Aerógrafos

Bom eu já tive vários, hoje uso dois Badger (100g com bico e agulha finas e 200g com bico e agulha médias), mais um Gatti AG2. Gosto demais deles, os Badger são os pé de boi, pau pra toda obra e o Gatti para detalhes. Este, jamais venderei e ainda vou emoldurar e pendurar na parede, acho ele bonito pacas.

 

E vou comprar o H&S Evolution que o Fernando Manfio recomendou, em março. Ainda quero experimentar esse Colani, a empunhadura me parece restritiva para o jeito como eu pinto meus kits, mas ainda assim quero experimentar.

 

Abs 

Originally Posted by Fab-Wan:
Se quiser experimentar o Colani me da um Toque!

Tu não vai aparecer aqui pra pegar os assentos (kit) do F-16??

 

Sobre o Colani, passei batido!! Nem lembrei que tu tem um, ou lembrei, mas esqueci de novo! É a idade. Gostaria sim de testar, mas só vou pra bancada semana que vem. Amanhã me vou pra Tapes!

 

Lá na primeira página eu falei que não tinha usado o Hansa 281 ainda...

 

Bom, usei semana passada pra um pre-shading depois de comprar agulha e bico novos. Eis minhas impressões:

  • É pequeno, bem balanceado, e o gatilho do tipo que não precisa pressionar, só puxar, é confortável de usar.
  • É bastante preciso e faz linhas finas como qualquer aerógrafo com bico de 0,20mm.
  • O volume do copo é bom para 1/72, talvez um pouco pequeno na hora de pintar um kit de uma cor só na 1/48; o ângulo do copo é ideal para trabalhar com o kit na horizontal sobre a bancada.
  • As agulhas da H&S são cromadas ou altamente polidas, o que melhora a fluidez e reduz o acúmulo de tinta.
  • Passei um certo desconforto depois de um tempo porque ele é muito pequeno, e fiquei sem apoio para os dedos anelar e mínimo, suponho que ele seja ideal para que tem mãos pequenas.

 

Enfim, essas características fazem a linha Hansa ideal para uso geral, tanto para pintura de detalhes (0,20mm) quanto para pinturas principais. Para 1/48 eu recomendaria os modelos com bico de 0,30mm. 

 

No começo do mês tive a oportunidade de comprar o SOTAR 20/20 na promoção da Amazon. Fiz apenas um teste rápido com Vallejo e minha impressão  foi a melhor possível. É realmente tudo aqui que dizem, muito preciso, faz linhas muito finas e com constância e muito controle. Vislumbro a possibilidade de fazer até camuflagens de tanques alemães na 1/72 à mão livre, Luftwaffe então, com ele me parece que vai ser facílimo fazer mottling.

Com o SOTAR, chega de aerógrafos pra mim. Não acho que preciso de um Infinity, tampouco quero ter com aquele preço.

 

Sds

Uso um Badger 100 para pinturas gerais e recebi recentemente o Grex XN, o qual estou utilizando para traços finos. Gostei muito do que vi. Traços finos e aerógrafo bem robusto.

 

Tenho dois Sagymas (um SW770 e um SW440) praticamente novos que nunca funcionaram direito. Vou desmontar e tentar fazer a coisa funcionar, mas em termos de qualidade são zero. Usei tão pouco que nem consigo formar uma opinião de ambos ...

 

Desmistificando para mim mesmo a ideia de marcas e modelos, comprei outro dia um da marca F&M, nunca ouvi falar, nem mesmo por aqui.

Paguei $100,00 em um shopping popular.

As expectativas não eram altas, mas quando fui testar o bicho, fiquei impressionado com o controle que consegui ao pintar, o bico é de 0,25 mm e o corpo da agulha é fino, o que sugere trabalhar com pressões maiores; apesar disso, operei com pressão baixa e fiquei impressionado com a uniformidade da camada, com a facilidade com que se controla a quantidade de tinta.

Só não testei em uso efetivo, a espessura do traço, mas em testes também é bom.

Claro que por esse preço, não se pode esperar demais; a qualidade do material de que é feito, não é igual a, por exemplo, um Iwata que tenho, o protetor do bico é bem leve para o tamanho da peça, o que sugere um material de menor qualidade.

Mesmo assim para o nível de pinturas que faço, que não é a de artistas cujas imagens vejo por aqui, atende perfeitamente, tendo no final uma excelente relação custo/benefício para o meu caso.

 

 

 

Edu

Eu tinha um Aztek, dos primeiros que apareceram no Brasil (chamava Model Master ainda). Lembro que custou um braço e uma perna, comprei na Laura do Shopping Morumbi, eram tempos pré-internets. Depois de um tempo o conector onde colocava o reservatório rachou, aí substituí por outro na garantia. Quebrou o galho por muito tempo, sempre no compressorzinho de inalador. Eu cheguei a comprar aquele bico "para acrílicas" mas percebi que o bico comum (pelo menos pra mim) funcionava melhor.

 

Depois comprei um ching-ling na E2046, que nunca usei, porque logo em seguida mudei pro Canadá. Aí agora que vou voltar a montar comprei um Tamiya HG III, que chegou semana passada. 

Originally Posted by Alexandre Rodrigues:

Estou pensando em pegar um Badger, mas estou em dúvida entre o 100G "Bakery" ou 100-2 side feed, ou o 150. Alguem teria alguma sugestão?

Tenho um AG3 e um Tamiya ação simples, o Badger seria superior ou inferior a esses que possuo?

 

Abraço,

Como é para plastimodelismo, esquece esse Bakery, pois é para fluxos de tinta muito altos e não tem muita precisão. Acho que o 100-G é o ideal, devido à versatilidade. O Badger 100 com side-feed, na minha opinião, leva a desperdício de tinta, pois sempre que você troca de cor, a tinta restante no copinho se perde. O mesmo acontece com o 150.

 

Creio que por ser dupla ação, o Badger 100 é superior ao Tamiya single. Quanto ao AG3, não posso opinar, pois nunca usei.

 

Guilherme

Recebi esse fim de semana o aerógrafo Tamiya 0,3mm edição Black dupla ação e confesso que valeu cada Real que paguei por ele. Eu estava usando o Gatti 003 da Colecionáveis já que meu Chroma insistia em não funcionar e depois de usar o da Tamiya que pelo que me foi informado é fabricado por uma divisão da Iwatta senti a diferença da água para o vinho. No início hesitei em colocar tinta nele pois o acabamento preto é tão lindo que deu dó mas passou rapidinho A pulverização da tinta é muito uniforme e os ajustes muito finos. A qualidade dos materiais empregados e a usinagem dos componentes impressionam e o legal é que as agulhas e bicos são intercambiáveis para medidas menores. Segue conselhos de vários plastis da Colecionáveis e deixo o meu aqui: comprem de olhos fechados.

Originally Posted by TomcatSP:

Recebi esse fim de semana o aerógrafo Tamiya 0,3mm edição Black dupla ação e confesso que valeu cada Real que paguei por ele. Eu estava usando o Gatti 003 da Colecionáveis já que meu Chroma insistia em não funcionar e depois de usar o da Tamiya que pelo que me foi informado é fabricado por uma divisão da Iwatta senti a diferença da água para o vinho. No início hesitei em colocar tinta nele pois o acabamento preto é tão lindo que deu dó mas passou rapidinho A pulverização da tinta é muito uniforme e os ajustes muito finos. A qualidade dos materiais empregados e a usinagem dos componentes impressionam e o legal é que as agulhas e bicos são intercambiáveis para medidas menores. Segue conselhos de vários plastis da Colecionáveis e deixo o meu aqui: comprem de olhos fechados.

Esse Tamiya eh sensacional mesmo! Tenho um e acho incrível!

E eu sei que alguem nao ia concordar com o que eu escrevi,mas ser piloto ou motorista de algo requer pratica ,sem a mesma e quase impossivel de concretizar algo.

Pois começar desde o principio com professor ou sem ele e de alguma foram iniciamos um trabalho,a pratica e importante porque o final e que vai dizer se voce sabe ou nao.   

Originally Posted by Kina:

Lá na primeira página o Rato disse para lubrificar o aerógrafo, o que vocês indicam para essa lubrificação e quais partes eu lubrifico ?

 

Abs Kina.

 

Eu uso o lubrificante específico da IWATA, um azulzinho.O aerógrafo fica bem "macio" quando uso ele.

 

Tenho dois Aztek aposentados. Hoje uso um IWATA Eclipse para o geralzão e um HP-C para detalhes.

 

Para trabalho "bruto", tipo primer e verniz, utilizo um daqueles compressores pequenos que comprei no site da Webkit (Sagyma?), bem silencioso. Para detalhes, onde reduzo a pressão para 15 psi, às vezes 10, utilizo um "Ferrari", que comprei na Submarino, mas que na Webkits é aquele monstrão Sagyma (?) de 2 CV.

 

O grandão não precisa de filtro, mas o menorzinho, se não usar um filtro (que comprei na webkits também), ele cospe água que parece um regador automático de jardim. Mas com este filtro na mangueira, posso pintar até no maior toró amazônico.

 

Detalhe, a primeira vez que fui drenar a água do bojo do parrudão, coloquei ele na lavanderia e abri o parafuso de dreno... precisavam ver a fúria assassina mutiladora daquela a quem devo obediência quando ela viu aquela água marrom inundando a cerâmica branca do piso....

Originally Posted by gigas:

E eu sei que alguem nao ia concordar com o que eu escrevi,mas ser piloto ou motorista de algo requer pratica ,sem a mesma e quase impossivel de concretizar algo.

Pois começar desde o principio com professor ou sem ele e de alguma foram iniciamos um trabalho,a pratica e importante porque o final e que vai dizer se voce sabe ou nao.   

Eu vivo dizendo isso, não adianta comprar um HarderWata Mega Power Plus Advanced Módafoca que passa fax e faz café se você não sabe usar a ferramenta. Nesse quesito os "baratinhos" são uma excelente escola.

Pessoal se esquece que a habilidade pra usar o aero não vem dentro da caixinha srrsrs

Originally Posted by Lucas:
Originally Posted by gigas:

E eu sei que alguem nao ia concordar com o que eu escrevi,mas ser piloto ou motorista de algo requer pratica ,sem a mesma e quase impossivel de concretizar algo.

Pois começar desde o principio com professor ou sem ele e de alguma foram iniciamos um trabalho,a pratica e importante porque o final e que vai dizer se voce sabe ou nao.   

Eu vivo dizendo isso, não adianta comprar um HarderWata Mega Power Plus Advanced Módafoca que passa fax e faz café se você não sabe usar a ferramenta. Nesse quesito os "baratinhos" são uma excelente escola.

Pessoal se esquece que a habilidade pra usar o aero não vem dentro da caixinha srrsrs

Lucas e Gigas,

Como diria o Poderoso Castiga do Pânico, mais ou menos.... cito um exemplo: há uns 3 anos minha esposa começou tocar flauta transversal com uma chineca marca Eagle. Aprendeu e foi tocando até quando eu lhe dei uma Yamaha top de presente. Ela percebeu de cara a diferença de qualidade no som e me disse que se tivesse com essa flauta desde o início hoje ela estaria bem melhor na musicalidade. Penso que se vc começa com um equipamento básico, vc vai se desenvolvendo até o limite desse. Começando com um equipamento muito bom, vc vai na curva de aprendizado e melhora muito mais e as vezes até mais rápido.

Perdão por discordar de vossa opinião mas estamos em um forum que promove debate...Abraços

Concordo com o Tom, aprender num aerógrafo pior não vai te ajudar na hora de usar um aerógrafo melhor, não funciona assim. Aerógrafos são diferentes, tem comportamentos diferentes, quanto mais tempo você usar maior vai ser o controle que tem sobre ele. Quando se troca de aerógrafo, mesmo que para um de muito melhor qualidade, vai haver uma tempo de readaptação.

 

 Eu sempre recomendo, compre o melhor aerógrafo que o seu dinheiro puder pagar e pratique o máximo com ele.

 

 Vou repetir aqui a minha experiencia, que já contei mais de uma vez. Quando comprei o meu Iwata achei que o certo era só usa-lo para serviços de mais precisão, no geral usava o meu antigo. Só que sempre que pegava o Iwata tinha aquele estranhamento e a coisa não funcionava como eu esperava. Achei até que o aerógrafo não era assim tão bom. Só quando finalmente decidi que devia usar o Iwata para tudo, é que eu pude realmente perceber todas as qualidades dele e ver o tempo que eu tinha perdido.

O que vocês estão falando se chama prática, e é algo que se pega com o tempo, independente da ferramenta.

 

Não adianta comprar uma Ferrari e ser um Rubinho no volante. Todo piloto de corrida começa no Kart, pelo menos onde sei. Ninguém começa correndo na F1 logo de cara.

 

O que eu quero dizer é que um novato pode muito bem começar com um básico, não precisa comprar um aero módafoca logo de cara, mesmo porque as chances de estragá-lo são grandes, uma vez que aeros mais tops são mais delicados e exigem um pouco mais de experiência de uso.

Amigos, eu uso um torre brasil e um tegore fengda, ambos 0,3 comprados da wk mesmo.... há um tempo já e até que os meus resultados tem me agradado....mandei um pra dar um talento com o carlão e fiquei até com dó de usar...

esses dias recebi meu sotar 2020 ( badger ) não usei ainda só testei....

Achei muito aero pra pouco modelista....

 

abraços

 

Shep

Originally Posted by SHEPARD:

Amigos, eu uso um torre brasil e um tegore fengda, ambos 0,3 comprados da wk mesmo.... há um tempo já e até que os meus resultados tem me agradado....mandei um pra dar um talento com o carlão e fiquei até com dó de usar...

esses dias recebi meu sotar 2020 ( badger ) não usei ainda só testei....

Achei muito aero pra pouco modelista....

 

abraços

 

Shep

Pois é Sheppard, é o que eu sempre digo, a ferramenta não é tudo não. A habilidade do modelista é importante também, não adianta ter um bom aero e não saber usar. Já vi kits muito bem pintados com aeros mais simples, assim como já vi trabalhos nem tão bons pintados com aeros módafoca.

Nem tem como não admirar esses trabalhos do Sheppard, e foram realizados com aeros Xing-Ling!  (Shep vc foi abduzido, certeza rsrsrs)



Não adianta comprar uma Ferrari e ser um Rubinho no volante. Todo piloto de corrida começa no Kart, pelo menos onde sei. Ninguém começa correndo na F1 logo de cara.

 

 

Acho que a comparação não vale, Aerógrafos são aerógrafos, melhores ou piores são basicamente a mesma coisa.  Não é preciso saber mexer num pior para saber mexer num melhor.

 

Mas concordo que um aerógrafo top tem peças caras e é bom ter algum conhecimento de como montar e desmontar para limpeza e evitar despesas imprevistas.

 

Originally Posted by Lucas:

O que vocês estão falando se chama prática, e é algo que se pega com o tempo, independente da ferramenta.

 

Não adianta comprar uma Ferrari e ser um Rubinho no volante. Todo piloto de corrida começa no Kart, pelo menos onde sei. Ninguém começa correndo na F1 logo de cara.

 

O que eu quero dizer é que um novato pode muito bem começar com um básico, não precisa comprar um aero módafoca logo de cara, mesmo porque as chances de estragá-lo são grandes, uma vez que aeros mais tops são mais delicados e exigem um pouco mais de experiência de uso.

Lucas, não é bem assim. Já que vc falou de F1 e se o Senna tivesse ficado só com a Toleman ? E se já tivesse começado com a McLarem de cara ?

Só para provocar mais polêmica  mas tá na cara que a combinação aero e modelista é o que conta no final...um sem o outro não dá resultado algum.

Originally Posted by TomcatSP:
 tá na cara que a combinação aero e modelista é o que conta no final...um sem o outro não dá resultado algum.

é isso que eu estou dizendo faz tempo rsrsrs

 

Não é a ferramenta quem faz o artista, ela ajuda mas sozinha não é nada.

 

Essa discussão sobre aerógrafos é infinita, aerografia, pintura, envelhecimento, cada um tem uma opinião e a defende não tem jeito.

Mas no fim o o que vale é nunca nos esquecermos que isso tudo é só um hobby e o importante é se divertir, seja com um aero de 100 Reais ou com um de 400 Dólares.

Acho interessante para quem está começando comprar um aerógrafo mais básico, barato e com um bico maior. No começo fazemos barbáries com o aerógrafo, do tipo colocar tinta com muito pouca diluição, limpar com o thinner errado(a tinta coagula e vira um concreto), aplicar verniz e não limpar direito, e coisas do gênero.

 

Iniciei com um aztek, que foi para o lixo(literalmente), depois passei para um Gatti, que é muito bom, até chegar no evolution e no sotar20/20.

 

O importante é começar a utilizar e aprender, e com o tempo ir atrás de outros melhores.

 

A Scale75 tem uns vídeos muito bons de pintura com aerógrafo:

Aerografo , é  como uma arma para o modelista, melhor atirar com dois e ter mais um de reserva do que ter apenas 1 

 

Eu tenho  3  uso 2 e um bem lacrado na caixa novinho. este ano me deparei com um excelente aerografo  Infinyty, minha próxima compra. e ai dou de presente1. Durante  minha trajetória já presentei 5 amigos modelistas  iniciantes com aerografos ,  de tempo em tempos dou uma recicladas em minhas ferramentas. este ano  em meu atelleir  ira sobrar só os armários vitrines;   Mesas, prateleiras e estande de livros serão   trocados. 

Originally Posted by Amaral:
quote:
Originalmente publicado por jgap:
meu pior erro foi ter comprado esta bosta


Pois eu tenho um igualzinho há 10 anos e eu adoro. Já pintei mais de 50 kits nele. Esse aerógrafo só tem uma manha que só aprendi depois de destruir vários bicos: depois da utilização, guarde o bico em um pote com solvente e deixe lá até a próxima utilização.

O estojo é maneiro. Eu tenho um Gatti , uso há uns dez anos.

Originally Posted by Lucas:
Originally Posted by SHEPARD:

Amigos, eu uso um torre brasil e um tegore fengda, ambos 0,3 comprados da wk mesmo.... há um tempo já e até que os meus resultados tem me agradado....mandei um pra dar um talento com o carlão e fiquei até com dó de usar...

esses dias recebi meu sotar 2020 ( badger ) não usei ainda só testei....

Achei muito aero pra pouco modelista....

 

abraços

 

Shep

Pois é Sheppard, é o que eu sempre digo, a ferramenta não é tudo não. A habilidade do modelista é importante também, não adianta ter um bom aero e não saber usar. Já vi kits muito bem pintados com aeros mais simples, assim como já vi trabalhos nem tão bons pintados com aeros módafoca.

Nem tem como não admirar esses trabalhos do Sheppard, e foram realizados com aeros Xing-Ling!  (Shep vc foi abduzido, certeza rsrsrs)



O Shepard é bem modesto mesmo....muito aero pra pouco modelista....imagina se o cara fosse MUITO MODELISTA...a gente tava ferrado !!

 

Olha o mosquitinho aí em cima....agora.....imagina se o cara fosse MUITO MODELISTA.....minha nossa Senhora do Bom Sprue!

Eu iniciei com um Lince AL-3.  Aerógrafo muito bom. Aguenta muita coisa, faz traços finos (apesar de que traço fino depende da pressão do ar e da diluição da tinta no ponto certo - aerógrafo que faz traço de 1 mm mas que está com a tinta mal diluída-muito grossa- não consegue fazer nada). Quando foi pra comprar outro, eu quis experimentar outra marca, pra não ficar me prendendo muito a esta questão. Então comprei um Sagyma SW-776. Adorei o bichinho. Faz traços BEM finos mesmo e até o momento, estou muito satisfeito.

 

O grande problema (acho que não é bem um problema....o termo correto é...a grande exigência) do aerógrafo é que o seu usuário faça uma limpeza correta SEMPRE depois do uso.

Pintou a cor branca....faça a limpeza com thiner (ou aguarrás ou outro diluente correspondente a tinta que utilizou)....e só então, coloque a outra tinta. 

Usou a outra tinta....FAÇA A LIMPEZA na hora que acabou de usar. Não espere nem um minuto. Seja ligeiro neste aspecto.

Não tenha PREGUIÇA de limpar muito bem seu aerógrafo.

Na hora de comprar diluentes e thiners....compre uma marca boa para pintar...e uma marca ÓTIMA PARA LIMPAR seu aerógrafo.

 

Ele vai durar muito mais, com certeza e você só terá opiniões positivas sobre ele.

 

Sobre aerógrafos, tenho a seguinte opinião, e muito dela é embasada nas opiniões de alguns plastimodelistas veteranos aqui e também na minha própria experiência: um ótimo aerógrafo não faz milagres na mão de um plastimodelista iniciante, mas o auxilia a se tornar (desde que bem orientado, disciplinado e aplicado) um ótimo  plastimodelista também.

Já um aerógrafo "vagabundim" pode fazer muita coisa nas mãos de um ótimo plastimodelista.

Incluir Resposta

Curtidas (2)
LihH PandaHOmarr
×
×
×
×