Chegaram os Russos - Perdas russas durante a operação militar na Síria

"Dragão" blindado russo elimina terroristas escondidos em Damasco

O veículo de desminagem russo UR-77 MeteoritA máquina de desminagem UR-77 russa demonstrou que também pode ser eficiente na hora de eliminar jihadistas escondidos em edifícios urbanos.

governo sírio recorre a métodos engenhosos para acabar com os terroristas escondidos nos cantos de Damasco. Assim, um vídeo publicado na Internet mostra uma operação realizada pela máquina de desminagem UR-77 Meteorit.

Conhecida entre os militares russos como Zmei Gorynych (dragão tradicional eslavo com três cabeças que soltam fogo), a UR-77 tem por objetivo principal realizar tarefas de desminagem. Para isso, o veículo lança uma carga de 700 quilos de explosivos ao longo da superfície que deve ser desminada, que pode se estender até 500 metros. Depois, a carga é detonada, ativando com sua onda explosiva as minas que se encontram no caminho.

O mesmo processo foi realizado pelo exército sírio no leste de Damasco para "limpar" de terroristas algumas ruas da cidade sem pôr em risco as tropas. O vídeo mostra uma poderosa explosão seguida por nuvens de fumaça e poeira da onda explosiva.

Por que aviões furtivos dos EUA devem evitar combates com Su-35 russos a todo o custo?

O caça norte-americano F-35 da empresa Lockheed Martindeve evitar contatos com o caça de produção russaSu-35, afirmam os autores de um estudo comparativo entre os dois aviões de combate.

F-35 e Su-35, partilhando a mesma denominação numérica, nunca estiveram envolvidos em um combate real e, com sorte e paciência, nunca estarão.

No entanto, o site Scout.com decidiu fazer um experimento: o que aconteceria se uma esquadrilha de quatroF-35 se defrontasse com um grupo de quatro Su-35 em uma situação de combate?

De acordo com o artigo do site, "a resposta mais provável é que eles mudariam de trajetória e chamariam os F-22 Raptors e F-15Cs, cuja tarefa é ganhar e manter a supremacia aérea", enquanto os F-35 continuariam seu voo em direção aos alvos definidos, acreditam os autores.

O site lembra que o Su-35 russo não é totalmente um avião de quinta geração, é uma versão altamente modernizada do confiável Su-27 (conhecido pela OTAN como Flanker), que fez seu primeiro voo em 1977. Vale destacar que o Su-35 ganhou uma nova aniônica, novos motores e até mesmo nova estrutura, o que em geral define um novo modelo.

Su-35 é capaz de atingir uma velocidade de2,25 Mach (2.800 km/h) a altitudes altas e Mach 1,13 (1.400 km/h) ao nível do mar, o que corresponde às capacidades do avião estadunidense de quinta geração F-22 Raptor. O F-35, por sua parte, "pode apenas alcançar Mach 1.6em plena pós-combustão", informa o Scout.com.

"Enquanto um grupo de quatro Raptors, voando a velocidades hipersônicas altas na atmosfera rarefeita a 50.000 pés [15.000 metros], pode escolher de modo eficiente quando e onde combater, um grupo de F-35, voando mais lentamente e mais baixo, pode ser forçado a reagir aos aviões inimigos caso não tome cuidado", acrescentou o site.

Uma velocidade baixa significa menor energia para lançar mísseis, o que, por sua vez, significa um alcance mais curto. Além disso, os caças F-35 não são capazes de carregar tantos mísseis ar-ar como os F-22 norte-americanos. Os mísseis de longo alcance dos F-35(AIM-120 AMRAAM), por sua parte, são vulneráveis a interferências de rádio.

"Basicamente, um piloto de F-35 deve evitar um combate de proximidade custe o que custar", afirma-se no artigo.

O que falta também aos F-35 é a capacidades de manobra. Todos os caças norte-americanos que estão em serviço podem superar o F-35 em termos de manobrabilidade. A única vantagem que os F-35 têm é sua tecnologia stealth e sensores avançados, graças a quais podem realizar um ataque inesperado.

Como resultado de seu experimento, o Scout recomenda que os F-35 se protejam e deem e espaço aos aviões russos.

CASTR0 posted:

O acordo secreto que garantiu a fuga de centenas de homens do Estado Islâmico na Síria.

Imagine dirigir um caminhão pelas cidades bombardeadas da Síria... com extremistas do autoproclamado Estado Islâmico na caçamba.

Mas só agora veio à tona a verdade sobre o acordo que foi feito para dar fim à batalha pela cidade.

Fonte: BBC

Artigo completo

Luis Pacheco posted:
CASTR0 posted:

O acordo secreto que garantiu a fuga de centenas de homens do Estado Islâmico na Síria.

Imagine dirigir um caminhão pelas cidades bombardeadas da Síria... com extremistas do autoproclamado Estado Islâmico na caçamba.

Mas só agora veio à tona a verdade sobre o acordo que foi feito para dar fim à batalha pela cidade.

Fonte: BBC

Artigo completo

BBC divulgou detalhes de um acordo secreto que deixou vários centenas de combatentes IS escaparem  de Raqqa no norte da Síria, sede dos combatentes deste o início de 2014. No mês passado, Raqqa caiu, mas foi descoberto um acordo para salvar vidas e trazer a paz para a cidade... Um comboio carregando várias centenas de combatentes IS, suas famílias, armas e munições - foram capazes de deixar a cidade livremente. A questão agora é, onde estão agora??

Rússia anuncia data do primeiro voo de 'cisne branco' modernizado

Tu-160M2, a versão modernizada do mais avançado bombardeiro estratégico soviético, conhecido como "cisne branco", realizará seu primeiro voo a partir do aeródromo da fábrica aeronáutica de Kazanem fevereiro de 2018, informou uma fonte do complexo industrial-militar russo.

"O avião, com o número de registo 804, finalizado com base no avião soviético, será transportado do hangar de montagem da fábrica de Kazan para a instalação de provas em novembro de 2017", declarou a fonte.

O avião militar será capaz de realizar as mesmas tarefas que as 16 unidades de Tu-160 que já estão no serviço das Forças Armadas russas. O modelo 804 servirá como protótipo do Tu-160M2.

Em 2015 o Ministério da Defesa da Rússia anunciou seus planos de reiniciar a produção dos porta-mísseis estratégicos Tu-160 em sua versão modernizada e adiar o prazo final de desenvolvimento do bombardeio estratégico de nova geração PAK DA.

A produção em série dos Tu-160M2 deve começar em 2023. A Força Aeroespacial russa planeja adquirir pelo menos 50 bombardeiros estratégicos desse tipo

Altos funcionários do ministério russo sublinharam que o modelo modernizado representa “um novo avião dentro de uma fuselagem conhecida”, destacando a atualização de todo o equipamento, sistemas e armamentos. Abaixo possível design do novo cockpit

Tu-160 é bombardeiro estratégico capaz de transportar mísseis de cruzeiro dotados de ogivas convencionais e nucleares. Esta classe de aviões, junto com outro bombardeiro estratégico, o Tu-95MS, constituem o componente aéreo da tríade nuclear russa, composta ainda por sistemas de mísseis terrestres e submarinos atômicos.

Na fábrica aeronáutica Gorbunov, na cidade russa de Kazan, foi realizada a cerimônia de saída à pista de testes do bombardeiro estratégico modernizado Tu-160M2.

Na sexta-feira (17), seis bombardeiros Tu-22M3, decolando do território russo, bombardearam pontos dos terroristas do Daesh.

Durante os últimos dois dias, este já é o segundo bombardeamento efetuado pela aviação russa contra pontos dos terroristas nesta região.

"Em 17 de novembro, seis bombardeiros Tu-22M3, que decolaram de um aeródromo na Rússia, tendo sobrevoado o território do Irã e Iraque, efetuaram um ataque em grupo contra os pontos dos terroristas nesta região da cidade de Al-Bukamal [província de Deir ez-Zor]", diz a declaração.

Foram atingidos bastiões dos terroristas, concentrações de militantes e material militar. Os meios de controle objetivo confirmaram o cumprimento da missão.

Sobre a Síria os bombardeiros foram acompanhados por caças Su-30SM do aeródromo de Hmeymim. Depois de terem cumprido sua tarefa de combate, todos os aviões russos regressaram aos seus aeródromos de estacionamento.

19 de novembro - Dia das tropas de mísseis e artilharia

Sistema de mísseis táticos "Tochka-U"

152 mm "Msta-B" howitzer

Howitzer auto-propulsionado de 152mm, "MSTA-S"

TOS 1A "Solntsepek" é um lançador de foguete múltiplo soviético 220 milímetros de 30 barris, em ação na Síria.

 

Mídia ocidental: submarino russo Knyaz Vladimir pode reduzir inimigo a cinzas

Em novembro de 2017 o novo submarino russo Knyaz Vladimir vai ser lançado à água. O submarino vai carregar ainda maior número de mísseis e poderá reduzir os inimigos a cinzas, informa a rede de televisão norueguesa TV 2 NORGE.


Nos últimos tempos registra-se um aumento da atividade dos submarinos russos e a OTAN enfrenta problemas em monitorá-los, aponta a matéria, citada pelo RT.

Rússia continua se militarizando e já em novembro o submarino Knyaz Vladimirvai ser lançado à água do estaleiro deSevmash, informa o canal TV2 NORGE. Os submarinos nucleares da classe Borei, de 170 metros de comprimento, estão no centro da "estratégia de dissuasão nuclear russa" e a nova versão destas embarcações pode carregar um maior número de mísseis do que as versões anteriores, aponta o artigo. 

De acordo com analistas noruegueses citados, o submarino pode ser dotado de 20 mísseis intercontinentais Bulava, enquanto os 3 submarinos da mesma classe Borei que já estão em serviço são equipados com apenas 16 mísseis nucleares. 

Knyaz VladimirProject 955A Borei II-class é o primeiro submarino da classe Borei que foi construído para ser ainda mais silencioso e invisível. Afirma-se que o seu desenvolvimento foi iniciado secretamente ainda na época de Gorbachev e que ele "pode reduzir os inimigos a cinzas".

De acordo com o Instituto de Pesquisas das Forças Armadas da Noruega, nas últimas décadas a Rússia gastou grandes recursos para modernizar as suas forças nucleares. Cerca de 60% de todas as ogivas nucleares marítimas estão hoje em dia na península de Kola (território no Extremo Norte da Rússia). 

Os submarinos russos realizam regularmente treinamentos e navegam no mar de Barents e nas águas vizinhas, indica o artigo. Nos últimos anos registra-se um reforço ativo da atividade dos submarinos russos na parte norte do Atlântico, declarou em outubro o ministro da Defesa da Grã-Bretanha.  

Entretanto, a OTAN enfrenta determinados problemas em monitorar os submarinos russos, comunicou um ex-comandante do submarino Jacob Borresen.

"A Aliança Atlântica incluiu a capacidade de monitorá-los na lista de prioridades. Por isso, os submarinos britânicos e norte-americanos regressaram ao mar da Noruega", comentou Jacob Borresen.

Rússia efetuou vários lançamentos de mísseis balísticos durante os testes recentes. Um míssil foi lançado a partir de um submarino da Frota do Norte no mar de Barents. Em setembro do ano em curso, durante as manobras de grande escala Zapad, também foram efetuados lançamentos de mísseis a partir de submarinos no mar de Barents.

Os mais silenciosos do mundo: "submarino 'fantasma" russo pôs OTAN em apuros

 

submarino russo Krasnodar Projeto 636 classe Kilo Varshavyanka, capaz de atacar alvos à distância de 2.500 km e possui um revestimento que absorve o eco, permitindo-lhe evitar os sonares.

No fim de maio, o submarino Krasnodar da Marinha da Rússia realizou, a partir da zona oriental do Mediterrâneo, um ataque com mísseis de cruzeiro contra alvos do Daesh na cidade síria de Palmira. Em seguida, dirigiu-se para o mar Negro. A OTAN foi advertida sobre sua passagem através do mar Mediterrâneo, mas o submarino foi tão sigiloso, "silencioso como um rato", que detectá-lo foi um verdadeiro desafio.

Nessa conexão, o colunista Julian Barnes escreveu em um artigo para o The Wall Street Journal que, durante sua passagem, o Krasnodar foi perseguido pelo porta-aviões estadunidense USS George H.W. Bush (abaixo), bem como monitorado por helicópteros MH-60 Seahawk e aviões de reconhecimento P-8A Poseidon. No entanto, o navio russo conseguiu evitar os dispositivos de rastreamento.

"A Rússia orgulha-se de seus novos submarinos serem os mais silenciosos do mundo", afirma Barnes, que descreve a missão como "bem-sucedida".

Krasnodar foi desenvolvido para operar nas proximidades da costa. Seu sistema de propulsão está montado sobre amortecedores que suprimem o ruído. Graças às baterias recarregáveis que utiliza, é capaz de mover-se quase em silêncio.

 

"Estratégia de vendas"

De acordo com o autor do artigo, a OTAN está preocupada não só com a capacidade furtiva do submarino.

Responsáveis dos EUA e analistas militares supõem que os exercícios realizados pelo submarino russo entre o mar Báltico e o mar Negro "eram parte de uma estratégia de vendas", destinada a possíveis compradores, inclusivamente ao Egito, "a quem podiam mostrar os mísseis de cruzeiro", sublinha o artigo.

Finalmente, o jornal indica que os países da Aliança Atlântica não estão suficientemente preparados para enfrentar a frota submarina russa e que o "ressurgimento inesperado do desenvolvimento de submarinos russos voltou a acender a rivalidade da Guerra Fria". Isso torna necessário que a Marinha dos EUA desenvolva tecnologia de guerra antissubmarino, sugere Barnes.

Características gerais
Deslocamento:
  • Superfície : 2.300-2.350 toneladas
  • Submerso: 3.000-3.950 toneladas de carga total
Comprimento:70.0-73.8 m (229 ft 8 in-242 ft 2 in)
Beam:9,9 m (32 pés 6 polegadas)
Esboço, projeto:6,2 m (20 pés 4 polegadas)
Poder instalado:Diesel-elétrico
Propulsão:
  • Propulsão diesel-elétrica
  • Geradores a diesel de 2 × 1000 kW
  • 1 × 5,500-6,800 shp (4,100-5,100 kW) Motor de propulsão
  • 1 × hélice de passo fixo de 6 ou 7 folhas (projeto 6BL 877) (projeto 7BL 636)
Rapidez:
  • Superado: 17 nós (31 km / h; 20 mph)
  • Submerso: 20 nós (37 km / h; 23 mph)
Alcance:
  • Com snorkel: 6,000-7,500 nmi (11,100-13,900 km; 6,900-8,600 mi) a 7 kn (13 km / h; 8,1 mph)
  • Submerso: 400 nmi (740 km; 460 mi) a 3 kn (5,6 km / h; 3,5 mph)
  • Corrida total: 12,7 nmi (23,5 km; 14,6 mi) a 21 kn (39 km / h; 24 mph)
Resistência:45 dias
Profundidade do teste:
  • Operacional: 240 m (790 pés)
  • Máximo: 300 m (980 pés)
Complemento:52
Armamento:
  • Tubos de torpedo de 6 x 533 mm (21 in)
  • 18 torpedos
  • [1] Míssil de cruzeiro de ataque terrestre Kalibr / Club , míssil anti-navio e míssil anti-submarino(algumas versões)
  • 24 minas
  • 8 9K34 Strela-3 (SA-N-8 Gremlin) ou 8 9K310 Igla-1 (SA-N-10 Gimlet) Mísseis superfície-ar (os submarinos de exportação podem não estar equipados com armas de defesa aérea)
 

 

Regresso de veteranos: Rússia recupera lendários canhões nucleares de grande calibre

Construtora militar Uraltransmash até 2020 irá fazer a revisão completa e lubrificar todos os morteiros autopropulsados 2S4 Tyulpan existentes em reserva a pedido do Ministério da Defesa russo, informou uma fonte na indústria bélica. Conheça as caraterísticas interessantes deste armamento.

Nesta semana já foram reparados 16 morteiros do primeiro grupo. Além disso, vão ser restaurados outros canhões de grande calibre, os 2S7 Pion de calibre 203 mm (abaixo). 

 

Velha escola

O morteiro autopropulsado soviético de calibre 240 mm Tyulpan é um verdadeiro "veterano". Foi desenvolvido ainda na década de 1960 com base em um morteiro rebocado de 1945.

Vale destacar que o primeiro protótipo do Tyulpan conseguiu fazer apenas dois disparos e quebrou por causa da onda dinâmica monstruosa. No entanto, após ser modificado, o morteiro gigante foi aceito em serviço e colocado em produção. Agora, a Rússia possui 500 morteiros deste tipo, tanto em serviço como em reserva.

"Apesar destes sistemas serem bastante antigos, ainda hoje não há concorrentes que possam superar seu poder de fogo", contou à Sputnik um representante da indústria de defesa russa. Segundo ele, após modernização, os Tyulpan receberão novos aparelhos de pontaria, estações de rádio e equipamento de navegação.

calibre do Tyulpan não tem análogos no mundo. Uma granada lançada por ele pode furar uma estrutura de concreto feita de pavimentos de um edifício de 12 andares ou o teto de um hangar reforçado. O alcance é de até 9 quilômetros. Entres os projéteis que pode disparar o Tyulpan há os de alto poder explosivo contra infantaria e estruturas, granadas ativas a reação, com um alcance que pode ser aumentado até 20 quilômetros, e munições originais guiadas Smelchak com pontaria exterior.

Morteiro autopropulsado russo 2S4 Tyulpan

Apesar do Tyulpan ser uma arma universal, convém mais usá-lo contra as baterias de mísseis ou de artilharia fortificadas, bunkers, postos de comando subterrâneos e outros objetivos inimigos invulneráveis à artilharia comum.

Por causa disso, o antigo morteiro soviético pode ser classificado como uma potente arma nuclear tática, pois um disparo nuclear é capaz de eliminar uma unidade com dimensão de brigada.

Canhão nuclear

canhão autopropulsado 2S7 Pion de 203 milímetros tem um calibre menor do que o Tyulpan, mas em compensação possui um alcance cinco vezes maior, sendo assim um verdadeiro canhão. O Pion pode lançar projéteis nucleares ou de alto poder explosivo a uma distância de até 35 quilômetros e munições ativas a reação a uma distância de 47 quilômetros.

Os Pion também estão sendo reparados a pedido do Ministério da Defesa russo e, segundo os construtores, "ficarão mesmo como novos".

Pion foi projetado para atacar a retaguarda do inimigo, realizar bombardeamentos maciços de objetivos de importância especial, entre outras tarefas. A cadência de tiro da versão modernizada atinge 2,5 tiros por minuto. Pode parecer uma velocidade baixa, mas para a artilharia de calibre tão grande é mais do que suficiente.

É de ressaltar que o exército soviético nunca utilizou os Pion em condições de combate.

Militares perto de um canhão autopropulsado 2S7 Pion no âmbito da exposição técnico-militar EXÉRCITO 2017

Militares perto de um canhão autopropulsado 2S7 Pion no âmbito da exposição técnico-militar EXÉRCITO 2017

Além dos Tyulpan e Pion, o exército russo tem em serviço vários sistemas de artilharia de calibres diferentes, desde morteiros de calibre 82 mm até obuses de 152 milímetros.

Até 2020, planeja-se equipar o exército com o novo canhão autopropulsado Koalitsia-SV (abaixo) que poderá realiza díspar munições guiadas via GLONASS.

 

27 de novembro- Dia dos fuzileiros navais na Rússia

As unidades de infantaria naval são transportadas para a costa por navios e lanchas de desembarque ou por helicópteros de baseamento naval com apoio de fogo dos navios e da aviação da marinha. Em alguns casos os combatentes da infantaria naval podem percorrer espaços marítimos a bordo de viaturas anfíbia.

O Zubr classe (Projeto 1.232,2 - NATO "Pomornik")

É uma classe de embarcações de desembarque (LCAC). Esta classe de hovercraft militar é, a partir de 2012, a maior do mundo, com um deslocamento padrão total de 555 toneladas. O hovercraft é projetado para levar unidades de assalto anfíbio (como marines e tanques  e embarcações para margens não equipadas, bem como transportar e plantar minas navais .

 

A artilharia de grandes calibres sempre tem desempenhado um papel importante no arsenal das principais potências militares. 

O sistema de lançamento múltiplo de foguetes Smerch
Uma cadência de tiro brutal, um alcance excepcional e disparos de enorme potência comandados via GLONASS… No início de setembro, o Ministério da Defesa russo encomendou um lote experimental dos canhões autopropulsados 2S35 Koalitsiya-SV. O colunista da Sputnik Andrei Kots apresenta uma lista dos melhores canhões russos e detalha suas caraterísticas.

Os novos canhões Koalitsia devem se tornar a principal arma das divisões das tropas terrestres, substituindo os 2S19 "Msta-S" (abaixo).

Até os especialistas ocidentais confirmam que o Koalitsia ultrapassa seus análogos estrangeiros em muitas caraterísticas, inclusive o canhão alemão PzH 2000 (abaixo), que por muito tempo tem sido considerado como o melhor do mundo.

Entretanto, as tropas de artilharia russas "sempre tiveram uma resposta pronta ao inimigo", ressalta Kots.

Pion e Malka

A artilharia de grandes calibres sempre tem desempenhado um papel importante no arsenal das principais potências militares. Na época da Guerra Fria, ela era desenvolvida tanto pela URSS, como pelos EUA. 

Ambos os países visavam criar um meio eficiente de lançamento de munições nucleares táticas de baixa potência para desferir um golpe contra posições do inimigo a uma distância relativamente curta.

Na Rússia, tal arma era o canhão autopropulsado 2S7 Pion de 203 milímetros e sua modificação 2S7M Malka (acima). Ademais, foram criadas munições não nucleares superpotentes para estes armamentos.

Por exemplo, o Pion é capaz de lançar uma munição reativa 3FOF35 de alto poder explosivo com o peso de 110 kg a uma distância de 50 km. Deste modo, pelas capacidades de combate, este canhão se equipara aos armamentos dos maiores navios de linha da época da Segunda Guerra Mundial.

Porém, a potência e o alcance não são apenas vantagens, mas também implicam certas desvantagens, assinala o colunista. O problema é que a Rússia não possui muitos polígonos onde estes canhões de médio e longo alcance possam ser testados.

Além disso, eles não possuem um grande estoque operacional de munições: o Pion dispõe de apenas quatro projéteis e o Malka — de oito. No entanto, a Rússia continua preservando uma reserva de 300 unidades desses armamentos.

 

Tyulpan

morteiro autopropulsado 2S4 Tyulpan entrou no serviço ainda na década de 70, mas até hoje continua sendo uma arma potente, e ninguém planeja descartá-lo do arsenal.

O principal "trunfo" do morteiro é o grande leque de munições de 240 milímetros que pode disparar — projéteis de alto poder explosivo, incendiários, de cassete e guiados. Na época soviética, até havia minas neurônicas e nucleares com potência de 2 quilotoneladas.

O morteiro lança as munições com trajetórias altas, o que permite destruir os alvos inimigos escondidos nas profundezas da terra ou construções fortificadas. Ao mesmo tempo, o fogo pode ser lançado desde posições camufladas para dificultar a detecção.

batismo de fogo doTyulpan ocorreu na Guerra do Afeganistão no final do século passado. A grande mobilidade lhe permitiu atravessar áreas acidentadas junto com outros blindados, sendo capaz de eliminar alvos nos declives das montanhas, desfiladeiros e outros locais de difícil acesso, explica Kots.

Ademais, os morteiros Tyulpan foram usados na Chechênia, onde ajudavam a destruir as construções de concreto nas montanhas.

 

Vena

morteiro de 120 milímetros russo 2S31 Vena foi apresentado pela primeira vez na exposição IDEX-97 nos Emirados Árabes Unidos. O armamento foi construído após a Guerra do Afeganistão, onde as armas ligeiras autopropulsadas Nona, que estavam no serviço das Forças Aerotransportadas, tiveram um bom desempenho.

Na época, o Ministério da Defesa considerou que tais armas eram necessárias para as tropas terrestres, mas com chassis BMP-3 mais pesados. A primeira Viena foi incorporada no exército russo em 2010.

A principal diferença entre a nova arma e os morteiros Nonaé a sua alta automatização. Cada canhão está equipado com um complexo computadorizado que permite receber e transmitir informações para efetuar disparos com precisão, explica o colunista.

Os dados são exibidos no monitor do comandante do veículo. O computador de bordo pode armazenar informações sobre cerca de 30 alvos inimigos ao mesmo tempo. O comandante só precisa de escolher o alvo e, em seguida, o próprio sistema tratará de tudo.

Caso de repente apareça um novo alvo, o Vena estará pronto para disparar um projétil apenas 20 segundos depois de receber a primeira informação.

 

Smerch

Os lança-foguetes russos BM-30 Smerch entraram no serviço em 1987 e são considerados a arma de artilharia reativa mais potente no mundo.

Com uma descarga só, o armamento pode lançar 12 munições com minas de cluster, de fragmentação ou termobáricas de 250 kg cada.

A área de alcance de um lançamento é cerca de 70 hectares, e o alcance é entre 20 e 90 quilômetros. De acordo com especialistas, um lançamento de seis lança-foguetes Smerch, pela sua força de destruição, é comparável a uma explosão nuclear tática.

Agora os Smerch estão sendo substituídos pelos novos sistemas Tornado-S, capazes de corrigir a trajetória de voo das munições reativas de modo autônomo. Simplificando, as armas criadas para eliminar alvos no terreno se tornaram altamente precisas, capazes de efetuar ataques controlados.

 

 

 

As imagens extraordinárias da BBC permitem que você se junte aos pilotos do exército iraquiano enquanto voam o Mil Mi-28 Havoc 'Night Hunter'  russo sobre Mosul, lutando contra os militantes do chamado Estado islâmico.

Em outubro de 2012, foi relatado que a Rússia e o Iraque assinaram um contrato de US $ 4,2 a US $ 5,0 bilhões, incluindo 30 helicópteros Mi-28N

Os Mi-28 iraquianos viram seu batismo de combate contra o ISIS  em novembro de 2015 na Batalha de Ramadi.


“Leninets”, primogênito da família de submarinos nucleares russos, completa 50 anos

Há meio século, os fabricantes de armas soviéticos desenvolveram o primeiro monstro nuclear de águas profundas do país. Equipamento se tornou a pedra angular da política de dissuasão nuclear da Rússia.

Em novembro de 1967, os fabricantes soviéticos lançaram o primeiro submarino nuclear do país, o K-137 “Leninets” 667А, carregado com mísseis balísticos intercontinentais (da sigla em inglês, ICBMs).

O veículo subaquático foi nomeado em homenagem ao líder revolucionário Vladimir Lênin e preparou o caminho para o futuro nuclear subaquático da União Soviética.

“A URSS já tinha alguns submarinos do projeto 658, com mísseis nucleares, mas o Leninets se tornou o primeiro armado até os dentes com foguetes atômicos capazes de voar 10 mil quilômetros até o alvo”, disse ao Russia Beyond Brasil o analista militar da agência de notícias TASS Víktor Litovkin.

Enquanto os modelos anteriores eram equipados com até três mísseis de médio alcance, o K-137 recebeu 16 ICBMs. Assim, além de cinco vezes mais eficaz em potenciais conflitos, tornou-se parte vital da política de dissuasão nuclear.

“Outra característica interessante desses navios era o primeiro sistema soviético de gerenciamento automático de informações, em outras palavras, computadores”, disse Litovkin. “Essas máquinas permitiram a navegação precisa dos ICBMs.”

Como os novos submarinos podiam mergulhar uma vez e meia mais do que os anteriores, bateram recorde mundial ao atingir profundidades em torno de 400 metros.

O conforto era, para os tripulantes, um grande aspecto nesses veículos. “Os K-137 possuíam mais espaço e passagens mais amplas. Soldados e comandantes até tinham uma academia a bordo. Se tivesse que passar os próximos seis meses por debaixo da água, o conforto físico e mental era um problema sério”, destacou o analista.

Durante a Guerra Fria, a criação de sistemas de dissuasão nuclear tornou-se um dos principais objetivos da Rússia. No total, a frota soviética foi reforçada com 34 submarinos nucleares K-137 (do projeto 667A), cada qual armado com 16 ICBMs. As máquinas ficam estacionados junto às frotas do Norte e do Pacífico.

“O mais importante é que esses submarinos alimentaram o futuro do desenvolvimento da frota nuclear subaquática. O país jamais teria criado um ‘Borei’ ou ‘Iasen’ sem que os K-137 tivessem um dia existido”, concluiu Litovkin.

Características gerais
Tipo:Submarino SSBN
Deslocamento:
  • 7,7 mil toneladas de superfície
  • 9.300 toneladas submersas
Comprimento:132 m (433 pés)
Boca:11,6 m (38 pés)
Calado8 m (26 pés)
Propulsão:Dois reatores nucleares refrigerados a água pressurizada que alimentam quatro turbinas a vapor que conduzem dois eixos.
Velocidade:
  • Superfície: 13 nós (24 km / h; 15 mph)
  • Submerso: 27 nós (50 km / h; 31 mph)
Autonomia:Ilimitado
Tripulação:114
Armamento:
  • Yankee I / II: tubos de torpedo de 4 × 533 mm (21,0 pol.)
  • Tubos de torpedo de 2 × 400 mm (16 pol.)
  • Yankee I: 16 × R-27 (SS-N-6 Serb) SLBM's
  • Yankee II: 12 × R-31 (SS-N-17 Snipe) SLBM's.

 

Rússia escolhe antiga ilha japonesa para construir nova base

A pista tem uma particularidade — é de metal. Devido ao clima caprichoso de Matua.

Um avião militar russo An-26 testou com sucesso a nova pista de aterrissagem da ilha de Matua, nas Curilas, onde a Rússia está construindo sua nova base.

A pista tem uma particularidade — é de metal. Devido ao clima caprichoso de Matua, os engenheiros da Frota russa do Pacífico optaram por uma pista composta por chapas perfuradas de ferro unidas entre si.

Um novo aeródromo na ilha de Matua (uma área de cerca de 52 quilômetros quadrados) está pronto para receber aeronaves e helicópteros a qualquer hora do dia. Uma aeronave pousou na ilha no Oceano Pacífico pela primeira vez em 17 anos.

A nova pista passa parcialmente sobre duas outras velhas pistas construídas na época do Império Japonês, informa o canal de TV Zvezda. Com o comprimento de 1200 metros, largura - 80 metros,  terá que ser estendida mais de duas vezes - até 3-3,5 km para receber os caças Su-27, Su-35, MiG-29 e os bombardeiros Tu-22M3 e Tu-95MS

A decisão de construir a nova base da Frota do Pacífico em Matua foi tomada pelo Ministério da Defesa da Rússia em 2016. Abaixo projeto dos alojamentos.

Agora, a Frota do Pacífico dispõe de bases apenas na cidade de Vladivostok e Vilyuchinsk (região de Kamchatka).

"A nova base é necessária embora seja apenas por causa da Frota do Pacífico estar dividida em duas partes: a da região de Kamchatka e a da região de Primorie, que será impossível conectar em caso de guerra. É por isso que uma base intermédia é absolutamente necessária", sublinhou Aleksandr Khramchikhin, vice-diretor do Instituto de Análise Política e Militar. Abaixo desembarque de militares na base naval da vizinha Ilha Kuril.

Dia do Soldado Desconhecido 

O Dia do Soldado Desconhecido é celebrado na Rússia em 3 de dezembro em memória dos mortos e desaparecidos em conflitos.

Neste mesmo dia, em 1966, para honrar o 25° aniversário da derrota da Alemanha nazista, as cinzas do Soldado Desconhecido foram enterradas próximo ao muro do Kremlin. 

Quase dois milhões de soldados russos e soviéticos morreram durante as guerras dos séculos 20 e 21.

Submarino americano da Segunda Guerra Mundial é encontrado Próximo à ilha Matua nas Curilas russas.

Mergulhadores russos e marinheiros da Frota Russa do Pacífico encontraram junto à costa da ilha Matua, no arquipélago das Curilas, um submarino dos EUA dos tempos da Segunda Guerra Mundial.

                               

A informação foi prestada pelo secretário do conselho científico da Sociedade Histórico-Militar da Rússia, Major-General da reserva Aleksandr Kirilin.

"Próximo à ilha Matua, das Curilas, mergulhadores russos com o apoio de marinheiros da Frota do Pacífico encontraram a uma profundidade de 104 metros um submarino. A análise dos  arquivos permite supor que trata-se do submarino americano Herring  (SS-233), afundado pela artilharia costeira do Japão em maio de 1942 com uma tripulação de 83 pessoas – disse Kirilin.

"Todos esses dados foram passados para o lado americano" – disse o general.

O USS Herring (SS-233) , um submarino de classe Gato, Sua quilha foi colocada em 14 de julho de 1941 pelo estaleiro naval de Portsmouth em Kittery, Maine . Ela foi lançada em 15 de janeiro de 1942.

Suas primeiras quatro patrulhas de guerra estavam no Atlântico. A jornada do Herringde Rosneath, da Escócia para New London.

Em 16 de maio de 1944, o USS Herring , capitaneado pelo tenente comandante David Zabriskie, Jr., partiu para Pearl Harbor em sua oitava e última patrulha de guerra. Em 21 de maio de 1944, ela colocou o combustível no Midway Island e, em seguida, dirigiu-se para a área de patrulha atribuída nas Ilhas Curilas. Abaixo placa com vista para o local da perda de Herring em Point Tagan, Ilha de Matua.

    

Os relatórios japoneses obtidos após a guerra revelaram que o USS Herring foi afundado em 1 de junho de 1944, a dois quilômetros ao sul de Point Tagan, em Matua, no arquipélago das Curilas na posição geográfica aproximada 48 ° 01 'N, 153 ° 17' E , após afundando dois navios mercantes  com torpedos às 07:42 horas.

Há uma placa memorial na estação de armas naval em Seal Beach, Califórnia , [e outra, juntamente com a campainha do navio, no Battleship Memorial Park em Mobile, Alabama.

Características gerais
Classe e tipo:Gato- class diesel-electric submarine
Deslocamento:
  • 1.525 toneladas longas (1.549 t) surgiram
  • 2.424 toneladas longas (2.463 t) submersas
Comprimento:311 ft 9 in (95.02 m)
Beam:27 pés 3 pol (8,31 m)
Esboço, projeto:17 pés (5,2 m) máximo
Propulsão:
  • 4 × Fairbanks-Morse Modelo 38D8- 1 / 8 9- cilindro -pistão oposição motores diesel condução geradores eléctricos
  • Baterias Sargo de 2 × 126 células 
  • Motores elétricos Elliott de alta velocidade de 4 × com engrenagens de redução
  • 2 × propulsores
  • 5,400  shp (4,0  MW) Superfície 
  • 2.740 shp (2.04 MW) submerso
Rapidez:
  • 21  kn (39 km / h) surgiram 
  • 9 kn (17 km / h) submersos 
Alcance:11.000  nmi (20.000 km) a 10 kn (19 km / h)
Resistência:
  • 48 horas a 2 kn (3,7 km / h) submersas
  • 75 dias de patrulha
Profundidade do teste:300 pés (90 m)
Complemento:6 oficiais, 54 alistados
Armamento:
  • Tubos de torpedo de 10 × 21 polegadas (533 mm)
    • 6 para frente, 4 a popa
    • 24 torpedos
  • 1 × 3 polegadas (76 mm) / arma de plataforma de calibre 50
  • Bofors 40 mm e Oerlikon de 20 mm

 

Estado-Maior da Rússia informa que a Síria foi completamente libertada do Daesh

 

O Estado Maior da Rússia informou nesta quarta-feira (6) que a Síria foi completamente libertada do Daesh. De acordo com o chefe do Estado-Maior General russo, Valery Gerasimov, o restante dos terroristas remanescentes foram derrotados em Deir ez-Zor.

Bombardeiros russos de longo curso Tu-22M3
 
"Todas as formações do Daesh [Estado Islâmico] no território da Síria foram destruídas, e o próprio território foi libertado. O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, informou isso há uma hora ao comandante-chefe, o presidente Vladimir Putin", disse Gerasimov.

Segundo ele, as tropas do general sírio Suhel Hassan derrotaram os militantes remanescentes na província de Deir ez-Zor e libertaram diversos assentamentos, aliando-se com as forças do governo que avançaram a partir do sul.

"Assim, hoje não existe território na Síria sob o controle do Daesh", afirmou o chefe do Estado-Maior.

Fonte: Ministério da Defesa da Rússia -atualizado 15:19

 

Pentágono "discordou respeitosamente" sobre a libertação completa da Síria do IG

Um porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Erik Pehon, discordou da declaração do chefe do Estado-Maior da Rússia, Valery Gerasimov, sobre a libertação completa da Síria dos militantes do grupo terrorista "Estado islâmico", informou o RIA Novosti. .

"Eu acho que esta é uma declaração interessante. Eu discordo de maneira respeitosa ", disse ele. 

De acordo com Pehon, ainda permanecem militantes do "estado islâmico" na Síria.

Caça japonês da Segunda Guerra Mundial encontrado nas Curilas russas

Uma expedição conjunta da Sociedade Geográfica Russa e Ministério da Defesa à ilha de Matua, nas Curilas russas, descobriu um avião militar japonês da época da Segunda Guerra Mundial.

"A fuselagem com as asas, bastante bem preservada, sugere que este era um caça leve Mitsubishi Zero do tempo da Segunda Guerra Mundial, cuja esquadrilha esteve baseada na ilha de Matua. Nos elementos do chassi são claramente visíveis os caracteres [japoneses]", disse o porta-voz do distrito militar oriental Aleksandr Gordeev.

O avião foi produzido em 1942 e seu número de série é 1733.

Mitsubishi A6M Zero é um avião de caça de longo alcance que foi produzido em massa entre 1940 e 1945 no Japão Imperial. Os aviões eram frequentemente usados para realizar ataques kamikaze contra as forças aliadas. 

Os mergulhadores já inspecionaram as baías próximas e objetos debaixo d'água, contou Gordeev. No entanto, até agora a expedição não encontrou quaisquer bases de submarinos japoneses ou alemães.

Rússia tem reforçado a exploração das ilhas Curilas e está atualmente construindo várias instalações militares no arquipélago. De acordo com a Agência Federal Russa para a Construção Especial, nas Curilas se espera construir um total de 163 edifícios e 94 outras estruturas.



 

Aeronaves russas eliminaram mais de 1,3 mil alvos terroristas na Síria esta semana

As Forças Aeroespaciais da Rússia realizaram cerca de 550 missões esta semana na Síria, informou o ministério da Defesa da Rússia em seu jornal oficial Krasnaya Zvezda.

 
Segundo os infográfico apresentados, mais de 1,3 alvos dos terroristas foram liquidados esta semana. Além disso, 24 aeronaves realizaram atividades de inteligência nas fronteiras do espaço aéreo e dos mares russos. Cinco voos de interceptação foram feitos. 

Putin ordena retirada de tropas russas da Síria

O presidente russo, Vladimir Putin, que, na segunda-feira (11), desembarcou na base aérea russa em Hmeymim, na Síria, ordenou o início de retirada das tropas russas da Síria.

No discurso perante os militares, Putin disse: "Ordeno ao ministro da Defesa, chefe do Estado-Maior General, que comece a retirada das tropas russas para seus pontos de posicionamento permanente."

Segundo Vladimir Putin, os militares russos estão regressando à Pátria vitoriosamente. O presidente acrescentou que se os terroristas "voltarem a levantar a cabeça, atacaremos de uma forma nunca antes vista por eles".

Ele salientou que Moscou nunca se esquecerá das vítimas da luta contra o terrorismo na Síria e na Rússia.

Dia-a-dia na Base Aérea da Rússia na Síria [foto de arquivo)De acordo com o presidente, os militares russos cumpriram sua tarefa brilhantemente, mostraram coragem, heroísmo e determinação e regressam aos seus familiares com vitória. "A Pátria está à espera de vocês, meus amigos. Boa viagem. Agradeço pelo seu serviço", disse o líder russo.

Curtidas (7)
Luis PachecoMÁRCIO PINHOScout SniperCarnavalliFaiscaLelloCoração De Leão
×
×
×
×