Skip to main content

Brigadão, Jaca! Maneiro !!!!

Vamos lá...

Pediram para aquele herói montar uma operação aerotransportada como parte de uma operação bem maior.
Mas... Deram-lhe pouco tempo, não lhe permitiram usar seus soldados (ainda que 150 deles tenham sabido da operação e se juntado ao seu chefe, ainda que contra as ordens), não permitiram que fossem feitos vôos de reconhecimento, e os pilotos que lhe designaram eram novatos.
Não é de se estranhar que tenha dado errado. Dos mais de 1000 paraquedistas que decolaram, ele só conseguiu juntar cerca de 300, e com pouca munição, ainda por cima. Todos os rádios se perderam, a tropa que deveriam apoiar não chegou a eles, e o comandante deu ordem de retirada. Dos 300, menos da metade conseguiu voltar para suas linhas.

O comandante era esse:



Quem era ele, qual o nome, data e objetivos da operação?

Divirtam-se.
Melzi, você podia ter feito uma pergunta mais difícil.

O sujeito é o oberst Friedrich August v. der Heydte, comandante da 6 FJR (Fallschirmjager Regiment 6).

Ele reuniu 1200 homens, formando o Kampfgruppe Von der Heydte, na operação Stösser. Ele teve apenas 8 dias para preparar a missão. A data é 17 de dezembro de 1944.
quote:
Melzi, você podia ter feito uma pergunta mais difícil.


Poder, podia, mas preferi colocar essa para fazer o negócio andar.
E, a propósito, você não deu os objetivos da missão. Ó pra você.. !!!
Eu editei o post, colocando o objetivo da missão, mas meu PC travou na hora. Acho que é macumba. Ó pra você.. !!! Ó pra você.. !!!

Então, o objetivo da operação Stösser era capturar e manter um cruzamento na localidade de Baraque Michel, na Bélgica, até a chegada da 12th SS Panzer Division.
Obrigado, Fruta Melzi. Maneiro !!!!

Vamos lá:
- De quem pertenceu esse carro?
- Que carro é esse? Não vale dizer apenas o fabricante. Legal !!!
- O que ocorreu com o veículo e seu proprietário?
- Quais as consequências?





Ele hoje:

Vamos ver se acerto...

O carro pertenceu à Reinhard Heydrich, Obergruppenführer da SS e protektor dos territórios da Boêmia e da Morávia.

O carro é um Mercedes-Benz 320 Cabriolet

Sofreu um atentado em 27 de maio de 1942, onde seu carro foi atingido por uma granada lançada por dois comandos tchecos, morreu dias depois em decorrência dos ferimentos do atentado.

Em represália à sua morte, as aldeias de Lídice e Lezháky foram quase varridas do mapa, com seus habitantes sendo executados ou mandados para cqampos de concentração.

Fonte

abs,
Ponto pro Rafael. É isso mesmo.

Olha o estrago:


Esse cara era sanguinário, escapou do julgamento de Nuremberg por acaso do destino.


Das 105 crianças de Lidice, somente 17 sobreviveram.


É uma pena que até hoje a humanidade não tenha aprendido nada, mesmo com tantas guerras e sangue por todos os lados.
Esse é Kurt Knispel. Só o maior destruidor de tanques da WWII, com 168 blindados destruídos.
Michael Wittman era mais famoso, entre outros motivos, porque Knispel era meio bad-boy, não ligando muito para medalhas, honrarias e protocolo militar, então não se prestava muito a ser usado como propaganda.

http://en.wikipedia.org/wiki/Kurt_Knispel
Só pra ver como ele não se encaixava no estereótipo de nazista, certa vez desceu o braço num oficial de um Einsatzgruppen, que estava maltratando prisioneiros soviéticos. Foi recomendado quatro vezes para receber a Cruz de Cavaleiro, mas nunca a recebeu.
Morreu em combate dez dias antes do Dia V-E, num hospital em Urbau, na República Tcheca.
Hahaha, verdade. Eu já imaginava que você conhecesse o dito cujo. Legal !!!

Mas realmente, é uma grande pena não termos muita informação sobre o Knispel.

Eu queria montar um tanque usado por ele.
Vambora...

Esse navio foi afundado na Guerra das Malvinas. Foi atingido por uma bomba, lançada pelo mais inusitado bombardeiro usado naquele conflito, e acabou afundando nas costas brasileiras.



Leva o ponto quem der o nome do dito cujo, data que foi atingido e qual avião foi o responsável pelo bombardeio.

Divirtam-se!
Nananinanão, seu Gugu. Não vai ser tão fácil assim... Maneiro !!!!Maneiro !!!!Maneiro !!!!Maneiro !!!!

O Atlantic Conveyor era um transportador de containers, e o da minha pergunta é um navio tanque.

E o Super Etandard é um avião de ataque. Não tem nada de inusitado em ser usado como bombardeiro. Ó pra você.. !!!
Tá no rumo. Mas ainda não acertou. O navio, quero dizer, porque o avião está correto.

O British Wye foi atingido, mas não afundou.

Olha o C-130, que coisa mais bizarra.



Bom, o avião utilizado foi um C-130 Hercules, que atingiu o petroleiro Hercules no dia 8 de junho de 1982.

Suspeitava-se que o petroleiro estivesse transportando bombas para serem usadas na segunda guerra das Malvinas. Ele foi atingido por 3 mísseis Exocet, sendo que um deles não explodiu, outro explodiu na água, e o terceiro varou o convés e afundou no mar.

A embarcação foi conduzida até o porto de Rio de Janeiro, mas em face de seu péssimo estado e os riscos de explosões, os peritos decidiram afundar a embarcação. E no dia 20 de julho ele foi afundado, a 700 quilômetros de Florianópolis.

Ironia é foda. Um Hércules ferrando o outro. Maneiro !!!!





O SS Hercules era um navio tanque de origem americana, navegando sob bandeira da Libéria, navegando com lastro, das Ilhas Virgens Britânicas até o Alasca pelo Cabo Horn, quando foi atacado sem aviso a cerca de 600 milhas da costa argentina, bem fora da Zona de Exclusão Total. Foi atacado por 3 vezes, e pesadamente danificado, com uma bomba ainda a bordo, rumou para o Brasil, como o Rafael disse.
Por ser um navio neutro, seu afundamento não foi computado entre os navios oficialmente afundados no conflito.

http://www.nytimes.com/1987/09...s%20and%20Litigation

No link tem outro link para uma nota do The New York Times, onde diz que os proprietários do navio iriam processar o governo argentino pelo afundamento. Queria saber o que aconteceu depois. Será que processaram ou algum acordo foi feito?

http://www.nytimes.com/1987/09...s%20and%20Litigation

Ponto pro Rafael!