Existe alguma impressora 3D que realmente vale a pena para o plastimodelismo? Ou ainda é um sonho...

Original Post

Existe... mesmo as 'caseiras' boas custam um pouco mais, mas a definição das peças é ótima! (veja o rabo do rato - fotos e figuras por Fernando Estanislau) mas tem que ser por 'imersão'... as de 'fio' com alta resolução são bem mais caras e piores...

 

b43a9e12-3189-4d0a-bcdc-367a030069f2

2393b728-4608-4244-b1b6-78efc44619e4

ba4d54d3-2562-44e3-aa12-8fffc0ce7134e374d8ff-f426-43a3-b876-e344d2d08ab6

Attachments

Images (4)

Tinha visto falar que as de imersão são boas, e pelo visto não deixam a desejar de certas figuras injetadas.
Para um grupo de pessoas comprar uma destas seria tranquilo, justo, pois o numero de peças que uma única pessoa faria talvez não valesse a pena comprar sozinha.
Abs.

André,

Tenho pesquisado sobre o assunto e a que mais achei apropriada para a escala que monto (1/35) são as impressoras 3D que imprimem com resina (ou que chamam por imersão). A peça fica, literalmente, perfeita, não precisa lixar, passar acetona ou qualquer outra coisa para alisar. Veja este vídeo do Luke Towan, ele imprime muita coisa nesta impressora.

 

Pontos positivos: Qualidade da peça. Impecável. Por incrível que pareça o preço também é um atrativo. Hoje vc encontra no ML impressoras destas por cerca de R$ 2.300,00. É um bom dinheiro, mas já está no valor de um laptop médio.

Negativos: Preço, 2300 são 2300 kkkk. Mais o principal é o custo da resina. Bem caro pois é uma resina especial (UV fotosensível). Um litro custa uns 600 pilas!!!. Não sei o quanto rende para plotar, mas se seu gosto for figuras por exemplo, ela imprime peças maravilhosas que custariam brincando brincando uns 300 reais ou mais, estão tem que ver o custo benefício. Outra contra é a própria  resina, que requer um cuidado na operação, principalmente não ficar respirando gases disto. Mais um problema: tamanho das peças, não dá para plotar coisas grandes de uma vez somente

Impressoras a base de filamento mais baratas vão requerer um trabalho de acabamento grande nas peças, dependendo da resolução. E detalhes pequenos são difíceis de conseguir.

Salvo melhor juízo, está é minha opinião. 

Abraços

Guto Veiga

Eu também estou procurando uma impressora muito precisa em resina. Até agora não consegui nem quem fizesse o serviço de impressão com a qualidade que é necessária para o nosso hobby aqui no Brasil.

Guto, buenas, estou pensando em comprar uma de resina e o custo da resina no ML é em torno de R$ 300,00, embalagem de 500g

Resina impressão

 

Aqui para mim, o anúncio do link aparece por R$239.... e frete grátis

Last edited by Marcus

pois é, alem da qualidade do que produz, insumos, tem a questão de softwares e e manutenção...e nacional existe alguma que vocês conheçam?
Outro detalhe é o tamanho das peças...no máximo 12cm2?

Guto, buenas, estou pensando em comprar uma de resina e o custo da resina no ML é em torno de R$ 300,00, embalagem de 500g

Resina impressão

 

Sisca, estou na mesma. Sobre a resina é isto ai, 300 meio litro. A resina específica da impressora é um pouco mais cara.  Se alguém já tiver, poderia nos passar a impressão (literalmente kkkkk) sobre o uso e qualidade do produto. Mas para mim que gosto de dioramas fico babando pensando nas possibilidades... Outro ponto que devemos pensar: eu consigo fazer arquivos 3D para a plotagem, mas só de coisas beeeeeeeem simples. Para plotar coisas mais complexas vou depender de bibliotecas e já fui em vários sites que disponibilizam estas bibliotecas e, como tudo hoje, várias das peças legais são cobradas, e o preço depende do tamanho.

pois é, alem da qualidade do que produz, insumos, tem a questão de softwares e e manutenção...e nacional existe alguma que vocês conheçam?
Outro detalhe é o tamanho das peças...no máximo 12cm2?

Andre, na escala 1:35, e menores (1:72, 1:110, etc...) o tamanho é ideal. Mesmo para 1/24, de carros por exemplo, automonia de plotar as peças, rodas (imagine!) também dá.  Nacional não sei, mas parece que tem o representante aqui, então beleza.

@Guto Veiga posted:

Andre, na escala 1:35, e menores (1:72, 1:110, etc...) o tamanho é ideal. Mesmo para 1/24, de carros por exemplo, automonia de plotar as peças, rodas (imagine!) também dá.  Nacional não sei, mas parece que tem o representante aqui, então beleza.

Sim! essa e ideia. Até pq o custo é alto para uma impressora maior e insumos. Mas ter representante as vezes é complicado....vai que estraga uma peça e tem de vir de fora...

sim mas  como  ficaria  a geração de  imagens  para  a  impressora....tipo autocad ou  leitora  em  laser em 3 d (como  aquelas que  captam o rosto  d  pessoa com leitores  de  superficie laser e  depois  imprimem na  resina ) ou tem  acoplado scanners  para  uma  figura  já  há  muito  fora  de catalogo ou de  produção..plastiresiabços ,  teoricamente  com o passar  do tempo a  tecnologi se  tornara  barata e  mais  acessivel ( só não dá para falar  sobre o real ) ..

plastiresibaços , paulo r morgado  sp -sp 

Impressão em 3D tem vantagens e desvantagens. As peças que mandei fazer aí em cima foram impressas em um tipo de impressora que endurece resina líquida usando laser (ou luz concentrada ponto a ponto). O outro tipo mais comum é a impressora que derrete um fio de plástico (vários tipos) e vai aplicando enquanto a ponta se move.

Todas as duas produzem peças listradas porque elas vão construindo por camadas, uma depois da outra. Essas peças aí em cima tem listras, mas não podem ser vistas a olho nu nem sentidas passando a unha, por exemplo. O serrilhado é muito delicado, mas está lá, e aparece mais em topos arredondados (como curvas de nível em uma representação geográfica). Um primer fininho e uma lixa 600 são suficientes para deixar tudo pronto para pintar.

As impressoras que derretem o plástico na minha opinião não servem para fazer peças pequenas como essas. As linhas são bem maiores e precisa de muito primer e lixa, se você vai trabalhar com 1/72, 1/48 não é o tipo adequado. mas elas servem para um monte de outras coisas: fazem suportes, ferramentas, peças grandes. Mandei imprimir uma figura simples de um palmo de altura e tive que dar várias camadas de primer com lixa nos intervalos para deixar a superfície lisa.

As peças já saem prontas, então você não vai ter rebarbas para remover, mas vai ter um monte de pinos de suporte para tirar. Eles afinam fazendo um cone ao encostar na peça, então saem fácil, mas deixam uma marquinha em relevo onde estavam que tem que ser consertada. A resina é mais dura que plástico, a verde é mais dura e quebradiça, mas dá pra ir cortando de leve com um bisturi.

A qualidade das peças depende da resolução do arquivo. Aqueles quatro homens em pé são figuras de baixa resolução, mas a naturalidade das poses compensa. Tem muita coisa ruim à disposição nos sites de busca, sempre dê uma conferida nos arquivos (.stl) , procurem que tem visualizador onlaine .

Eu não vou comprar uma impressora tão cedo, mas andei comprando arquivos muito bons pela internete a fora.

Quanto à impressão, procurem no facebook pela Factory Modelismo, o cara fica lá na Paraíba e mandou as peças pelo correio, chegaram bem.

EDITADO:

A resina custa caro, é verdade, mas é possível fazer peças ocas (como a vaca verde aí em cima) ou com o miolo em colméia, isso economiza bastante o material e acelera o processo de impressão (que não é rápido, costuma-se demorar muitas horas para fazer qualquer coisa).


Last edited by Fernando Estanislau

Paulo,

Existem vários programas que permitem gerar modelos 3D para a impressora ou exportar para o formato da impressora. Se não tem conhecimento disto duas opções:

a) pedir para alguém fazer

b) buscar em bibliotecas de  objetos. veja estas, já deixei com links de wwii: 

Thingiverse, Pinshape, e esta última de babar do ponto de vista de figuras: MyMiniFactory.

Tenho trabalhado na Universidade com meus alunos em processos de modelagem de ambientes e rochas (para arqueologia), usando laser scanner e técnicas fotogramétricas. Existem scanneres que permitem fazer modelos 3D com alto detalhamento de coisas pequenas, mas muitos caros. Com técnicas fotogramétricas a gente consegue alguns produtos legais, mas para as escalas que uso, não ficam tão detalhadas.

Na plotagem em resina a qualidade do produto depende da qualidade do modelo 3D. Honestamente ainda não tive nenhum produto em mãos. Apenas o que tenho visto na net, mas para mim já é bastante promissor.

 

Veja que na MyMiniFactory, existem modelos 3D super detalhados por $5, coisa que nunca vai encontrar em peças prontas.

Esqueci de dizer, existem até alguns modelos disponíveis para impressão 1:1. Estes podem ser impressos em qualquer escala, como na 1:35. 

Last edited by Guto Veiga

Oi pessoal,

Já falaram bastante coisas bacanas mas vou adicionar os meus 2 centavos também.

Como muitos sabem, eu sou um entusiasta de impressão 3D e mais de 10 anos atrás comecei a usar os serviços da Shapeways para produzir e vender itens de modelismo impressos em 3D  (https://www.shapeways.com/shops/smallscaleshop). A minha escala de preferência é 1/144 que, se por um lado não sofre com as limitações de tamanho das impressoras, a delicadeza das peças não permite um acabamento muito grosseiro. Por isso as impressoras de resina são as ideais, na minha opinião.

Em 2018 me mudei para a Alemanha e um ano atrás comprei uma impressora de resina Anycubic Photon e fiz vários experimentos. Estou bem satisfeito com os resultados. Aqui na Europa paguei 300 euros na minha impressora e uma garrafa de 1 litro de resina sai por volta de 45 euros.

Alguns pontos importantes:

Sobre os modelos 3D

 - Eu faço os meus modelos 3D eu mesmo, usando o software Autodesk Fusion 360 (que é grátis para uso pessoal e hobbies).

- Nem sempre os modelos disponíveis para download ou para compra em sites tipo Thingeverse servem para serem impressos. Muitas vezes os modelos disponíveis são feitos para serem usados em animações ou videogames onde vários detalhes geométricos são omitidos e representados apenas por texturas. E as vezes acontece o contrário. O modelo pode ser complexo demais, com detalhes que são muito pequenos ou delicados para serem impressos com sucesso e precisa ser simplificado. Isso pode acontecer, por exemplo, quando o modelo é criado usando alguma técnica de scaneamento 3D, por exemplo.

Isso significa, que mesmo que exista um modelo pronto em algum lugar, ainda pode ser necessário algum trabalho em CAD para ajustar o modelo e deixá-lo imprimível. Principalmente se quiserem mudar a escala e ajustar o tamanho do modelo.

Então recomendo que quando estiverem procurando os modelos nesses sites, procurem por aqueles que já  tenham sido impressos com sucesso por alguém  e que não precisem de mudanças grandes na escala.

Sobre as tecnologias de impressão

Como já disseram aí acima, existem diferentes tecnologias de impressão 3D.

As impressoras mais baratas são as chamadas FDM. Nelas um cabeçote derrete um filamento de plástico e deposita o material camada a camada. As peças criadas com essas impressoras são bem resistentes mas a precisão dos detalhes é muito limitada. Acho que são ideais para fazer peças funcionais e não muito para plastimodelismo.

No mundo industrial existe um outro tipo de tecnologia chamado de SLS. Neste caso, o material é um pó de plástico que é depositado em uma bandeja e é fundido por um feixe de laser. Então a impressora deposita outra camadinha de pó e o laser novamente funde o plástico. E assim por diante, camada a camada.

Um outro tipo de tecnologia, chamada SLA, funciona de forma parecida com a SLS, mas ao invés de pó ela usa uma resina líquida que é solidificada pelo laser.

Mas as impressoras tipo SLS e SLA são caríssimas e não dá para ter em casa como hobby. Os meus modelos impressos na Shapeways usam essas tecnologias.

E, por fim, existe uma outra tecnologia que conseguiu deixar as impressoras acessíveis. Essa tecnologia é chamada de DLP, mas também já vi se referirem a esse tipo de impressora como LCD. Ela funciona de forma parecida com a SLA acima, mas ao invés de laser, ela usa um LCD (que nada mais é que uma tela de celular) com uma luz ultra-violeta por baixo. A tela LCD projeta o perfil de cada camada com a luz ultra-violeta e a resina líquida se solidifica quando em contato com a luz UV.

Preparação dos modelos

Para mim, por enquanto, a preparação do modelo é quase como uma arte que tenho aprendido por tentativa e erro.

Após os ajustes que eu mencionei acima, para deixar o modelo original adequado para impressão, o arquivo tem de ser exportado para um software específico chamado slicer. Neste software você define qual a orientação da peça na bandeja, os suportes e os parãmetros de impressão.

A orientação é importante pois ela ajuda a reduzir as estrias na peça causadas pelo processo de impressão camada a camada.  Por exemplo, em geral, é melhor imprimir uma peça plana usando uma inclinação do que deixá-la paralela a bandeja. Por outro lado, isso aumenta o tempo de impressão e exige mais suportes.

O slicer tem a possibilidade de gerar suportes automaticamente, mas eu percebi que ele tende a gerar mais suportes que o necessário e nem sempre coloca os suportes nos pontos ideais. Então eu prefiro colocá-los manualmente, um a um. O importante é não esquecer nenhum ponto do modelo que precise de suporte, senão a impressão irá falhar.

E então, é preciso ajustar os parâmetros de impressão, como a espessura de cada camada, tempo que cada camada será exposta à luz UV, tempo de espera entra uma camada e outra, etc. Aqui também existe um pouco de tentativa e erro pois os parâmetros dependem da resina (existem diferentes fabricantes, diferentes cores e cada um exige parâmetros diferentes) mas também dependem do ambiente (temperatura afeta esses parâmetros).

Por fim, o slicer gera um arquivo de impressão que pode ser carregado na impressora e executado.

Pós-processamento dos modelos

Quando a impressão termina (depende dos tamanho e dos parâmetros, mas os meus modelos levam entre 3h e 8h para imprimirem) é preciso retirar o modelo da bandeja e remover o excesso de resina líquida que fica sobre a superfície e pode cobrir os detalhes. Para isso eu banho as peças em álcool isopropílico, que dissolve a resina líquida. Depois coloco a peça para curar numa câmara com luz ultra-violeta. Alguns minutos é suficiente. A remoção dos suportes é mais fácil quando feita antes da cura.

As várias resinas tem características diferentes. A amostra que veio junto com a minha impressora foi uma resina verde transparente. Ela é bem dura quebradiça. Depois comprei garrafas de resina cinza, azul e vermelha. Todas funcionaram muito bem, mas tive que ajustar os parâmetros de impressão para cada uma.

A peça curada pode então ser lixada para remover marcas do suporte ou as estrias das camadas. Achei essas resinas mais fáceis de lixar do que as da Shapeways.

E depois é só pintar normalmente.

Cuidados importantes

A resina não curada é tóxica e é preciso cuidado ao manipular. Já li vários relatos de pessoas que tiveram alergias feias ao deixarem a resina líquida entrar em contato com a pele. Por isso, sempre uso luvas e máscara quando estou mexendo com a impressora. Depois de curada, ela não oferece riscos.

O cheiro da resina também é muito forte. Eu não recomendo deixá-la dentro de casa. A minha eu instalei no porão do prédio e adaptei uma ventoinha e um filtro de carvão ativado para reduzir o cheiro.

O cheiro do alcool também é muito forte. O ideal é ter algum tipo de ventilação no local onde fizer o banho das peças. E nem preciso falar para não deixar perto de fogo ou superfícies quentes.

O descarte do alcool sujo com resina também tem que ser feito com cuidado. Eu tenho deixado evaporar no sol, assim a resina diluida é curada durante o processo.

Conclusão

Enfim, apesar do custo agora ser acessivel, ainda não é tão simples assim de se imprimir em 3D.  Está bem longe de ser algo como as impressoras jato de tinta que temos em casa. Mas para quem quiser se aventurar dá para fazer muitas coisas legais.

 

Abraços

Glehn

Glehn, gostei de seus esclarecimento, e como proprietário do material pode muito bem passar a todos o seu ponto de vista, e os processos de confecção das peças 3D. Valeu!

Abs.

Sei que isso já foi discutido por ai, mas uma pergunta que eu me faço é de como será o futuro do plastimodelismo. Iniciei na dec de 70 montando kikoler...não tava nem aí se tinha marcas de injeção, se tava torto, se tinha tinta. Lembro que os "decalques", era assim que eu chamava, eu colava direto no plástico heehhehe

Hoje tamos ae contando rebite(nem tanto)...será que chegara o dia em que só compraremos um arquivo pra imprimir em casa? usaremos misturadores de cores?

Pra mim, ainda vale é a diversão, mas tenho dúvidas se no futuro vai ser tão legal assim. Pegar uma caixa e abrir os bags ainda é uma das coisas mais legais do hobby, não acham?

Discordo. Talvez seu avô achasse que bacana era ter que esculpir os aviões a canivete, em vez dessa facilidade de ter as peças prontas e ter apenas que colar. 

Ah, e o retorno à pureza da infância é impossível.

Eu estou achando O MÁXIMO poder desenhar (ou comprar arquivos) e imprimir (ou mandar imprimir) para ter o que eu quero, sem ficar esperando por anos alguma empresa lançar o produto e eu conseguir comprá-lo.

Discordo. Talvez seu avô achasse que bacana era ter que esculpir os aviões a canivete, em vez dessa facilidade de ter as peças prontas e ter apenas que colar. 

Ah, e o retorno à pureza da infância é impossível.

Eu estou achando O MÁXIMO poder desenhar (ou comprar arquivos) e imprimir (ou mandar imprimir) para ter o que eu quero, sem ficar esperando por anos alguma empresa lançar o produto e eu conseguir comprá-lo.

Tens razão, é só dúvida mesmo... ...e acho que pureza da infância não, mas expectativa por coisa nova sim...pq no fundo, o que muda é só o tipo de brinquedo kkkk

Discordo. Talvez seu avô achasse que bacana era ter que esculpir os aviões a canivete, em vez dessa facilidade de ter as peças prontas e ter apenas que colar. 

Ah, e o retorno à pureza da infância é impossível.

Eu estou achando O MÁXIMO poder desenhar (ou comprar arquivos) e imprimir (ou mandar imprimir) para ter o que eu quero, sem ficar esperando por anos alguma empresa lançar o produto e eu conseguir comprá-lo.

Discutir plastimodelismo com Fernando Estanislau é masoquismo.... Ele fez seus primeiros modelos observando os pterodáctilos que sobrevoavam sua moradia 

Incluir Resposta

×
×
×
×
Link copied to your clipboard.
×