Skip to main content

Assim como o Rubens também sou adepto de deixar o máximo possível das peças fixas.

Além de muitas vezes facilitar na montagem ninguém aqui com certeza tem mais idade para brincar de carrinho.

Só prestar muita atenção para não montar errado e transformar uma suposta facilidade em um inferno. Digo por experiência do burrão aqui..

Quanto ao Sherman (o tanque mais feio da WWII) tenho um na fila, mas o da Italeri.

Seguimos acompanhando.

[]s.

Edu,

Nunca montei nem tenho nenhum RFM, pois um dos meus receios, são algumas de suas lagartas.

Em teoria, as lagartas deste seu Sherman devem montar bem, embora provavelmente gerem algum trabalho para limpar, na prática depois você posta para nós... Este é o tipo do caso que se for dificil manter "workable" pode colar tudo, pois no Sherman as lagartas eram "tensas", então praticamente não faz diferença.

E não dê muita atenção para quem considera o Sherman como o tanque mais feio da WWII, pois eu gosto maioria

PS: Alguns antigos Sherman Dragon vinham com LBL com cada sapata formada por 3 peças, até que relativamente simples, mas como os pinos de junção com as grades eram bem grossos e havia uma infinidade de marcas de injeção, sua limpeza e preparação eram um pesadelo, embora sua montagem fosse até simples... Se eventualmente encontrar um destes, recomendo fugir!

PlastiAbraços

@Rubens posted:


E não dê muita atenção para quem considera o Sherman como o tanque mais feio da WWII, pois eu gosto maioria



E assim que possível também vou montar o meu. Mas vai continuar feio.

[]s.

Olha pessoal, há muito tempo que me convenci que deveria montar um Sherman mas toda vez que ia comprar, aparecia um outro que me encantava e entrava na sacola, aí a hora que ia ver, já tinha passado da linha vermelha, então ficava para a próxima.

Desta vez, como tenho uma porrada de kits para montar, nem ia comprar nada, quando me lembrei do Sherman, aí resolvi não deixar o saco vazio.

Bem, vazio não, porque comprei um Messerschmitt para fazer para um amigo e um pouco de tintas. (e mais umas coisinhas que não resisti)

Então, quero montá-lo logo para mexer com essas esteiras e ver como são.

Porque as desse D9 são mais que um pesadelo, são dois porque são duas uma de cada lado.

A boa notícia é que a tinta para esse D9 chegou hoje. Ainda não está em mãos, mas acredito que amanhã poderei utilizá-la.

E obrigado pela presença e pelas dicas
Edu

Last edited by edufari

Novamente cito aqui o que vi no para choques de um caminhão subindo a serra: É mole mas sobe.

Assim tô eu. A gente vai se adaptando às intempéries. Conseguimos até viver nos polos, será que eu não consigo montar essa desgraça?

Para mim, pelo menos, o melhor jeito de montá-las é as duas de uma vez. Como tenho que por diversas vezes desfazer a cola que foi feita nos links, colo a sapata, e refaço a montagem desfeita. Enquanto ela endurece, vou fazendo a outra esteira e versa vice.

Agora, pode falar e xingar o quanto quiser, que fica com um shape real e sensacional, isso é indiscutível.

Tá igual a um parente meu quando foi questionado o que ele achava de filhos, ele solenemente respondeu: "Filho dá trabalho, mas em compensação, dá uma despeeeesa...."

Brincadeiras; eu sempre disse: se Deus inventou alguma coisa melhor que filho, ele ainda não fez o download. Pelo menos para mim é a maior verdade.

Edu

Edu,

Faça como eu e alguns outros colegas daqui, entre um encrenca e outra, monta um Tamiya, nem que seja daqueles mais antigos e básicos, quase todos montam maravilhosamente bem e ficam bastante aceitáveis

PlastiAbraços

Rubens o conselho pode ser bastante bom; minha compulsão por desafios no entanto, faz com que eu compre, em sua maioria, kits que acabam por se mostrar complicados. Até mais do que imagino quando os compro.

Mas vou procurar seguir a indicação e ver se tenho um que me estresse menos. Se bem que já passou a raiva inicial às esteiras, porque seja complicado ou difícil, está andando.

Ainda mais que chegou a tinta indicada para a todo o trator e isso vai me fazer voltar na sequência do manual para a montagem da cabine, que será um trabalho que deverá aparecer bastante e isso me anima.

Agradecido pela presença e pelas observações.

Edu

Last edited by edufari

Um pouco mais sobre as esteiras (Afff!)

As sapatas já vem com quebrado original de fábrica, pra completar.

Vou olhar pelo lado do bem: acredito que na tentativa de manter as dimensões dentro da escala, é claro que a de menor valor (dimensão) acabou ficando fina demais e isso acontece.

Merecia um controle de qualidade ou uma readequação de projeto para evitar esse tipo de falha. Várias delas estão assim.

Depois de muita pesquisa consegui descobrir o nome do projetista dessa aberração: Freddy Krueger. É, só podia ser ele.

Como disse, a tinta original para esse cara, chegou.

Ainda bem que na hora da compra resolvi adquirir duas, porque uma delas vazou na viagem. Se fosse a única, poderia não ser suficiente para o projeto.

Edu

Last edited by edufari
@edufari posted:


As sapatas já vem com quebrado original de fábrica, pra completar.

uma delas vazou na viagem.

Imprimir e jogar dentro da caixa com um pouco de sal grosso.

Aaa é! Não tem a caixa.

[]s.

Então, Zé, o problema não ocorreu no transporte, essas grades vieram em um saco plástico lacrado então qualquer pedaço que se soltasse das peças, deveria ficar dentro do saco, mas ele estava limpinho, porque pelo número de sapatas com esse problema, a quantidade de resíduo chamaria a atenção.

Isso foi na fábrica mesmo. Por isso que falei de um controle de qualidade no final da linha.

Mas não adianta verter lágrimas sobre o leite derramado, pois não?

Teremos que fazer o trator empurrando terra e a esteira com sujidades que escodam esse "pequeno" equívoco.

Edu

Edu

Se eu não tiver enganado eu comprei este trator aqui no Brasil mesmo e saiu relativamente barato na epoca,te confesso que devo ter visto as peças só quando comprei e depois nunca mais mas dá uma lida neste review

http://www.missing-lynx.com/re...ss002reviewbg_1.html

  o cara aparentemente não viu defeito,não sei se montou

Pois é PACK é como eu disse, com as peças dentro do bag, lacrado, não se percebe nada, elas são pretas e todas juntas formam um balaio de gato que só se vc souber o que está procurando percebe.

Na hora de montar, em que se manuseia as peças individualmente, aí sim, pega-se uma a uma, é quando, havendo alguma falha, a coisa se torna perceptível.

Nesse review o cara não montou, porque duvido que ele não anotaria a dificuldade na montagem das esteiras. Eu me classifico como alguém não enjoado em relação à complicação de montagem, mas essas esteiras chegam a ser exponencialmente piores que as link by length do Sherman que montei e quase desisti, não fosse tê-las encontrado em metal como aftermarket.

Edu

Last edited by edufari

Muitos detalhes, gosto disso. Pode até não aparecer, mas se quiser olhar de perto, vai perceber.

pequeno, mas de perto, faz a diferença

seja de frente, seja de ré.

E o rabo tá quase pronto.

Com as mangueiras no lugar, vai ficar muito realista.

Muito bom. Aqui pelo menos, os encaixes funcionam.

Segue o féretro

Edu

Só uma coisa: não é porque a gente para de falar do inferno, que ele vai esfriar, não. A prova:

Um dia eu acabo.

Mas olha, o fato de ela ficar almost workable, até que me anima. Bem mais do que a do Sherman, que me trouxe n pesadelos.

De novo, essa é pior a montagem, mas o resultado, pelo menos, é interessante.

Edu

Last edited by edufari

PG penso desse jeito também e é o que está fazendo com que eu encontre motivação para terminar as benditas.

Minha mãe dizia: "não há bem que sempre dure nem mal que nunca se acabe"

Amanhã espero ter a oportunidade de retomar a montagem da cabine; vai envolver a pintura, o que está me deixando motivado. Quero muito ver esse bichinho pronto.

Eu estava pensando a princípio em fazer uma central de iluminação para acender o painel e os faróis, mas depois dessas esteiras terem me tomado um baita de um tempo e ainda não estarem prontas, creio que vou deixar para outra vez. Até porque estou determinado a fazer um Messerschmitt para dar de presente no natal a um amigo e pretendo fazer umas firulas nele que podem me tomar mais tempo do que o necessário.

Afora o fato de avião não ser muito a minha praia no modelismo.

Vamos nessa que devagar também é pressa.

Edu

Last edited by edufari

Sigamos a saga sem sustos.

Iniciei a montagem da cabine com a parte do painel de instrumentos.

Muitas peças miúda e delicadas para uma mão de ogro, então dá um trabalho adicional concertar o que quebra.

Quero ver na hora de pintar esse monte de detalhes no pincel.

Até que por enquanto não são tantos assim, mas miúdos. Vai exigir uma sessão de umas 3 horas de yoga depois de dormir 10 horas seguidas antes de me arriscar na pintura.

Mas se conseguir fazer um trabalho razoável, vai ficar bem legal.

E as esteiras? Bem, é assim, cola duas sapatas, solta um lado de um link, cola o link, como a cola só é rápida quando está no dedo ou onde não deve, sou obrigado a deixar endurecendo um tempão, tenho deixado de um dia para outro, para aí colar mais umas duas sapatas, consertar mais um ou dois links e por aí vai.

Edu

Last edited by edufari

Continuando a montagem, ataquei os bancos do operador e do atirador.

Em um primeiro plano as esteiras que, finalmente terminei a montagem.

Estão somente colocados no lugar. Vou pintá-los primeiro para depois montar.

É bom de montar, mas

Foi bem difícil para mim escapar de deixar uma escoliose em uma das esteiras.

Edu

@edufari posted:


Estão somente colocados no lugar. Vou pintá-los primeiro para depois montar.



Fazia muito isso quando montava cockpits de aviação. Só não esqueça depois de dar uma descascada na tinta onde for colocar cola.

[]s.

@Mano posted:

Edu, faz a esteira em impressão 3D, já fiz...

Mestre Mano,

muito bom tê-lo por aqui. Que belo trabalho como sempre.

Infelizmente não tenho toda essa competência, mestre. Até tenho uma impressora 3D mas é FDM, pelas imagens, essa foi feita em resina.

Que programa de modelagem foi utilizado? Eu uso o Fusion 360 mas mais para objetos não orgânicos, que exigem mais de planos e retas e menos de arte

E olha que seria uma boa ideia. A sapata é mais simples do que as de tanque, mas o ideal, pelo que vejo, seria imprimir o conjunto dos dois links já montado com sapata, só para uni-las como nesse caso que vc mostra.

Um dia, quem sabe, chego perto.

Edu

É.

Enquanto minhas habilidades não atingem  o nível necessário para fazer as esteiras em resina, tenho que me conformar em dar a continuidade ao projeto original mesmo

Estou montando a blindagem da cabine e vou utilizar o vidro branco provisoriamente para ajuste e, talvez, como acessório na pintura, caso necessário. O vidro verde será o protagonista final. Tô aqui pensando, vidro verde com essa tinta meio verde, vai dá liga.

Montei várias partes mas não fotografei.

Uma dúvida: a cor do interior da cabine, será que é branca?

Edu

@edufari posted:
Tô aqui pensando, vidro verde com essa tinta meio verde, vai dá liga.

Não sei se te entendi direito, mas sempre usei essa para pintar vidros de cockpit, lentes de lanterna... e outros legumes.

Da até para fazer um degrade estiloso.

[]s.

Last edited by Zé Victor
@Zé Victor posted:

Não sei se te entendi direito, mas sempre usei essa para pintar vidros de cockpit, lentes de lanterna... e outros legumes.

Da até para fazer um degrade estiloso.

[]s.

Sim, sim, ela é de fato muito boa, não cheguei a fazer degradê, e nem .... legumes mas já a utilizei para diversas finalidades.

O asno aqui se esqueceu de dizer que no kit vêm dois jogos de transparências, um branco e outro esverdeado, como quero deixar no final o verde, e não quero correr o risco de errar na pintura e estragar o que vai ficar no final, estou montando com o transparente para no final mudar para o outro.

A bem da verdade, acho uma viadagem até que grande; eu vi isso em um video de montagem desse bicho, o cara fez desse jeito, alegando o que eu disse acima, mas no final não vi nada que realmente justificasse. Em todo o caso, como no video dele só aparecem as etapas meio prontas, vou seguir a receita.

Edu

Last edited by edufari

Nova etapa. Em termos.

Pintura do interior que não teremos mais acesso a não ser visual.

Os bancos. Ainda receberão uma mão de verniz semi-brilho

Agora a blindagem pelo lado interno. Tem um monte de detalhe que no manual manda pintar tudo de branco.

Provavelmente porque os detalhes não serão lá muito visíveis, então não faz sentido mesmo ficar perdendo tempo. Mas eu gosto.

A turma quase toda está aí

E mais uma

E o painel. Claro que a mão do ogro, quebrou alguns detalhes, que vou deixar mais na hora de fechar tudo para consertar, porque se não, já sabe.

Essa é a parte maior da blindagem

As partes internas das janelas

"É mole mas sobe"

Vou deixar secando essa turma toda para dar continuidade.

Eu ainda não entendi, até porque não vi indicação no manual se o piso é branco, minha lógica diz que não, deve ser da cor do equipamento, ou seja, o tal do sinai grey, que de grey não tem nada.

Edu

Olá pessoal, cá vamos com força. Não total, mas conforme o para-choques do caminhão

Concentração na cabine. Fechamento é meio delicado e se não tomar devidos cuidados, perde-se serviço e arruma-se mais outros no lugar.

Àqueles que porventura leiam isso aqui, gostaria de deixar algumas palavras, principalmente para quem está mais para o começo no hobby. Escutem o conselho de quem tem mais experiência e não subestimem o tempo de bancada.

Não me considero mais novato, lá se vão 13 anos de montagens e algumas coisas mudaram e outras nem tanto. Dentre essas últimas se encontra a cabeça dura desse que vos fala. Se olharem alguns posts acima, haverá um de um experiente modelista, bom pra caramba, que diz:

" Só não esqueça depois de dar uma descascada na tinta onde for colocar cola." (José Vitor)

O interior da cabine é branco, e apesar de a tinta ser de boa qualidade, a cobertura do branco não é lá grande coisa e para compensar, dei diversas mãos a fim de obter o branco que eu queria.

Preocupação com as áreas de colagem? Nenhuma. Vai de cianoacrilato que cola quase qualquer coisa (principalmente os dedos. No modelo )

Algumas coisas evoluíram muito, como as técnicas de moldagem com CAD etc. o que permite que as tolerâncias das peças sejam muito pequenas resultando em encaixes mais perfeitos.

E taca cianoacrilato sem descascar as áreas de colagem. Conclusão: quem disse que a cabine encaixava nas canaletas da base onde deveria ser montada. A ação de aumentar as passadas de tinta, criou nas áreas de colagem uma camada  que deu interferência dimensional deixando a cabine montada, em um tamanho maior do que o tolerado no projeto. Afora o fato de que, mesmo se ficasse dentro da tolerância, poderia descolar caso a tinta se soltasse da base.

Última linha: desmonta tudo, descasca as áreas de colagem conforme meu amigo Zé sugeriu e monta direito.

Ainda haverá ajustes, mas pelo menos está dentro do local que deveria.

Eu ainda vou ter que estudar melhor essa montagem para ver em que momento será necessário pintar as coisas para não ficar nada visível sem cor.

É legal, a porta abre; não sei se vou deixar isso disponível, mas pelo menos seria uma maneira de permitir a vista de parte da mão de obra que deu.

Gosto desses detalhes em PE (sei que é o horror de muitos)

Por enquanto é só tudo isso. Se der tempo e o saco não estiver muito cheio, vou voltar à bancada ainda mais uma vez hoje à tarde.

Depois da mão de obra nas esteiras essa foi é pouco.

Edu

acompanhando,só um pitaco,quando você pinta peças em separado para depois juntá-las e não quer tinta ou muita tinta nas junções,uma opção é um produto acho que é acrilex,mascara liquida para pintura,há outras importadas,mas eu tenho a impressão que esta serve e é nacional. Basta uma lambida nas junções e depois pintar.