Preservação da história das Massas

A preservação da história da Varig é primordial para toda a sociedade e, portanto, é tratada com todo zelo pelo Poder Judiciário. Assim, o juízo da 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro determinou a manutenção do Museu Varig na cidade de Porto Alegre – RS.

A história, das atuais Massas Falidas do Grupo Varig, encontra-se ali registrada e preservada. Apenas para demonstrar, o avião DC-3 PP-ANU foi restaurado em 2016 e integra o conjunto de bens do referido Museu, preservado hoje por uma empresa privada, escolhida em processo de licitação sob a supervisão do juízo e com o apoio do Ministério Público (http://www.varigexperience.com.br/).

Em relação ao DC-3 PP-VBF, em setembro de 2019 recebemos uma notificação da empresa TAP – Manutenção e Engenharia Brasil S.A. sobre a existência de um avião que seria de propriedade das Massas. Realizamos, então, todas as diligências necessárias junto à ANAC para constatar a real titularidade do bem.

Confirmada a propriedade do avião para as Massas Falidas foram tomadas as providências para avaliar a relevância econômica e histórica da aeronave e, ainda, realizado o orçamento para a transposição do avião até a sua sede, na Estrada do Galeão – RJ.

O MUSAL – Museu Aeroespacial – foi consultado com o objetivo de nos informar se possuía algum interesse no avião. Após a avaliação pelo MUSAL foi constatada a corrosão generalizada de 100% do revestimento externo. Assim, como consequência, optou por não receber o avião de forma completa, mas apenas aproveitar partes: conjunto de manetes, manches, medidores do painel de instrumentos, poltronas do compartimento de passageiros e conjuntos de rodas e pneus (ver laudo MUSAL).

O orçamento da transportadora e o relatório de viabilização rodoviária para o transporte do avião mostraram que o custo seria significativamente oneroso para as Massas. Além disso, o transporte do avião envolveria uma operação extremamente complexa: demandaria retirada de postes, retirada de placas de sinalização ao longo do caminho, retirada de cercas, realização de uma obra para acesso do comboio e construção de uma base para recepcionar o avião.

Desta forma, como o objetivo principal da falência é de arrecadar valores para o pagamento do maior número possível de credores, dado o alto custo da transposição do bem (tanto do ponto de vista econômico quanto do ponto de vista operacional) e diante da falta de interesse do MUSAL em expor o avião, foi requerido ao juízo à autorização para que este pudesse ser recortado e, parte de suas peças, doadas ao Museu (ver petição).

Assim sendo, em 09/12/2019, foi publicado no Diário Oficial despacho proferido pelo juízo da 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro que autorizou o recorte do avião, bem como a doação de parte das peças ao MUSAL.

Foi então aberto o prazo para eventual interposição de recursos, que se encerrou em 29/01/2020, sem quaisquer manifestações em sentido contrário. (a contagem de prazo ficou suspensa entre 20 de dezembro a 20 de janeiro — Resolução nº 244, de 12 de setembro de 2016).

A partir do dia 30/01/2020, iniciou-se o recorte e retirada de parte das peças doadas para o MUSAL.

Como o processo falimentar é uma execução coletiva, o rito e a cautela são extremamente importantes e tivemos todo o cuidado em cada etapa desse procedimento.

Todos os laudos, petições e notificações estão disponíveis nos autos do processo falimentar nº0260447-16.2010.8.19.0001 em trâmite perante à 1ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro – RJ.

ATUALIZAÇÃO: Após a publicação das informações prestadas no dia 03/02/2020, foi veiculada pelo site do G1 uma reportagem sobre a preservação da história da Varig, informando as providências tomadas antes de ser autorizado judicialmente o recorte do avião (https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/02/03/apos-decisao-da-justica-aviao-da-varig-que-ficava-perto-do-galeao-e-desmontado-parte-sera-doada-a-museu.ghtml)

Administração Judicial

http://sanordesteriosul.com.br...historia-das-massas/

Last edited by paulors

Pelo descrito acima, ele não estava de todo ruim, tanto que muita coisa de seu interior será graciosamente aproveitada.

É fato que as suas condições externas não eram das melhores, mas certamente seria possível recuperá-lo, o que deixou de ser feito pelo custo desse processo. Aliás, aeronaves em piores condições já foram recuperadas aqui mesmo no Brasil.

[  ]s

Last edited by paulors
paulors posted:

..... Certamente as suas condições externas não eram das melhores, mas certamente seria possível recuperá-lo, o que deixou de ser feito pelo custo desse processo. Aliás, aeronaves em piores condições já foram recuperadas aqui mesmo no Brasil.

[  ]s

paulors posted:

Outro detalhe - não existe registro de oferta a alguma entidade no exterior.

Certamente viriam buscar....!!! assim como já buscaram anteriormente...

Já visitei muitos museus na Alemanha e Italia, lá não jogam nada fora... por pior que esteja! algumas  vezes deixam acondicionado esperando uma oportunidade de restauração, mas não jogam fora...!

Simples assim! 

e 'aplausos' ao BR mais uma vez!

PS:

Ao suposto alto custo operacional no BR, soma-se propinas, superfaturamentos etc...

Last edited by Marcus

Museu da Aeronáutica de São Paulo fechou e "jogou" aviões importantes ao relento. (P 47 veterano de guerra, Avião de Ada Rodato, etc).

Museu de Armas, Veículos e Máquinas Eduardo André Matarazzo tem um acervo de aviões históricos que estão apodrecendo.

Museu da TAM fechado.

São só os exemplos mais notórios de um descaso que atinge, e de certa forma é de responsabilidade de todos nós. 

Não esqueça a tragédia maior, que foi a do Museu Nacional, entregue à administração de amadores e destruído em um incêndio. Não haviam detetores de fumaça, brigada de incêndio e nem mesmo água para combater o fogo ou seja, um circo de horrores, típico de um país de Quinto Mundo. Pior, considerando a impunidade ampla, geral e irrestrita que impera aqui nesse lugar esquecido, certamente ninguém será responsabilizado por essa tragédia.

Anos atrás, quando tentaram entregar a administração à especialistas privados, logo surgiram os "patriotas" de ocasião gritando que o museu era "do povo". Ah, ah, ah.

[  ]s

Há 2-3 anos, numa divisão do Fórum fechada por mau uso dos membros, abri  e mantive um tópico sobre museus brasileiros, quase todos privados.

Apesar da desvalorização nesse lugar de uma coisa chamada Educação, descobri, para minha surpresa, excelentes museus que tentam preservar, com poucos recursos, parte da cultura nacional.

Preservar cultura exige dinheiro, trabalho e vontade, itens quase praticamente desconhecidos aqui.

Aqui só tem pessoas "preocupadas". Na verdade, o que mais precisamos é ação.

Choramingar e polemizar não resolve nada.

Essa aeronave deve ter sido vista por milhares de pessoas na cidade do Rio de Janeiro, mas a indiferença e inação da população e dos seus líderes levou ao resultado descrito.

E a vitimização toma conta...

 

Em Porto Alegre, aeronave semelhante foi restaurada e é mantida com segurança, apesar de tal coisa navegar ao sabor das situações nesse país. É um bom passeio para sábado à tarde e comer um cheeseburger no Madero ao anoitecer...

 

Para verem à distância...

http://www.varigexperience.com.br/

e outro vídeo bem interessante sobre  mesma aeronave

https://www.youtube.com/watch?v=3i3MOxH-ESk

 

Venho acompanhando e contribuindo, há 2 anos, com a restauração desse B-24.

https://www.b24australia.org.au/home

Verifiquem como pessoas com iniciativa e vontade dão a volta por cima na falta de recursos.

Abs e uma boa semana para todos nós e nossas famílias.

Incluir Resposta

×
×
×
×
Link copied to your clipboard.
×